1. Spirit Fanfics >
  2. Is it right? >
  3. Yes

História Is it right? - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


> Depois de jogar um joquinho que não recomendo por não estar completo, tive ideia de fazer essa "one" que sinceramente ficou GIGANTE

> É só isso, espero que gostem -3-

Capítulo 1 - Yes


Fanfic / Fanfiction Is it right? - Capítulo 1 - Yes

"O dia da tristeza não existe, pois, todo dia é dia de buscar felicidade - O pequeno mestre".

- Você foi requisitado - Estava no telefone e bufou.

- Mas hoje é meu dia de folga, você sabe disso.

- E você sabe que eu respeito a todos, só que você sabe como a madame Nakashima é, se vier deixo você ficar com o dinheiro todo - Sua chefe era tanto quanto critica.

- Certo, irei até aí - Pegou seu carro e foi até o local de trabalho, uma boate com prostituição masculina.

- Você chegou meu querido, estava te esperando, por que não veio primeiro?

- Me desculpe, madame Nakashima, mas já contei a senhora que hoje é meu dia folga, se lembra?

- Está certo, mas eu precisava relaxar, minha empresa está cheia de problemas e meu marido só faz piorar as coisas. E ele não tem nada que você tem.

- Fico honrado em ouvir isso, madame. O que deseja hoje?

- Faça o que você sabe, suas habilidades me deixam extasiada.

Touga era um dos melhores homens naquela casa, atendia homens e mulheres. Possuía domínio para seduzir ambos, seus clientes logo se tornavam fiéis a ele, por isso era quem mais ganhava e trabalhava, também fazia trabalho como acompanhante de luxo.

Ele iniciou nesse emprego depois que seu pai faleceu e sua madrasta começou a tratar como escravo sexual, quando percebeu que tinha certas habilidades resolveu fugir de casa e trabalhar com isso, já ia se continuasse em casa, nada mudaria.

Ele não possui raiva de sua madrasta, mas prefere não a ver mais, afinal ela transava com uma pessoa de dezesseis anos tendo trinta. Sentia certa repulsa dela, foi ela quem o tirou da escola para ensinar em casa, sim, ela era uma ótima professora, mas graças a isso seu futuro foi limitado. Não conseguiu entrar na faculdade, não conseguia emprego bom, sua última saída foi o que vive de hoje.

- Bom trabalho, Touga. Conseguiu ficar mais tempo que o de costume e parece ter ganho mais também.

- Isso não lhe interessa, irei embora por agora.

- Te vejo amanhã, meu garoto.

 

◇ ◇ ◇

Passou pela porta e já foi passada a sua lista de mulheres e homens que o desejava. Estava cansado daquela rotina, mas viu algo que o fez ficar interessado, um novo nome e depois daquilo totalmente em branco, ou seja, seria acompanhante e talvez teria um momento e paz.

Iniciou a lista com o rapaz que assumia de pés juntos que nunca ficaria com homens, apenas foi acompanhar seu amigo. Mas assim que viu o prazer que o outro sentia a ponto de se contorcer por estar sendo penetrado por Sesshomaru, resolveu experimentar.

- Você chegou! Touga, eu sei que tinha prometido vir uma quantidade menor de vezes, mas... Eu sinto que fico piscando por você a noite e não consigo dormir, acabe com isso por favor - Viu a situação do rapaz em sua frente, vestia uma cueca feita para passivos, ele sorria, pois, conquistava até quem era "hétero".

- Faça o que desejar - Se viu sendo atacado, boca e corpo.

 

Sua lista ia seguindo, em seu dia costumava atender cerca de vinte pessoas, por isso seus dias de folga era maior do que qualquer outro. Obviamente não chegava a gozar em todos os sexos, na verdade quase criou uma barreira a isso.

No último nome viu uma senhora e ficou sinceramente frustrado, odiava trabalhar para esse tipo de gente.

- Você seria a Katou? - Viu a senhora quase rir da cara dele, mas com tamanha elegância que se não vivesse nesse ambiente não perceberia.

- Eu sou a governanta da casa principal da senhorita Katou, peço perdão se o fiz parecer isso.

- Peço perdão se pareci ignorante.

- Irei levá-lo até ela, me acompanhe. E não se preocupe, já foi tudo agendado e pago, a senhorita é uma pessoa de palavra e honra.

Percebeu que chegou até um carro, na verdade uma limusine branca, totalmente limpa e chegava a brilhar na noite que estava. Quando entrou viu mais duas mulheres, uma delas estava na frente, a motorista e a outra sentada lendo uma revista.

- Obrigada por trazer ele, seria péssimo se me vissem aqui, Sango pode ir em casa - A voz dela era suave, mas era possível sentir como era fria e potente.

A mais velha se sentou na frente, junto com a motorista e fechou o vidro que separava e bloqueava as quatro pessoas, deixando Sesshomaru e a outra sozinhos.

- Então, você seria a Kaori Katou - Bebericou do chá que não tinha percebido que ela tinha em mãos.

- Na verdade, meu nome é Kagome Higurashi, essa pessoa realmente existe por isso não foi barrada e é uma das amigas de Sango, ela te reservou em meu lugar.

- Por que está tão preocupada em preservar seu nome, se vai aparecer comigo ao seu lado?

- Meu querido, eu não importo com a sua origem ou o que você faz, apenas não quero que me entendam mal depois de aparecer publicamente com você sendo meu noivo - Em pouco tempo, ela o fez ficar confuso.

- Noivo? Você tem noção que eu tenho uma certa fama, não?

- Sei, por isso você irá mudar um pouco, pesquisei um pouco sobre você - Abria uma pasta com fotos e folhas - Esse nome, Touga Taisho é de seu pai, certo? - Mostrou uma foto.

- Como conseguiu isso? - Pegou a foto e a viu pegando outra.

- Seu nome na verdade é Sesshomaru Taisho e seus cabelos, na verdade são tingidos, porém como a sua cor natural era muito estranho para seu trabalho por isso resolveu mudar - Entregou outra foto.

- Tudo isso para me ter como noivo?

- Tudo isso para ficarmos quites.

- Quites?

- Sim, eu preciso que você seja meu noivo, então precisa saber de algumas coisas e principalmente quem sou se não sabe. Sei segredos seus e você irá saber os meus, por isso você irá mudar a sua aparência e seremos noivos felizes - Sorria sincera, mas ele via em seus olhos certo receio.

- Primeiro, preciso saber, por que tanto receio? - A viu respirar fundo.

- Você quis começar em um assunto difícil, mas irei lhe contar, afinal é meu noivo. Tudo começou quando eu era mais nova, as duas que você conheceu hoje eram minhas amigas em casa, sempre estive sozinha, meus pais viviam no trabalho e raramente paravam em casa, até penso como eles conseguiram me ter.

- Para isso todo mundo tem tempo.

- Bem, esse que é o problema, meus pais achavam que eu precisava de amigos homens. Afinal já tinha dezoito anos e nunca namorei ninguém, eles pensarem em me ajudar, mas as pessoas que chegavam, só pensavam que estavam ali para fazer sexo comigo.

- Seus pais deviam querer um neto, não?

- Eles provavelmente só queriam que eu me casasse, minha família é bem tradicional, se eu perdesse a virgindade com qualquer um deles teria que automaticamente se casar.

- Você viveu fugindo deles então, mas não houve nenhum que teve interesse, acredito que eles não mandaram qualquer homem para a casa deles.

- De fato todos tinham as suas qualidades, possuir grande quantia, ter nome limpo nas mídias e bonito. Mas tinham o mesmo defeito, só me viam como objeto, a família Higurashi administra cerca de 25% das marcas do Japão, pode não parecer muito essa porcentagem, porém aquela é uma das nossas empresas - Apontou para o prédio que estava a sua frente, por conta do semáforo fechado.

- Sua família é dona da HGO? - Ela apenas acenou com a cabeça.

- Agora entende a gravidade do problema?

- Não tem medo de que eu faça o mesmo que eles?

- Por isso também fui atrás de algo sobre você, você sofria abusos, mas ninguém sabia disso. Houve um dia que você fugiu e nesse mesmo dia encontraram o corpo de sua madrasta morto, obviamente você foi o principal suspeito, mas você sumiu do mapa, já que tinha deixado literalmente tudo para trás e mudou de nome, por isso você está sendo perseguido pela polícia até hoje.

- Você colocaria seu nome em risco por um casamento falso? - Ela sorriu.

- Acredite, eu vou limpar seu nome antes mesmo de anunciarmos nosso casamento além disso, você tem mais um segredo que bem, ninguém sabe.

- Que seria?

- Você sabe do que eu estou falando, algumas pessoas do passado que te querem morto por ser, digamos... Bom de cama.

- Você não está falando do...

- Estou, eu que sumi com ele.

- Como?

- Eu já preparava essa nossa conversa, mas se algo der errado, não será difícil aparecer com ele novamente.

- Certo, ele realmente quer me matar, até matou a mulher que amava loucamente.

 

◇ ◇ ◇

Passou um mês de preparação, eles saiam juntos em lugares públicos propositalmente cheios, já que tinham um acordo para cumprir. Ao chegar na casa da mãe de Kagome, ambos estavam um pouco nervoso, Kagome por saber que a mãe não era fácil e Sesshomaru por ser a sua “sogra".

- Mamãe, este é meu noivo, o que acha?

- Não é mais pessoa aleatória que você achou na rua, não é mesmo?

- Você vê que não, mamãe. Olhe as roupas dele, seu rosto e seu modo, é uma nobre pessoa, não acha?

- Realmente aparenta, mas quem me garante que você não pagou por essas roupas? E o fez ficar quietinho?

- Sinto em incomodar a conversa de vocês, mas Kagome e eu somos um casal de verdade - Segurou a mão dela e a puxou para perto - Você já deve ter ouvido o meu nome, sou o sucessor da empresa Monilia, Sesshomaru Taisho.

- Já ouvi seu nome, mas nunca te vi, por onde esteve?

- Nunca fui de aparecer em frente das câmeras, minha senhora, mas como sabe sou capaz de administrar muito bem empresas.

- De fato. Vocês têm um mês para provarem que realmente estão juntos. Se eu ver que Kagome apenas mentia, acabou para ela – A mulher apenas deu as costas e subiu as escadas.

 

◇ ◇ ◇

- Você o que? - Estavam arrumando o cabelo dele, restaurando a cor natural e adicionando mechas longas.

- Mudei algumas coisas e fiz o sucessor ser você - Estava sentada no sofá, vendo uma revista novamente.

- Como?

- Quem realmente era para ser o sucessor não queria fazer, ele tinha seus planos de vida e administrar uma empresa não estava. Dessa forma, falei com ele e sem pestear convenceu o pai que você seria a melhor opção.

- Mesmo sem me conhecer

- Esse é o poder de pessoas ricas, meu amor.

Eles estavam no apartamento dela que os pais não tinham acesso e quem trabalhava lá eram apenas pessoas que ela escolheu a dedo, depois de vários testes diferentes.

- Mas como irei administrar uma empresa? Eu não tenho ideia disso.

- O dono ainda vai continuar por pelo menos dez anos, até o nosso divórcio, pode se mostrar incompetente para não ser mais. Mas caso aconteça algo, eu administro.

- Mas seus pais não vão achar muito estranho?

- Seu nome já passou pela boca do povo, Sesshomaru, eu fiz isso a dois anos e a seis meses falo que estou apaixonada por você, mas você nunca me deu atenção para meus pais.

- Você planejou tudo isso mesmo não sabendo se eu iria aceitar?

- Acredite, você iria de qualquer jeito - Levantou o olhar da revista para ele.

- Sua mãe, eu já ouvi falar dela, ela é calculista e misteriosa, não tem medo de que ela descubra algo?

- De fato, minha mãe é um grande problema e... Sango na terceira janela da esquerda para a direita, na segunda fileira do prédio ao lado.

- Certo - A moça se preparava para atacar com uma arma de paintball.

- Mas não se preocupe, ninguém vai ser capaz de me impedir.

- O que você acabou de fazer?

- Não fiz nada, no máximo, mandei Sango atingir um fotógrafo, que tentava tirar fotos daqui com uma bolinha de tinta.

Ia sair da sala para deixar Sesshomaru, nas mãos dos cabeleireiros de Kagome. Mas Sango a lembrou de algo.

- Sesshomaru, não esqueça. Eu sempre fui apaixonada por você e o nosso acordo é simples, finja ser o melhor noivo e marido por quatro meses, depois poderemos nos separar e ganhará cem milhões de ienes.

- Quando terminar aí, vamos sair e você irá me dar esse anel - Foi entregue uma caixinha com alianças - Tudo bem?

 

◇ ◇ ◇

Estavam no carro, CCXR Trevita, Sesshomaru dirigia, enquanto Kagome apenas lia uma revista.

- Você não acha que foi extremista demais? Você nem me conhece.

- Não diria isso, apenas sempre estive de olho em você. Desde que Nana traiu o marido.

- Você a conhece?

- Ela é uma das minhas poucas amigas, ela queria que eu fosse lá também, mas meus pais me matariam se eu realmente fosse. Por isso eu apenas procurei sobre você e descobri muitas coisas, de fato acabei me apaixonando por você e sua história.

- Sinceramente, eu diria que você é louca.

- Não diga isso, apenas sou uma mulher carente e muito preocupada com as pessoas que minhas amigas conhecem. Fiz isso com todas as pessoas que minhas amigas conheceram, afinal apenas o meu erro não pôde ser evitado.

- O que fez? - Abriu sua bolsa, pegou uma outra revista e assim que pararam no semáforo, mostrou para ele - Essa é você?

- Sim - Respirou fundo - Foi uma fase que eu não entendia essa de imagem ou o que a sociedade é capaz de fazer.

- O que fez você posar seminua para uma revista pornográfica?

- Sinceramente, foi uma aposta doida que fiz, mas depois disso para abafar o caso foi preciso muito esforço. E por isso meus pais querem que eu case, para que a mídia saiba e nenhum homem faça mal.

- Então foi uma forma de proteção deles?

- De certa forma sim, vire à direita, por favor.

- Para onde vamos exatamente?

- Você não reconhece?

- Deveria? - Ela apenas acenou com a cabeça e mostrou outra revista a ele - É um dos restaurantes chiques que abriu recentemente.

- Exatamente, eu fui convidada para experimentar as comidas daqui e avaliar.

- Você é crítica?

- Uma das minhas funções é isso.

- Você não cansa de trabalhar?

- Meu trabalho é menos cansativo que o seu, então não tem problema.

- Bom, por enquanto não estou o meu trabalho principal.

- Quem sabe em breve.

- Depois do nosso casamento acredito eu - Viu ela negar.

- Precisa ser antes, assim, mesmo que não aparentemos estar apaixonados, eu perdi minha virgindade.

- Certo, aqui estamos - Estacionou, ele desceu e sentiu o olhar frio em suas costas - Desculpe por isso – Abriu a porta para ela como um verdadeiro cavalheiro.

 

◇ ◇ ◇

Duas semanas tinham se passado desde que Sesshomaru foi apresentado como noivo de Kagome, foram chamados para tirarem fotos para uma revista, foram entrevistados, aos poucos conseguiram convencer a sociedade que estavam juntos e são fortemente apoiados.

- Kagome, posso falar com você? - Foram até o escritório da mãe.

- Claro, mamãe, o que a senhora deseja?

- Você e seu noivo possuem bastante apoio da população, acredito que será bom para a empresa ter vocês no comando em breve. Mas ainda não provaram que se amam.

- Você e papai também não provam isso para mim.

- Exatamente por isso, quero que você se case com alguém para lhe fazer bem, de estresse já basta seus pais e a empresa, não? - Fazia tempo que elas não tinham conversa calorosa, sentia falta disso.

- Certo, você irá ver, ainda temos duas semanas para provar e mais uma para o casamento - Saiu do escritório para encontrar Sesshomaru, quando o encontrou sentado em sua poltrona, passou os braços por trás, iniciando uma massagem nele.

- O que aconteceu para você estar tão feliz? - Ele passou a conhecer quase melhor que sua melhor amiga.

- Minha mãe finalmente foi calorosa comigo - Ela sorria e isso era encantador.

- Vamos comer? Reservei uma mesa para nós em um dos restaurantes que você criticou de forma positiva.

- Meu querido, não precisava - Deu um selinho nele, nesse meio tempo, esse ato se tornou normal e no fundo nenhum dos dois se importavam com isso.

- Quanto tempo você vai se segurar? - Levantou-se e abraçou por trás, ela sentia o pênis dele em sua polpa.

- Até você dizer que me ama - Ele fez cara de confuso, aquilo não estava no acordo - Você deveria ter visto a sua cara, estava falando de publicamente, não necessariamente sincero. Mas você sabe que eu gostaria muito de ouvir isso.

- Irei dizer hoje se ficar bonita o suficiente - Ela se soltou dele e foi até o banheiro retirando sua camiseta o caminho, estava sem sutiã - Não me provoque.

- Como? - Ela se virou para ele e começou a ir a até ela, mas Kagome foi mais rápida e entrou no banheiro - Se quiser mais isso, terá que dizer que me ama.

Kagome sabia que seu corpo era bonito, ainda mais quando viu que a revista com o seu corpo foi a mais vendida em todo o Japão. Via quanto homens e mulheres a desejavam quando saía na rua com uma roupa que mostrava um pouco de seu corpo.

Seu armário era composto de gola alta, manga longa e capa, seus vestidos e calças quase nunca evidenciaram as pernas. Isso foi uma escolha em sua adolescência que mantinha até hoje. Por essa razão, ela tinha noção de seu poder, quem quer que fosse não resistiria as ordens dela.

Ela diria que eram o casal perfeito, ele conquistava por habilidades e ela por beleza. Não significava que Sesshomaru tinha corpo ou rosto feio, apenas que suas habilidades conquistavam a todos. Até mandou que uma das empregadas de sua mãe que ela sabia como ela trabalhava, deitasse-se com Sesshomaru, antes da transformação, claro e na primeira noite já foi conquistada.

 

◇ ◇ ◇

Estavam no restaurante e Kagome não parava de sorrir, estava elegante e linda. Quando chegaram no restaurante atraíram vários olhares, mas ela não parecia ligar para isso.

- Seu sorriso é lindo, mas por que está tão feliz?

- Na verdade é porque você está aqui comigo, no Bonvour, meu restaurante predileto. Vestindo um terno lindíssimo, até parece um sonho.

- Bom eu farei seu sonho ainda melhor, porque Kagome - Se aproximou de seu ouvido - eu acho que te amo.

Rapidamente sentiu como se fosse desmaiar, aquele homem, mexia com ela de um jeito ir ninguém mais conseguia. A voz, o corpo, o desejo de todas, o sorriso, tudo nele a fazia ficar louca.

- Está muito bonita com esse vestido. Nunca pensei que saia rodada faria alguém tão bonita - Sua mão estava em seu rosto, quem os visse diria que eram o casal mais apaixonado possível.

- Eu não sabia que era possível alguém usar gravata borboleta e não parecer um garçom, mas na verdade parecer um anjo - Colocou a mão sobre a dele.

- Kagome! Que honra te ver aqui - Pegou a mão que estava sobre a de Sesshomaru e neste momento ele tirou a outra do rosto dela.

- Ah, Houjo, que bom te ver - Sua voz estava singelamente ácida.

- Não vai me apresentar essa pessoa, minha linda - Beijou a mão dela.

- Meu noivo - Ele soltou a mão dela.

- Como ousa tentar roubar a minha Kagome? – Queria bater naquele homem.

- Sua? - Os dois disseram e ela estava feliz.

- Algum problema com isso? - Sesshomaru ia dar um soco nele, quando sentiu que ela segura sua mão. Tinham sorte que Sesshomaru reservou uma mesa nos cômodos isolados.

- Amor, quem é ele? - Quando ouviu aquilo se derreteu.

- Uma das pessoas que meus pais escolherem para casar comigo.

- Eu não lembro de seu nome na lista e eu fui o último, será que você não é o suficiente?

- Ora seu - Ela o segurava, tentando passar calma.

- Querido, se acalme.

- Estou calma minha linda, é uma honra ser chamado de querido - Ela retirou os olhos.

- Você ainda acha que tem chance comigo? Sesshomaru está comigo.

- Prove, tenho certeza que foi como os antes de mim na lista - Ela se levantou e beijou Sesshomaru apaixonadamente, sentindo ser puxada para mais perto como se fosse uma posse daquele ser - Você nunca fez isso comigo, sua vadia, aposto que você pagava para os médicos não dizer que na verdade você é...

- Com licença, ele está a incomodando, senhorita Higurashi? - Um segurança chegou ao local.

- Muito, o retirem daqui este lugar foi reservado não? Por que ele entrou? Será que minha crítica foi boazinha demais?

- Claro que não, senhorita. Cuidarei disso agora mesmo - Retirou Houjo e pediu perdão mais uma vez.

- Estou sendo o suficiente para você? - Segurou. mão dela, fazendo um leve carinho.

- Você será para sempre, não importa o que aconteça.

Quando terminaram de jantar, Kagome estava com receio, faria aquilo com Sesshomaru? Estava em um nível que só sentiu que suas pernas tremiam quando ele colocou a mão sobre sua coxa.

- Por que está nervosa? Não quer fazer.

- Quero, não sei na verdade, é algo novo para mim, enquanto você é experiente até demais. Não vou saber retribuir o favor que está fazendo a mim.

- Não se preocupe, eu cuido de tudo sobre isso, tudo bem? - Ela concordou ainda com receio.

Quando chegaram em casa, ele segurou na mão dela e foram até o quarto. Ele colocou uma venda em seus olhos e disse para não se mexer até que fosse pedido, o que a deixou mais nervosa, até sentiu o cheiro de suas velas, como sabia delas?

- Está pronta?

- Sesshomaru, desde quando sabe das velas - Escutava música, da sua lista de reprodução - E... da minha lista de reprodução de sexo?

- Eu sei de muita coisa sobre você Kagome, mas não sabia que você teve uma lista de pretendentes tão longa - Chegou perto de seu ouvido - O preciso fazer para você ser fiel a mim como meus clientes? - Começou a beijar seu pescoço.

- Sesshy... - Disse em meio de um gemido - Eu sou sua e de mais ninguém, você sabe disso - Ela se mexia apenas quando sentia arrepios, confiava naquele homem que conhecia pessoalmente apenas por um mês e meio.

- Será que sei mesmo? – O vestido dela estava sendo aberto delicadamente e estava recebendo beijos em suas costas.

- Quer confirmar a minha palavra? Mas espera, está me comparando com seus clientes, então realmente foi encenação. Está virando um ótimo ator - Ela dizia com voz divertida, mas no fundo estava triste.

- Eu não diria que fui ator, mas aceitar tudo isso e começar a te amar realmente é algo que não experimentei.

- Bom, terei mais cinco meses para... esqueça.

- Me conquistar? Sinceramente eu sou um pouco difícil, eu sinto que sou apaixonado por alguém – Os olhos de Kagome possuíam pequenas lágrimas, mas não era possível Sesshomaru ver.

 

◇ ◇ ◇

Kagome estava na cama, sentia os braços dele ao redor dela e quando se mexeu, foi puxada para perto o que a fez sorrir. Se virou para ele e deu um selinho.

- Bom dia, querido. Já está de manhã, vamos levantar-nos.

- Mas está tão bom assim.

- Você sabe que eu tenho muita coisa a fazer, irei tomar um banho e irei comprar meu vestido.

- Mas antes, a gente pode...

- Não, ainda estou dolorida, você é impiedoso.

- Não diga isso, você também foi imperdoável por me fazer gozar, sendo virgem.

- Parece que eu tenho as minhas habilidades também, Sesshy.

- O que disse?

- Sesshy, seu nome é longo e você não se importou ontem.

Levantou e foi tomar banho, saiu apenas de toalha e foi ao closet escolher uma roupa. Fazia tudo aquilo na frente de Sesshomaru, ela o provocava, pois sabia que ele gostava daquilo. Mas quando ele percebeu a roupa que ela estava, ficou levemente enciumado.

- Por que está indo assim para vestir outras roupas, enquanto comigo vai com roupas largas? Quer me dizer algo Kagome?

- Isso é ciúmes, Sesshy?

- Não, apenas me diga, com quem irá?

- Isso não é de sua conta - Jogou os ombros - Já que não está com ciúmes, além do mais eu sou livre para vestir a roupa que quero.

- Eu sei disso, mas o que me incomoda é que você nunca vestiu isso para sair comigo, não sou digno de ver suas curvas? - Ela se olhava no espelho, sua camiseta de gola careca de mangas longas e frouxas, mas que destacavam o busto e a saia colada que evidenciava seu glúteo e as largas coxas.

- Não diria isso, mas eu uso essas roupas apenas em ocasiões especiais, como por exemplo escolher o meu vestido de noiva e não se preocupe, meu vestido de noiva fará todos babarem por mim - Deu um selinho nele e saiu.

- Vamos Sango?

- Claro minha amiga, está tão linda, a quanto tempo não te vejo usando essas roupas. Mas hoje é um dia especial, não é mesmo? Irá se casar com quem se apaixonou, mas quando irá dizer a verdade a ele?

- Não irei dizer até que ele se lembre, achei que essa roupa o faria lembrar, mas estava enganada.

- Ka, acho que você deve ser mais clara com ele, não acha?

- Irei tentar, mas vamos. E você vai me ajudar a escolher cada vestido não é mesmo?

- Claro, amigas servem para isso.

- Mas você não é só minha amiga, é minha madrinha também.

- Ainda não consigo acreditar que a senhora permitiu isso.

- Mamãe sabe que só você e Nana são minhas únicas amigas, além da Mido, mas ela ainda está na viagem dela.

Não era longe o local que iam, mas era uma das mais requisitadas lojas de vestidos de noiva que existia.

- Qual modelo prefere? – Sango perguntou curiosa.

- Quero usar um que destaque meu corpo.

- Ousada, fará todos babarem por você?

- Meu objetivo é só um e eu não preciso dizer – Se envergonhou.

- Mas Ka, eu te recomendo não usar um destacando os seios, sua mãe não irá gostar.

- Que tal as costas? Ou as pernas?

- Seria ótimo, chamaria atenção, mas não o suficiente para sua mãe surtar.

- Vocês precisam de ajuda? - Elas assentiram - Qual das duas é a noiva?

- Sou eu.

- Seu corpo é incrivelmente modelado, será fácil encontrar um vestido bonito. Tenho certeza de que vai ter um que goste, quanto pode gastar?

- Vamos resolver isso depois, por enquanto estou mais ansiosa para ver os vestidos.

- Já tem algo em mente?

- Aberto nas costas ou com fendas na saia.

- Certo, venha comigo - Seguiu a lojista - Tenho todos esses e aqui atrás de você tem mais e os outros estão em outro lugar, deseja ir depois ou sua amiga pode me acompanhar?

- Ela irá, Sango nos encontramos no trocador que é...

- Ali senhoritas.

- Dentro de duas horas, tudo bem? Lembre-se tenho que receber destaque.

- Certo, deixe comigo.

 

- Quantos você pegou? - Sango perguntou.

- Quinze e você?

- O mesmo, mesmo sem trocarmos uma palavra a gente pensou igual.

- Certo, agora desses trinta, vamos escolher dez - Já começou a ver os vestidos que Sango pegou e se impressionava com cada um deles.

- Desses dez, cinco vão ser reavaliados, costura, corte, tecido e preço, certo?

- Certíssima, vamos que eu quero terminar antes do almoço com Sesshomaru as duas, tudo bem?

- Temos muito a fazer então.

Depois de quase duas horas provando vestidos, conseguiram escolher os cinco melhores.

- Conseguimos mais rápido do que eu imaginava.

- Bom, esse azul é o único que não só jeito que você pediu, mas a cor é única e seu modelo possui joias que evidenciam o busto e a cintura. Também dá o efeito de princesa - a lojista dava os detalhes, para auxiliar as duas.

- Certamente sinto que chamo muito atenção, mas sem precisar mostrar nada.

- Esse azul Tiffany, possui a saia reta, seu movimento é leve, mostra as costas, mas possui uma capa fina e transparente, como um véu. Assim não precisaria gastar com o acessório.

- Eu sinceramente achei um charme em você, mesmo com esse decote na frente não acho que ela irá brigar.

- Esse é leve e a saia é removível, deixando apenas o macaquinho para que possa aproveitar melhor a festa, possui fenda para as pernas e assim possibilitando andar melhor. Eu recomendo caso esteja quente ou seja na praia.

- Apesar de ser lindo, não acho que sua mãe vai aceitar de bom grado.

- Este é um dos mais pedidos, tem um leve tom róseo, é leve, tem renda, é aberto nas costas e as mangas são longas. Sendo assim altamente recomendado para quem caso no inverno ou a noite, a saia é composta de três camadas, sendo a última transparente.

- Quando eu vesti esse, senti que não era preciso nenhum ajuste.

- O último, tem a sua elegância por ter mangas tomara que caia, possui um leve decote no busto, é sutilmente transparente, com a saia com três camadas também, todas brancas e com renda. Também é aberto nas costas, tem o efeito de delicadeza único.

- Esse foi o que mais me encantei, porém sua transparência e os ajustes que terão que ser feitos me deixam em dúvida, o que acha Sango?

- Eu eliminaria os mais finos, seu casamento será a noite e a festa em um salão com ar condicionado.

- Certo, então o segundo e o último estão fora dessa.

- Agora azul ou rosa? - Levantou os três vestidos restantes.

- Eu diria que o Tiffany me deixou muito confortável e o róseo trouxe sensação de glamour sem pedir muito como o primeiro, não acha?

- Concordo, por fim uma última coisa. Você quer ou não usar véu?

- Não acho que nem é essa questão, diria que estou em dúvida na saia. Neste há detalhes em renda no busto e na saia, uma delicadeza única. Porém esse tem renda na cintura e busto, também pequenas pedras na capa, mas a saia é totalmente lisa.

- Os dois ficaram lindos em você Ka, acho que o róseo pede por mais atenção.

- Está certo, escolherei esse.

- Uma boa escolha, a vista novamente, chamaria a costureira e faremos os ajustes o mais rápido possível. Deseja escolher o véu?

- Por favor, gostaria de algum com renda igual ao do vestido ou apenas liso.

- Trouxe aqui a costureira e os melhores véus para seu vestido, trouxe cinco.

- Deixa que eu te ajudo.

- Esse primeiro apenas cobre seu rosto e as costas, não precisa de tiara ou grampos.

- Não me agradou muito - A lojista já eliminou.

- Esse segundo é longo, possui algumas pedras simples e cobre o rosto, mas também pode ser preso e não cobrir o rosto.

- Achei adorável.

- Essa precisa ser preso, tem o efeito de capa e é opaco em relação aos outros.

- Não muito obrigada, quero transparência.

- Este é o simples que é habitualmente adotado pelas noivas, também precisa ser preso e é relativamente longo.

- Eu deixaria esse mais como se eu reservo, caso eu não goste do conjunto, vestido e véu.

- Por fim, esse véu possui exatamente a mesma renda que o vestido, é longo cobre o rosto levemente.

- Sango, qual dos dois eu escolho?

- Olha Ka, o segundo acharia melhor usar preso e assim ficar mais longo, mas o último me deixou muito empolgada para te ver usando, usar o véu no rosto ainda mais quando é lindo e combina, parece um maravilhoso mistério.

- Deixe-me usar.

Quando terminou faltava apenas dez minutos para o almoço, Sango preciso ir mais rápido que o costume. Quando chegou desceu rapidamente do carro, foi até a mesa reservado, Sesshomaru já estava sentado e sorriu quando a viu.

- Já achei que não viria - Puxou a cadeira para ela se sentar.

- Apenas atrasei cinco minutos Sesshomaru, não exagere.

- Você saiu tão cedo, conseguiu escolher o vestido perfeito?

- Consegui, você vai ver como ficarei bela.

 

◇ ◇ ◇

- Naomi, eu já aceitei que eles se amam, mas e você?

- Ainda não me convenci, Mikoto.

- O que mais eles precisam fazer, os anéis que eles usam simbolizam o mais puro amor. Ele compra flores para ela todo fim de semana, saem para almoçar juntos, já deram várias entrevistas, foram classificados como o melhor casal da cidade.

- Ainda me parece que eles escondem algo.

- Você ainda com essa mania. Deixe-os se casarem de uma vez, Kagome já ficou com ele mesmo.

- Está certo, ela irá se casar com ele por esse motivo.

Ele virou a cabeça e saiu do escritório dela, a mãe administrava a parte financeira, enquanto o pai cuidava do psicológico da empresa. Apesar de nunca se darem bem, sempre estavam juntos e era isso que a empresa precisava.

 

◇ ◇ ◇

Ele saiu antes mesmo de Kagome acordar, mesmo a querendo atacar por estar nua. Ele a ensinou que o melhor jeito de dormir é assim e ela aprendeu muito bem, dormiam sempre juntos e faltava apenas dez dias para o casamento. Precisava comprar as alianças deles, Kagome deixou essa responsabilidade nas mãos dele porque acreditava que seria o melhor para ambos, visto que ele só aparecer com flores não parece realmente um casal.

- Qual devo escolher? Kagome tem um espírito único, mas não é sombrio ou transparente, muito menos tradicional, penso que o rose será o melhor.

Apesar de não parecer, Sesshomaru era especialista em joias, mesmo sem fazer curso ou trabalhar com. Era o sonho dele ser dono de uma loja de joias, mas sua vida não foi tão boa. Ele viu algumas, até que encontrou um par de alianças que mostravam como eram: únicos, chamativos e com uma certa rigidez.

Quando saiu da loja, viu uma floricultura para comprar um belo buquê para sua noiva.

- Bem vindo, Sesshomaru, quanto tempo não te vejo. Como está Kagome? – Estava feliz, ela lembrava que tinha visto que depois de sua volta, Sesshomaru recobraria as memórias.

- Perdão, eu a conheço?

- Desculpe, acho que não deveria ter dito, mas o que deseja? Lavanda com tulipas?

Quando ouviu aquilo, começou a ter tontura, não sabia o que estava acontecendo.

- Senhor? - O chamou antes de cair desmaiado no chão da floricultura - Robert, Sesshomaru caiu desmaiado aqui, pode me ajudar? - O motorista que achou estranho a encontrar novamente.

- O que faz aqui? – Eles estavam juntos antes de Midoriko viajar e terminar com ele.

- Vim visitar meus amigos, não posso?

- O que fez com ele?

- Eu não sabia que ele não estava com as memórias. Isso era para ter acontecido já, não? - Ele assentiu e levou Sesshomaru, até o carro.

 

◇ ◇ ◇

‘O sorriso dela fazia tão bem, os braços dela eram calorosos e traziam paz. A beleza dela encantava, mas quem era ela? Sesshomaru não lembrava, sempre teve esses sonhos, mas nunca enxergou o rosto dela.’

- Amor, vem, eu tenho uma surpresa para você.

- O que você fez, ------?

- Você vai ver, agora!

- Surpresa! - Todos gritavam.

- Como… Você é incrível querida, muito obrigada por lembrar.

 

- Abra seus presentes.

Um por um ele abriu: roupas, copos, gravatas, chapéus e por fim um colar em código Morse.

- Esse é meu, escrito em código Morse " eu te amo"

‘Usava até hoje esse colar na esperança de achar essa pessoa, mas quem seria? Como saberia?’

- O que acha de posar numa revista pornográfica? Ganharia muito, seu corpo é espetacular.

- Mas meu corpo é só seu, mesmo que ainda não fizemos.

- Eu ficaria feliz em mostrar ao mundo quanto lindo e hipnotizadora você é.

- Para de ser bobo Sesshomaru, quem sabe, façamos uma aposta se você vencer eu faço isso, se não terá que me assumir publicamente ao mundo.

- Trato feito, mesmo que se você não vencer farei isso. O que vamos apostar?

- Vamos apostar corrida no gelo.

- Você é desonesta, sabe que patina melhor que eu.

- Mas não venço na velocidade.

- Façamos então.

‘Revista? Será que ela seria a...? Impossível, ela não tem cara de quem patina.’

- Lavanda com tulipas, por favor – Pediu a moça no balcão e assim que ela entregou saiu.

- Sesshy, você só compra esse buquê, ------ vai cansar de você assim. Sem criatividade, viu o colar que ela te deu?

- Está tudo bem Midoriko, ela ama esse arranjo e prometeu casar-se com ele.

- Bom, assim espero, todo jantar junto você leva esse presente.

- Claro, não é sempre que a gente está junto, além do mais finalmente tenho um emprego bom, preciso mimar ela.

- Conseguiu emprego na loja, não é? – Ele sorriu, mas olhou para baixo por um momento - Espero que minha visão não aconteça - Disse para si mesma.

- O que disse?

- Apenas fiquei feliz com seu novo emprego na loja de joias. E me prometa uma coisa.

- Claro.

- Nunca se esqueça da ------, tudo bem?

‘Também lembrava de trabalhar nessa loja, mas quando ou como? Quem era essa mulher que definitivamente não é a mesma da outra.’

- Não vá hoje, por favor, fica comigo - Ela estava manhosa.

- Eu preciso ir, meu emprego está em jogo, amanhã conhecerei seus pais, certo?

- Assim espero, quase um ano juntos e você não conheceu meus pais - Se levantou da cama começando a se trocar.

- Mas eu estou indo, me deseje um bom trabalho.

- Bom trabalho amor, estarei na empresa caso precise de mim.

- Amor, você acordou tudo bem?

- Quem é você? - Viu ela abaixar a cabeça e uma lágrima cair.

- Aconteceu o que ela disse - Sussurrou para si mesma - Eu só vim te ver e apenas fique bem, certo? 

- Espere, você me chamou de amor, nos conhecemos, certo?

- Não, eu acho que você ouviu errado, desculpe - Saiu daquele quarto, usava saia godê e uma camiseta de mangas longas e gola careca, mas que evidenciava o busto.

‘Não seria possível que, eles já se conheciam. Ele se esqueceu dela, depois do acidente. Tem cicatriz até hoje por isso, o acidente fez esquecer a pessoa mais importante que encontrou em sua vida.

Como pode se esquecer da única mulher que amou seu cabelo da cor natural, do tamanho longo que amava deixar. Como foi se esquecer de Kagome? Por que ela não disse? Por que se manteve no mistério e parecendo louca? Tinha tantas perguntas sem resposta, ela realmente o ama.’

◇◇◇

- Sesshomaru, você acordou, o que aconteceu?

- Me desculpe, minha estrela - Uma chama de esperança subiu em seu corpo.

- Pelo o que exatamente?

- Te esquecer, eu tinha prometido a Midoriko não te esquecer, mas… Eu te esqueci, desculpe - Abraçou ela e Kagome chorava sem mesmo perceber.

- Você não tem culpa, o futuro desejou isso, mas Mido disse que depois de dois anos você se lembraria.

- Por isso planejou a nossa conversa, você sempre foi assim, não é mesmo?

- Você realmente lembrou, eu estou tão feliz. Mas está tudo bem se ainda não me reconhece completamente ou lembra de tudo, vamos nos conhecer melhor.

- As fotos que você tem, eu que te dei, as informações algumas já eram do passado, certo?

- Eu queria que você se lembrasse de mim, exatamente como nos conhecemos, como uma louca que sabia de tudo.

- Sinceramente, sem você a minha vida não tem rumo, sofri sem você, me prostitui sem você, quase morri sem você. Kagome Higurashi, você é a minha salvação - Ela chorava - Desculpe por pedir isso em um hospital, mas… quer casar comigo?

- Sim, mil vezes sim.

- Esses anéis, fui eu quem comprei, não?

- Foi, a gente ainda não usava porque você pretendia pedir no jantar. Por isso já tinha guardado em casa, quando você sofreu o acidente, eu me isolei, sem Midoriko do meu lado eu não sabia se você se lembraria de mim. Apenas Sango foi capaz de me ajudar, Nana entrou na história um pouco depois. Bom, resumidamente, quando ela citou o nome de seu pai, sabia que era você, apenas liguei para Midoriko para confirmar e ela me contou que você adotou o nome de seu pai, estava em um mal caminho e que lembraria de mim depois de exatamente dois anos.

- Vocês duas já planejavam isso?

- Na verdade foi uma surpresa até para mim, você realmente lembrou de mim. Muito das coisas que Midoriko prevê é exagerado, como ela disse que você morreria naquele acidente.

- Posso te mostrar algo?

- Estou falando muito, não? Mostre.

- Eu uso até hoje e continuo querendo ser dono de uma loja de joias, acha que eu consigo ainda? - Sorria boba.

- Você consegue qualquer coisa, bobo. E outra você já tem um passinho para isso – Deu uma piscadela para ele.

- E é a mesma que eu trabalhava antes, você é simplesmente incrível, obrigado.

 

◇ ◇ ◇

- Você, Sesshomaru Taisho, deseja casar-se com Kagome Higurashi? - O padre perguntava.

- Sim - Sesshomaru estava com um sorriso no rosto.

- Você, Kagome Higurashi, deseja casar-se com Sesshomaru Taisho?

- Sim, por favor - Mesmo com o véu, era possível ver o sorriso largo dela.

- Repita depois de mim: Eu, Sesshomaru, recebo a ti, Kagome, como minha legítima esposa... - Assim Sesshomaru pegou a mão dela e a aliança.

- Eu, Sesshomaru, recebo a ti, Kagome, como minha legítima esposa, prometo ser fiel, amar-te e respeitar-te. Na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza, por todos os dias da nossa vida. Até que a morte nos separe - Colocou a aliança no dedo dela - Agora a vez dela de fazer o mesmo.

- Eu, Kagome, recebo a ti, Sesshomaru, como meu legítimo marido, prometo ser fiel, amar-te e respeitar-te. Na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza, por todos os dias da nossa vida. Até que a morte nos separe – Eles sorriam e mais do que nunca estavam felizes.

- Pode beijar a noiva - Deram um leve e demorado selinho.

 

◇ ◇ ◇

O casamento estava sendo lindo, muitos convidados gostaram da comida, das músicas e da decoração. Eles estavam felizes, nunca imaginaram que isso aconteceria, os pais de Kagome finalmente aceitaram que era um casamento de verdade.

- Você está encantador, Sesshy.

- Você deixou todos babando, querida. É uma pena para esses homens, já que você é minha - Beijou a mão dela.

- Fico tão feliz que você tenha lembrado de nossa história.

- Nunca deveria ter esquecido - Segurou um pouco mais forte, ainda se sentia culpado.

- Não fique mal, esse dia é para se alegrar - Deu o seu melhor sorriso.

- Aos noivos - Mikoto, pai de Kagome, levantou a taça.

- Aos noivos - Responderam todos da mesa, levando as taças ao centro.

 

Era a dança dos noivos, eles já tinham praticado aquela dança mais vezes do que imaginavam, por isso era encantador de ver.

- Você sabe dançar muito bem.

- Foi você quem me ensinou.

O estilo de dança deles era anos 80, isso porque foi uma que eles mais se viram fazendo, as músicas que Kagome escutava era basicamente daquela época. Tinha vários rodopios, passos para o lado como se estivesse chutando o ar, houve uma parte em que Sesshomaru dançou sozinho e o que era para ser só um pulo para frente, ele transformou em mortal, Kagome quase correu desesperada até ele. Os dois riram e ela se afastou, pronta para saltar, era o último passo deles. Sesshomaru a levantava, a segurando pelo quadril e ela estável reta, tudo saiu como o planejado, mas Sesshomaru estava bem cansado.

- Sente-se aqui.

- Desde quando tem essa cadeira?

- Espere um pouco, sentado aí, entendeu?

- O que desejar, minha rainha.

Passou um tempo, a pista que não tinha ninguém e não tinha iluminação, ficou claro, enquanto Sango e Midoriko surgiram de forma elegante. No meio apareceu Kagome, todas usavam branco, mas a noiva estava comum vestido cheio de franjas prateadas e as meninas de com a parte de cima prata. A música começou a tocar e dançavam de acordo com a coreografia, a dança era agitada e provocativa, a iluminação ia e vinha conforme a música tocava, passos certeiros e a beleza das três preenchiam o local.

- O que? - Ela pegou na mão dele.

- Vem, vai ser só por um momento - Eles ficaram juntos no meio, fizeram um ou dois passos - Fique aqui.

Elas giraram em torno dele e quando ela o jogou para frente, ia sentar-se, mas foi puxado novamente, assim abrindo a pista para todos os convidados.

- O que achou da minha surpresa? - Estavam juntos, sendo que ela puxava para a mesa.

- Eu sabia que escondia algo.

- Como foi hoje para você? - Assim que sentaram a mesa.

- Cansativo, mas um dos melhores dias da minha vida.

- Um dos? Quais são os outros?

- Só tem mais um, quando te conheci.

- Até parece um bobo apaixonado.

- Você que me deixou assim.

- Mas eu perguntei de verdade, você parece cansado.

- Mas esperado não? Estava nervoso, fiquei cinco dias sem te ver, que costume é esse que seus pais têm?

- É um costume tradicional, meu amor. Mas o que foi, não conseguiu se segurar?

- Todos os dias estava ansioso, quando nos separamos fazia apenas cinco dias que lembrava de nós.

- Eu entendo, queria ficar mais com você também, mas… - Foi abraçada por trás.

- Ka, vem dançar. É um pecado você estar tão linda e não dançar - Era Midoriko.

- Estou indo, quer vir?

- Pode ir, continuarei aqui, depois temos que cortar o bolo, não esqueça - Ela assentiu e foi com a amiga.

- Não imaginei que te veria novamente - Virou de lado e viu seu amigo da época que estava junto de Kagome.

- Miroku, a quanto tempo, como anda?

- Estou dando em cima daquela gatinha - Mostrou com a cabeça - Mas está difícil.

- Sango é complicada, sua história de vida a fez ser assim, mas é só você parar de parecer um cafajeste.

- Você me dizendo isso? - Sesshomaru por um momento gelou, será que ele sabia? - Você foi quem tinha todas aos seus pés.

- Mas apenas uma me importava.

- E eu não sei? Kagome sempre foi uma pessoa difícil e sozinha, mas algo chamou sua atenção.

- Tudo nela chama a atenção, desde seu sorriso a seu corpo. Por isso ela confiou em mim, eu me entreguei para e por ela.

- Você também teve uma história de vida difícil, mesmo assim resolveu se apaixonar.

- Não vou dizer que é mentira, mas o que você tem que entender é que ninguém é substituível e o passado não pode ser esquecido, já que se esquecer o passado, estaria apenas fugindo e o significado de ter vivido desapareceria.

- Poético, irei seguir seu conselho, quer ir comigo? - Ele implorava com os olhos.

- Não queria, mas você implorou. Você quer que eu te ajude?

- Se não for muito incômodo.

 

Kagome estava feliz e cansada, mas sabia que aquele dia seria marcado para o resto de sua vida. Ao cortar o bolo junto de seu amado, sabia que finalmente tudo estava ajeitando. Midoriko estava certa, mais uma vez, sua amiga era única.

- Obrigada - Agradeceu a amiga.

- Pelo o que exatamente?

- Por não me fazer desacreditar, eu sou feliz graças a você.

 

~Mayumi_Knight~

25/06/2020


Notas Finais


> Link de praticamente tudo que foi citado:
https://pin.it/1sjTOFp - anel de noivado
https://pin.it/4k9I16p - Vestido 1 (azul)
https://pin.it/2vBLCkN - Vestido 2 ("capa")
https://pin.it/36n0uLX - Vestido 3 (praia)
https://pin.it/65oBg1R - Vestido 4 (renda)
https://pin.it/3VM0ofw - Vestido 5 (semi-transparente)
https://pin.it/aP6OjxB - Véu 1 (rosto)
https://pin.it/3VVuhLY - Véu 2 (longo simples, rosto)
https://pin.it/1Qmkd8w - Véu 3 (efeito capa)
https://pin.it/38Qofe3 - Véu 4 (simples)
https://pin.it/5wkRKE7 - Véu 5 (longo renda, rosto)
https://pin.it/3G44zcd - alianças
https://youtu.be/gcT-rtTyFYw - Dança dos dois
https://youtu.be/0YcwLvUBUn4 - Dança Kagome
https://pin.it/6xzYwFn - Vestido festa
https://pin.it/5GptXNi - Vestido meninas


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...