História Is It Love ? Ryan - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Is It Love?
Personagens Ryan
Tags Carter, Is It Love, Ryan
Visualizações 489
Palavras 3.078
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa noite flores.
Mais um capítulo 🌸
Boa leitura 😉

Capítulo 11 - Dois gumes


Fanfic / Fanfiction Is It Love ? Ryan - Capítulo 11 - Dois gumes

Khyara

- Eu sinto muito. - digo vermelha de vergonha me virando e saindo da sala. Olho pra minha mão e a bendita toalha ainda está nela.

- Droga. - digo entrando na minha sala e jogando a toalha no lixeiro. Dessa vez eu definitivamente vou ser demitida. Eu me sento em minha cadeira tentando acalmar os meus nervos. Isso tudo é culpa daquele demônio.

Mas qual é o problema dele? Que tipo de pessoa enfia a mão na saia da secretária em plena reunião de negócios ? O que deu na cabeça dele? Como eu poderia ficar calma com isso? E se alguém notasse? E se o advogado visse ou o senhor Adich o que iam pensar de mim? Que sou uma profissional contratada pela cara e corpo?!

- Ridículo... Supiro... - não me trate como se eu fosse sua puta senhor Carter. 

Eu não vou aceitar isso. Mas contida só que agora com raiva saio da minha sala, bem, se vou ser demitida ou não, ainda tenho um dia de serviço pra terminar. Saindo da sala em direção a sala do senhor Carter, passo pela frente do elevador e vejo o senhor Adich, com o advogado e o Ryan que conversam. Eu deveria me desculpar de forma correta, então me aproximo e digo envergonhada.

- Humhum... Eu . Eu gostaria de me desculpar corretamente. Não tinha a intenção de colocar o senhor em uma situação constrangedora. Me desculpa- digo ao me inclinando pra frente em sinal de desculpas. Adich que me olha e sorrir. Enquanto o senhor Carter e o advogado estão parados me olhando.

- Hahaha.. nao se preocupe tanto senhorita. Foi um acaso pra todos os males. No entanto, a senhorita me proporcionou um bom momento, se me permite dizer. - ele diz rindo e piscando e eu sinto que corei um pouco mais. O advogado acaba rindo também e o Ryan dá um sorriso de lado meio forçado.

- Não precisar ser tão gentil senhor Adich. - eu sei que ele fez a brincadeira só pra descontrair o clima obviamente tenso entre mim e o Carter.

- De qualquer forma senhorita, acho que podemos conversar melhor num almoço. O que me diz? - fala o senhor Adich ainda rindo. Eu não havia percebido que já é a hora do intervalo para almoço. Eu acho que é o mínimo que devo a ele não?!

- Bem eu..

- Ela tem um compromisso. Temos um almoço de negócios senhor Adich. - diz o senhor Carter me interrompendo.

- Hum. Entendo. Então fica pra próxima. Foi um prazer senhorita. Senhor Carter. - o senhor Adich fala sorrindo pra mim e aperta a mão de senhor Carter novamente os dois se olham sério.

- Não seja tão egoísta senhor Carter. - o senhor Adich fala ao Carter e sai entrando no elevador junto com o advogado, as portas se fecham e ficamos só eu e o Carter parados de frente pro elevador.

- Senhorita... - o Ryan fala e eu olho pro ele.

- Sim? - digo tentando manter um aparência segura, mas eu estou com medo depois do que ocorreu. Ele deve está querendo a minha cabeça.

- Me acompanhe. - Carter diz virando seu rosto pra me olhar, sua expressão séria e seus olhos intensos me fazem percorrer um frio pela coluna. Eu aceno com um sim e Carter se vira indo em direção a sua sala e eu o sigo.

Ele entrar no escritório e eu sigo atrás, fecho a porta e vejo o Ryan parar em frente a sua mesa se virando pra mim. Eu me aproximo um pouco e fico de frente a ele um pouco distante, enquanto ele fica me olhando sério sem falar nada. Eu fico séria também, esperando por suas palavras.

- Bem.. O senhor pode falar... - digo olhando pra ele. Diga senhor Carter, estou preparada pras suas palavras. Ele me olha com uma sombrancelha levantada e se escora em sua mesa, cruzando os braços me olhando.

- Senhorita Moretti, pra quem a senhora trabalha ? - ele diz num tom de voz normal.

- O que? - ele vai transformar isso numa tortura lenta e dolorida, pelo que vejo. Ele continua calado me olhando da mesma forma.

- Bem. Trabalho pro senhor... - respondo o olhando.

- Bem, a senhorita ao menos tem consciência. Eu não sou um empresário qualquer senhorita Moretti. Eu sou Ryan Carter e carrego essa empresa em minha responsabilidade, junto com todas as pessoas que trabalham aqui e suas famílias. Você está ligada a mim por um cargo de confiança e me representa quando não estou. É essa a função de uma secretária, a minha imagem está atrelada a sua. A senhorita pode entender isso?

- Não me menospreze. Eu dei bem o que significa ser uma secretária, não é como se eu fosse uma aprendiz. - respondo ficando já impaciente. Calma Khyara, você deu uma mancada tente engolir um pouco desde seu orgulho.

- A senhorita tem idéia do que aconteceria se houvesse mais pessoas naquela sala? Você sabe que tipo de consequências teriam?

- Eu... Eu não fiz por querer. Eu só estava nervosa e não pensei direito.

- Se toda vez que a senhorita ficar nervosa e não pensar no que faz, isso vai ser um problema pra mim senhorita. O seu papel é me ajudar e não me arruinar.

- O que? Eu.. eu não arrumei você. Nem arruinei nada até onde sei. - respondo já brava olhando pra ele. 

- Não. Mas suas ações poderia.

- Isso... Isso foi sua culpa. - digo apontando pra ele com o rosto bravo. Ele me olha surpreso de boca aberta e pergunta:

- Minha culpa. Como você masturbar um empresário em plena reunião seja a MINHA culpa? - ele diz bravo desfazendo os braços cruzados e se desencostando da mesa.

- Eu não estava... De qualquer forma a culpa e sua por me assediar.

- Eu... Eu não estava com a mão na sua calcinha quando você derrebou aquela xícara. - ele fala ainda irritado mas desviando o olhar. Como isso pode ser menos pior ? Só o fato dele por a mão na minha calcinha não já haveria que bastar?!

- Mas estava antes.... Senhor Carter eu sou uma profissional, como o senhor espera que eu reaja com a sua ação perturbadora? Eu fiquei nervosa, é claro. O suficiente pra ficar trêmula e derrubar a xícara. Por tanto Sim, É SUA culpa. - digo brava me aproximo dele.

- Minha culpa? Você... Você.. que tipo de profissional paquera um empresário em plena reunião ainda do lado do seu chefe ? - ele fala se aproximando ainda mais de mim. Ok, ambos estão irritados. É óbvio que nós dois somos culpados mas não acho que nenhum de nós vai dá o braço a torcer.

- Eu não estava dando em cima de ninguém. Além do mais você não parecia notar. E se é pra falar de profissionalismo o senhor me assediando em plena reunião não é nada profissional e gritar comigo também não foi nada profissional. - digo irada pondo um dedo no peitoral dele. Eu levanto meu rosto o encarando com raiva e ele está com o rosto baixo próximo ao meu me olhando com ira também.

- Como eu não estava percebendo se eu estava do seu lado, a senhorita por acaso acha que eu sou surdo? Eu vi e ouvi tudo. Você poderia ao menos ter dito a ele para parar. - ele fala me olhando nos olhos ainda com raiva. Onde foi parar o "senhorita"?

- O chefe é o senhor. O senhor poderia falar pra ele parar.. - respondo o encarando na mesma intensidade.

- Isso não seria profissional da minha parte. Eu não poderia fazer isso. Droga...

- Mas não impediu do senhor colocar a mão na minha intimidade.

- ....... - Carter fica sem palavras me olhando com raiva enquanto eu continuo o encarando. Nossos rostos estão próximos e nossas respirações um pouco ofegantes, talvez pela irritação de ambos, ou talvez por que estranhamente a situação parece excitante. Meu dedo continua no peitoral do Carter. Que fecha os olhos e suspira em seguida sinto sua mão pegar o meu pulso da mão que estava em seu peitoral. Ele me olha de volta, só que agora sem a sua expressão de raiva.

- Ok. Me desculpa ....  por gritar com a senhorita. Foi meu erro.

- ..... - dessa vez quem fica sem palavras sou eu, que fico encarando ele com cara de suspresa. Quer dizer... Eu ouvi certo? Ele... Ele pediu desculpas?!

- Bem acho que mereço um pedido de desculpas por outra coisa também não é senhor Carter ? - falo em tom de presunção. Da onde vem tanta coragem Khyara, você é maluca?! Ele me olha com cara de poucos amigos, mas solta um pequeno sorriso:

- Puff... Você é implacável não?! Bem me desculpa por lhe proporcionar um momento exitante. - ele responde com aquele sorriso de lado convencido e soltando minha mão.

- Não é... Como se eu estivesse gostando. - digo virando meu rosto olhando pela janela, sinto meu rosto quente provavelmente estou corada. Carter ri e diz:

- Nao foi o que senti. Você parecia bem exitada pra mim. De qualquer forma senhorita, essa é a primeira vez que passo por tal situação. - ele fala se afastando e rodando a sua mesa, se dirigindo pra sua cadeira, já eu,  permaneço em pé lhe olhando.

- Não pense nem um segundo que o senhor tem algum poder sobre mim senhor Carter. - respondo o olhando com poder. Não vou deixá-lo saber o quanto meu corpo reage ao dele. Isso só o tornaria mais convencido.

- Não senhorita. Eu nunca gritei com alguém daquela forma, nunca fiz nada parecido antes, como tocar a senhorita e muito menos ... Nunca me senti tão incomodado com alguém paquerando a minha secretária. Não sou eu que estou com o poder aqui. - ele fala passando a mão no cabelo e depois de sentar na sua cadeira e põe seus dois braços sobre a mesa, se inclinando ligeiramente e me olhando nos olhos, sua feição e sério me encarando nos olhos, como se esperasse alguma reação minha. Mas como eu deveria responder a isso? Nem se quer foi uma pergunta.

- O senhor por acaso está sugerindo que eu não sou uma profissional a sua altura ? - pergunto ainda sem compreender o que ele quiz dizer. Carter suspira fundo e diz:

- Eu já me desculpei. Tomarei cuidado para que não se repita. A senhorita pode se retirar.

- Mas.. nós não tínhamos um almoço de negócios?

- A senhorita está liberada. - ele fala levando uma mão a testa a massageando. Ele parece realmente perturbado.

- Bem... Com licença. - digo me virando e saindo. Bom isso foi um tanto suspreeendente, eu esperava que ele fosse mais ríspido.

- Senhorita Moretti... - ele diz quando eu ponho uma mão na maçaneta. Eu paro ainda com a mão nela e viro meu rosto pra olhá-lo.

- Sim senhor Carter? - digo

- A senhorita tem todo o direito de me processar pelo assédio. - ele diz sério.

- Não.. não acho que será necessário.. - digo o olhando e o vejo sorrir um pouco largamente e depois me viro e fecho a porta. Bem, não é como se ele tivesse feito algo assombroso de qualquer forma e bem.... não foi ruim no fim das contas.

Chegando na minha sala eu pego minha bolsa, tenho que ser rápida já que falta pouco pro horário de almoço acabar. Talvez eu coma um lanche rápido hoje. Enquanto saio da sala ando em direção ao elevador olhando meu celular. Quando levanto a cabeça vejo o senhor Carter parado em frente ao elevador de braços cruzados me olhando.

- O senhor precisa de algo de mim senhor Carter ? - pergunto.

- O que a senhorita vai almoçar? - ele pergunta.

- Hum? Algo rápido. Talvez um lanche. - respondo olhando pra ele.

- Bem, temos um almoço.

- Ah sim. Você disse antes não foi? Mas não me lembro de termos um almoço de negócios hoje. Foi algo decido hoje ? - pergunto.

- Não é um almoço de negócios senhorita. É um almoço normal só nosso. Já que eu sabia que a senhorita iria provavelmente comer algo nada saudável. Vamos ? - ele diz entrando no elevador.

- Hum.. ok... - perai ele está preocupado com o que eu como?! Por que ?!

- Há algum lugar específico que a senhorita gosta de comer? - ele pergunta se virando pro espelho do elevador arrumando a gravata.

- Bem eu costumo comer com a Lisa num aqui próximo. É italiano a comida é maravilhosa. Embora a essa altura esteja lotado. - respondo o vendo tendo dificuldades com a gravata, que estranho achei que ele já tivera prática com isso.

- Hum.. leve-me lá por hoje. - ele diz e eu me aproximo dele.

- Se me permite ? - falo de frente a ele apontando pra sua gravata. Ele me olha e acena com um sim.

- Eu sou Ryan Carter senhorita Moretti a senhorita só precisa disso. - ele diz me olhando enquanto estou arrumando sua gravata, eu poderia imaginar mil formas de usar essa gravata agora mesmo. 

- Puff... Talvez. - digo rindo. Que presunçoso. Quando estou terminando de arrumar a gravata eu a solto e a mão do Carter agarra a minha, levanto meu rosto pra olhá-lo. Seu olhar intenso está no meu.

- É só o que você precisa ... - ele fala me olhando nos olhos, seu olhar claro está começando a escurecer e eu de alguma forma começo a encarar a sua boca bem na minha frente. Ele sorrir e se inclina pra frente. Quando eu começo a fechar meus olhos a porta do elevador abre e nós nos afastamos um do outro em um salto, eu fico de um lado do elevador e e ele no outro extremo. Fico encarando o chão envergonhada. E se alguém nos visse?! Que loucura.

- Vamos indo. - ele diz, eu levanto meu olhar pra vê um Carter corado, isso foi a primeira vez que vejo ele envergonhado, de alguma forma ele parece .... Fofo... Ele começa a andar pra fora e eu o sigo pela saída do prédio. Nós andamos até o lado de fora Carter pára e pergunta:

- A senhorita gostaria de ir de carro? - ele fala levando uma mão ao bolsa.

- Ah não. Sem necessidade, é aqui perto. Podemos ir andando. Tudo bem?

- Certo. Então por favor. - ele fala sugerindo com a mão que eu vá na frente. Nós andamos um pouco e ele seguindo ao meu lado. Bem a rua está, como de costume cheia, e é fácil reparar que Carter chama atenção por onde passa, ele sabe se impor não?! Principalmente com relação as mulheres. Bem não posso condená-las ele é uma visão fácil de se perder, coisa que não se vê todo dia.

- Chegamos. - digo sorrindo pra ele, apontando pro restaurente que possui uma pequena fila.

- Senhor Carter isso vai levar um tempo. Acho que nossa agenda não vai nos esperar. Seria melhor procurar um outro local. - falo e Carter continua olhando pro restaurante com uma sombrancelha levantada. Acho que não é o tipo de local que ele está acostumado a frequentar não?! Me sinto um pouco envergonhada agora.

- Venha comigo senhorita. - ele fala pondo uma mão em meu braço me puxando com delicadeza. Nós chegamos na entrada onde o rapaz está recebendo os clientes e os organizando.

- Eu gostaria de uma mesa pra duas pessoas. Pra agora. - diz o Carter olhando pro rapaz que não nos olha, continua com a sua cabeça baixa anotando em seu tablet.

- Me desculpa senhor. Teremos uma mesa pra dois desocupada daqui a ... Deixa eu ver.. há, daqui a 30 minutos. O senhor pode esperar? Eu o colocarei na ordem aqui. - o rapaz diz ainda mechendo em seu tablet, parece que tem bastante gente a nossa frente.

- Senhor Carter podemos vir outro dia. - digo puxando com gentileza seu braço. Envergonhada pela situação e pelas caras feias das pessoas nos olhando por ter passado a fila.

- Senhor Carter? Das empresas Carter? - o rapaz levanta a cabeça para olhar pro Ryan que está calado o olhando.

- Mi..mil desculpas senhor. Providenciarei agora mesmo. - o rapaz diz parecendo nervoso.

- Vocês se conhecem? - pergunto curiosa, por que o rapaz ficou assim tão nervoso?

- Nunca o vi. - ele diz, com um sorriso de lado.

- Então, por que ? - pergunto

- Por que sou eu. - ele diz com uma sombrancelha levantada e sorriso posudo, eu sorrio e balanço a cabeça. Olho pra fila e vejo as pessoas que antes nos olhava com raiva fazendo cara de paisagem. Uns olham pro chão, outros pro outro lado. Outros conversam entre si. Bem isso é fato, Ryan Carter se impõe onde chega. O que me leva a pergunta: qual o seu limite senhor Carter?

- Está pronto. Por favor me acompanhe. - diz o rapaz voltando e nos levando a uma mesa em seguida sái, Carter puxa a cadeira pra mim eu agradeço e me sento e o garçom trás os cardápios.

- O que você gosta de comer aqui senhorita? - ele pergunta olhando o cardápio.

- Humm.. o Magret de canard sem dúvida. É o meu pedido por favor. - digo entregando o cardápio ao garçom.

- O mesmo pra mim. E o seu melhor vinho. - Carter diz entrangando o cardápio ao rapaz. Que nos cumprimenta e sai.

- Então senhor Carter. É sempre assim? Onde o senhor chega consegue o quer num estalar de dedos ? - pergunto sorrindo apoiando meu queixo em minha mão o olhando. Ele sorrir e diz:

- Nem sempre. Tem algo que ainda não consegui. - ele diz rindo me olhando.

- Humm.. ainda ? Até onde vai a sua arrogância senhor ?

- Hahaha. A senhorita é mesmo ousada. Sabe que é a primeira vez que alguma mulher se atreve a falar comigo dessa forma?

- Não são muitas imagino. Mas então, e a minha pergunta? - digo ainda sorrindo, ele continua me olhando sorrindo e o garçom trás os nossos pedidos.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...