História Isekai tales: Um adolescente necromancer pra lá de folgado - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Amadurecimento, Autodescoberta, Aventura, Comedia, Criativo, Isekai, Magia, Monstros, Necromancer, Outro_mundo
Visualizações 42
Palavras 1.177
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Survival, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 11 - Rebelião


Narrador: O julgamento se inicia, qual será a sua conclusão

Juiz: O aventureiro é acusado por de forma errônea tentar espionar nossa princesa e suas companheiras em um momento particular, ele estava numa estrada particular na qual ninguém deveria estar, como o réu se declara

Hero: Ahn... inocente, ninguém me falou que aquela estrada era particular

Juiz: Negado

Hero: Como assim?

Juiz: Silêncio, agora vamos ouvir as palavras do rei

Rei: Eu nunca em todos os meus anos de poder vi uma atitude tão baixa e desonrosa, minha filha e todas as suas amigas se sentem muito prejudicadas, isso não foi um mero ataque a princesa foi um ataque a todo o reino, eu exijo que o preso seja executado imediatamente como um exemplo para todos aqueles que se quer pensarem em de alguma forma prejudicar o reino

Hero: Ta de sacanagem né

Juiz: Silêncio, eu aqui agora o sentencio a pena de morte

Hero: Espera um pouco, ai já é de mais, nem me deixaram falar que droga de julgamento foi esse

Rei: Cale-se seu tolo infeliz a decisão já foi tomada, você não viverá para ver outro dia, guardas

Narrador: Hero é levado pra uma guilhotina onde amarram suas mãos e prendem sua cabeça, todos os cidadãos da cidade o observam, Hero nervoso observa discretamente que uma das pessoas olhando na plateia é Johnny e ele está segurando o seu bastão, ele se aproxima discretamente e conversão sussurrando

Hero: O que você ta fazendo aqui?

Johnny: Vim visitar a cidade e me contaram o que aconteceu, eu fui escondido até a prisão e peguei seu cajado, agora é só arrumar uma distração que quando ninguém estiver prestando atenção eu te solto e a gente foge

Hero: Entendi, valeu cara vou ficar te devendo

Johnny: Que isso pensa que depois disso vamos estar quites

Narrador: Chegou o momento

Guarda: Antes de o matarmos pode dizer suas últimas palavras por favor

Hero: Mas é claro obrigado, agora, MAS QUE PORRA QUE TA ACONTECENDO AQUI? Isso não pode ta acontecendo, é eu to falando com todos vocês já repararam na injustiça do tribunal, eu mal tive chance de explicar e já fazem isso comigo e se fossem vocês, vão aceitar calados enquanto o rei tirano aproveita do bom e do melhor e faz seu povo sofrer dessa maneira

Narrador: A multidão começa a ouvir e concordar com Hero

Hero: O rei não tem poder nenhum somos nós que damos força a ele então porque nós não podemos escolher quem queremos que governe

Cara na multidão: O que ele fala tem lógica

Outra cara na multidão: É verdade ele tem razão

Hero: Agora eu digo vocês tem duas opções me ver morrer e continuar aturando as injustiças até um de vocês estarem no meu lugar ou se rebelar e fazer uma revolução nesse reino de merda, quem tá comigo!

Multidão: ISSO AÍ!

Guarda: Seu sujeito impertinente já causou muita confusão, Morra!

Narrador: O guarda puxa a alavanca da guilhotina e Johnny arremessa o cajado para Hero que com uma de suas mãos presa no último segundo bate o cajado no chão e convoca Noar que com sua espada detém a guilhotina e com um movimento rápido liberta Hero

Guarda: Seu maldito!

Hero: Acaba com ele Noar

Noar: Pode deixar chefe

Narrador: Noar com um chute desarma o guarda e com um soco o desmaia

Hero: É não se fazem mais guardas como antigamente

Narrador: Vários guardas notam o ocorrido e vão ao ataque de Hero, como uma contramedida Hero faz um discurso

Hero: Meus irmãos que hoje seja o dia em que lutamos por nossa liberdade, igualdade e fraternidade, vamos atacar juntos e acabar de uma vez por todas com a tirania

Narrador: A multidão vai pra cima dos guardas aos montes, os guardas mesmo armados não tem chance contra o grande número de pessoas

Johnny: O que foi que você fez?

Hero: Eu te digo consegui escapar e ainda iniciei uma revolução contra a monarquia, eu peguei emprestado algumas ideias da revolução francesa, mas no geral fui eu

Johnny: Não entendi direito, mas é melhor darmos o fora tem mais guardas vindo ai

Narrador: Os dois recuperam a carroça e as coisas de Hero que estavam sendo guardadas em um prédio próximo ao tribunal, com toda a confusão acontecendo eles não tiveram muitos problemas com isso, ao irem embora veem várias pessoas invadindo e destruindo casas próximas ao castelo do rei

Hero: é eu acho que dei uma exagerada dessa vez

Narrador: Johnny responde sarcasticamente

Johnny: Você acha?

Hero: Nem ligo eles iam me matar por uma razão idiota mesmo, que morram de uma vez

Johnny: Ei espera um pouco ai você já ta exagerando, ta certo que o julgamento não foi muito justo, mas querer que eles morram e sofram ai já é demais

Hero: Você tem que parar de ser tão certinho é por isso que todo mundo tira sarro de você

Johnny: Quando foi que ser legal e sentir pena das pessoas começou a ser uma coisa ruim

Narrador: Quando Johnny pronuncia essas palavras Hero tem um flashback sobre seu passado e dos motivos que levou ele a não gostar de seu nome

Hero: Eu.. eu... não quero mais falar disso vamos embora desse reino logo, nem importa discutir agora é com o povo e com o rei seja lá o que decidam

Narrador: Conforme os dois vão embora a confusão continua e o povo acaba instalando um golpe e tomando o poder da família real, através de um sindicato formado por moradores eles decidem tirar o poder do rei e o transformam num mero nobre, o rei irritado com o acontecido em seus aposentos manda chamarem uma assassina

Ex rei: Agradeço por vir tão depressa, eu não teria pedido isso em condições normais, mas isso realmente é uma emergência

???: Não se preocupe tava com um tempo livre na minha agenda e quis passar pra dizer um oi, mas agora me conta tudo incluindo os detalhes

Ex rei: Um desconhecido causou a maior confusão, ele conseguiu se libertar de sua execução e fugir e ainda incitou uma rebelião, no momento eu não sou mais o rei para assegurar que as coisas voltem a ser como antes e eu possa recuperar a coroa preciso da cabeça daquele que iniciou isso tudo, dinheiro não vai ser problema muitos nobres estão de acordo com a ideia

???: Interessante, tudo bem eu topo, tem alguma forma de eu identificar ele

Ex rei: Um mago conseguiu fazer uma foto mágica dele é esse aqui

Narrador: O ex rei entrega a foto pra estranha mulher encapuzada que observa com um sorriso maligno

???: Então é você minha próxima presa, espero que seja mais divertido que os outros, eu já vou indo

Ex rei: Melhor tomar cuidado pelo que fui informado ele é um necromancer, mas não um comum possui um cajado poderoso e com muitas habilidades

???: Não se preocupe com isso, eu a ladina Penélope Vondeath sempre pego as minhas presas

Narrador: Facas mortais indo em direção a Hero.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...