1. Spirit Fanfics >
  2. Is It Love, Ryan Carter? >
  3. Capítulo 35

História Is It Love, Ryan Carter? - Capítulo 35


Escrita por:


Notas do Autor


Boa noite!🌻🌻

Capítulo não foi revisado. Boa leitura.💖

Capítulo 35 - Capítulo 35


Fanfic / Fanfiction Is It Love, Ryan Carter? - Capítulo 35 - Capítulo 35

Nem me dei o trabalho de me virar e olha-lo, me mantive na mesma posição olhando para as luzes da cidade a minha frente. Senti ele se colocar do meu lado com alguns centímetros apenas de distância.

— O que faz aqui? — perguntei com meus olhos focados no céu enfestado por estrelas.

— O mesmo que você, pegar um pouco de ar. — respondeu. Olhei para ele de soslaio, ele estava com as mãos no bolso do paletó e o olhar fixo no céu também.

Não disse nada. Ajeitei uma mexa de cabelo que balançava com o vento atrás da orelha. Nós mantivemos em silêncio por alguns minutos apenas ouvido o barulho do trânsito, o som do vento e de nossas respirações, suspiros baixos.

— Eu queria que você repensasse um pouco nessa ideia de voltar para o seu país. — Ele diz de repente, se virando de frente para mim.

— Não tenho mais nada que pensar. — Retruquei calmamente sem fita-lo.

Ryan bufou e de canto olho vi ele bagunça seus fios de cabelo, desmanchando seu perfeito topete.

— Se o que te levou a essa decisão foi o fato de eu estar controlando sua vida nós podemos conversar sobre e…

— Por que insisti tanto pra eu não ir? — Questiono-o virando meu corpo, ficando cara a cara com ele que me encarava de volta como se tivesse pego de surpresa com minha pergunta. — Por que quer tanto que eu fique? Não era pra ser ao contrário? Você deveria ficar feliz com minha decisão, não irei mais perturbá-lo.

— Você não me perturba. — Sua voz se alteia e a seguir se corpo aproxima do meu, causando batidas adoidadas no meu peito. — Pelo contrário. — Sua voz é sussurrada, Ryan me encara tão profundamente que tenho que fechar meus olhos e contar até dez mentalmente para não pular em seu pescoço, beijá-lo e pedir pra ele me levar para o seu apartamento.

Me contenho e quando torno a abrir minhas pálpebras sua boca está tentadoramente perto da minha. Me afasto rápido.

— Não é só isso. Eu descobrir uma coisa que me impede de continuar vivendo aqui. — Falo, mas não entro em detalhes.

— Que seria? — Ele levantou as sobrancelhas e me examinou como se procurasse por resposta.

— Não posso dizer.

Volta a minha posição de antes.

— Eu sinceramente não consigo entender você.

— Você não tem nada pra entender.

Esfrego meus braços com a palma da mão, sentido o vento mais frio.

— E o que tivemos? — pergunta e eu não limito uma risada sarcástica.

— O que tivemos não passou de sexo, algo carnal e você deixou isso bem claro na noite passada. — Respiro fundo mantendo minha respiração normalizada, contudo, é difícil com ele tão próximo de mim.

Que merdaEu odeio estar apaixonada! Odeio me sentir tão vulnerável a alguém e tenho ainda mais raiva da forma como meu corpo resposta como uma simples aproximação sua!

— Angela… — Carter começou, mas decido acabar com essa conversa de uma vez.

— Ryan nós dois não temos nada pra conversar, nada o que cobrar de ambos. Agradeço por ter me aceitado na sua casa, tudo o que fez, mas não precisa mais. — Faço uma pausa. — Eu vou voltar para minha casa e você continua com sua vida. — Falo a ele que me fita em silêncio, com um olhar indecifrável.

Me preparo para sair dali, mas antes de atravessar a porta lhe digo:

— Quem sabe isso não sirva de incentivo para você assumir seu caso com a Susan.

— Eu e Susan não temos nada. — Ralhou árido.

Nego com a cabeça sabendo que aquilo não era verdade.

***

— Jenny eu já vou indo. — Aviso a ela que estava se entupindo de doce.

— Ah, mas já? — Indaga triste.

— Pra mim essa já deu.

Olho para Ryan e Susan que dançam juntos, a bruaca não para de sorrir abertamente pra ele.

— Entendi. — Ela olhou na mesma direção que eu. — Sinceramente, não sei o que meu irmão ver nessa mulher.

Revirei os olhos. Eu sei bem o que ele viu nela…

— E a poucos minutos me disse que não tinha nada com ela. — Lembro.

— Ryan é um idiota! — murmurou.

— Vou indo nessa. Sua festa ficou linda. Nós vemos amanhã?

— Claro que sim.

***

Acabei de terminar de organizar minhas coisas, boa parte eu já tinha guardado mais cedo. Era duas da manhã quando ouvir passos no corredor e logo após a maçaneta da minha porta sendo forçada. Instantaneamente meu coração palpitou e meu corpo tremeu. Mas respirei aliviada ao ver Ryan naquela escuridão, a sua figura masculina sendo iluminada por uma única luz que saía de uma brecha da porta da varanda. Fiquei confusa, o que ele estava fazendo aqui?

Fingi estar dormindo. De olhos fechados ouvir ele aproximar e o cheiro forte de álcool chegar até mim. Inesperadamente, uma de suas mãos tocou-me a face, arrepiando cada pelo do meu corpo. Tentei respirar normalmente para que ele não percebesse que eu estava acordada.

Deixei seus dedos me acariciarem e me aproveitei do seu carinho juntamente com a vontade de mandá-lo dar um fora dali. Àquilo era errado, eu seiMas como evitar? Como lutar contra esse sentimento tão novo dentro de mim, essa coisa que grita implorando para ser liberta? Nem mesma entedia muito bem o que se passava no meu coração.

— Por que me dói tanto saber que não te verei mais? — Sua, aparentemente, confissão faz meu coração saltar dessa vez em uma pontada mais violenta.

Me mantive em silêncio e continuei ouvindo ele pronunciar as palavras arrastadas pelo grau da sua embriaguez.

— Você acaba comigo garota insolente… — Ouço sua risada gostosa. — E eu acho que estou…


Notas Finais


Fui, mas volto logo.😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...