1. Spirit Fanfics >
  2. (it was) him... >
  3. Capítulo único.

História (it was) him... - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Capítulo único.


Lembro como se fosse ontem, o dia em que jurei pra mim mesmo que daquele momento em diante, eu estava me fechando para relacionamentos novamente. Haechan claramente sabia que era mentira de minha parte. Ele era meu melhor amigo, me conhecia bem demais pra saber que uma hora ou outra eu vacilaria a respeito de meus sentimentos, mas estava querendo me ajudar a superar.

Faziam meses que eu não me interessava por alguém e estava a pouco tempo de volta no ramo de ‘beijar algumas bocas sem compromisso’. E foi bom pra variar e esfriar a cabeça depois de tanto tempo com um turbilhão de problemas ao meu redor.

Até que um dia, ele apareceu.

Não vou enrolar e fazer o maior suspense sobre quem seria essa pessoa, não é justo e, eu quero me adiantar em dizer que: foi o melhor dos sentimentos já senti na vida. Era puro, real e intenso.

Seu nome era Huang Renjun. Combinava tanto quanto os fios claros de seu cabelo, que definitivamente não era natural pela raíz que já havia crescido um pouco quando o conheci. Ele tinha o sorriso mais bonito que eu já havia visto em toda a minha vida. Ele falava demais. Isso foi algo inevitável de se pensar a respeito quando o conheci. Eu ficava nervoso me perguntando se conseguia acompanhar toda aquela linha de pensamento de uma conversa que, aos poucos, foram se tornando flertes interessantes. Quando dei por mim, estava falando até demais sobre ele com Haechan, que não me julgava com palavras, mas sim com olhares de quem dizia que sabia que algo estava acontecendo. Donghyuck sempre sabia de tudo. Não tinha como esconder nada daquela mente brilhante.

Certa noite, em uma calma conversa a base de leves flertes, Renjun estava próximo de mim quando me pediu para que o beijasse. Não neguei. Eu estava louco me perguntando o quão bom seria ter os lábios dele nos meus. E foi uma das melhores e mais inebriantes sensações que já senti na vida. No momento seguinte, pude sentir mais daquele pequeno corpo todo entregue pra mim. E era ainda mais bonito do que só aquela face angelical que ele tinha.

Os dias foram se passando, meses, e com isso engatamos em um delicioso relacionamento cujo eu não tenho nada a reclamar, só a pedir desculpas se algum dia eu errei por alguma coisa ou tenha feito qualquer idiotice que possa tê-lo constrangido ou magoado. Eu definitivamente devo ter feito. Mas ele era um anjo, nunca de fato chegou a dizer se eu o magoei alguma vez. Mesmo quando eu sinto que fiz em pequenos discussões que nunca foram maiores do que todos os momentos bons de nosso relacionamento.

Falando também a respeito de sentir nossos corpos, Renjun também teve a chance de sentir o meu, mais de uma vez, e todas as vezes me fazia querer mais. Nenhum dos outros relacionamentos que tive conseguiram ser tão bons e marcantes quanto todas as vezes em que esse garoto me marcou. Eu ainda sinto o toque dele em mim, o gosto do beijo, o cheiro do perfume que tanto me invadia a mente.

Nós ficamos juntos por um ano. Foi o ano em que eu mais me senti vivo romanticamente falando. Acho que nenhuma outra pessoa conseguirá suprir a vontade que eu ainda tenho dele. Quando eu o conheci, ainda era alguém que pensava nunca ter superado o primeiro amor. Mas e quando se conhece a pessoa cujo você sonhou a vida inteira e ela de fato correspondeu a todas as expectativas românticas que você criou? Ou quando você sequer está esperando conhecer alguém que te faça tão bem que você não consegue nem colocar em reações concretas todos os bons sentimentos que ela te faz sentir?

Hoje, Renjun e eu não estamos mais juntos. Não porque o relacionamento não funcionou. Não porque um de nós erramos no meio do caminho. Ele teve os motivos dele e eu respeito isso. E agradeço por ele não ter saído de perto de mim em momento algum.

Mas eu não posso negar que ainda sinto vontade de abraça-lo e não deixar que o mundo o tire de mim; não posso negar que choro todas as noites querendo ter de volta aquele pequeno sorrisinho que ele costumava dar pra mim antes de qualquer ‘boa noite’ e ‘bom dia’. Não nego também que a minha vontade de ter a boca dele na minha ainda grita a cada vez que ele está perto de mim. Mas, o que eu não nego também, é que meu coração se parte cada vez que eu penso no tanto quanto eu o amo.

Mas também agradeço por ele ser um grande amigo, um amor maravilhoso e, ainda ser um sonho de pessoa que sempre cuida tão bem de mim.

Essa não é necessariamente uma história de amor, não se encaixa em contos. É uma declaração de um amor, que hoje já não está mais junto, porém que ainda tem um coração que bate o tempo todo sem saber ao certo que rumo irá tomar agora.

Huang Renjun é como a brisa, que toca tão suavemente seu rosto numa tarde quente e ensolarada, que te envolve em um sentimento tão puro e bom, que quando se vai só deixa memórias boas.

Huang Renjun é o amor em sua mais pura e simples forma. Eu amo você.

Sempre seu, Lee Jeno. 


Notas Finais


Essa foi uma pequena declaração. Não é uma das melhores, sequer mais bem escritas, mas é muito importante pra mim. Saí da minha zona de conforto escrevendo em primeira pessoa pois achei que assim estaria expressando de um jeito melhor. Enfim... é um pequeno presentinho. <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...