História It's Me - (RavnWoong - YoungWoong) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias ONEUS
Personagens Hwanwoong, Keonhee, Leedo, Personagens Originais, Ravn, Seoho, Xion
Tags Hwanjo, Hwanvn, Oneus, Ravnwoong
Visualizações 8
Palavras 1.260
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Ficção, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente amor esse grupo de coração, principalmente o Hwanwoong, venho acompanhando ele a um bom tempo e agora tenho o prazer de trazer a vocês esse Shipp maravilhoso.

Pode ser que surjam outros Shipps mais chamativos, porém a interação desses dois vem bem antes do Debut e caramba eu amo real kkkk então é isso, espero que gostem!

Antes de qualquer coisa somos ToMoons!

Boa leitura e até a próxima! ❤️

Capítulo 1 - Amor Falso - Capítulo Um


Fanfic / Fanfiction It's Me - (RavnWoong - YoungWoong) - Capítulo 1 - Amor Falso - Capítulo Um



~ AMOR FALSO ~

Capítulo Um





Seus olhos se encheram de lágrimas, seu coração parecia que ia explodir de tanto que pulsava. Encarando os olhos da mulher que a minutos atrás conhecia e agora não fazia ideia de quem era, pela primeira vez sentiu nojo dela.

— Ravn... Por favor... — Disse chorosa.

— Luci, pegue suas coisas... — Encarou de cima, limpando suas lágrimas. — Eu não te quero mais aqui!

— Meu amor, acredite em mim! — A loira o abraçou. — Isso tudo foi forjado, Leedo está mentindo!

— Não ouse falar do Leedo, ele é meu irmão! — Afastou o corpo dela. — Jamais mentiria para mim... — Passou as mãos nos fios escuros. — E depois, eu conheço esse cara, teve aquele incidente da festa de aniversário do Seoho!

— Aquilo... Aquilo não foi nada, você sabe disso! — Ela disse alto, tentando toca-lo outra vez.

— Não! Pare de mentir, Luci! — Se afasta, indo em direção ao quarto.

— O que você vai fazer? — O seguiu.

— Vou fazer suas malas, você vai embora dessa casa agora! — Youngjo tirou duas malas do guarda roupa e abriu o outro lado, tirando vestidos, casacos, calças, blusas e sapatos da mulher.

— PARAA! — Tentou impedi-lo. — RAVN, PARA, NÃO FAÇA ISSO COM A GENTE, VOCÊ SABE QUE EU TE AMO! — Gritou.

— Não me chame mais de Ravn, me esqueça! — Montou as malas, e pegou o celular discando o número de um táxi. — Já te fiz esse favor, amanhã entro com os papéis do divórcio, e trate de pagar o táxi com o resto do dinheiro que você ainda tem, porque eu vou cancelar todos os seus cartões!

— Então é isso? — Ela limpou as lágrimas, borrando a maquiagem. — Você vai acreditar no seu irmão, do que em mim!

— Vai embora! — Falou alto, fazendo a mulher se assustar e ir para trás.

A mesma rapidamente pegou as malas e saiu pela porta do quarto, pelo caminho havia várias fotos dela com diversos homens diferentes, os empregados tentaram ir ajudá-la, mas o Kim exigiu que deixasse ela fazer por conta própria. 

Na entrada o carro já a esperava, Ravn lançou um olhar de desprezo antes da porta ser fechada por um dos serviçais.

— Me entreguem todas essas fotos, vai ser útil! — Pediu se retirando para o quarto.

Bateu a porta e pegou a aliança, tirando e colocando em cima da cômoda onde Luci costumava a usar para colocar seus perfumes e joias. Puxou um pouco a gravata, e se jogou na cama, desconfiava dela, mas preferia acreditar que era mentira e que ela o amava.

Agora podia entender que ela apenas queria seu dinheiro, e que todas as tentativas do Leedo lhe abrir os olhos finalmente deu certo, quase brigou com seu irmão por causa dessa mulher. Fechou os olhos e escorreu uma lágrima, ainda ama ela, seu coração gritava pedindo para ir atrás, mas não iria, não seria idiota a esse ponto.

Por conta do cansaço e ocorrido da noite, se virou na cama e dormiu.

)×(

Dia Seguinte:

Acordou, já era outro dia, seu coração apertou ao lembrar do ocorrido do dia anterior, porém se levantou mesmo assim, indo fazer suas higienes e partir para outro dia de trabalho.

Passou instruções para os serviçais, informando que naquele mesmo dia seria trocado todas as chaves, telefones e qualquer outro acesso que Luci pudesse ter a casa ou ao Ravn. Dito isso, ele entrou em seu carro e dirigiu rumo a empresa, passou direto sem cumprimentar ninguém e se trancou na sala.

— Ravn... — Leedo entrou na sala. — Como você está?

— O que você acha? — Disse rude.

— OU! Eu só perguntei. — Mostrou os braços em sinal de rendição.

— Desculpe... Eu estou... — Youngjo segurou os cabelos. 

— Tudo bem, não se esforce muito! — Leedo se sentou na frente do irmão. — Você acha que ela vai querer assinar os papéis?

— Não sei, eu só quero me livrar dela de uma vez! — Se encostou na cadeira.

— Vai da tudo certo, acredito em você!

— Isso nunca mais vai acontecer! — Ravn disse firme.

— Do que você está falando? — Perguntou.

— Eu nunca mais vou me apaixonar, está decidido! — Leedo riu baixinho e tocou na mão do irmão.

— As coisas não são assim, não mandamos no nosso coração, Ravn. — Explicou.

— Eu estou falando sério! — Youngjo se levantou. — Foi perda de tempo, percebi que nada disso vale a pena.

Leedo tentou explicar, mas não iria aceitar esses argumentos, então seu irmão simplesmente disse que uma hora ou outra ele iria se apaixonar, e no final veriam quem realmente estava certo.

— Mais tarde eu volto! — Leedo disse antes de sair.

Quando finalmente ficou sozinho, recebeu um e-mail sobre o dia em que o processo do divórcio seria realizado, novamente seu coração apertou, respirou fundo e respondeu o e-mail confirmando. Foi nesse meio tempo em que cancelou todos os cartões que Luci usava e recebeu uma ligação de que a mulher tinha ido lá na casa, mas não obteve sucesso.

Focando em qualquer coisa que não fosse esse maldito casamento, recebeu outro e-mail sobre uma vaga liberada, afinal sua estagiária havia finalizado o contrato a dois dias atrás. Pegou o telefone, informando a liberação da vaga para candidatos e que ele pessoalmente iria fazer as entrevistas, pelo menos assim iria passar o tempo e ocupar sua mente.

[...]

O dia estava correndo, já havia vinte candidatos para a vaga, não estava empolgado e simplesmente estava de mal humor.

O primeiro que entrou em sua sala não havia ficado nem três minutos, todos tinham a mesma faixa de idade, mas nenhum parecia que levaria a sério o trabalho, ou parecia que era só o mal humor afetando.

— Yeo Hwanwoong! — Chamou de acordo com por ordem de chegada.

O ruivo desengonçado se levantou carregando nos braços alguns livros aparentemente da faculdade, estatura baixa se diferenciando dos demais. Ele entrou na sala e foi lhe oferecido a cadeira na frente da mesa do Ravn para sentar, seus olhos curiosos percorria por toda a sala até voltar sua atenção para o Kim.

— Então... — Youngjo cruzou os dedos a frente do corpo. — Quais são seus interesses nesta empresa?

O garoto ajeitou os livros sobre sua perna e tornou novamente sua atenção para ele.

— Eu estudei sobre essa empresa em uma das aulas que tive na faculdade, achei interessante a dinâmica que vocês utilizam e quero criar futuramente uma empresa nesse aspecto! — Finalizou com um sorriso.

— Ahm... — Encarou o mais novo. — Agora fala a verdade!

Hwanwoong desfez o sorriso e Encarou o homem a sua frente.

— Eu preciso do emprego! — Falou, já ficando nervoso pelo fato do outro lhe encarar.

— Você sabe que os outros também precisam, não é? — Ravn se inclinou um pouco.

— Olha, eu realmente falei a verdade quando estudei sobre essa empresa, não quero perder essa oportunidade, não tenho experiência, mas eu aprendo rápido! — Disse nervoso.

— E quem me garante que você será capaz disso? — Perguntou.

— E-Eu... — Hwanwoong se levantou. — Eu garanto isso! — Falou um pouco alto, fazendo o Kim levantar uma sobrancelha. — Basta confiar em mim!

— Você passou! — Kim falou, fazendo o rapaz soltar os livros no chão.

— O q-que? — O ruivo perguntou, surpreso.

— Você está contratado! — Falou de um forma mais clara.











Até o próximo capítulo... 


Notas Finais


Qualquer erros será corrigido! ❤️

Beijos da SunaArt! ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...