História Is it ok? - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Comedia, Drama, Romance
Visualizações 6
Palavras 644
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Fluffy, LGBT, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Esse primeiro capítulo tá curtinho, mas é só a introdução.

Espero que gostem <3

Capítulo 1 - A New Home


Fanfic / Fanfiction Is it ok? - Capítulo 1 - A New Home

Eu olhava pela janela do carro, contando as árvores que passavam por mim. O carro estava silencioso há horas, tirando o ronronar de Perry, meu gatinho branco como a neve.

Olhei para ele e sorri, e ele pareceu sorrir de volta. Às vezes acho que Perry pode ler minha mente ou coisa assim. Ele sempre parece saber o que estou sentindo quando muitas vezes ninguém mais sabe.

Meu pensamento se interrompe quando o carro para de repente. Meu pai se vira e olha pra mim, seus olhos brilhando, assim como seu sorriso cheio de dentes exageradamente bancos:

-Chegamos, pequenina! Bem-vinda a sua nova casa! - Ele disse.

Sorri e saí do carro. Nossa nova casa era linda comparada a antiga. Na verdade, qualquer casa é linda comparada a antiga, que já estava caindo aos pedaços.

Mamãe e papai já estavam ajudando o pessoal da mudança a tirar tudo de dentro do caminhão. Depois de um tempo, os móveis já estavam nos seus lugares.

-Finalmente! -Disse mamãe, se atirando no sofá -Minhas costas não iam aguentar mais muito tempo.

Papai riu e sentou-se ao seu lado:

-Deixe de ser dramática! A Sam carregou mais coisas que você e nem reclamou!

Mamãe virou os olhos e eu ri baixinho.

-Na verdade, eu estou bem cansada- Eu disse -Vou descansar um pouco no meu quarto.

Papai sorriu e concordou com a cabeça.

Meu quarto não era grande, mas eu preferia assim. Eu não tenho muita coisa além de um guarda-roupas e a minha cama, então um quarto muito grande seria estranho e vazio.

Sentei na ponta da cama e observei Perry, que rolava no tapete freneticamente. Perry é um gatinho curioso, não me surpreende que ela já está explorando cada canto da casa.

Pra maioria das pessoas da minha idade, se mudar é algo terrível, porque elas têm que se separar dos amigos, mudar de escola e coisa assim. Mas isso não é um problema pra mim. Eu odiava minha antiga escola, e não tinha nenhum amigo. 

Na verdade, acho que a última amiga que tive foi Lana, que conheci na igreja quando tinha uns dez anos. Lana morreu em um acidente de carro alguns meses depois.

-Parece que o mundo não quer que eu tenha amigos, não é, Perry? – Eu disse baixinho.

Perry me olhou com os olhos azuis arregalados. Obviamente ele não entendeu nada do que eu falei. Afinal, ele é um gato.

Me deito na cama, solto um suspiro. Poucos minutos depois, eu durmo.

Acordei uns minutos depois quando senti algo pequeno e fofo deitar em minha barriga. Abri os olhos e me deparei com Perry, que ronrona alto o suficiente pra até um surdo ouvir.

Sorri e alisei lentamente seu pelo, antes de tirá-lo de cima de mim com cuidado.

Levantei-me da cama e me espreguicei. Estava com sede, então resolvi pegar um copo de água na cozinha.

Meus pais não estavam em lugar nenhum da casa, então deduzi que foram ao mercado. Peguei um copo da caixa de mudança e o lavei na pia.

Quando estava prestes a enche-lo com água, eu olhei pela janela e vi um grupo de jovens que pareciam ter a minha idade: Uma morena com lindos cabelos cacheados, uma loirinha de olhos tão azuis quanto os de Perry, um garoto alto e forte, outro garoto baixinho e magricela, e uma menina toda enfeitada com fitas e presilhas no cabelo.

Eles riam alto e falavam bobagens uns pros outros. "Parecem estar se divertindo muito", pensei. Por algum motivo, eu não parava de observá-los. Eles pareciam tão... felizes.

De repente, a garota morena se distraiu da conversa e começou a olhar em volta. Por alguma coincidência, seus olhos pousaram em minha janela, e consequentemente, em mim.

Eu congelei no lugar quando ela sorriu carinhosamente para mim. O único pensamento que se passava em minha cabeça...

"Uau, que sorriso bonito".

 


Notas Finais


É isso! Espero que tenham gostado (de novo)!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...