1. Spirit Fanfics >
  2. Isso Foi Por Você. >
  3. Capítulo Dez.

História Isso Foi Por Você. - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


.

Capítulo 10 - Capítulo Dez.


Fanfic / Fanfiction Isso Foi Por Você. - Capítulo 10 - Capítulo Dez.

Encosto no primeiro Hotel que vejo na estrada, o Hotel está em estado acabado a placa quase caído em nossas cabeças.


Entro no primeiro quarto que vejo e até que o segurança do Hotel vem e entra junto dizendo:


-Sabe que tem que reservar o quarto para depois entrar ?


-Sei sim, minhas amigas já devem está fazendo isso. Digo encarando os seus olhos frios e azuis.


Sem dizer mais nem uma palavra só com um sorrisinho de deboche,

o homem  não tão alto sai do quarto e no mesmo instante chega Macarena e Saray.

Pego outro telefone que tinhamos guardado (caso algo acontecesse) tiro-o da caixa ligando ele  e disco um número de um de nossos ajudantes.


-Alô? Zulema? Diz ele atendendo no segundo toque.


-Sim Antônio, preciso que nos ajude em uma coisa muito importante pode ser? Digo inquieta andando de um lado para o outro.


-Si.. Sim, eu posso ajudar, o que houve? Pergunta ele com a voz trêmula.


-Hierro foi preso no apartamento onde a gente estava escondido. Digo.


-Então como você ainda está solta? Seu telefone está grampeado? Pergunta Antônio confuso.


-Não, não. Meu telefone não está grampeado, esse telefone eu acabei de tirar da caixa. O outro que eu usava eu deixei dentro de um freezer de sorvete. E a gente tinha ido ao mercado. Digo.


-Vou te mandar uma mensagem de onde a gente pode encontrar vocês Zulema, aliás onde vocês estão? Pergunta ele em meio riso. 


-Estamos em Tours. Digo. Sem responder mais nada ele desliga o telefone e recebo sua mensagem na caixa de e-mail..


                      Mensagem ON:


-Rua Escavier 1097 (Barcelona)


                     Mensagem OFF:


Quando estamos organizando as coisas para ir embora escutamos três batidas na porta, em seguida pego minha arma que está na minha cintura e aponto para a porta dizendo:


-Pois não? Não houve resposta.


-POIS NÃO? Pergunto dessa vez como uma voz mais alta. 


-Sou eu, o rapaz que fica na recepção. Quero saber se vocês precisam de algo? Lembro-me daquele cara meio alto com olhos azuis frios.


-Não de boas, a gente está de saída. Responde Saray.


Olho feio para Saray e logo falo baixinho para ela:


-Porra cigana, eles não podem saber. Quando a gente for sair temos que mostrar documentos porra. Digo dando um “leve” tapinha em sua cabeça.


Saímos escondidos e entramos no carro com um pulo pelas janelas, Saray está dirigindo o carro. Na minha cabeça fico imaginando os métodos que estão utilizando com o Hierro para ele dizer onde a gente está, mas a gente combinou uma coisa:


1• Quando falar “Okay Okay” pelo telefone temos dois minutos para sair de onde a gente estiver até ele dizer onde a gente está.

2•Não importa o que acontecer, nunca , nunca trair um de nós.

3• Resistir até um de nós pensar em algo para tirar realizar uma fuga.


O sentimento de saudade não sai do meu corpo,  vai passando pelas minhas veias. Começo a chorar e então a cigana para o carro e diz:


-Zulema, você está bem? 


-Sim estou, só um pouco tonta.. Digo interrompendo-me com um jato de vômito saindo da minha boca, ainda bem que lembrei de abrir a porta. Percebo que Saray está olhando estranho para Macarena e pergunto:


-Por que vocês estão com essas caras?


-Zulema, era exatamente o que eu sentia quando eu estava grávida. Responde Macarena.


-Macarena, a probabilidade de eu está grávida é ZERO! Respondo em meio grito e vindo mais um jato de vômito.


-Saray, pega um remédio para enjoo, estou passando muito mal, muito mal mesmo. Eu pensei que em toda minha vida eu iria morrer sei lá, com um tiro na testa mas não vomitando dentro de um carro velho como esse porra! Respondo enquanto começo a chorar.


Macarena pula para o banco do carona onde eu estou e me abraça olhando para Saray e acenando a cabeça. 


-Tudo bem Zulema, a gente só vai quando você estiver pronta beleza? Diz Macarena.


Macarena é uma boa pessoa apesar de seus cabelos loiros e seu jeito de garota mimada, é uma boa pessoa. 


-Si.. Sim, estou pronta. Respondo limpando as lágrimas dos meus olhos.


-A viajem não vai demorar pouco menos de uma hora, estamos quase chegando em Barcelona.


Voltamos para a estrada, o enjoo não passou mas a cada minuto que passa fico com cada vez mais vontade de comer sorvete de abacaxi. Paramos por coincidência em um mercado de estrada que tem postos de gasolina e lugares para tomar banho.


Salto de dentro do carro e corro até o mercado sem dizer nada para ninguém, Macarena vem correndo atras de mim.

Pego uma colher descartável na recepção e corro até um freezer de sorvete e pego um sorvete de (dois litros) sabor abacaxi, sento no chão abrindo ele e o colocando entre as penas, pego a colher descartável que está no meu bolso, o sorvete está muito duro e acaba quebrando a colher e então começo a chorar olha do para o sorvete. 


Macarena senta ao meu lado colocando uma colher de metal dentro do sorvete e sorrindo para mim. Pego a colher e então começo a comer o sorvete, comer, comer, até não consegui mais. Depois de um tempo fomos até o caixa para pagar o sorvete e as outras coisas que Saray e Macarena compraram para higiene pessoal o suficiente para nos três.


Sinto um embrulho no estômago forte e não consigo segurar, vomito em cima da moça do caixa, pelo painel, pelas sacolas. Percebo depois de um minuto que todos do supermercado estão olhando para mim com cara que dizem (Essa mulher não é normal) Macarena olha para a moça e diz:


-Moça desculpa, desculpa mesmo é que ela está grávida e não está conseguindo se controlar.


-Grávida é o caralho lora. Respondo.


Macarena me leva até o carro e Saray fica lá pagando as compras, quando entramos no carro Macarena diz: 


-Zulema eu roubei um teste de gravidez,

Vá até o banheiro e faça. Diz Macarena colocando a caixa na minha mão.


Olho para ela com uma cara de preocupada até que ela diz:


-Tá tudo bem, eu vou com você! Solto um sorrisinho no canto do rosto. 


Macarena e eu fomos até o banheiro, faço  xixi em um potinho que acompanha o “kit” coloco o teste dento da urina e digo sentando-me no chão:


-O que será que vou fazer se eu estiver grávida? Pergunto a Macarena.


-Zulema, faz o que você achar melhor, a escolha é sua.


O teste apita e Macarena olha para mim com uma cara de “Merda” e diz me mostrando o teste:


-Zulema, deu positivo..

















Notas Finais


.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...