1. Spirit Fanfics >
  2. Isso é a história de um sequestro >
  3. Clientela

História Isso é a história de um sequestro - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Clientela


Fanfic / Fanfiction Isso é a história de um sequestro - Capítulo 2 - Clientela

Os dias se passaram e eu fui todos ao bar. Nenhum deles entrou um cliente. Seria chato se eu comentasse alguma coisa sobre isso. Não parecia que ele estava preocupado, ou ele fingia muito bem. Entretanto, ele já havia me dado o meu primeiro pagamento, logo no segundo dia que apareci. Melhor manter as coisas como estão.

- Boa noite. – cheguei sorridente, indo direto para a dispensa.

 - Estamos fech... ah, Harley. – como sempre, ele estava limpando o balcão. Sem parar seu serviço, ele abriu aquele sorriso (lindo) e continuou. – O tempo passa mais rápido com você aqui.

- Sério? – não concordo. – Vou levar isso como um elogio. – dei uma risadinha e vesti meu avental.

Para minha surpresa, ele pegou uma garrafa, das diversas que tinham na prateleira, e encheu dou copos de shot. A bebida era grossa e vermelha. Arregalei os olhos ao ver essa cena. Ele iria me chamar para beber? Eu nem sabia se ele era o patrão ou um amigo de trabalho... Que situação.

- Não tem problema, tenho a impressão que não seremos pegos no flagra. – ele pegou um copo e empurrou o outro pelo balcão, fazendo o este chegasse mais próximo de mim.

Eu andei até o balcão, sem tirar os olhos uma única vez da porta. O pavor de algum e único cliente entrar estava nítido no meu rosto. Por sua vez, Dean, deu uma risada, ainda no balcão, esperando que eu tomasse a bebida. Então dei uma corridinha, peguei o copo, me abaixei atrás do balcão e tomei tudo de uma vez, ficando de pé o mais rápido possível.

- Nada aconteceu. Não bebo em serviço. – me aproximei dele e o devolvi o copo vazio.

Ele era engraçado (e lindo), mas eu o mal conhecia. Não sabia nem se ele era o dono daquele bar, que é um péssimo sinal de falta de conversa. Conversa séria. Nós estávamos bem brincalhões um com o outro. Sempre entre piadas e risadas (e limpeza em geral). Enfim, eu tomei alguma coisa que eu nem sei a procedência... o que eu estou fazendo com minha vida? E se tivesse uma droga? E se tiver?

- Alô? – ele disse, vendo que fiquei parada olhando para o chão.

- Oi – voltei das minhas asneiras. Ainda estava consciente. E sóbria.

- Boa noite. – a porta se abriu, e não era eu entrando.

Pulei no mesmo lugar e respondi meio descompassada:

- Boa noite, o que posso servir? – eu disse, saindo de trás do balcão e de perto de Dean.

Ele encarou a mulher, erguendo uma das sobrancelhas. Ela se sentou na cadeira alta de madeira do bar e cruzou as pernas. Então, sussurrou algo para Dean, o qual concordou e foi para a cozinha. Senti que fui ignorada e não iria mais incomoda-la.

- Funcionária nova? – ela me encarou, com um sorriso simpático forçado.

- Quase um mês de casa. – tentei fazer uma piada.

- Ah. – ao invés de fingir um riso, ela desviou os olhos de mim e voltou a olhar para frente.

- Desculpe. – eu disse, abaixando a voz – Pela piada sem graça. – expliquei quando ela me olhou sem entender.

- Tudo bem. Está muito tempo com Dean. – ela enfim fingiu um sorriso. Ou será que não fingiu? Talvez falar de Dean a deixou mais humorada. Afinal, ele era realmente bonito.

Dean voltou com uma espécie de quentinha, imagino, embalada em vários papeis. A  mulher pegou e saiu sem pagar. Talvez tivesse uma “conta” no bar.

- Minha primeira cliente, e não me sai bem. – eu disse, desabafando.

- Com o tempo isso melhora. – ele abriu aquele lindo sorriso, me acalentando. – Se talvez você não tivesse bebido no trabalho... se sairia melhor.

QUE?! Calma. Por enquanto, ele é o chefe. – Você tem razão. Fui inconsequente. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...