História Is it love Ryan Carter - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Is It Love
Visualizações 120
Palavras 2.646
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Nunca derramei uma gota de suor por outros caras
Quando você surge, eu fico paralisada
E toda vez que tento ser eu mesma
Dá tudo errado como um grito por socorro
Corrigir
Isso não é justo
A dor é mais confusa do que vale o amor
Eu sufoco querendo ar
Parece tão bom, mas você sabe que machuca ......

Capítulo 18 - Pesadelo


Fanfic / Fanfiction Is it love Ryan Carter - Capítulo 18 - Pesadelo

*MARINA 

Em estou diante de uma porta, acho que reconheço essa porta parece se a do quarto do Cary, o que to fazendo aqui? Eu não deveria ta, abro a porta lentamente e me deparo com umas da cena mais horríveis que precisei, Cary nu em cima da cama onde um dia foi nosso ninho de amor, ainda mais transando com Samara, que era minha melhora amiga. Olho aquela sena e uma anciã de vomito vem, eu não tenho reação pra nada, Cary virar a cabeça e me olha. 

Cary: marina, eu posso explica. - Samara, se cobre e me olha com um olha de vitória. 

Marina: acho que não tem que explica nada, eu já entendi tudo.  

Saio do seu quarto, seguindo pra saída da casa, mãos me segura. 

Cary: para marina, você saber que sem mim, você não é nada, ninguém vai te ama mais do que eu ! 

Marina: chega já deu, eu não mereço isso não, não. Alguém um dia vai me amar mais do que você! 

Cary: não mesmo, que vai quere alguém defeituoso como você?  cheio de problemas? Com a vida tão perturbada como a sua?  eu já te conheço, já não tenho problema nenhum em te assumi assim. 

Marina: não não. 

Cary: nunca vai ser feliz com outra pessoa, ah não se comigo! 

Acorda totalmente suada, com o pesadelo, Cary novamente insiste em mim assombra com tudo isso. Foi um erro confia nele, um erro eu te me apaixonado, agora longe tudo posso viver em paz. Me levando vou ao banheiro toma uma ducha bem gelada, faço minhas necessidades matinas. Vou até meu quarto pego uma lingerie branca, calca skinny, com uma blusa jens colocando por dentro da calça, deixo meus cabelos soltou com leves ondas e um scapin nude. 

Pego minha bolça e desço pro térreo, comprimento o sr. chalés, com um aceno. E continua a minha jornada até o trabalho.  

Nunca imaginei em um dia vim mora em Nova York, onde as pessoa caminha calmamente sem se importa uma com as outra, todo mundo seguindo um ritual, onde acorda e ir trabalha, e difícil ver alguém parando  e admirando a grande paisagem que está em nossa volta, grandes arranha-céus, carros em grandes movimentos, o barulho das buzinas, o cheiro do carrinho de cachorro quente oferendo uma café de manhã rápido pra alguém com muita pressa. Essa vida calma e monótona e tudo uma maravilha anda na rua sem ninguém te conhecer. 

Para em frente ao grande prédio espelhado, com grande nome empresa Carter, onde os funcionários trabalham com prazer estampado em seus rosto, grandes mulheres e homens bonito parecendo que sairão de revistas. Entro no prédio e a primeira pessoa que vejo é a Lisa, com seu sorriso grande, vestindo um lindo terninho verde esmeralda cumprimentando aos executivos desinformados. Passo pro ela e aceno, entro no elevador, antes das portas se fecharem maos impede, olho pra ver quem é pra minha surpresa e o Matt, sem lindo com seu estilho de motoqueiro com um ar selvagem, seus cabelos bagunçados contribui com a imagem que tem. 

Matt: bom dia princesa, tudo bem? - e agora o que eu faço tenho que conversa com ele, sobre o beijo. 

Marina: bom dia Matt, to bem e você? - ele me dá um sorriso, e coloca uma de suas mãos na nuca, parecendo envergonhado? 

Matt:  estou ótimo, sabe topa almoça comigo no fellipe? - fellipe e um restaurante onde a maioria dos funcionários vão a comida e ótima, e a oportunidade perfeita pra esclarece as tudo com ele. 

Marina:  Perfeito. 12:00?,  te espero no terro! 

Matt: claro, até, mas então. - Elevador para em seu anda, ele sai todo envergonhado. Minha visão acaba quando uma mulher entra na minha frente.  

??: acho que já está na hora de fazer uniformes pra funcionários. - Que porra que essa mulher ta falando, ainda mais sozinha. 

??: não te falaram como você tem que vim trabalha não garota? Que roupas e essas? Acha que está aqui a passeio? Tem que ser vestir profissionalmente. - Ata acho que agora tá falando comigo. 

Marina: Bom dia pra você também, e não, não me falaram de como tinha que me vestir, mais acho que meio obvio né, so não preciso vim pelada que tá tudo bem. - continuo a olha pra ver se não falta muito pra chega no meu anda. 

??:ora garota idiota, olha como fala comigo garota, sabe com quem você está falando? Acho que não já que assinou seu contrato na sala do senhor Carter. - O que essa mulher que?  esse assunto nada haver! 

Marina: bom acho que teve ter um cargo muito bom, pra tá gritando assim, e vestida assim.- olho ela de cima a baixo, ela está com uma blusa mostra peitos meio transparente, com uma saia preta de couro com uma fenda generosa ao lado. 

Aporta do elevador se abre, eu não espero pro uma resposta sua, saio e comprimento as recepcionistas, e vou para minha sala. Ligo meu computador, coloco minha bolsa em cima do armário que fica atrás da minha mesa. Me sento em minha cadeira e começo o meu trabalho, olhos todos os e-mails que ficaram pendente desde a viajem, vejo que tem e-mail referente a aquela janta de gala, onde muitos dos senhores gostaram da ideia, e estão querendo ver os esboços da ideia, isso e muito bom. Melhor envia isso ao Carter, junto com seu cronograma do dia. Ouço batidas em minha porta e permito a entrada. 

Mark: bom dia marina, vim pra a gente começo o projeto do aniversário da empresa, já vai ser no sábado. 

Marina: claro Mark, senta e me diz se tem ideias pra isso? - ele se senta na minha frente, Mark e muito bonito e aquele óculos deixa com um ar mais sexy, o jeitinho tímido, aposto que maior pegado. 

 Mark: como vai ser algo íntimo, pra funcionários e sócios, estava pensado em um Club, pessoas mais a vontade, sem roupas de festa. 

Marina: talvez pessoas jogando futebol, vôlei, um churrasco, comida a vontade e uma piscina a quem quiser se refresca?  como tem sócios no meio e provavelmente seus filhos vão está no meio, algum lugar onde tenha esse espaço. 

Mark: isso é perfeito, você soube decifra o que eu queria. - Seu sorriso vai de orelha a orelha. 

Marina: a sua ideia e ótima, é era assim que fazia no brasil, tomo mundo junto em um Club, comida à vontade e nada informal.  

Mark: então a ideia já está pronta, agora temos que ver o lugar, e um jeito de comunica todos os funcionários. 

Marina: bom os funcionários acho melhor manda um e-mail, já que todos sempre tem que fica olhando. Agora o Club você vai-te que me ajuda, eu não conheço muito aqui.  

Mark:  claro, vamos dá uma olhada aqui no google, pra ver qual é melhor Club é marcamos um horário pra dá uma olhada. 

Marina: prefeito, pode olha aqui mesmo no meu computador. - Me afasto um pouco do espaço pra ele pode meche livremente, não muito porque quero olha o que ele tá fazendo também. 

Ele começa a vasculha a internet em busca da melhor opção, Mark achou duas opções ótimas pro evento,  pego o telefone e ligo e marco um horário pra hoje à tarde, com uma hora de diferença. 

Marina: acho que agora tarde podemos decidi qual vai ser o melhor Club, agora precisamos de um bufê pra organiza a parte da comida e bebida, e pessoas que possa fica de olho nos filhos do funcionário caso alguém leve. 

Mark: então a agente ver isso hoje a tarde quando for ver os Club , conheço uns bufê, agora tenho que ir ainda tenho muita coisa pra fazer. 

Marina: tudo bem, até mais tarde então. 

Mark sai da minha sala, e continuo o com a leitura dos meus e-mails, começo a agenda visitas de possíveis investidores. Hoje ainda não vi o Ryan, acho que deve estar muito ocupado, também gerencia toda essa empresa, ainda te filial espalhada pelo mundo o cara não deve te tempo pra nada.  decido dá um olhado no google fazer uma pesquise sobre o meu chefe. O que eu vejo não me agrada muito, Carter sempre acompanhado de loiras alta, magras e lindas de morre. Continuo passando as imagens e todas mulheres com um perfil parecido, altas, magras, loiras e linda. Será que é esse tipo de mulher que ele gosta de aparece? o que ele viu em mim? Sou totalmente diferente, sou baixinha, cabelos pretos nada parecido com as mulheres que ele costuma sair. Ahrg  se ele tiver apenas brincando comigo? Ele já conseguiu o que queria me comer! Agora vou fica que nem uma idiota que deu pro seu chefe, a situação vai ficar estranha. Isso e pra mim aprende a não sair ficando o chefe. Mas ontem de manhã ele parecida tão sincero com suas promessas, melhor para de ficar me martirizando com isso, ele me comeu? Comeu! Mais aí ninguém além de lisa sabe disso então, não tem porque fica uma situação chata, é só fingir que nada aconteceu. Passo a manha toda focada no meu trabalho, quem nem vi que já estava na hora do almoço. Pego minha bolsa e vou paro térreo, olho a entrada do prédio e lá está aquele lindo moreno de morre.  

Marina: oi vamos? 

Matt: vamos! 

Assim que saímos do prédio, sou recebi com o sol forte, uma camada de suor já começa cobri minha pele, olho em frente da empresa uma limusine está estacionada na frente, provavelmente Ryan deve comer algo em sua sala. Chegamos no fellipe, e fizemos o nosso pedido. 

Marina: então Matt como foi o seu final de semana? 

Matt: foi normal, fiquei em casa, depois foi pra academia dá aulas pra crianças carentes, nada de muito interessante, e o seu? Fiquei sabendo que viajou com sr. Carter? 

Marina: assim tive que fazer uma viajam rápida com o sr. Carter, mais o meu final de semana foi normal, lisa ficou lá em casa no domingo, nada de muito especial aconteceu. -  Nada de especial imagina só transei com o nosso chefe loucamente, agora to fundida porque o cara só anda super modelo loiras. 

Matt: assim, então queria conversa com você sobre o que aconteceu no elevador, saber. - O garçom deixa nossa pratos, esperamos ele até pra sair pra continua a conversa. 

Marina: ah sobre isso, eu queria pedi desculpa, eu não sei o que deu em mim, nunca fiz isso e Matt eu acho você um cara legal, gosto da sua amizade, e acho que isso foi meio estranho. - ele me olho como se tivesse tirado um peso das costa. 

Matt: claro eu te entendo, eu bem que te vi com outros olhos, não vou nega você e uma mulher linda, tem um corpo perfeito na minha opinião, inteligente, mais é isso eu acho que não ia da em nada, acho que a amizade falou mais alto, e eu fico feliz com isso. 

A conversa com Matt foi melhor do que imaginei, concordamos que o melhor seria fica na amizade, ia se impossível te algo com ele, ele vive brincando, nunca sei quando fala sério. Combinei de ir em sua academia pra fazer um treino, e se gosta acabo me escrevendo preciso fazer exercício desde que cheguei aqui minha as atividades físicas diminuirão muito. 

[..] 

Estou na minha sala, esperando o Mark chega pra podemos dá uma boa olhada nos clubes, dou mais uma olhada em meus e-mails, e envio um e-mail rápido ao Ryan apenas informando que estaria ausente na empresa, juntamente com Mark... ouço batidas na porta e permito a entrada. 

Mark: vamos? Já está quase na hora! 

Marina: vou só pega minha bolsa.  

*RYAN 

Hoje passei o dia todo enfunado nesse escritório, tinha muita papelada acumulada por causa da viajem, ainda não conseguir ver a marina, apenas recebi seu e-mail informando que tinha que sair com Mark, isso não me agradou muito. Mark está claramente interessado nela, eu vi desde dia em que apresentei eles, mas eles só saíram a trabalho não tenho com que me preocupa. Ainda sinto ela insegura comido, não é pra menos a primeira chance que tive de a possuir a gente foi pra cama, talvez eu tenho que aborda com mais calma, mostra que não a quero só pra isso, o que sinto quando estou com ela é algo que não sei explica, ainda não tenho palavras pra isso. 

Já é final de expediente, quando ouço baterem na porta permito a entrada, não preciso nem olha pra saber que ela, sinto essa eletricidade toda vez que estamos perto um do outo. E isso eu nunca senti com ninguém.  

Marina: senhor Carter. - Sua voz sai em um sussurro sexy, tira minha visão do computador e fixo nela. 

Ryan: alguma novidade pro evento de sábado? 

Marina: sim. Mark deu a ideia de fazer em um Club, como vai ser algo pra funcionários e sócios e possíveis parentes e filho, achamos melhor um Club onde ficaram mais à vontade nada formal, é achei melhor começamos 11 da manhã e ter um termino de as 16:00 assim não ficariam preso em um evento podendo ir em outros lugares a noite.  

Ryan: ser na pratica fica como você está me falando, vai ser muito bom no dia. 

Marina: vai sim. Bom acho que isso tudo sr Carter. Vou me retira agora. 

Ryan: não, ainda tenho que fala com você marina. - me levanto  e vou em sua direção 

Marina:  comigo? 

Ryan: sim, o que pretende fazer hoje a noite? . - ela parece pensa no que vai dize 

Marina: eu..  só ia pra minha casa mesmo. 

Ryan: então que tal, a gente sair pra janta? - chego mais perto dela e entre laco minhas maos em sua cintura.  

Marina: eu não sei, não acho bom o senhor se visto comigo por ai.. 

Ryan: eu não vejo nada de mais nisso. - passo meu nariz em sua testa sentindo o seu perfume novo, que tem um cheiro de chocolate. 

Marina: tudo bem, vou pega minha bolsa. Antes que ela saia, a tomo os seus lábios em um beijo quente, com uma mão coloco em sua nuca pra aprofunda o beijo, que a cada segundo fica mais intenso, paro o beijo e olho em seus olhos. 

Ryan: agora você pode ir. - dou um sorriso e a deixou ir. 

Estamos no elevador, e tensão entre a gente tá alta a olho e seu rosto está corado, é difícil vê-la assim, e quando fica assim ela fica mais sexy do que já é, eu não sei em qual momento ela me teve, mais ainda me lembro do dia em que a vi pela primeira vez , aquele vestido vermelho escuro de camurça, naquela balada. Seus olhos me prenderão talvez naquele momento. 

Ryan: que ir em um lugar especial pra jantamos? 

Marina: podíamos ir no fellipe, a comida de lá muito boa. - Assenti  

Saímos do elevador seguimos a te o carro onde Jack nos espera, ele olha pra marina e depois pra mim, já reconheço esse olha de reprovação, mas ele não entende. Ela e diferente de todas, jac e meu melhor amigo, fomos criados juntos não temos segredos. Mas ainda não falei nada da marina. 

Marina: oi Jack.- ela dá um sorriso ao Jack que apenas dá um sorriso discreto. 

Ryan: nos leva ao fellipe. 

O janta foi muito agradável, conversamos sobre diversos assuntos e rimos muito. No final da noite eu a levei em sua casa, deixando em sua porta foi difícil eu não queria ter que ir, mais precisa te uma conversa com Jack queria esclarece as coisas, não que deva da satisfação da minha vida, mas porque queria explica a ele inconsideração nossa amizade. Me despedi em um beijo deixando em segurança. Logo após entro no carro.  

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...