História Is It Love ? Ryan - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Is It Love?
Personagens Ryan
Tags Carter, Is It Love, Ryan
Visualizações 571
Palavras 3.833
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa noite flores 🌸
Mais um capítulo
Boa leitura 😉

Capítulo 6 - Corpos que se encaixam


Fanfic / Fanfiction Is It Love ? Ryan - Capítulo 6 - Corpos que se encaixam

Khyara

- Bom, comecemos os lances... - o locutor diz dando início a minha miséria.

- Mil dólares. - diz o primeiro a dá o lance.

- Bem, começamos bem. Alguém mais ? - diz o locutor. Considerando que os lances anteriores começavam com 500 dólares, acho que eu estou valendo alguma coisa aqui.

- Dois mil. - diz um segundo homem.

- Dois e quinhentos. - diz o terceiro. Eu estaria até empolgada pelo valor, se não fosse pelo fato de que todos não me interessam nem um pouco, um homem com uma baita aliança na mão não me instiga interesse, o outro com uma visível barriga muito menos, e um senhor grisalho que parece que engoliu um periquito e deixou as penas pra fora em sua boca, pior ainda. Oh meu Deus, eu estou pensando como uma dessas garotas que estavam aqui em cima antes de mim?! Que decadência. 

Os lances continuam e o locutor parece empolgado. Bom, o comedor de periquitos deu um belo lance 5.500 dólares. Gente, o que podia fazer com esse dinheiro?! Eu vi um vestido lindo azul na vitrine da Gucci que amaria comprar. Sonhando que talvez uma parte desse dinheiro retornasse a mim uma voz me chama a atenção. Uma voz masculina, não o suficiente pra me fazer arrepiar, mas o suficiente pra atissar minha curiosidade.

- Dez mil. - diz a voz e viro meu olhar pra encontrar um lindo homem loiro dos olhos azuis me olhando com certo desejo. Ele olha pra mim e sorrir e eu sorrio de volta pra ele. Oh oh Oh, parece que isso vai ser proveitoso no final das contas.... Espera. Eu não conheço esse homem?!

- Dez e quinhentos. - diz o velho com seu bigode horrendo. Esse velho não vai desistir?

- Quinze mil. - diz o loiro lindo mechendo em seu anel. Espera.. lembrei, eu vi ele na boate. Ora, ora.

- Mas alguém? - diz o locutor com um sorriso satisfeito no rosto. Até parece que ele vai ganhar alguma parte disso. Ele olha ao redor e eu agradeço pelo velho ter se calado. E o locutor continua:

- Dole uma... - eu olho pro loiro que me olha sorrindo, e um sorriso todo triunfante. Não posso negar que gostei disso, então sorrio discreramente olhando pra ele também.

- Dole duas....

- Vinte mil dólares. - diz uma voz, que agora sim me fez arrepiar. Ah sim, aquele maldito, só ele me faz arrepiar assim. O que droga de fetiche eu tenho com essa voz?! Eu me viro séria pryl Carter que está com as mãos no bolso me olhando também sério.

- Vinte cinto mil. - diz o loiro. E eu percebo que as pessoas já começam a cochichar entre si.

- Vinte cinco mil? Uou.. isso é Record... - diz o locutor rindo.

- Trinta mil. - o Carter rebate olhando agora pro loiro.

- Tsc... - deixo escapar. Espero que ninguém tenha notado.

- Quarenta mil. - diz o loiro rindo pro Carter, que sorrir de volta pra ele e diz:

- Cem mil. E dobro qualquer lance. - ele diz olhando pro homem loiro lindo. Que fica com a feição séria e não diz mas nada.

- Cem mil dólares?! Com certeza você vai entrar pra história mocinha. Bem, Dole uma.. Dole duas.. Dole três. Muito bem, por cem mil dólares o senhor Carter tem o direito a um jantar com a senhorita Khyara Moretti. Pode se orgulhar de hoje senhorita. - diz o locutor eu sorrio pra ele e saio do palco. Mas por dentro quero matar o Carter. Sim, devo ficar orgulhosa por ser a puta mas cara da história dos eventos ? Merda. O Carter tirou a minha chance com o loiro lindo.

- Espera. . - digo a mim mesma, já atrás do palco. O Carter não gosta de mim, eu evidentemente detesto ele, então por que ele faria isso? Ele quer se mostrar? Ou então.. não, não, não. Ele vai fazer eu trabalhar com escrava pra ele pra pagar cada centavo? .. não, não. Se bem que, ele é uma espécie de demônio, é bem capaz dele jogar na minha cara e rir de mim.

- Tô fudida... Denovo. - digo suspirando já exasperada dessa noite. Eu saio cabisbaixa de trás do palco e volto pro salão pegando uma taça de champanhe e emborcando de uma vez. Ando em direção a saída e sou parada por ele.

- Aonde pensa que vai senhorita Moretti? - ele fala parando a minha frente.

- Embora. Esse evento é um porre e eu não vejo nenhum trabalho pra mim aqui. - respondo levantando meu rosto o olhando nos olhos.

- Você ainda não foi dispensada. - ele diz me olhando com sua sombrancelha levantada.

- Eu.... - antes de terminar minha frase alguém no palco chama atenção de todos e eu olho com raiva pro Carter que me olha sério também.

- Rum... - digo me virando de costas pra ele, e foco minha atenção pro palco. Mas só dura alguns segundos, depois que sinto o Carter bem próximo de mim, o suficiente pra seu perfume masculino me envolver e fazer meu batimentos cardíacos acelerarem.

Enquanto o homem no palco fala, fala e fala suas baboseiras, eu me assusto quando sinto uma mão na minha costa. Ele... ele está me tocando. A mão do Carter desce do alto da minha costa devagar e com certa fricção, me fazendo arrepiar. Acho que o maldito percebe pois ouço seu sorriso em minha nuca. Ele está tão perto que acho que ninguém deve vê a sua mão passeando pela minha costa nua.

Sinto sua mão descendo e algo no meio das minhas pernas diz que a sensação está boa. Quando ele chega sua mãos no limite da minha coluna eu mordo meu lábios pra segurar um som que desejou sair de mim. Não é possível que esse homem tenha tanto efeito sobre mim assim?! Ele entre passa seus dedos pelo tecido do decote, passeando sua mão pela minha pele nua da cintura segurando, então, seus dedos na minha cintura, sinto minha região já úmida.

- Me acompanhe senhorita Moretti. - ele diz ao meu ouvido apertando levemente seus dedos, em seguida ele solta suas mão de minha cintura e eu me sinto um pouco frustada por não desejar que aquela mão saísse de lá, só se fosse pra ir mais a baixo. O senhor Carter segue a frente confiante e eu vou atrás dele discretamente de cabeça baixa. Pra onde exatamente nós vamos?! Ele anda até parar de frente a uma porta, arruma seu blaser olhando disfarçadamente pros lados e abre a porta, quando seu corpo sai da frente da porta a abrindo eu percebo onde ele me levou.

- O que ? - digo ao vê a placa de banheiro na porta. Ele entra e eu fico parada de frente a porta. O que é isso? Algum tipo de fetiche dele? Ele tem fetiche em transar em banheiros públicos? Oh minha nossa, eu sem querer realizei um fetiche do senhor Carter? Enquanto estou pensando sinto uma mão me pegar pelo pulso e me puxar pra dentro do banheiro. Carter tranca a porta e me escora nela colocando suas duas mãos na porta, ficando uma de cada lado do meu rosto.

- O que significa isso? - pergunto

- Você está muito bravinha não acha senhorita Moretti? - ele diz sorrindo de lado me olhando.. intensamente.

- Pra que você me trouxe aqui? É algum fetiche seu? Por que se for esqueça, eu não vou transar com um homem que eu detesto. - digo olhando pra ele brava.

- Hum.. detesta é?! Quer saber senhorita Moretti, eu também não gosto muito da senhorita. É uma faladora, da boca suja e que julga as pessoas depressa demais. Você é uma insolente. - ele diz me olhando sério e também parecendo irritado.

- Ótimo. Então se me der licença. - digo pondo uma mão em seu peitoral pra o afastar, mas ele rapidamente tira uma das mãos da porta e segura com força o meu pulso dizendo:

- É fato que nos odiamos. Mas também é fato que nós nos atraímos muito um pelo outro. - ele diz me olhando ainda com sua intensidade.

- O que? Não.. não sei do que está falando. - digo corando. Bem, é verdade que meu corpo se acende por ele, mas... Eu não vou admitir isso, não pra ele.

- Não se faça de desentendida senhorita Moretti. Seu corpo reajiu a mim ainda pouco com um simples toque. - ele diz sorrindo convencidamente.

- Cala a boca seu idiota. - digo irritada, ele percebeu meu corpo respondendo as toques dele. Droga.

- Eu vou calar. Com a sua. - ele diz  e em seguida sinto sua boca na minha. Eu fico parada surpresa no começo, mas enquanto ele insiste em beijar meus lábios eu sinto meu corpo o querendo. Desejando responder seu toque me tira a minúscula resistência que ainda tinha, o toque do seu corpo precionando o meu na porta me faz responder com um gemido contido e eu beijo de volta o senhor Carter.

É evidente que eu não suporto esse homem, mas por que eu me sinto tão necessária dele agora? Por que sinto meu corpo se derretendo pra ele. Por que quero tanto esse homem em mim? Eu nunca senti tanta necessidade de alguém assim. Da primeira vez teve a coisa com o estimulante, mas e agora? Agora é meu corpo que responde, sem estimulante nenhum.

Eu respondo aos beijos do Carter e sinto sua língua acariciando a minha, a sua respiração já fica mais intensa e eu chupo seu lábio. Desistindo de qualquer resistência ponho minhas mãos em seus cabelos e ele pára de me beijar e me olha com intensidade e eu respondo o olhando também. Em nossos olhares já não há mas rancor ou raiva, somente desejo, somente necessidade.

Ele segura meu rosto com as suas duas mãos e volta a me beijar com mais força ele chupa meus lábios inferiores os deixando-os vermelhos por seus beijos intensos e eu respondo da mesma forma os seus beijos. Suas mãos vão descendo do meu rosto pelo meu pescoço acariciando meus ombros e descendo pelos meus braços, enquanto ele me beija com fervor. Ryan para suas duas mãos na minha cintura enquanto eu desço minhas mãos de seus cabelos, já bagunçados, para seu peitoral tocando sua pele exposta pelos botões de sua camisa abertos.

Os beijos do Carter vão saindo dos meus lábios e andam em direção aos meus ouvidos, ele morde minha orelha, ao mesmo tempo que desprende o meu cabelo, e sussurra com aquela voz rouca me fazendo enlouquecer:

- Se vire. - eu automaticamente respondo a sua ordem me virando, ponho minhas mãos na porta e fico de costas pro Ryan, com a bunda empinada e com as mãos apoiadas na porta olho de lado e vejo ele morder os lábios enquanto passa seu olhar cheio de maldade pelo meu corpo.

- Perfeita. - ele diz ainda me olhando e volta a passar a mão em minhas costas.

- Você gostou disso não foi? Esse vestido é perfeito pra você. - ele diz subindo suas mãos da parte de baixo da minha coluna e para abaixo dos meus ombros, afasta o leve tecido do vestido e leva as mãos aos meus seios já enrrigecidos. Ryan aperta de leve meus seios enquanto beija minha costa e ombros.

- Huummm.. - gemo abaixando minha cabeça. Tão bom, seu toque é tão bom. Ele aperta os bicos dos meus seios e eu solto um gemido um pouco mais alto que o anterior.

- Ooh. Céus... - jogo minha cabeça pra trás e sinto o Ryan tocar sua ereção na minha bunda, enquanto ele beija minha nuca e pescoço.

- Calminha. - ele sussurra na pele da minha nuca dando um chupão nela. Sua respiração está tão intensa quanto a minha. Sinto dificuldade de respirar, não gostaria, mas já estou entregue.

- Vire-se. - ele diz após morder meu ombro e eu volto a virar, pra ver ele me devorando com seus olhos que quase não se ver trassos do seu cinzas intensos. Carter está vermelho e ofegante bem na minha frente e a visão me faz delirar.

O Carter desliza devagar as alças do meu vestido me olhando enquanto o encaro também, e ele então tira meu vestido me deixando completamente nua.

- Dro..droga... - ele diz ao me vê nua, vejo sua pele arrepiar. Ryan me analisa com seus olhos cada parte do meu corpo e quando seu olhar encontra com o meu ele volta rapidente a me beijar.

Eu desabotoo com pressa o seu blaser e em seguida sua camisa as tirando. Seus músculos rígidos e muito bem trabalhados estão alí pra serem todos meus. Eu aproveito e passo minhas mãos com certa força pelos seus ombros, braços, e peitoral. Ryan pára de me beijar e me olha com sua testa colada a minha, ele respira fundo e intensamente olhando minhas mãos passearem pelos seus músculos deixando vermelha a sua pela em cada parte que toco.

Desco minhas mãos pelo seu abdômen e o vejo fechar os olhos e morder os lábios quando meus dedos passam pelo cós de sua calça.

- Tire isso. - digo dando ordem, mechendo seu cinto. Ele sorrir ainda de olhos fechados e os abre voltando a me olhar nos olhos.

- Eu dou as ordens aqui. - ele diz me olhando, o odeio por isso, mas no momento o quero muito pra odiá-lo. Eu olho pra ele com reprovação, porém, ele ainda sorrir e morde meu lábio inferior o puxando de leve com seus dentes. Ele desce suas mãos pela minha barriga e toca a minha intimidade.

- Humm... Tão pronta. - ele diz engilhando suas sombrancelhas. Parece que ele gostou. Ele começa a fazer massagem em meu clitóris e eu jogo minha cabeça pra trás.

- Você gosta disso não é? - ele diz rindo e eu faço um sim com a cabeca, apoiada na porta. Ele com a outra mãos sobe da minha costa em direção a minha nuca enquanto me massageia. Quando suas mãos param em minha nuca, ele aperta de leve uma mecha do meu cabelo trazendo meu rosto pro seu.

- Aaahhh... - gemo antes de nossos lábios se tocarem, ao sentir um de seus dedos me penetrando. Ele me beija com fúria enquanto eu fico entre responder seus beijos e conter meus gemidos.

- Oh. Isso. - digo entre seus lábios enquanto ele enfia outro dedo entrando e saindo de mim.

- Você quer mais? - ele pegunta enquanto ainda entra e sai de mim, ainda segurando meus cabelos. Eu não respondo só dou outro gemido.

- Responda senhorita Moretti. - ele diz e eu faço um sim com a cabeça.

- Droga.. você é tão boa. - ele diz apoiando sua cabeça nos meus ombros e solta meus cabelos levando sua outra mão a minha região. Enquanto dois dos seus dedos entram e saem de mim, ele massageia meu clitóris com a outra mão. E geme entre meus lábios enquanto eu também gemo e ficamos assim nessa troca de beijos e tentativas de abafar o barulho um do outro em lábios.

- Aaahh... Isso.. quase... Tô quase.. - digo sentindo minhas pernas tremerem.

- Aaahhh... Caral...- ele diz gemendo. Ele tira suas mãos de mim e eu o olho. Não acredito que ele vai fazer o mesmo?! Ele vai me fazer pedir por sexo? Tudo bem que eu o quero, mas não acho que eu esteja tão louca quanto da última vez. Ele me puxa pela mão e me põe em cima do balcão da pia. Ryan me olha com cara de prazer e agarra minhas pernas a afastando, seus movimentos são todos apressados. Em seguida ele desce sua cabeça e lambe a minha região.

- Oh Deus... - digo com o ar parando ao sentir sua língua quente na minha intimidade.

- Gostosa. - ele sussurra e enfia um dedo em mim.

- Aahh. Carter.. por favor.. continue... - eu vou me odiar por isso depois. Mas por enquanto eu amo isso. Ele nem se quer riu triunfante, simplesmente voltou a por sua boca na minha intimidade enquanto seu dedo entra e sai de mim.

- Aaahhh.. céus.. aaahh... Aaahhh... - gemo sentindo muito prazer. Inclino minha cabeça pra trás e sinto o meu corpo suar.

- Aaahhh.. isso.. mais. Não pára.. isso. . Assim... Aaahhh... - digo começando a mecher minhas pernas de prazer. Ele segura com força as minhas coxas as impedindo de se mecher e eu começo a mecher meus quadris. Ryan estica sua língua enquanto eu movo meu quadril. Eu ponho mimhas mãos em sua cabeça segurando com força o precionando contra minha intimidade.

- Aaaahhh...aaaahhh...AAAAAHHHH.... - gemo ao sentir que gozei, relaxo minhas pernas e ele continua na minha intimidade realizando sucções. Ele se levanta me olhando e lambendo um pouco do gozo no canto da sua boca. Ele está com o rosto completamente vermelho e sua testa está suada. Ele começa a tirar o seu cinto e abaixa sua calça, ficando só de cueca, posso ver sua cueca super molhada e seu membro pulsando. Derrepente sinto uma enorme vontade de ter aquilo tudo na minha boca. Eu desço da pia e fico de frente ao Carter o beijando e mordendo seus lábios. Eu olho pra ele com cara de safada mordendo os lábios e beijo seu peitoral, ainda o olhando. Ryan me olha de cima enquanto eu desço meus beijos. Ele passa suas mãos em meus cabelos, agora bem gentil e eu desço distribuindo chupões. Me ajoelho em sua frente passando as mãos pelas suas coxas, muito bem trabalhadas.

Ajoelhada a sua frente olho por Carter que me olha intensamente eu mordo levemente o seu membro sob a cueca e o vejo fechar os olhos de prazer. Eu quero tirar essa máscara de poderoso invencível dele, e vai ser agora.

Passo minhas mãos pela sua cueca a baixando e ficando de frente pra aquele membro pulsante em minha frete, gosto tanto da visão que me dá água na boca. Eu lambo seu membro da parte de baixo até a sua cabeça.

- Aaahhh... - e geme se arrepiando. Eu seguro seu membro com uma das mãos e mordo sua cabeça.

- Droga.. - ele diz jogando a cabeça pra trás e segurando com leveza meu pescoço. Eu enfio minha boca até a garganta e volto a tirar da minha boca rapidamente.

- Aaahhh... Continue. - ele diz passando as mãos em meus cabelos.

- Você quer senhor Carter? - digo em tom de brincadeira.

- Não brinque comigo senhorita Moretti. - ele diz com seu habitual tom de ordem. Eu sorrio e volto a por minha boca em seu membro e dessa vez ao voltar vou chupando com certa força até soltar seu membro fazendo um barulho.

- Aaaahhh... Porra. - ele diz fexando os olhos com força. Certo, ele está gostando.

- Se quiser tem que dizer senhor Carter. - digo segurando seu membro.

- Sua... - ele diz com certa raiva. Ryan aperta meu cabelo e com suas veias evidentes no pescoço me olhando em meus olhos:

- Senhorita Moretti. Me chupe. - ele fala e eu sorrio começando a oral. Ainda foi seu habitual tom de ordem. Mas só de ouvir o poderoso Ryan Carter falar isso já me satisfez, sem falar que eu realmente quero chupar ele. Eu chupo ele com vontade enfiando seu membro até onde aguento.

- Aaahhh.. isso... Continue Moretti.. continue. - ele fala segurando minha cabeça enquanto chupo e faço sucção nele.

- Aaahhh... Aaahhh... - ele geme começando a querer se mecher eu ponho minha mão na sua cintura o parando e o chupando e ele solta um gemido vindo de sua garganta e o sinto gozar em minha boca, eu engulo. Ele se afasta me olhando ofegante e pega minha mão passando meus dedos em seu membro que ainda há gozo.

- Se levante. - ele fala me olhando ainda intensidade, e bem suado. Que visão, eu sorrio e me levanto.

- Lambe. Eu quero ver. - ele diz levantando minha mão que há gozo, eu sorrio e começo a lamber a minha mão, em seguida o dedo que há o seu gozo, faço o olhando nos olhos, por fim o único dedo, o indicador, que ainda tem gozo enfio por completo na boca o chupando. O Carter me olha apertando seus membro e mordendo seus lábios com força. Quando termino sorrio e ele sorrir de volta.

- Te quero agora senhorita Moretti. - ele fala sorrindo o que me surpreendeu. Ele... Acabou de dizer que me quer? Ele acabou de assumir?!

- Oh... - sou surpreendida quando sinto ele me puxar pra si, em seguida sinto seu membro entrar em mim.

- Céus... Isso é bom. - digo apoiando minha cabeça em seu ombro.

- Maravilhoso. - ele diz baixo no meu ouvido e puxa minhas pernas ao redor de sua cintura e começa a entrar e sair de mim, segurando minha bunda. Eu apoio minhas mãos em seu ombro e começo e subir e descer com certa força com seus movimentos e mim.

- Aaahhh... Aaahhh... - gemo sentindo seu membro em mim enquanto cavalgo no Ryan. Ele me olha ofegante e suado, além de super vermelho, sua boca está semi aberta me olhando com uma cara de prazer que me deixa louca.

- Aaahhh... Muito gostosa. - ele diz aumentando a velocidade.

- Adoro seus seios pulando assim quando te como. - ele fala sorrindo me olhando enquanto me penetra me fazendo pular. Eu agarro com mais força seus ombros.

- Aaahh senhor Carter... - digo gemendo

- Aaahhh.. eu vou ... Estou quase.. - ele diz me empurrando contra a parede e me penetrando com força. Minha costa bate na parede mas eu só sinto prazer, embora eu saiba que deixará marca depois.

- Aaahhh... Aaaahhh... - ele geme em meus ouvido se movimentando e eu mordo seu ombro segurando meu gemido.

- AAAAAHHHH... - ele geme abafado contra meu pescoço. E sinto seu gozo em mim. E sinto seu corpo relaxando em seguida. Olho pro onde mordi, e sim, isso vai deixar marca também.

- Isso... Isso não se pode negar, isso... Somos feitos um pro outro, nossos corpos foram feitos um pro outro. - ele diz ofegante me olhando e sorrindo. Eu ... Fiquei confusa. Seu olhar não era mas um olhar do manda chuva, cheio de ordens, ou um olhar de desejo desesperado, eu senti um pouco de carinho... E..... E meu coração se sentiu um pouco acolhedor. Que merda é essa? Nós ficamos nos olhando, eu com um olhar confuso e ele com que suponho que pareça ser carinho, mas nossa troca de olhar é interrompida por alguém batendo a porta.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...