História Is It Love:Ryan. O primeiro amor. - Capítulo 58


Escrita por:

Postado
Categorias Is It Love?
Personagens Adam, Cassidy, Colin, Gabriel, Mark, Matt, Personagens Originais, Ryan
Visualizações 50
Palavras 1.840
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 58 - Uma boa mudança.


Ryan Carter

Assim que chegamos no hospital, Violet é imediatamente internada. Eu fico no mesmo quarto que ela enquanto tratam de alguns ferimentos meus, são leves, mas sinto algumas dores. 

Violet está desacordada tomando soro. O médico entra na sala e avalia ela depois vem falar comigo. 

-bom, ela está muito desidratada, alguns ferimentos podem ter infecção. Vamos dar os remédios necessários para ela e depois em alguns dias já pode ter alta. Ela também vai precisar seguir uma dieta restrita para se hidratar e voltar a ter saúde. E para você, vamos receitar alguns analgésicos também, seus ferimentos logo vão cicatrizar. Não se preocupe. 

-quando ela vai acordar? 

-logo, provavelmente. Já tomou meia bolsa de soro, já está bem melhor que antes. É sua namorada?

-sim. 

-não se preocupe. Ela está fora de risco. 

-graças a Deus. 

O médico sai. Eu me sento ao lado da Violet com muito cuidado. Retiro uma mecha do rosto dela e coloco atrás da orelha dela. Meu coração se aperta ao ver o rosto dela com curativos. Foi por minha causa..

-eu sinto muito. Meu amor. Nunca mais eu vou te deixar.— acaricio o cabelo dela, que, lentamente abre os olhos. 

Violet sorri de um jeito tão doce. Ela parece um anjo, meu coração palpita. Ela não diz nada, só sorri para mim. 

Violet Damico

Acordo sentindo alguém me acariciar. Abro meus olhos lentamente e vejo Ryan. Não consigo dizer nada, apenas sorrir para ele. Eu o amo tanto. Estamos calados, apenas um olhando para o outro sorrindo. Ryan está com os olhos emaranhados e sorrindo para mim. 

Entram no quarto, Levi. Sua expressão é de pura preocupação. Ele anda com passos rápidos até mim, Ryan fica tenso. 

-como ela tá? 

-o médico falou que ela vai ficar bem. Vai precisar de medicação e uma dieta restrita por um mês até voltar ao normal. Mas fora isso, tudo bem. 

-eles foram presos. Todos. Inclusive a Lana. Vão passar um bom tempo lá, não precisam mais se preocupar com ela. 

-ainda bem. —Ryan suspira aliviando um pouco da tensão. 

Levi me olha intensamente pressionando a mandíbula com tanta força que até treme. 

-podemos conversar lá fora um minuto? 

-ta. —Ryan se vira para mim e me dá um beijo na testa saindo da cama e indo até a porta saindo da sala e fecha a porta. Através do vidro eu posso ver a sombra dos dois. 

Ryan Carter

Saio da sala e fecho a porta. Levi me olha sério, eu me encontro do mesmo jeito que ele. 

-Eu amo a Violet, e você sabe disso. Faria qualquer coisa por ela, pra ver ela feliz, e cuidaria dela como ela merece. 

-Eu também a amo e a conheço a muito mais tempo que você, Levi. Eu agradeço por ter ajudado, mas não vou entregar ela de bandeja.

-ela não é um objeto que você entrega, Ryan. Esse é o seu problema, você não entende ela, não entende que ela não pertence a você. 

-ela é minha namorada. 

-não. Vocês terminaram, não estão mais juntos. 

-ela já disse alguma vez que ama você?—o olho com desprezo.

-não. Mas se você sair do caminho, pode ter certeza que não vai demorar nada para ela dizer isso. 

-interessante. Você teve quase 5 meses para isso, e não o fez. 

-quando é que você vai aprender? 

-o que? 

-vou dar espaço a ela. Se ela quiser voltar com você, ok. Mas se você não mudar e passar a tratar ela como a mulher que ela é, do jeito que ela merece, eu vou arrebentar a sua cara. — ele me ameaça descaradamente me encarando com raiva. 

Apenas abro a porta e entro para o quarto novamente. Violet está dormindo. O médico aparece.

-senhores, é melhor vocês irem para casa. O medicamento na veia dela já está fazendo efeito. Ela vai dormir por 24h para descansar. Assim que acordar, podem vir visitar ela. Por hora, melhor irem para casa. 

-ok.

-ok. 

Saio ao lado do Levi e cada um entra em seu carro, coincidentemente do mesmo modelo porém a cor é diferente. 

Vou para o hotel. Parece que a polícia já encontrou os pais dela, estão em casa em segurança e bem.

Corro pelas ruas até chegar ao hotel em que estou hospedado, vou tomar um banho. Assim que termino me jogo na cama ainda com a toalha amarrada a cintura pensando no que aquele cara me falou. Ele realmente não vai desistir? Será que ainda vai ficar rondando? 

Não vou permitir que ele tire a Violet de mim. De jeito nenhum, ela ama a mim, eu sei disso. E, eu também a amo. 

Me levanto depois de algum tempo, meu corpo e cabelo estão completamente secos já, me visto e vou dormir. 

Violet Damico

Acordo com a luz do sol entrando pela janela clareando o quarto. A enfermeira entra para trocar o soro e me ajudar a ir ao banheiro. Coisas assim. Depois de tomar banho e tomar o café da manhã, eu volto para a cama e coloco novos curativos. Estou me sentindo bem melhor que antes. O médico entra em casa segurando o prontuário..

-bom dia senhorita Damico. Como está se sentindo hoje?

-bem melhor que antes, doutor. 

-eu estava vendo aqui, você tem diu não é? 

-ah, tenho. 

-bom, os remédios que eu vou te passar vai ter uma reação nos hormônios que o diu libera. Então, quando você receber alta, não tenha relações sexuais sem preservativo. É bom avisar ao seu namorado. 

-ah, é... É claro.— ele fala isso com uma naturalidade tão grande. -por quanto tempo?

-até 10 dias depois dos medicamentos acabarem. Vou receitar por 2 semanas para você. 

-certo. Obrigada. 

-por nada. 

Depois que o médico sai, eu me deito de novo. Batem a porta. Ryan aparece com um monte de presentes e até flores(???) Hahaha ok. Isso não é muito o estilo dele. 

-bom dia. —Ryan está todo sorridente e me dá um leve beijo na boca. 

-bom dia.— respondo ele empolgada. 

-eu bom te mimar um pouco hoje. O médico me disse que você vai ter que seguir uma dieta restrita. 

-oh, provavelmente ele vai trazer depois. 

-ok. Eu vou preparar tudo pra você. 

-tudo o que?

-ue. Comida, medicamentos, sua rotina. Eu conversei com o Mark hoje cedo. Ele vai assumir minha posição por dois meses na empresa. Vou tirar férias e cuidar de você. 

-o que? Hahaha é sério? Pode fazer isso?

-ele vai ter o mesmo salário que o meu, como a família aumentou, ele aceitou sem pensar duas vezes. A esposa gostou também. 

-nunca vi o filho deles. 

-é um menininho ruivo. Igual ao Mark praticamente. 

-fico feliz que a esposa dele esteja bem. Ele parecia muito abalado quando ela estava em coma.  

-realmente. Quem não ficaria não é!?

-sim. 

-quer alguma coisa? Água? Ou suco? 

-pode ser água mesmo. —ryan pega a jarra de água do lado da cama e coloca um copo e me dá com um canudo. 

Eu não aguento e sorrio. 

-o que foi? 

-é que você tá sendo muito cuidadoso comigo. Isso é meio estranho. Tá muito grudento. 

-e você não gosta? Posso voltar a ser aquele cara possessivo se você quiser. 

-nah, eu prefiro você assim.

Ryan de repente fica sério e com o olhar meio perdido.

-Violet, eu quase perdi você pra sempre, e foi minha culpa. Aquele meu jeito que te afastou de mim e depois aquilo tudo. Eu vou mudar, te prometo isso. 

-Ryan, eu também vou fazer de tudo pra ser a mulher perfeita pra você.

-você já é, Violet. Já é perfeita pra mim. Eu amo cada pedacinho seu, e eu tenho certeza que sempre vou amar. 

-eu também amo você. 

Eu e Ryan passamos horas na sala até que a enfermeira vem estregar a tabela com a dieta que o médico passou e Ryan pega e guarda. O médico vem até a sala e diz que eu vou ter alta no dia seguinte. Ryan se despede de mim e sai dizendo que vai comprar os alimentos e levar até minha casa. Meus pais já estão lá. E eles vão vir a tarde me visitar. 

Depois do almoço meus pais vem. Eles estavam muito preocupados, mas a polícia não estava deixando eles saírem de casa até ter certeza que estava tudo bem. Então enfim vieram me ver. Passamos o resto do dia conversando e quando eles vão embora, eu me sinto um pouco sozinha.  

O horário de visitas acaba e eu tomo banho para ir dormir. 

No dia seguinte Ryan vem me ajudar com a saída. Ele me segura nos braços até o carro, todos olham para nós. Parecemos recém casados hahaha. 

Ele me leva até em casa e já prepara minha primeira refeição saudável. O tempero que ele coloca é bem suave, mas fica gostoso. A única parte que eu não gostei da dieta foi um suco verde horrível que o médico receitou. Não posso botar nem adoçante. Ryan vai ficar conosco em minha casa por esse período de tempo de férias dele. Férias nas quais ele vai ter trabalhado do mesmo jeito tendo que cuidar de mim. 

Eu expliquei sobre o medicamento e relações sexuais para ele, ele disse que tudo bem. Iria usar preservativo, mas que não se sentia bem fazendo isso em minha casa com meus pais aqui. E pra falar a verdade, nem eu estou. Então, nunca fizemos nada dês de a minha alta. 

Finalmente a medicação acaba e o prazo de dez dias a mais do período de risco. Meu ciclo se normaliza e minha menstruação vem. Os dois meses que Ryan esteve aqui foram maravilhosos. Ele cuidou muito bem de mim, e quando meus pais saiam nós aproveitavamos para ficar mais intimamente. Não era mais necessário preservativo. Já estava seguro. Ryan volta amanhã e eu preparo um jantar de despedida para ele já que ele vai de manhã cedinho. O aniversário dele é na próxima semana então eu vou visitar ele. 

Faço o jantar o mais caprichado possível, ele adora! Eu fico feliz demais, mas triste por saber que ele já vai voltar. 

-Violet, por que não vem comigo? 

-não sei Ryan. Não acho que seja uma boa ideia acelerar as coisas assim. 

-ja fizemos isso antes. 

-e você viu os resultados. 

-ok.  Mas, vá me visitar ao menos.

-eu vou sim. Semana que vem. Já não estou mais trabalhando na empresa mesmo, posso ir. 

De manhã cedo Ryan volta para Nova York e eu continuo aqui. Levi me mandou umas mensagens. Eu o dispensei da forma mais educada que eu consegui. Ele entendeu, disse que quelauer coisa estaria lá para mim. Mas eu disse para que ele seguisse com sua vida. Matt é só na academia e mexendo na sua moto. Por hora sem namorada, mas vai bastante em baladas e fica com várias garotas diferentes. 

Eu e meus pais estamos bem. Creio que dessa vez dá certo. Ryan está muito mais maduro quanto a relacionamento, acredito que possamos num futuro nem tão distante, dar o próximo passo. Eu estou muito animada com isso. 




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...