1. Spirit Fanfics >
  2. Is This It >
  3. Last Nite

História Is This It - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Last Nite


Fanfic / Fanfiction Is This It - Capítulo 2 - Last Nite

— Ela vai se casar! – Alex reclamou irritado.

— Você não deveria estar trabalhando? – Matt perguntou confuso.

— Com aquele idiota do John Evans!

— Existem muitas pessoas que estão em perigo nesse exato momento aqui em Nova Iorque. – Matt falava.

Alex estava no escritório de Matthew, sentado de frente para ele.

— Eu ainda não estou acreditando nisso. – Alex falava passando as mãos pelo cabelo, nervoso.

— Olha, Alex, sabíamos que uma hora ou outra isso iria acontecer e isso é culpa sua também. – Deu de ombros e voltou a mexer nos papéis em sua mesa.

— Culpa minha? – Alex perguntou indignado e depois parou para pensar. – Tá, talvez eu tenha um pouco de culpa.

— Um pouco não! A culpa é toda sua, se a Natalie sonhar em ouvir você dizendo uma coisa dessas... – Turner o interrompeu.

— A Natalie não sabe de nada, ela só defende porque as duas são amigas.

— Não deixe ela te ouvir dizer isso. – Matt riu. – Bom, o que você tem que fazer agora é aceitar.

— Aceitar o quê?

— Que a Joana vai se casar.

— Mas nem por um caralho. – Disse irritado. – Eu preciso dar um jeito nisso. – Ficou pensativo.

— O que você quer fazer? Impedir o casamento? – Perguntou rindo, achando a ideia absurda.

— Boa ideia, Matt! – Alex disse sorrindo e o amigo o encarou surpreso.

— Não, não é uma boa ideia, Alex.

— Relaxa, eu não vou entrar no meio da cerimonia dizendo que tenho algo contra, mesmo que eu tenha.

— Então o que vai fazer?

— Vou descobrir algo sobre esse tal John, algo que possa me ajudar a fazer Joana desistir dessa ideia maluca. — Pensou. – Já até sei quem pode me ajudar.

— Quem? – Perguntou curioso.

ALGUMAS HORAS DEPOIS

Alex estava no carro encarando Enzo que estava ao seu lado, brincando com o boneco do Homem-Aranha. O garoto estava focado em seu brinquedo, mas percebeu que seu pai não parava de olha-lo e estranhou.

— Eu fiz alguma coisa? – O garoto perguntou.

— Não.

— Então por que você está olhando pra mim? – Perguntou confuso.

— Não é nada. – Alex disse ligando o carro e começou a dirigir.

Turner dirigia em silêncio, indo em direção ao seu apartamento, até que parou no sinal vermelho.

— Então... – Começou como quem não queria nada. – Sua mãe vai se casar, não é?

— Sim. – Disse ainda brincando com o boneco. – Ela te deu o convite? Eu falei para ela te convidar.

— Deu sim.

— E você vai, né? – Encarou o pai.

— Vou. Mas me fala... Ela gosta mesmo desse casa?

— Eu acho que gosta. – Voltou a atenção ao boneco.

— E ele gosta dela?

— Eu não sei.

— Mas você não sabe de nada também, hein. – Reclamou e voltou a dirigir quando o sinal abriu.

— Pai, eu sou uma criança. – Enzo disse como se fosse obvio, encarando Alex.

O mais velho suspirou, percebendo que estava exigindo demais de uma criança de apenas seis anos de idade. Enzo era um garoto muito inteligente, mas ainda sim era só uma criança, ele não fica prestando atenção no que os adultos estão fazendo ou deixam de fazer.

— Desculpa, filho. – Alex falou por fim.

— Você está com ciúmes da mamãe? – Enzo perguntou o encarando.

— Eu? Não.

— Está sim. – Riu do pai.

— Não estou!

— Está sim. – Cantarolou.

— Eu só quero saber se ele está cuidando bem da sua mãe.

— Isso se chama ciúmes.

— Esquece, moleque. – Revirou os olhos.

— Pai, o tio John é um cara muito legal, ele que me deu esse boneco do Homem-Aranha, me deu um Skate, um patins... – Alex o interrompeu.

— Quem te deu o patins foi eu.

— Ele me deu um mais bonito.

— Oh moleque, se você continuar com isso eu vou tomar essa droga de boneco, hein! – Alex falou.

— Não! – Enzo disse abraçando o boneco e fechou a cara para o pai.

— Então para com isso.

— Eu vou contar para a mamãe!

— Você não vai contar nada para a sua mãe, o que conversamos aqui, vai ficar aqui!

— Bom... – O garoto ficou pensativo e sorriu. – Só se eu puder comer o que eu quiser hoje no jantar.

— Feito.

— Legal! – Comemorou.

COM JOANA

Ela estava no apartamento de Natalie, conversando com a loira, quanto bebia café.

— Como o Alex reagiu ao saber que você iria se casar? – Ela perguntou curiosa.

— Bom... – Suspirou. – Normal. Eu pensei que ele fosse surtar, ou algo parecido. – Sorriu triste. – Mas parece que ele nem se importou.

— E não era isso que você queria? Que o Alex não ficasse mal com seu casamento?

— Era... – Encarou o nada, pensativa. – Era sim.

Flashback-on

Joana estava deitada no sofá da sala, lendo um livro, sua barriga de oito meses estava enorme e Alex não a deixava fazer nada por causa disso.

Alex apareceu e se deitou encima das pernas dela, chamando a atenção da garota, a fazendo deixar o livro de lado.

— Ele se mexeu hoje? – O moreno perguntou curioso.

— Um pouquinho. – Sorriu alisando a barriga. – Ele está mais calmo hoje.

— Olha o que eu trouxe. – Ele disse mostrando um pequeno carrinho de brinquedo.

— Onde achou isso?

— Estava no meio das minhas coisas. – Deu de ombros e levantou a blusa dela.

A garota sorriu ao sentir ele passando o carrinho pela barriga dela.

— Isso faz cocegas. – Ria.

Alex continuou passando de propósito, só para continuar arrancando risos da garota.

Flashback-off

— Oi, amor. – Matt disse entrando no apartamento e Joana despertou.

— Oi, querido. – Natalie falou sorrindo. – Como foi no trabalho hoje?

— Foi normal, o Alex... – Matt parou de falar assim que percebeu a presença da morena ali. – Oi, Joana. – Sorriu sem graça.

— Oi, Matt. – Sorriu para o amigo. – O que tem o Alex?

— Nada demais, ele foi ao escritório hoje. Mas, então... O que vamos fazer hoje? – Mudou de assunto.

Natalie e Matt começou a conversar e Joana voltou a viajar em seus pensamentos.

COM ALEX

— Sua mãe vai me matar por isso. – Alex falou terminando de limpar a mesa da cozinha de seu apartamento.

Os dois haviam acabado de se empanturrar com batatas fritas, refrigerante, pizza e sorvete como sobremesa.

— Não se ela não saber. – Enzo disse rindo.

— Por favor, não diga que você aprendeu essas coisas comigo. – Falou encarando o filho.

— Eu aprendi sim, mas não vou dizer pra ninguém. – Disse e Alex riu, balançando a cabeça negativamente.

— Vai lá escovar seus dentes para ir dormir.

— Tá bom.

Enzo saiu dali e Alex foi se sentar na sala. Olhando para aquele local, ele se lembrou do dia em que pediu desculpas a Joana pelas coisas horríveis que havia dito a ela.

Flashback-on

Alex escutou leves batidas em sua porta e foi atender. Ele encontrou Joana com uma expressão séria em seu rosto, ela não estava nada contente por estar ali.

— Pronto! Eu estou aqui como você queria. Agora fala logo o que quer para eu poder ir embora. – Disse de uma vez.

Alex deu espaço para que ela entrasse em seu apartamento. A garota estranhou ao entrar e encontrar o local apenas iluminado por velas e haviam flores espalhadas em alguns cantos. Ela se virou e o encarou com a sobrancelha erguida.

— Eu sei que você não gosta de flores e nada que seja romântico, porque isso te dá náuseas. – Ele riu ao se lembrar das várias vezes que ela havia dito aquilo. – Mas eu não sabia o que fazer para você me perdoar.

— Então você perdeu todo o seu tempo acendendo velas e gastou dinheiro com flores caras para me pedir desculpas? – Alex afirmou. – Depois de todos esses anos, eu acho que você ainda não me conhece.

— Sim, eu te conheço bem o bastante para saber que você não gosta disso e você me conhece bem o bastante para saber que eu sou capaz de fazer qualquer merda para você me perdoar. – Ela ficou calada, pois era verdade. – Eu só quero o seu bem, eu quero ficar bem com você, não só porque eu gosto de você, mas também por causa do Enzo.

A garota ficou um tempo pensativa e suspirou derrotada.

— Tudo bem, Alex, você me convenceu. – Ele sorriu. – Eu perdoo você.

Alex continuou com um sorriso e por impulso a beijou. A morena até iria recusar, mas acabou cedendo, pois a saudade que ela tinha dele era muita.

Por um seguindo, eles pararam o beijo, se livraram dos sapatos e de algumas pessoas de roupa e caíram no sofá. Ele ficando por cima dela, a beijando e deslizando a mão por todo o seu corpo. Descendo os beijos pelo pescoço, até chegar em seus seios que estavam cobertos pelo sutiã.

Ela se livrou daquela peça, a jogando para longe e Alex sorriu com aquilo. Ele continuou descendo os beijos, até chegar em sua intimidade, onde ele tirou a calcinha dela e depositou um beijo.

— Alex... – Ela tentou falar, mas ele a interrompeu.

— Não diz nada. – Ele falou.

O moreno sabia que se os dois parassem para pensar sobre o que estavam fazendo, eles não iriam fazer nada e não era isso que ele queria, o que Alex queria era tê-la pelo menos mais uma vez.

A garota não disse mais nada e Alex subiu por cima dela para beijá-la novamente, ele ficou entre as penas dela, encaixou seu pau na intimidade dela e a penetrou, arrancando alguns gemidos da morena.

Ela mordia o lábio, tentando não gemer quando Alex começou a aumentar a velocidade das estocadas. Enquanto isso, Alex dava mordidas de leve em seu pescoço e alguns beijos em seguida.

Joana cravou as unhas nas costas dele, ao sentir que estava perto de gozar. Assim que ele sentiu o liquido dela, Alex saiu de dentro da morena e inverteu as posições, a deixando ficar por cima.

Ela foi diretamente ao pau dele e começou a chupá-lo com gosto, enquanto ele a ajudava com os movimentos, a agarrando pelos cabelos até gozar na boca dela. Ele sorriu ao ver que ela engoliu tudo.

Joana subiu por cima de Alex e deu um selinho demorado nele.

— Eu te amo. – Ele sussurrou entre o beijo.

— Eu também te amo.

[...]

No dia seguinte, Alex acordou e Joana não estava mais ali. Ela havia ido embora bem cedo e desde então, nenhum dos dois tocaram no assunto daquela noite.

Flashback-off

Alex sentia muita falta dela, do seu sorriso, das suas piadas sem graças, brincadeiras idiotas. Ele sentia falta daquela garota que ele conheceu na faculdade, que o ajudou a enfrentar todos os seus problemas, principalmente quando disse ao seu pai que não iria seguir seus passos.

Ele só queria ter a sua garota de volta.

— Eu preciso impedir esse casamento. – Comentou consigo mesmo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...