1. Spirit Fanfics >
  2. Is It Love? Ryan: Uma nova descoberta >
  3. Elevador

História Is It Love? Ryan: Uma nova descoberta - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Olá olá meus amores!!

Capítulo 1 - Elevador


A noite está refrescante, o vento suave e calmo passeia pela pele da minha coxa seminua, estou usando um vestido dourado de alça fina, o mesmo tem uma bela abertura na perna, da qual está iluminada pelo creme que a Lisa diz ser muito eficaz.

Do lado de fora, onde eu, Lisa e Matt se encontravam, havia letras bem grandes atrás de nós, elas formavam a palavra: Carter Corp, cujo o dono é um dos multimilionários mais jovens do país; conhecemos ele por Sr. Carter, apenas.

Achei que fôssemos vê-lo - finalmente - na comemoração da empresa porém, o Gabriel, nosso gerente, disse que ele é um homem muito ocupado e que não  poderia aparecer em certas comemorações; estranho... O próprio organizou tudo isso.

Lisa: América, vamos logo! - claramente a sua expressão é de raiva, sempre tão apressada!

Matt: As mulheres mais lindas demoram um século para ficarem prontas. - fiz um olhar de poucos amigos e ele sorriu.

Me aproximei dos dois e passei a mão na minha cintura... Puta merda!

América: Lisa... Poderia esperar só mais um poco? Deixei minha bolsa lá em cima. - seu rosto virou em uma direção de 360 graus, eu dei um passo para trás, realmente fiquei assustada.

Lisa: Se você demorar mais de um minuto, eu vou atrás de você!

Concordei fazendo um gesto de sentido - um grande erro -, ela irou de raiva e eu saí correndo para a entrada da empresa.

América: Preciso pegar essa bolsa o mais rápido possível, não quero terminar a minha noite com um olho roxo!

Assim que eu cheguei na entrada do prédio, um dos seguranças me barrou, me fazendo recuar para trás sem ao menos pensar.

Segurança: Sinto muito senhorita, o prédio já fechou, ninguém saí, ninguém entra.

América: Eu esqueci a minha bolsa lá em cima, preciso buscar!

Segurança: Ordens são Ordens!

Eu fitei o meu olhar no seu, eu vou entrar por que preciso! Eu tento mostrar o crachá mas me lembro que a  inteligente aqui colocou na bolsa para não perder no tumulto da festa. Pacientemente eu esperei ele ceder e me deixar passar, mas já tinham se passado uns cinco minutos e a única coisa que vem em minha mente é a cara de tacho que a Lisa deve está fazendo enquanto me espera sem dar nenhum chilique.

América: Posso entrar agora?

Segurança: Senhorita, não deixarei que passe, são ordens!

Eu suspiro alto, mais que porra!! Quem deu essas ordens!?

Em meio a minha irritação, eu senti um vento quente e calmo no meu pescoço, uma respiração? De quem é?

???: Senhorita Singer, o que está fazendo aqui a essa hora?

Eu me virei aliviada, conheço essa voz que me deixou tão feliz! É o Mark, o assistente do Sr. Carter ou algo parecido, ele é muito atencioso. 

Me lembro bem que foi ele quem me enviou a mensagem quando fui aceita no programa; sua gentileza e educação foi mostrada quando utilizou M.L no final do e-mail, parecíamos amigos de longa data.

América: Mark, graças aos céus! Esse segurança não quer me deixar entrar; diz que são ordens mas, eu esqueci a minha bolsa lá em cima, preciso dela.

Ele me observa com atenção e depois eleva o olhar para o segurança.

Mark: Deixe a dama passar, se ela necessita da bolsa.

O segurança rapidamente sai da porta abrindo caminho para a minha passagem.

América: Obrigada Mark!

Mark: Desponha.

Entrei tranquila e com um ar de vitoriosa mas por dentro, eu estava super aliviada por ele ter aparecido no momento certo.

Fui em direção do elevador mas não pude deixar de observar o quão silencioso a empresa estava; chega até ser engraçado não ouvir o barulho dos dedos nervosos das recepcionistas, o barulho de chuva que todas as máquinas de café tem, as conversas monótonas dos maiorais, etc. Deixando essa nostalgia de lado, eu dei um pequeno sorriso diante da situação e segui para o elevador.

Clicando nos números 4º e 5º, eu me encostei nas "costas" do elevador e peguei o meu celular, comecei a jogar um joguinho qualquer para passar o tempo, esse meu velho amigo nunca sai de perto de mim; e como se fosse um acessório para as minhas roupas.

Faltando exatamente 25º andares para chegar no meu destino, o elevador parou e abriu as portas; eu subi minha cabeça um pouco para ver o que estava acontecendo.

Ainda tem gente na empresa?? Olhei o horário no celular e vi que já era 01:00 da madrugada... Que estranho.

Voltei a me concentrar no meu jogo até que o meu corpo me traiu; fiquei super nervosa quando senti o cheiro de perfume masculino, a julgar pelo meu olfato, o perfume parece ser bem caro.

Meu subconsciente me adverte, dizendo para eu parar de tentar adivinhar o preço das coisas pelo cheiro; balancei a cabeça de leve para expulsar esse pensamento e me desloquei de um pé para o outro.

De repente, o elevador deu uma trincada e parou, apagando as luzes. A única fonte de luz existente é a do meu celular, que logo se apagou; tentei liga-lo novamente, porém, a imagem da bateria zerada apareceu na tela, mas que droga! 

Ótimo, escuridão total, elevador parado e um cara cheiroso; o que mais pode acontecer??

Em alguns minutos eu "observei" uma movimentação e passei a escutar o barulho de panos roçando, ao mesmo tempo que percebi isso, senti uma mão consideravelmente grande em minha cintura, um puxão forte me fez grudar um peito musculoso e cada vez mais cheiroso.

Em questão de segundos, senti um hálito fresco e agradável invadir a minha boca, só me dei conta de que estava beijando alguém quando ele reivindica a minha boca, instruindo ela a se perder na dele; então, eu simplesmente me deixei ir, dando sinal verde para ele continuar.

Senti sua perna entrar no meio das minhas, me puxando cada vez mais forte contra ele; por mais que ele estive com roupas, eu consegui sentir a sua pele quente esfregar na minha, o que me deixou muito excitada. 

Suas mãos fizeram um sobe e desce nas minhas costas, me deixando arrepiada, então, eu aproveitei para subir a minha mão em direção do seu peito, desfazendo o primeiro botão da sua camisa.

???: Você é tão esperta... - sua voz grossa e rouca me enlouqueceu.

Nesse mesmo momento eu quis puxar ele de volta, queria mais, muito mais!

América: Eu não deveria?

Consegui ouvir o seu sorriso... Oh não...

Eu aproveitei a situação para mostrar a minha vez de ser desprevenida; passei as mão por seus cabelos e puxei devagar, até que seus lábios se encostassem nos meus novamente, o que me permitiu experimentar mais uma vez essa língua nervosa.

Com as mãos na parte de trás do vestido ele desceu, passando ela pela abertura do vestidos, apalpando a minha coxa; naquele momento eu senti uma pressão, um fervor delicioso.

Sexo no elevador? Era assim que eu queria que rolasse a minha primeira vez?

Me deixei levar pelo momento, me deixei a mercê dele entretanto, as luzes se acenderam e o elevador voltou a funcionar; me soltando de seus braços, ele me vira, me deixando de costas para ele.

O elevador apita e abre as portas.

???: Você vai descer aqui, senhorita?

América: S-sim... - minha voz sai mais tremula do que eu imaginei que sairia. - Qual é o seu nome?

Ele sorri novamente.

???: Você vai descer e não vai olhar para trás.

Eu concordei com a cabeça e desci do elevador, demorando apenas um momento eu me virei e as portas do elevador já tinham sido fechadas.

América: O que aconteceu...?

Fiquei um momento parada diante do elevador, precisava recuperar as minhas emoções e me lembrar do motivo para eu estar ali... Alguns minutos e eu me lembro da bolsa; corri em direção do bloco B e peguei a minha querida bolsinha.

10 minutos depois...

Caminhando na direção que estava antes, vi Lisa e Matt me observando; o lindo rosto da minha querida amiga estava parecendo com uma caricatura de um dragão então, diminuí os passos e fui mais devagar.

Lisa: Nossa, a senhorita resolveu aparecer!? O que foi? Encontrou um gato no elevador e resolveu dar uns amassos!?

Eu me assustei um pouco, cheguei até soluçar! Ela sabe? Ela viu? Então ela sabe quem é o cara do elevador? Se ele estava descendo é sinal de que estava indo embora, então, ela viu ele sair?

Lisa: Vamos! O cara do táxi já vai cobrar uma grana até o bar, Meri!

Eu dei um sorriso leve de nervoso, avancei em direção do táxi e ao mesmo tempo, Matt agarrou a minha cintura e sorriu.

Matt: Relaxa, depois de dois drinks ela esquece tudo isso, gata!

Eu abri um sorriso considerável e entrei dentro do táxi, demos partida em direção do bar; no meio do caminho eu fiquei pensando sobre esse cara... Quem é ele...? Porque me beijou...? A sua pegada é tão viril... Estava tão cheio de vontade ao me envolver em sua teia... Quem será esse homem...? 

 

 


Notas Finais


Até amanhã!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...