1. Spirit Fanfics >
  2. Isekai em Konoha >
  3. Sedenta

História Isekai em Konoha - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Boa noite, gente! Escrevi mais um capítulo!

Capítulo 2 - Sedenta


Acordo com batidas na porta. Sento na cama e demoro a lembrar porque meu quarto está diferente. Agora moro em uma kitnet muito semelhante à de Naruto. Mas a minha tem uma cama maior e magnólias na mesa. Mais batidas na porta. Levanto e vou até a porta para abri-la e dar de cara com Ino, que abre sua boca em um O ao me olhar de cima a baixo. Talvez eu devesse ter comprado um pijama, eu vestia apenas uma camiseta e minha roupa íntima.

     — Bom dia para você também. — falei para quebrar o gelo. 

    — Eu vim te buscar para irmos ao Churras-KO, — ela fez uma pausa. — Mas vejo que você não está pronta. — apontou para minha roupa de dormir.

— Entra, já vou me arrumar para irmos almoçar. — dei as costas e fui em direção ao meu armário para pegar a roupa que compramos ontem, já tirando a blusa. Escuto a porta se fechar e vejo Ino sentando-se na cadeira à mesa. — Quer alguma coisa? Café, chá, água… Ino, meus olhos estão aqui em cima.

    Seu rosto começa a enrubescer e ela parece ficar desconfortável, fala rápido:

    — Uma água, por favor. — ela olha para baixo. — As magnólias ficaram lindas aqui, mas se você tivesse me dito que aqui pegava tanto sol, teria sugerido girassóis.

    Como se eu soubesse que aqui pegava tanto sol.

    — Da próxima vez eu compro girassóis então. — falei em um som monótono. — Aqui. — alcancei um copo d’água para ela. Que voltou a olhar meu busto. Dessa vez ignorei e voltei a me vestir. Foi mais fácil vestir a blusa, agora que eu sabia como abri-la. Observei o espelho. Eu me pareço o avatar que criei para o jogo que eu jogava antes de vir para cá. Será que possuo os mesmos jutsus então? — Vamos?

    — Vamos!  — ela se levantou e saímos do meu apartamento. — Só preciso te avisar algo antes de almoçarmos com os meninos...

    A fitei incentivando-a a continuar.

    — Não mencione que o Chouji é gordo. — ah, claro. 

    — Ok. — assenti rindo.

    Chegamos ao Churras-KO e Shikamaru e Chouji já nos esperavam em uma mesa quadrada. Sentei ao lado de Chouji, em frente ao Shikamaru e Ino se sentou ao lado de Shikamaru, de frente para Chouji.

    — Meninos, essa é a Sayuri! — ela disse já pegando um pedaço de carne com seus hashis.

    — Prazer. — eu disse, observando-os. Chouji sorriu com os olhos fechados, mas Shikamaru manteve a cara de tédio.

    — Prazer em conhecê-la. — eles disseram juntos.

    Imitei Ino e me servi um pedaço de carne.

    — O Kiba me disse que você vai entrar no time 7. — Shikamaru começou.

    —  Então andou fofocando com o Kiba sobre mim? —  brinquei. Ele olhou pro lado, mantendo sua cara de tédio.

    —  Ele que veio comentar. —  deu de ombros.

    —  Vamos ver se consigo substituir o Sasuke. —  falei pegando mais um pedaço de carne. —  A Ino parece não ver diferença. —  brinquei, dessa vez Shikamaru riu.

    Ino começou a tossir e se apressou em tomar um copo d’água.

    —  Hoje ela está sedenta. —  provoquei. Chouji riu e Shikamaru sorriu de lado.

    —  Você já tinha vindo aqui no Churras-KO? —  perguntou Chouji, pegando vários pedaços de carne.

    —  Não. —  admiti, era bom não precisar mentir, pelo menos uma vez no dia. —  Mas é muito melhor que eu esperava.

    — O Asuma-sensei nos apresentou esse lugar, nós vínhamos sempre depois das missões. Agora viemos até antes delas. —  Ino começou a tagarelar.

    —  Aposto que vou frequentar mais o Ichiraku. —  falei. —  Já que o time do Kakashi come mais por lá.

    Shikamaru levantou uma sobrancelha. O que eu fiz de errado? Talvez eu devesse ter chamado Kakashi de sensei? 

    —  Digo, Kakashi-sensei. —  me corrigi. Shikamaru continuou com seu olhar mais atento.

    —  Sim, eles preferem ramen. —  disse Chouji ainda enchendo sua boca de carne. —  Na verdade, é o prato favorito do Naruto.

    Quando vejo que sobra apenas mais um pedaço de carne à mesa, vejo minha oportunidade de ganhar pontos de amizade com o trio Ino-Shika-Cho. Pego o pedaço com meus hashis e vejo Ino e Shikamaru arregalarem seus olhos, Chouji ainda comia e não percebeu. Então, coloquei em seu prato o último pedaço.

    —  Obrigado. —  disse ele levantando o olhar ao ver meu gesto.

    —  De nada, você parece gostar muito da carne daqui.

    —  Eu amo a carne daqui! —  ele sorriu pegando o último pedaço que coloquei em seu prato.

    Ino se levantou e puxou minha mão.

    —  Sayuri e eu vamos fazer coisas de meninas. Os cavalheiros pagam. —  e me puxou para fora do restaurante. 

    —  Obrigada, meninos! —  gritei enquanto era puxada. —  A gente poderia ter dividido… —  falei para ela, agora fora do restaurante. —  Mas me diga, que coisas de meninas vamos fazer? 

    —  Lembra a ideia que você me deu ontem? —  ela chegou mais perto para falar no meu ouvido.

    —  Usar seu jutsu para juntar casais? —  perguntei, agora animada.

    —  Exatamente! —  ela respondeu, ainda falando no meu ouvido. —  Que tal usarmos no Chouji e no Shikamaru, ali dentro? —  apontou com o polegar para o restaurante que saímos, já do outro lado da rua.

    Não era o casal que eu tinha em mente, mas por que não? Eles não brigariam com Ino por isso, são amigos dela. E não quero causar problemas à minha nova amiga.

    — Tem certeza? — perguntei. 

    — Vai ser muito engraçado e vamos poder zoá-los disso por muito tempo.

    — Tudo bem, me diga o que fazer. — aceitei.

    —  Ok, eu vou precisar que você segure meu corpo… —  fui estender a mão até seus ombros, a fim de segurá-la, mas meu corpo não me obedeceu. Minhas mãos formaram um selo em frente ao meu peito e, por mais que eu as tentasse levar a Ino, elas ficavam paradas. Ouvimos uma gargalhada. Era de Chouji, que apareceu pela porta. Logo ao seu lado, veio Shikamaru caminhando, e eu caminhei em sua direção sem controlar meu corpo.

    —  O Shikamaru sempre está um passo a frente, Ino. —  Chouji continuava a rir. Shikamaru continuou caminhando em minha direção e nossa distância diminuía com o dobro da velocidade. Ele parou a uma distância minúscula de mim e sussurrou próximo ao meu ouvido::

    —  Eu não sou gay. —  ele soltou o jutsu e dei um passo para trás. —  Ino, por que você achou que eu não notaria que você aprontaria algo hoje? Você estava muito nervosa perto do seu próprio time e uma amiga. —  ele falou mais alto. Ela se deu por vencida.

    —  Estraga prazeres. —  ela deu de ombros. —  Era só uma brincadeira.

    Ele olhou em meus olhos antes de desviar o olhar e passar por mim, para olhar Ino.

    —  Não foi dessa vez que vocês nos pegaram. Mas fiquem atentas, —  ele se virou para olhar para mim antes de voltar a olhar para Ino. —  da próxima vez, Chouji e eu pregaremos uma peça em vocês.

    —  Que vença o melhor. —  passei por ele, jogando meu rabo de cavalo em seu rosto antes de me juntar a Ino. —  Venha, Ino. Vamos planejar nossa próxima jogada.

    Chouji já havia ido para o lado de Shikamaru, sorri para eles, antes de encaixar meu braço no de Ino e puxá-la dali:

    —  Boa sorte, meninos. —  pisquei para eles. —  Vocês devem precisar. —  provoquei. Ino riu e me acompanhou para sairmos dali.

    —  O que acha que eles vão tentar? —  ela me perguntou, sem tirar seu braço do meu, quando já estávamos mais afastadas.

    — Você que deve saber. —  comentei. —  Conhece eles há mais tempo.

    —  Eles devem usar o jutsu do Shikamaru para nos fazer passar vergonha. —  ela parecia preocupada. —  Não imagino como poderiam usar o jutsu do Chouji nisso.

    —  Então vamos prestar atenção ao Shikamaru. —  decidi. —  Mas talvez usem o Chouji para nos distrair….

    — Não saia do meu lado. —  ela sugeriu. —  Por que se usarem o Chouji como distração, a outra deve estar atenta aos arredores, caso o Shikamaru se aproxime. 

    —  E devemos cuidar nossas sombras. —  acrescentei. —  Vamos para algum lugar sem sol.

    — Vamos para a minha casa. —  ela disse. A segui, pois não conhecia o caminho.

 

    Chegando na sua casa, entramos e tiramos os calçados. Ela me guiou até seu quarto e gritou do corredor:

    —  Mãe, estou com uma amiga!

    Fui me sentando em sua cama e cruzando as pernas.

    —  Precisamos pensar em um contra-ataque, para o momento que notarmos que Shikamaru vai usar seu jutsu em uma de nós.

    Ela sentou-se na cadeira que estava à escrivaninha.

    —  Você é muito estratégica! Parece até o Shikamaru se ele fosse menina. —  ela fez uma pausa. —  Só na estratégia, é claro.

    —  “Que saco”. —  imitei e Ino começou a rir.

    —  Ok, como podemos contra-atacar?

    Pensei sobre que jutsus eu havia equipado meu personagem…

    —  Eu quero testar um jutsu,  Ino. —  falei, ela assentiu. —  Fique parada.

    Ela se ajeitou melhor na cadeira e me observou. Fiz um selo em frente ao meu corpo.

    — Banshō Ten'in. — tudo aconteceu muito rápido, Ino foi puxada da cadeira e atraída pelo jutsu de Pain que eu havia dado ao meu avatar no videogame, veio parar em meu colo. Com o impacto, acabei deitando em sua cama, ela ficando por cima de mim. — Desculpe, foi mais forte que eu esperava. — ri. Ino riu também, senti sua risada em meu rosto, devido a nossa proximidade instantânea. — É a minha primeira vez usando esse jutsu. — admiti. Ino olhava fixamente em meus olhos. Eu teria mantido o contato visual, mas meus olhos vacilaram para sua boca. Quando voltei a olhar seus olhos, os mesmos haviam se fechado, Ino se aproximava.

    — Ino, querida. — ouvi a porta do quarto abrindo e Ino rolou na cama, saindo de cima de mim, para meu lado. Sentei-me na cama o mais rápido que pude. A mãe de Ino entrou no quarto segurando uma bandeja. — Eu trouxe biscoitos para você e sua amiga. Olá, querida! Estou tão feliz que Ino trouxe uma amiga. Desde pequena, ela só anda com meninos… Adoro o Shikamaru e o Chouji, mas ela precisa de presenças femininas na sua vida, antes que comece a agir como um menino. Ino, seu pai e eu já estávamos achando que você era—

    — Mãe!! — Ino chamou sua atenção.

    

    — Olá, sra. Yamanaka! Eu sou a Sayuri, prazer.

    — Prazer, querida. Vai ser ótimo para a Ino ter uma amiga tão educada como você. 

    Sorri para a mãe de Ino, que largou a bandeja e saiu também sorrindo.

    — Seus pais achavam que você era o quê? — perguntei sorrindo debochadamente. Ela me jogou seu travesseiro.

    — Prove os biscoitos. — ela mandou. Se sentando melhor na cama.

    — Bem que sua mãe falou. — brinquei. — Vai ser ótimo para você ter uma amiga tão educada quanto eu. Você poderia ter dito “por favor, prove um biscoito”. — ela me jogou outro travesseiro. — Vou provar, fique tranquila.

    Levantei-me da cama e peguei um biscoito. Ergui a bandeja para ela, que ainda estava na cama, para que ela pegasse um também. Ela pegou e ergueu o olhar:

    — Obrigada.

    — Já aprendeu uma das palavras mágicas. — debochei. Ela colocou a língua para mim. — Acabaram os travesseiros? — desafiei, largando a bandeja de volta à escrivaninha.

    Ino se esticou na cama para alcançar um dos travesseiros que havia me jogado anteriormente, mas fui mais rápida. Usei meu jutsu de atração universal e o travesseiro voou até minha mão. Joguei nela antes que ela entendesse o que havia acontecido.

    — Isso é injusto! — ela reclamou, largando na cama o travesseiro que joguei nela.

    — Vamos voltar ao que estávamos fazendo? — perguntei, me sentando novamente em sua cama. Vi Ino ficar com o rosto vermelho e balbuciar, tentando começar alguma frase. — A estratégia do contra-ataque. — expliquei, e vi ela ficar envergonhada.

    — Sim, claro! O contra-ataque. É o que eu estava pensando.

    — Com certeza era. — concordei ironicamente. Dessa vez, ela foi mais rápida e o travesseiro atingiu meu rosto rapidamente.

    — O contra-ataque. — ela começou. — Poderia ser feito colocando o Chouji em posição de perigo. Assim o Shikamaru vai abandonar o ataque para salvar o amigo.

    — Ele acreditaria que você atacaria um companheiro de time? — ergui uma sobrancelha, duvidando.

    — Ele teria dúvidas se fosse você. Ele não conhece seus jutsus para bolar uma estratégia, por enquanto ele deve estar se baseando no meu, apenas.

    — Adoraria saber o que eles estão tramando… — pensei alto.

    — Eu tenho certeza o Shikamaru deve estar jogando shogi na varanda da casa dele. Nos imaginando como peças e procurando uma estratégia.

    — Vamos esperar para o contra-ataque então.

    — Que agonia, não saber quando vai acontecer. — ela reclamou, sua voz atingindo um tom mais manhoso que o usual.

    — Vou para casa. — anunciei. — Amanhã nos encontramos para almoçar de novo?

    — Combinado! — ela disse.

    Ino me levou até a porta, onde me deu um abraço de despedida. Calcei meus calçados e segui o caminho para minha casa.

    Aproximadamente na metade do caminho, escuto passos rápidos e abafados atrás de mim. Eles se aproximam com uma velocidade sobre-humana. Me viro rápido, ao sentir a presença atrás de mim. 

    Era Akamaru, ele parou e sentou sobre suas patas, virando o rosto para trás e latindo. Kiba veio correndo logo atrás.

    — Sayuri! Oi, que surpresa. — ele coçou a parte de trás de sua cabeça.

    — Surpresa? — duvidei. — Me pareceu que o Akamaru estava me farejando.

    Comecei a fazer carinho na cabeça de Akamaru, enquanto Kiba parecia reorganizar seus pensamentos.

    — Era mais um treinamento… — ele disse. — Se ele conseguia seguir alguém que ele só viu uma vez, sentindo o cheiro um dia antes…

    — Com certeza. — falei ironicamente.  — Por que estava me procurando? — perguntei. Agora Akamaru lambia minha mão.

    — É que você agora vai fazer parte de um dos times do nosso ano, então achei que talvez a gente devesse se conhecer melhor, sabe? Caso a gente vá em missões juntos, a gente precisa se conhecer… — ele colocou as mãos nos bolsos de sua jaqueta de couro.

    — Cor favorita? — perguntei.

    — O quê? — ele perguntou sem me responder.

    — Estou tentando te conhecer. Qual sua cor favorita?

    — Ah, fácil. Vermelho. 

    — Por isso o nome do Akamaru. — constatei. “Aka” significa “vermelho”.

    — Exatamente! Minha vez de fazer pergunta?

    — Pode fazer. — respondi.

    — Por que almoçou com o Shikamaru hoje? — fiquei desajeitada com a pergunta. Era assim que ele via? Eu almocei com o trio todo, mas aparentemente, ele só via o Shikamaru.

    — Eu soube que vocês andaram falando sobre mim. — respondi. — Você já falou para ele que vou entrar no time 7.

    Ele ficou envergonhado, mas logo já falou:

    — Você não respondeu minha pergunta.

    — Porque a Ino me convidou. — respondi. — Almocei com ela, com Chouji e com, como você disse, o Shikamaru.

    — Ah… Faz mais sentido agora. — ele coçou o braço sem jeito.

    — O que faz sentido? — perguntei curiosa.

    — Ele disse que vocês dois almoçaram juntos, mas omitiu os outros dois. Ele disse que vocês já tem até uma piada interna. — ri dessa parte.

    — Ah, pois é. — respondi sorrindo. — Pode-se dizer que temos.

    Ele pareceu ficar curioso, mas não se atreveu a perguntar.

    — É sua vez de perguntar. — ele incentivou.

    — Ficou com ciúmes do Shikamaru? — perguntei diretamente. Primeiro ele pareceu ficar bravo, depois buscou as palavras.

    — Você é a garota nova, todo mundo quer te conhecer…

    — Você não respondeu minha pergunta. — repeti sua frase.

    — Eu vou pensar na resposta. E te respondo na próxima vez que nos vermos. Vamos, Akamaru? — Akamaru fez um rápido barulho triste, por ter que parar de interagir comigo. — Ele gostou de você. 

    — Me pergunto se ele foi o único. — provoquei. Saí antes que ele pudesse responder, seguindo o caminho para minha casa.

 

    Chegando na porta do meu apartamento, paro para pegar a chave, procuro em meus bolsos até finalmente encontrá-la no bolso do short. Antes de encaixá-la na fechadura, meu corpo trava e não consigo prosseguir o que estava fazendo.

    Com muito esforço consigo juntar minha força para virar o pescoço e ver Shikamaru escondido, agora caminhando até mim.

    — “Que vença o melhor?” — ele perguntou quando chegou na minha frente.


Notas Finais


Desculpem, ficou mais curto que o anterior, mas acho que teve mais "ação", já que vimos alguns jutsus sendo utilizados. E aí, o que acharam?
De quem vocês mais gostam até agora?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...