História It Was Always Her. - Luke Hemmings. - Capítulo 40


Escrita por:

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer
Personagens Ashton Irwin, Calum Hood, Luke Hemmings, Michael Clifford, Personagens Originais
Tags Luke Hemmings
Visualizações 110
Palavras 1.016
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá! Já voltei!

Capítulo 40 - 40 - Finalmente.


Fanfic / Fanfiction It Was Always Her. - Luke Hemmings. - Capítulo 40 - 40 - Finalmente.

POV LUKE

- É isso que eu disse. Acho que não consigo ficar com outras pessoas.

- Você não sabe o que eu senti quando vi aquela cena...

- Você... viu?

- Foi assim que eu fiquei sabendo. Foi um dos piores momentos de todos.

- Por que? Por que te doeu tanto?

- Porque era para ser eu ali. Era para você estar comigo, não com aquele bonitão idiota! Não com alguém que vai ficar com você apenas por uma viagem.

- Deveria ser você?

- Claro!

- Mas você também não ficaria comigo apenas até ter uma opção melhor? Até uma festa te interessar, ou alguma garota mais velha piscar para você? -Eu a olhei incrédulo. Ela se encolheu um pouco na cama.

- Alasca, eu não acredito que estou ouvindo isso.

- É o que parece...

- Não, não pode ser! Sério, que... argh! Eu não sou assim Alasca, não com você. Desde que você e eu voltamos a conversar, desde a sua volta, você não saiu nenhuma vez da minha mente. Eu só sei pensar em você, só sei pensar que eu preciso ter você!

- Mas...

- Não existe mas! Eu quero você, quero que seja minha, quero que a gente acabe com tudo isso de ficar ficando com outras pessoas, nos evitando.

- Luke, eu estou com medo. -Ela disse abaixando a cabeça. Segurei seu queixo, e fiz a mesma olhar para mim.

- Medo do que?

- Medo de me entregar a uma pessoa de novo. Mesmo você me dizendo tudo isso, tenho medo de ser trocada, de ser traída. Não sei o que pensar... -Eu aproximei minhas mãos de seu rosto e o puxei lentamente para perto.

- Alasca... coisa linda... eu vou provar que eu posso ser a pessoa certa para você. Mas eu preciso que fique comigo, que confie em mim, pelo menos agora... -Eu digo cochichando. -Você quer ficar comigo?

Alasca encarou meus olhos por alguns segundos, e em seguida acabou com o espaço entre as nossas bocas. Me beijou lentamente, e eu quase explodi de alegria. Sorri e murmurei durante o beijo:

- Posso considerar isso um sim? -Ela sorriu também.

- Com certeza, loirinho.

Pude sentir uma explosão interna. Levantei Alasca com as pernas em volta de mim, e a rodei pelo menos três vezes.

- Sem barulho seu louco, vai acordar todo mundo! - Ela disse, e eu a coloquei de volta na cama. Não conseguia parar de sorrir. Ela deitou de volta, e eu deitei ao seu lado novamente.

- Ashton vai enlouquecer, não vai? -Digo brincando com as mechas do cabelo dela.

- Sim, ele vai. Não precisamos contar agora, nem sabemos como vai ser... Mas temos que contar antes dele descobrir.

- Com certeza. -Digo lhe dando mais um beijo. -Sabe, eu devo muito ao Justin.

- E por que?

- Ele me abriu um pouco mais os olhos. Principalmente entre você e Austin.

- Luke, acredite, eu só o beijei para ter certeza de tudo isso... não quero mais nada com ele além de amizade.

- Vou pensar sobre essa parte de amizade.

- Besta.

- Argh, não sei se vou conseguir parar de te beijar -Eu disse puxando a mesma para mais um beijo.

- Nem eu, loirinho. Mas temos que nos controlar.

- E vamos.

- Você se lembra de quando foi ao meu quarto, me chamar para uma festa e me achou um pouco deprimida?

- Claro que lembro. Por que?

- Você disse coisas incríveis, parecia que sabia exatamente o que eu estava sentindo. Mas disse também que conhecia uma pessoa que era exatamente da mesma forma... quem era essa pessoa?

- Achei que a essa altura já havia percebido. Eu, Alasca. Eu guardo coisas demais para mim, por sempre me sentir sozinho. -Dei ombros. - Disse que apresentaria um dia essa pessoa, porque esse sou eu de verdade. Uma pessoa insegura e cheia de dúvidas... não sabia se um dia você me conheceria de tal forma, mas aqui estou eu.

- Isso é incrível. Até algumas semanas atrás, você era o meu oposto. Agora parece que nos conhecemos a anos, e tudo se encaixa.

- Acredita em destino?

- Em parte. -Ela sorriu.

Eu me sentia bem, me sentia calmo e tranquilo estando ali ao seu lado. Ela sempre havia sido uma pessoa tão extraordinária, como eu não havia cedido antes?

- A propósito, eu te acho muito mais bonitão do que o Austin. -Sorri.

- Mesmo?

- Mas é claro. Não fique se achando.

- Já estou. Perdeu o sono?

- Um pouco.

- Não posso ficar a noite toda... bem que eu gostaria, mas não posso.

- Sei disso. Vou tentar dormir.

Dei um selinho demorado nela, e a mesma se ajeitou em meu peito para dormir. Acho que fiquei cerca de meia hora, até perceber que ela havia mesmo pegado no sono. Dei um beijo em sua testa, e murmurei um "Eu te amo, ruiva", mas fui incapaz de me levantar. Era uma das melhores sensações que eu já tive. Fiquei ali pensando em tudo que já havia acontecido, como o dia que ela voltou, ou quando fomos a praia sozinha; quando quase a perdi por ela quase ter sido atropelada; eu acordando depois de estar completamente Bêbado em sua cama... cada pedacinho da nossa história era especial para mim. "Finalmente" eu murmurei.

Acordei por estar caindo da cama, e dei um pulo ao perceber onde estava. Droga, eu não havia ido para o quarto! Alasca acordou devido ao meu susto, e também pareceu preocupada.

- Que horas são? -Perguntei olhando pela fresta da janela - Já está de dia!

- Seis e quarenta.

- Merda. Preciso ir, ruiva. -Saí sem me despedir direito. Ela parou na porta para me ver ir, e eu entrei no quarto escuro dos meninos, e pulei na minha cama, rezando para que ninguém percebesse que eu não havia estado ali o tempo todo. Infelizmente, segundos depois Austin entrou no quarto, um pouco sonolento, e se deitou. Espero que ele não tenha reparado em nada... 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...