História It is desire? Love! - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 22
Palavras 1.230
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - One


04/04

Ryan

- Empurra! Vai, força! Só mais um pouco.

- Cala a boca, Ryan! Você está parecendo um maldito coach. - A Ashley reclama.

- Sinto muito, eu só estou empolgado. - Digo beijando a testa dela e apertando sua mão com força. - Tá quase... Isso... Só mais um pouco...

- Ryan, eu juro que se você continuar fazendo uma narração, eu quebro o seu rostinho lindo assim que me recuperar do nascimento do pequeno invasor. - A Ashley sibila essa ameaça para que só eu ouça.

- Tudo bem, eu paro, é só que estou imaginando tantas coisas que podemos fazer...

- Lembra que precisa guardar todas essas ideias para daqui há alguns meses, é impossível fazer pole dance com essa barriga enorme.

Me aproximo dela e a envolvo por trás.

- Eu sei, mas quando você puder, o seu palco já vai estar pronto - falo baixo em seu ouvido e aproveito para mordiscar a sua orelha.

Quero que a nossa casa reflita quem nós somos, e não apenas os meus gostos, como no meu apartamento, e isso significa ter tudo o que a Ashley ama. Um estúdio de dança, academia, sala de cinema, e uma biblioteca. O pole dance deveria fazer parte do estúdio, mas nós temos espaço suficiente no quarto, e eu não quero perder a oportunidade de ter shows particulares.

- Achei que a nossa casa seria mais tradicional, sabe. - Diz apoiando a cabeça no meu peito.

- Se for muito tradicional não seria o nosso lar. Você é jovem e irresponsável... - paro de falar quando ela me dá uma cotovelada. - Ai! Eu sei que costumam dizer que tapas de amor não dói, mas o seu cotovelo é bem agressivo.

- Eu ouvi bem? Você acabou de chamar a mãe do seu filho de irresponsável? Que credibilidade eu vou ter com ele?

- Você não me deixou completar, estressadinha, - digo beijando seu rosto. - Eu amo o seu jeito de levar a vida, sei que você consegue ser responsável, mas não é quem você é, e eu não quero que mude, eu posso ser o lado sério da nossa relação, desde que você continue tornando o meu mundo mais leve.

- Acho que posso fazer isso. - Fala virando e me beijando de leve.

- Pronto, Sr. Carter, já está fixado, agora é só esperar secar. - Fala um dos homens que contratei para a reforma da casa. Logo em seguida ele sai e me deixa sozinho com a Ashley.

- Vem cá amor, vamos experimentar o sofá - digo.

Puxo a Ashley comigo e faço com que sente montada sobre mim.

- Esse sofá é bem confortável, acho que nem vamos precisar ir até a cama. - Murmuro no ouvido dela e deslizo minhas mãos pelo seu corpo.

- Só se for um outro dia, Carter, porque agora eu só preciso de um banho quente e uma massagem, estou cansada. - Responde saindo de cima de mim e sentando ao meu lado.

- A semana foi bem puxada mas você pode diminuir o ritmo quando quiser.

- Muitas mulheres conseguem trabalhar até os filhos nascerem, eu não quero ser diferente, não sou fraca.

- Não é questão de fraqueza, amor, você passou por muita coisa no último ano, mais do que muitas pessoas aguentariam, é normal precisar descansar.

- Eu sei, mas a mulher maravilha que vive em mim não gosta de se render, e o que mais eu faria o dia todo?

- Bom, tem muitas coisas que você pode fazer, por exemplo: finalmente decidir os móveis e a decoração do quarto do nosso filho.

- Ah, não, isso não. Eu já escolhi umas roupinhas e uns bichinhos de pelúcia, o resto você pode escolher, juro que não vou me importar.

- Ashley! O filho também é seu, é importante que você participe de tudo.

- Eu sei... Mas esse tipo de coisa não é minha praia, não gosto de ter que pensar em decoração ou que tipo de roupinha vou precisar para cada ocasião, bebês não são algo que eu estou familiarizada. E não é que eu não ame ele ou que não me importe, só prefiro deixar essa parte nas mãos de pessoas mais preparadas.

- Tudo bem, eu entendo, mas estava torcendo pra você não dizer isso... - Digo olhando pra ela com cara de culpado.

- O que você fez Ryan Carter?

- Você sabe que é metade da minha família, e eu te amo muito, mas quero que a outra metade da minha família seja presente nas nossas vidas...

- Ah não... Por favor diz que não é o que eu estou pensando...

- Eu sei que está muito em cima da hora mas a Jenny está na cidade e ela quer se aproximar de você.

- Ryan!

- Desculpa, mas acabei mencionando que ainda falta ser comprado quase tudo do bebê, e ela se ofereceu para ajudar. Amanhã. - Completo.

- Quando você diz que será amanhã não é apenas uma sugestão, estou certa? - pergunta me fuzilando com os olhos.

- O Jake passa para te pegar às 10.

- Ryan Carter! Eu tenho uma reunião importante amanhã.

- Não tem mais, eu vou no seu lugar, você pode dormir até mais tarde.

- Eu não quero ficar em casa! Para de me tratar como uma inválida. - reage exasperada levantando do sofá.

- Não falei que você é inválida, Ashley, mas eu sei que dia é amanhã, e só queria que você tivesse uma folga.

Ela congela no lugar e vejo um pouco da sua raiva sumir.

- Você sabe que dia é amanhã e mesmo assim quer que eu gaste todo o meu tempo dentro de lojas com a sua irmã?

- Pensa nisso como um novo começo, pra vocês duas. Minha irmã é importante pra mim, assim como você, então preciso que vocês consigam ao menos conviver pacificamente.

- Eu te odeio, Carter - fala suspirando em sinal de desistência.

- Não odeia não. - Eu me aproximo e a abraço carinhosamente. - Obrigado por tentar - murmuro.

- Você vai ficar me devendo várias massagens nos pés para os próximos meses.

- Pode deixar, faço quantas você quiser.

- Vamos pra casa, eu preciso mesmo descansar se você vai me fazer ser agradável com sua irmã.

Nós descemos as escadas e saímos do lugar que em breve vamos chamar de lar. Já está quase tudo pronto, em umas duas semanas já podemos morar tranquilamente aqui.

- Eu acho que vou dormir um pouquinho no trajeto para o apartamento. - A Ashley diz e encosta a cabeça contra mim.

- Quem diria que apenas há alguns meses você mal podia ficar sozinha comigo sem querer transar loucamente. - Falo para provocá-la.

- Ah, isso foi antes de você me engravidar e me deixar esgotada, agora fica quietinho que eu e o nosso pequeno invasor precisamos de uma soneca. - Ela tira os sapatos e joga as pernas sobre o meu colo.

Passo o meu braço ao seu redor e faço cafuné até que ela esteja dormindo. Quando chegamos no nosso prédio eu apenas a pego no colo e a levo para o quarto, apago as luzes e a deixo dormir.

- Boa noite, amor, dorme bem. - Aplico um beijo em sua testa e saio do quarto, há muito que preciso fazer para amanhã.



Notas Finais


Olá pessoas, tô viva, embora bem ocupada e com zero inspiração. 😅 Resolvi postar esse mini capítulo pq já estava escrito e me julgando, mas o próximo não vai demorar tanto tempo e nem ser tão pequeno, I promise.

Amo vocês, não desistam de mim. 😊😉


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...