História Is my life - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Lendas Urbanas
Personagens Personagens Originais
Visualizações 16
Palavras 1.406
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Lemon, LGBT, Literatura Feminina, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas do Autor


TA PRONTOOOO!!!

Capítulo 6 - Passado dolorido


Fanfic / Fanfiction Is my life - Capítulo 6 - Passado dolorido

Ayu on

Após Jeff entrar no banho, resolvi ir pegar uma toalha limpa para ele ( Sim ele entrou no banheiro sem toalha '-' ) Vou até o escritório e pego uma toalha branca, volto para o corredor ( Para ser mais específica fui para a frente da porta do banheiro ) 

Bati na porta de leve, para minha surpresa ( e desespero ) a porta se abriu, por trás dela estava Jeff sem as roupas, seu corpo pálido estava molhado e seu cabelo estava cheio de espuma de shampoo. Sinto meu rosto esquentar muito rápido, com uma mão tampo meus olhos e a outra jogo a toalha na direção de Jeff, logo após isso corro para dentro do quarto, pego meu celular e me escondo embaixo da coberta

( Monster ) Visão do inferno...

( Ayu ) Nem me fale...

Fiquei debaixo do cobertor por alguns minutos. Ouço passos se aproximando, me encolho mais um pouco contra a parede

( Jeff ) Ei... ainda consegue olhar na minha cara?

Tiro o cobertor de cima de meu rosto e relutantemente viro meu olhar para Jeff que estava de pé ao meu lado ( Já vestido '-' ) seu cabelo ainda estava molhado, uma toalha estava sobre seus ombros, ele estava de braços cruzados, me encarava com olhar frio,  desvio novamente meu olhar para o outro lado do quarto, encarei meu reflexo no espelho do guarda roupa, eu conseguia ver o reflexo da minha situação; Eu sentada na minha cama, encostada contra a parede, coberta só até a metade do corpo pelo meu cobertor azul claro, Jeff em pé ao lado da minha cama, vestindo algumas roupas nas quais eu não usava a um bom tempo, ele estava de costas para o espelho, sendo assim eu apenas conseguia ver seu cabelo molhado que só não encharcava o moletom pois a toalha que estava jogada sobre seus ombros sugava parte da água que escorria de cada fio de cabelo de Jeff, acima de mim eu conseguia ver a silhueta de Monster, ele parecia estar com uma expressão de "Mas que porra!?" sua mão esquerda levada á sua testa mostrava que estava sentindo vergonha alheia, suas correntes que prendiam ele a mim ainda faziam muito barulho, barulho aquele que só eu e Monster podiam ouvir. Solto um breve suspiro e encarei Jeff de volta

( Ayu ) V-você que abriu a porta...

( Jeff ) O que foi? Não gostou do que viu? *riso* 

( Ayu ) Er......

Meu rosto começou a ficar quente quando lembrei da cena de mais cedo, Jeff começou a rir enquanto se sentava ao meu lado 

( Jeff ) Eae, ta vendo o que no celular?

Jeff fala parando de rir e prestando atenção no aparelho que estava em minhas mãos, olho para a tela de meu celular, eu estava vendo algumas fotos minhas antigas, eu havia aberto uma foto no qual mostrava meu pai, minha mãe e eu, estávamos todos sorrindo alegremente. Lágrimas começam a escorrer de meus olhos ao lembrar daquele dia...

Flashback on

Ayu criança on

Hoje completo 4 anos, mamãe e papai me falaram que vamos passear hoje á noite para comemorar meu aniversário, mamãe sugeriu que nós fôssemos ao cinema ver algum filme que está passando. Estou na sala esperando que mamãe e papai terminem de se arrumar, estou vestindo um vestido azul claro, sapatos da mesma cor, meus cabelos estão penteados e soltos com apenas um laço que amarrava uma pequena mecha.
Não demorou muito para que mamãe saísse do banheiro, ela estava linda, usava um vestido florido, seu cabelo totalmente solto e penteado da forma que ela mais gostava, usava saltos não muito altos.
Logo depois papai sai do quarto, ele usava uma camisa social branca, um casaco preto e uma calça jeans.
Mamãe e papai nunca foram de usar roupas tão formais, mesmo em noites especiais como estas.
"Todos prontos?" Foi o que papai disse antes de dar partida no carro, eu e mamãe gritamos animadas "SIM!!!" papai da uma risada leve e liga o carro. 
Já faz um tempinho desde que saímos de casa, as ruas estão escuras, apenas com a luz de alguns postes iluminando, papai está virando a esquina com o carro, mas.... ficamos encurralados, acabamos entrando em uma rua sem continuação, um "beco"... acho que é assim que mamãe chamou, não lembro muito bem. Nesse "beco" alguns homens pareciam estar nos esperando, eles seguravam facas muito grandes e pareciam bem afiadas, suas roupas eram relaxadas e largas, os homens não pareciam ser do bem, principalmente quando começaram a se aproximar do carro, um desses homens foi até a janela do papai que a abriu e calmamente começou a falar:

( Papai ) Pacote entregue, agora quero meu pagamento

O homem mal olhou para a mamãe e depois para mim com um olhar desconfiado e depois falou:

( Homem mal 1 ) Idades?

( Papai) Da mulher é 28 e da criança é 4 

O homem mal sorriu... não um sorriso alegre e bom, um sorriso... malicioso, mamãe disse que se um moço desconhecido sorrisse assim pra mim era pra eu correr o máximo que eu pudesse, olhei assustada para mamãe que ao perceber meu pânico sorriu carinhosamente e sussurrou de forma que apenas eu pudesse ouvir " Corra " 
Soltei meu cinto de segurança, abri a porta do carro e corri o máximo que pude, quando fui atravessar a esquina para voltar para casa... fui erguida no ar pela cintura, olhei para o que me segurava e vi que era.... papai.... o abracei o mais forte possível, achei que ele iria nos salvar mas... ele me levou de volta ao carro, me entregou ao homem mal, papai tirou mamãe do carro e a deixou com outro homem mal, eu apenas consegui sussurrar em meio aos soluços e lágrimas "por que...?"

( Papai ) Agora... onde esta meu pagamento?

Papai perguntou ao homem que ele tinha conversado pela janela do carro, o homem mal entregou uma maleta preta nas mãos de papai que entra no carro e sai dirigindo para longe.

Depois disso minha rotina virou o que mamãe descrevia como "inferno" quando me contava sobre histórias da bíblia e de como aquele lugar era importante para mantes o equilíbrio entre o bem e o mal, mas.... mamãe nunca tinha me dito que pessoas boas como nós iríamos acabar lá também... 
Os homens maus faziam coisas terríveis comigo e.. eu nunca mias vi a mamãe desde que me trancaram naquela sala...
2 anos depois um dos homens me viu chorando e... resolveu me levar de volta ao papai, quando papai me viu na frente da porta de sua casa, seu olhar foi de raiva, não entendi o porquê, só sei que acabei virando algum tipo de empregada daquela casa, eu limpava, lavava, e até tive que aprender a cozinhar, qualquer erro não era aceitado por papai, um exemplo: Quando eu queimava a comida, eram 4 chicoteadas e por assim ia o castigo....

Aquilo foi o começo de tudo...

Flashback off

Ayu on

Quando percebi estava desabando em lágrimas, Jeff me encarava com uma mistura de surpresa com frieza

( Ayu ) D-droga... 

( Jeff ) São... seus pais..?

Me acalmo e respondo:

( Ayu ) Sim...

( Jeff ) Cara, sua reação ao ver a foto dos seus pais foi... melhor do que eu esperava hehe...

Jeff falou de forma assustadora

( Ayu ) Primeiro; Esse demônio aqui da foto, não é meu pai, pelo menos não o considero como tal a muito tempo, e segundo; como assim melhor do que você esperava?

( Jeff ) Caramba teu pai é um demônio? Você tem que me contar tudo sobre ele! 

Jeff ignorou minha pergunta, não liguei muito, contei a ele tudo o que sabia sobre meu pai, no final, Jeff sorriu sarcasticamente e desse em tom irônico:

( Jeff ) Seu pai parece uns "amigos" meus *risada*  

( Ayu ) Apesar de tudo o que ele já fez, não lembro de ele matar ninguém não

( Jeff ) Pois saiba que matar pessoas é um emprego muito digno!

( Ayu ) E vocês ganham por esse "emprego"?

( Jeff ) Claro! Ganha um pouco de diversão!

Jeff falou sorrindo. Ficamos conversando por bastante tempo antes de irmos dormir, eu no colchão "assombrado" e Jeff na minha cama. Demorei para dormir pois Monster não parava de tentar responder agressivamente ás piadinhas de Jeff.

///CONTINUA///


Notas Finais


TA PRONTOOOO

Eae povo, o que vocês tão achando dessa história? Espero que estejam gostando.
Maaaasss.... Uns avisos:

1- NÃO ME CULPEM SE EU DESCREVER MAL AS ATITUDES DE JEFF NUNCA CONVIVI COM UM PSICOPATA!!!

2- ESTOU DE FÉRIASSSS!!! Isso significa que vou ter mais tempo para poder postar em TODAS as minhas fanfics!!!

3- Para as shippadoras de plantão: Sim teremos casais ( Sim no plural porque vou colocar mais personagens na série )

Assinado: Coelha Nerd


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...