História It's all about magic - Capítulo 22


Escrita por:

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer
Personagens Ashton Irwin, Calum Hood, Luke Hemmings, Michael Clifford, Personagens Originais
Tags Banshees, Bruxas, Drama, Lobisomens, Magia, Sereias, Vampiros
Visualizações 38
Palavras 3.995
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 22 - Chapter 21


- Você poderia, por favor, tirar as mãos da minha mulher? - e parado atrás de nós estava Nikai Samos parecendo um anjo furioso.

- Nikai - Gwen sussurrou sorrindo aliviada, ela parecia feliz e irritada ao mesmo tempo.

- Oi - ele abriu um sorriso tão amoroso que desviei o olhar.

- Está tudo bem - minha amiga assegurou e se soltou de Ash indo até Nikai.

- Eu sei - ele sorriu e beijou a testa dela antes de enlaçar a cintura dela com o braço musculoso. Muito musculoso por sinal.

- Samos - Ashton se limitou a dizer isto.

- Oi, Irwin. - o sorriso de Nikai se tornou algo quase maldoso - Também é um desprazer te ver, mas tinha que vir atrás de Gwen...

- Só - Ash o interrompeu irritado - saia daqui.

- Como quiser - o loiro desfez o sorrisinho de fachada e continuou - espero que esteja tudo resolvido entre nós.

- A não ser o fato de você estar do lado dos Dominadores. - acrescentei e todos me olharam irritados.

- Ah, é, tem isso - Gwen pareceu se lembrar e franziu a testa.

- Aliás, Gwen... - Luke disse terminando de mastigar outra panqueca - ...Lorelai disse que quer conversar com você e a sua banshee floco de neve.

- Floco de neve - Gwen repetiu meio rindo - Também acho isso.

- Você vai se ater a isto e não ao fato da princesa dos clãs querer falar com você? - Nikai levantou as sobrancelhas pra ela, claramente confuso.

- Eu consigo lidar com ela - Gwen franziu a testa de novo.

- Tome cuidado - falei - Não confio nela.

- Nós confiamos - Calum rebateu e eu o olhei irritada - Ah, não me olhe assim, Kenna.

- O nome dela não é Kendra? - ouvi Kai sussurrar pra Gwen, minha amiga sorriu e deu dois tapinhas em seu braço.

- É sim - ela sussurrou de volta.

Ashton parecia prestes a vomitar vendo os dois e eu admirava seu autocontrole por não ter expulsado ambos dali.

- Bem, eu não confio - voltei ao assunto - Os meninos só confiam porque... - não achei palavras que explicassem sem revelar algo - ...porque alguma coisa os faz ser idiotas.

- Você hesitou - Gwen estreitou os olhos pra mim - Por que eles confiam nela? - ela parecia incisiva, o bastante pra eu ficar calada.

- Acho que vocês tem que ir - Ash disse num rosnado e vi Nikai ficar alerta, tudo pra proteger sua parceira.

- Como faço pra encontrar Wolff? - Gwen perguntou.

Ela vai te encontrar, na verdade - Luke piscou pra Gwen e minha amiga piscou de volta.

Ela e Nikai saíram em silêncio com ele ainda a segurando pela cintura. Assim que escutamos o barulho do carro dele partindo, soltei um gritinho de susto quando Ashton socou a mesa de granito da cozinha com um grito:

- Desgraçado! - a mesa quebrou ao meio.

- Você tá ficando maluco? - rosnei pra ele e me afastando. Senti Calum a minhas costas e ele me segurou pela cintura.

- Estou, Kendra. Eu estou! - Ash parecia estar num frenesi louco e quando ele agarrou a cadeira na qual eu estava sentada anteriormente, Luke se levantou e o segurou pelo braço.

- Menos, Ashton - a voz de Luke foi tão firme que até Ash se acalmou.

Me soltei de Cal e peguei uma panqueca do prato que, felizmente, tinha caído intacto em cima do pedaço de granito no chão, antes de me escorar na parede.

- E aí, o que vamos fazer hoje? - perguntei de boca cheia - Além de quebrar mesas e atirar cadeiras, óbvio.

- Nós precisamos ajudar Lorelai - Mike murmurou cansado. - Você pode ficar dormindo como sempre.

- Vou fingir que não ouvi a ofensa, no que a princesa precisa de ajuda?

- Vai ter uma reunião com os maiores líderes dos Aliados - Luke explicou - Ela precisa de guardas reforçados.

- Eu posso ir? - perguntei.

- Não - Calum rosnou e eu rosnei de volta.

- Por quê?

- Porque é muito perigoso.

- Ah, vai se ferrar - gritei com ele. Odiava ser histérica, mas era o que eu precisava no momento. - Desde que começamos a ter esse casinho bizarro você não me deixa ir em nenhuma missão.

- Missão, Kendra? - ele rosnou de volta e chegou perto de mim - Isso aqui não é a droga de um filme de espiões!

Aproximei meu rosto do dele.

- Eu sei, Calum. Realmente acha que sou estúpida ao ponto de pensar que é brincadeira?

- Sim. - ele respondeu e eu rosnei. Nossos rostos estavam muitos próximos, se qualquer um dos dois se inclinasse, nos beijaríamos.

- Me leve com você.

- Não.

- Me leve com você. - repeti com a voz levemente mais irritada.

- Não.

- Me. Leve. Com. Você - eu podia ouvir o ranger dos meus dentes.

- Não. - Calum estava irredutível e mesmo assim não desviei meu olhar do dele.

- Luke? - minha voz saiu quase como um choramingo.

- Não posso fazer nada - ele suspirou e então virei meu rosto pra encará-lo.

- Apenas por que Calum não me quer em perigo? - rosnei furiosa - Você sabe que sou boa demais pra ficar a toa, Luke.

- Mas Kendra... - ele parecia cansado.

- Calum não manda em mim!

- Mas é o mais próximo de você!

- E o que eu tenho a ver com isso? - gritei de volta. - Nós não namoramos! Não somos parceiros! E da última vez que chequei ele não era meu pai! E nem se fosse! Ninguém manda em mim! 

- Então, por que pediu permissão pra ir na missão? - Calum sussurrou sorrindo e me virei furiosa pra ele.

- Eu vou matar você! - gritei e pulei tão de repente em cima dele que fomos pro chão.

Rolamos e ele me segurou no chão, segurando meus pulsos ao lado da minha cabeça enquanto eu rosnava pra ele.

- Pare com isso - Calum disse baixinho.

- Me solta.

- Pare com isso.

- Me solta!

- Cal...- Mike começou, mas Cal rosnou pra ele. - É a Kendra! Solta ela! Não é nenhuma das lobas que você usa! Solta ela!

Calum o olhou tão furioso que até parei de me debater engolindo em seco.

- Eu sei quem ela é - ele sussurrou e voltou a me encarar. Achei que podia me perder nos seus olhos e fiquei sem ar. Merda. Não podia me apaixonar por Calum. Não agora.

- Solte ela, Cal - Luke sussurrou.

- Promete que nāo vai me atacar mais? - Calum perguntou e eu sorri.

- Você sabe que nunca prometo nada - assim que terminei de pronunciar as sílabas dei uma joelhada forte na virilha dele e ele arfou de dor. Me levantei e sorri - Não brinque comigo, Calum.

- Eu nunca ousaria - ele rosnou do chão e algo em sua voz me fez acreditar.

- Terminaram o show? - Ashton murmurou.

- Aham - eu disse e estendi a mão pra ajudar Calum. Ele se levantou com impulso e nosso corpos se chocaram. O sorriso lascivo dele quase me fez desmaiar.

- Vocês dormirem juntos foi uma péssima ideia - Mike gemeu ao nos ver e me afastei de Cal.

- Eu sei - resmunguei - Eu vou com vocês desta vez.

Não esperei resposta e saí correndo pro meu quarto. Bati a porta segundos antes de Cal me alcançar.

...

Gwendolyn

- A gente podia fugir sabe - Kai disse me olhando pelo canto do olho enquanto dirigia.

Eu estava com os pés descalços em cima do painel do carro e com o cotovelo apoiada na janela aberta do carro.

- Nós já discutimos isso - falei sorrindo - Você sabe que não dá.

- E você sabe que dá sim - ele rebateu, mas não parecia irritado - Você apenas não quer.

- Eu tenho minha missão. - sussurrei.

- Eu sei - Kai sussurrou de volta. Eu nunca me cansaria de olhar pra ele.

- Será que eu conseguirei derrotá-lo?

- Quem?

- O Lorde das Trevas - respondi - Com esse título, provavelmente vai ser difícil.

O que não é difícil, gatinha? - ele me olhou ao pararmos no semáforo.

- É um bom ponto - eu ri e ele sorriu.

- Puta merda! - ele gritou rindo - Eu amo sua risada!

- Eu amo você.

- Essa foi demais - Kai disse fingindo ser atingido no coração - Você vai me matar um dia.

- Esperamos que não.

- Quando vocês vão sair em missão?

- Amanhã - respondi rápido esperando que o dano fosse menor.

Nikai freou o carro tão bruscramente que eu ia esmagar a cara no vidro se ele não me segurasse.

- O quê? - ele parecia irritado.

- Estamos no meio da rua. - chiei. - Encoste em algum lugar.

Sem uma palavra Nikai estacionou o carro e me encarou.

- Como assim amanhã?

- Amanhã, oras. Gaya acha melhor saírmos o quanto antes.

- Gwen... - ele sussurrou nervoso e fechou os olhos, recostando a cabeça no banco.

- Me desculpe - gaguejei - Não quero ficar longe de você também.

- Não peça desculpas - ele pegou minha mão, ainda de olhos fechados - Não é sua culpa.

Niki roçou o dedo pelo anel em meu dedo e abriu um sorriso lento.

- O que foi? - o meu próprio sorriso evidente na entonação da pergunta.

- Nada - ele respondeu e eu fiz um biquinho.

- Me conta vai.

- Nem pensar - ele abriu os olhos, se virou muito rápido e me deu um selinho.

- Chato - resmunguei tirando minha mão da dele.

- Ei, ei, ei - Kai reclamou e puxou minha mão de volta.

- Carente - murmurei e quando ele sorriu meus dedos do pé se curvaram sobre o painel do carro.

- De você? Sempre. - Kai suspirou.

- Podemos fugir - falei rápido e ele me olhou confuso - Por hoje, só.

- Já fico mais do que feliz com isso - meu parceiro sorriu e meu coração palpitou dez vezes mais rápido.

Meu parceiro. O pensamento pareceu ecoar por todo meu corpo e alma.

- Eu te amo - sussurrei baixinho e Nikai se virou novamente.

- Eu também te amo, Grace.

- Pronto - cantarolei - não amo mais.

- Idiota - ele xingou e eu gargalhei. - Pra onde vamos?

- Tenho uma ideia - murmurei e ele sorriu.

...

- Que lugar é esse? - Nikai perguntou baixinho quando saltei do carro e fui até ele do outro lado.

- O paraíso - respondi e ele ergueu uma sobrancelha.

- Sério, Gwen. Onde estamos? - o loiro perguntou olhando por cima de mim pras barracas além de nós.

- Eu estava falando sério. - soltei uma risadinha - Nós o chamamos de Paraíso.

- É lindo - Kai murmurou olhando as barracas espalhas na trilha de cascalho no meio de várias árvores.

- Eu sei - suspirei.

Estávamos no começo da fila de barraquinhas, sem atrapalhar ninguém que passava por ali.

- Acho que foi pela comida que me trouxe aqui.

- Vamos provar todas! - cantarolei.

- Então foi só por isso?

- Em parte sim - respondi sorrindo - e a outra é porque queria que estivéssemos em um lugar onde somos normais.

- Me lembre de sempre deixar você planejar nossos rolês - ele disse e eu gargalhei.

O som se propagando pelo ar como se ali, tudo fosse mais leve.

...

Nikai

Quando Gwen disse que provaríamos todas as comidas, ela realmente quis dizer todas. Eu já não aguentava provar mais nada, mesmo tudo sendo delicioso e meu apetite de lobisomem me fazer comer consideravelmente.

- Hmm - Gwen gemeu quando mordeu um espetinho de camarão mergulhado em especiarias.

A expressão de prazer e êxtase no rosto dela...Ah.Eu daria minha vida pra que sempre fosse assim. Pra que ela sempre estivesse relaxada e feliz.

- Como você ainda consegue comer? - perguntei e bebi um gole da bebida refrescante de limão e framboesa que estava em um alto copo de plástico transparente na minha mão.

- Eu disse que estava com fome - ela afirmou devagar. Ah, Deus, eu amava quando ela falava assim; lentamente, como se sentisse as palavras, dando ênfase nas corretas para parecer debochada.

- Você está linda - murmurei e o elogio foi tão de repente que Gwen ficou corada, a deixando mais vermelha do que o sol já tinha deixado.

Ela tinha amarrado os cabelos em um coque alto e enorme no centro da cabeça e seu rosto estava vermelho pelo sol que pegamos enquanto andávamos de um lado pro outro da feira, experimentando tudo; pelo menos eu estava experimentando, Gwen disse estar acostumada desde nova.

Estávamos sozinhos olhando o sol se pôr no mar, sentados em uma pedra tão perto da água que os borrifos das ondas batendo nela atingiam nossas pernas.

- O que é esse lugar?

- Não faço ideia - ela deu de ombros - A irmã mais velha de meu pai, costumava querer conhecer os lugares mais loucos possíveis e veio parar aqui um dia. Ela conheceu meu atual tio, Kylian, aqui e se apaixonou. Mandou uma mensagem convidando meu pai, o outro irmão deles e meus avós pra conhecerem aqui. Meu pai ficou encantado. Tipo, este lugar, é mágico. E ele viu uma moça loira linda passeando por aqui e bem, eles se casaram e estou aqui.

- Graças a Deus - murmurei colando meus lábios na pele de seu pescoço.

- Estou suada, credo, sai - ela resmungou, mas não se afastou.

Sorri contra sua pele, murmurando:

- E ainda, assim, é deliciosa.

Não faço ideia de como aconteceu, ou talvez fizesse, mas só sei que fizemos amor ali mesmo nas pedras olhando sob o pôr-do-sol.

...

Gwen

- Nikai. Já escureceu - murmurei, me remexendo em seus braços.

- Vamos ficar aqui - ele resmungou e eu sorri.

O encarei. O rosto tão lindo e bem esculpido, como se um deus o tivesse feito perfeito. Pra mim.

- Temos que ir. - falei.

Coloquei o short jeans e a regata e tentei arrumar meus cabelos em vão.

- O que aconteceu com seu outro tio?

- Ah - engoli em seco - Ele morreu. No mar.

- Sinto muito.

- Nem o conhecia - murmurei quando ele me abraçou - Mas obrigado mesmo assim.

Andamos devagar até alcançar a luz artificial das inúmeras lâmpadas pendendo das barraquinhas.

- Vem - puxei Nikai.

- Por que a pressa pra ir embora? - ele sussurrou. - Vai devagar.

- Chato - resmunguei e ele riu. Ah, eu morria a cada vez que a risada dele ecoava pelo meu corpo.

- Vamos comprar sorvete - Kai me puxou pra uma das barraquinhas.

- Uma casquinha com uma bola de chocolate e uma de pistache e a outra..? - perguntei em expectativa pra ele.

-  Uma bola de baunilha e outra de morango - quando Kai respondeu ergui uma sobrancelha pra ele - Ah, você também não. Não ouse.

- Eu não disse nada - sussurrei rindo baixinho e agradeci quando a moça entregou as casquinhas para nós. Kai pagou e começamos a andar em direção ao carro.

- Jacob já me zoa horrores por eu pegar esses sabores, ele fala que são delicados demais. - Kai murmurou fazendo uma carinha de frustração que aqueceu meu coração.

- Está tudo bem, amor. - sorri e esbarrei de leve com o quadril nele - Não vou te zoar.

- Mas queria - ele me olhou suspeito e eu ri.

Sentamos em cima do capô do carro tomando os sorvetes.

- Você parece uma criança balançando as pernas assim - Kai riu pra mim.

- Bobão - xinguei, mas parei de balança-las.

- Continue. - ele sorriu - É fofo.

- Eu te amo - falei e ele piscou surpreso - Minha nova meta é surpreende-lo sempre porque sua cara fica maravilhosa.

- Minha cara é maravilhosa. - ele sorriu zombeteiro e gargalhei.

- Realmente - sussurrei e passei meu dedo pela linha do maxilar dele. - Kai.

- Fale, amor da minha vida - ele me encarou e me senti tão feliz e completa de saber que ele estava ali comigo.

- Prometa... - comecei com a voz trêmula - ...que vamos ficar vivos.

- Gwen - ele suspirou.

- Prometa então que você vai ficar vivo. Eu tenho responsabilidade pela minha vida.

- Não posso...

- Me prometa, Kai. Que vai ficar vivo até eu voltar; na verdade prometa que vai ficar vivo até o fim da guerra, pra nos casarmos.

- Prometo - ele pegou minha mão e beijou o anel. - Prometo tudo o que você quiser.

- Por favor... - nesse ponto eu já estava encolhida contra ele e Kai passou o braço sobre mim pra me segurar mais perto. - ...precisamos ficar vivos.

- Nós vamos - Kai disse e me segurou tão forte que eu desejei nunca sair de seu abraço.

...

Quando chegamos na minha casa já passava das sete da noite.

- Vai entrar? - perguntei pra Kai assim que estacionamos.

- Não - ele sorriu e se inclinou pra mim.

- Entra vai. - segurei seu rosto entre minhas mãos. - Só as banshees estão aí.

- Tenho que ir. Jacob e Lotus já devem estar irritados por me esperar tanto.

- Ah, Kai - suspirei e ele se inclinou mais. 

Nos beijamos por muito tempo, até que batidas fortes no vidro nos fizeram separar e encarar uma Lorelai muito irritada.

- O que ela está fazendo aqui? - Kai sussurrou meio de saco cheio de encontro a meu pescoço.

- Não faço ideia, mas Luke avisou que ela queria falar comigo - suspirei e abri a janela. 

- Onde você estava? - Lorelai rosnou.

- Eu?

- Não, Gwendolyn, estou falando com outro pessoa, mas olhando pra você - a morena chiou.

- O que está acontecendo? - perguntei. Ah, eu não ia me estressar por causa dela.

- Você precisa vir na reunião.

- Que reunião?

- Por que ela faz tantas perguntas? - Lorelai se dirigiu a Kai.

- Não vou me intrometer - ele sorriu de canto e ela estreitou os olhos pra ele.

- Qual reunião, Lorelai?

- A dos Aliados. - ela respondeu.

- E?

- Não vou falar mais nada perto do seu namorado traidor.

- Por que sequer você está aqui? - disparei irritada. - Achei que a princesa fosse importante o suficiente pra ter alguém pra ser seu mensageiro.

Kai me cutucou como se dissesse "menos".

- Você é muito irritante, banshee - ela mostrou os dentes pra mim e sorri.

- Obrigada.

- Gwen - Kai sussurrou em advertência.

- Vai vir ou não, Harrison? - Lorelai perguntiu impaciente.

Olhei pra Nikai, indecisa, e ele beijou minha testa.

- Vá, precisam de você - sorri e dei um selinho nele.

- Te amo - sussurrei.

- Também te amo, gatinha. - Kai sorriu e abri a porta, logo pulando do carro.

- Essa foi a coisa mais melosa que eu já vi - Lorelai torceu o nariz.

- Ah, cala a boca - exclamei e ela apenas riu antes de seguir pra dentro da minha casa.

Na sala estavam as banshees, Madison, Kayla, Olive e os meninos.

- O que é isso? - perguntei, com uma voz irritada, e joguei a bolsa no sofá.

- Onde estava? - Calum perguntou mas o ignorei.

- Gaya? - indagei procurando alguma explicação.

- Temos que ir nessa reunião.

- Por quê. - ah, eu estava muito chateada por terem me separado de Nikai. Ainda mais agora que éramos parceiros.

- É importante, Gwen - Maddie sorriu e o rosto angelical me deu arrepios.

- Eu odeio esse seu rosto.

- Lotus também - ela riu.

- Eu acho bem bonito - Cal sorriu pra ela e Maddie revirou os olhos.

- Troque de roupa - Lorelai ordenou e franzi a testa pra ela.

- Oi?

- Só obedeça, Gwen - Akimi deu batidinhas nas minhas costas.

- Ela só está irritadinha porque a tiramos de perto de Nikai - Lorelai debochou.

- Exatamente - chiei - Tudo que eu queria era ficar perto do meu parceiro sem vocês todos pra me encherem o saco.

- Parceiro? - as banshees exclamaram meio engasgadas.

- Ah, é. - eu sorri pra elas - Somos parceiros.

- Ah, que fofo! - Lola disse e eu ri.

- Vá logo, Harrison. - Lorelai rosnou e revirei os olhos.

- Você não manda em mim - cantarolei, mas subi as escadas mesmo assim.

Os garotos estavam tão quietos que por um momento esqueci que estavam ali.

...

- Por que eu tenho que ir com esses idiotas? - resmunguei subindo no carro dos meninos. Cal me deu um soquinho e devolvi a batida. - Patife.

- Porque sim - Mike respondeu e fiquei espremida entre os dois.

Luke ia dirigir e Ashton sentou-se na frente sem falar nada.

- Pare de reclamar! - Lorelai gritou e eu a mandei calar a boca. A loba riu e fez um gesto vulgar antes de entrar no próprio carro.

- Não sei o que é pior - Luke gemeu - Vocês duas sendo inimigas ou virando amigas.

- Nós não somos amigas.

- Mas pelo menos agora não tentam arrancar o pescoço uma da outra ou se socarem. - Mike concluiu e concordei com ele.

- Você fica ridícula nessa capa - Cal comentou puxando o tecido vermelho.

- Vai se ferrar, Hood - o acotovelei.

- Mano! - ele resmungou esfregando as costelas - Você é forte pra caramba.

- Obrigada - sorri satisfeita e Luke piscou pra mim no retrovisor.

Lorelai e as amigas dela estavam em um carro e Lola tinha ido com elas, as outras banshees estavam em um segundo carro.

- Cadê Kendra? - perguntei ao lembrar da loba.

- Disse que chegaria a reunião na hora que quisesse - Cal bufou - Um dia ela ainda me mata.

- Eu pagaria pra ver - ri e ele me olhou irritado.

- Você deveria ser mais minha amiga.

- Ué, por quê?

- Porque sim. - dei risada e ele sorriu. - Onde foi hoje? - assim que ele fez a pergunta revirei os olhos - O que foi? Só fiquei preocupado depois que sumiu o dia todo.

- Ficamos - Luke adicionou e meu coração aqueceu um pouco de saber que eles me consideravam tanto.

- Eu estava com Nikai. Vocês não precisam se preocupar.

- Não confio nele - Mike deu de ombros.

- Ele é meu parceiro! - eu disse num rosnado. - Nunca me faria mal ou deixaria alguém fazer.

- Ah, nós temos certeza disso - Ash falou - Mas ele ainda está do lado errado.

- E se nós estivermos do lado errado?

- Que merda fizeram com você? - Calum explodiu - Tá ficando louca, Gwendolyn? Os Dominadores querem escravizar os humanos.

- O que os humanos já fizeram de bom pra vocês até hoje? - assim que perguntei percebi que soei assustadoramente como Lotus.

- Nós não nascemos lobisomens - Cal sussurrou e eu engasguei.

- Há como ser transformado em lobisomem com mordidas, Gwen. Achei que você assistia filmes o suficiente pra saber - Ashton acrescentou.

- Não seja rude - disparei pra ele.

- Não estava sendo.

- Rá - exclamei irônica.

- Parem com isso - Luke rosnou irritado.

- Foi Lorelai que transformou vocês, né.

- Aham - Mike assentiu e engoli em seco.

- O que aconteceu? - murmurei.

- A conhecemos quando tínhamos dezoito anos, aqui na Austrália mesmo.

- Quantos anos atrás?

- Cinco - Cal respondeu.

- Pode continuar, Luke.

- Começamos a sair com elas. Kayla, Olive e Madison. E um monte de coisa louca começou a acontecer. - ele suspirou - Um dia, eu falei que não queria mais ficar perto dela atraindo todos os tipos de problema.

- Lorelai surtou - Ash estremeceu como se lembrasse.

- E nos transformou. - Luke concluiu.

- Que droga.

- Muito - Cal resmungou.

- Por isso continuam respondendo a ela?

- Se desertarmos podemos ser caçados - Mike reclamou como se já tivesse pensado na possibilidade um milhão de vezes.

- Pela alcateia do pai dela ainda. - Ash murmurou e senti uma pitada de medo na voz dele.

- Achei que você já sabia - Luke disse. - No dia em que Lotus foi sequestrada. Você provocou Lorelai a chamando de princesa e egoísta por ter nos amarrado nela. E sobre termos que ficar ao lado dela pra sempre.

- Não sabia de nada. Achei umas informações num daqueles livros antigos. E rabiscos do Autor, sobre vocês. Vocês sabem quem é ele?

- Não, quase ninguém sabia. Mas sei que ele morreu. - Luke me respondeu.

- Klaus disse que ele era enxerido.

- E era - Ash disse.

- Enfim - eu quis desviar do assunto ao ver que eles não estavam muito felizes com o tópico Lorelai - onde é a reunião?

- Numa mansão afastada. - Luke respondeu.

- Ah, que ótimo - murmurei. - Vai ser ótimo estar presa no meio do nada com seres mágicos.

- Você também é uma de nós. - Calum riu.

- Ah, eu sei.


Notas Finais


depois do proximo cap eu volto c pov lotus gente

espero que gosteeeeeem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...