1. Spirit Fanfics >
  2. It's my baby - Wangxian Version >
  3. Your babies, only yours

História It's my baby - Wangxian Version - Capítulo 24


Escrita por:


Notas do Autor


Sorry, hoje vai sem revisão porque não almocei e é meu único tempo disponível.

Boa leitura <3 Obrigada por acompanhar e comentar sempre, isso me deixa muito feliz, sério

Capítulo 24 - Your babies, only yours


 

   

       P. O. V. Lan Zhan

 

    É a minha segunda semana com as meninas e eu não ainda não consegui dormir por mais de três horas, são oito da manhã e elas choram desesperadas. Me levanto automaticamente e sigo de olhos fechados até o quarto delas, eu nunca pensei que ser pai fosse tão difícil.

   Eu sabia que bebês choravam toda hora, faziam necessidades toda hora, ficam doentes com facilidade, mas não sabia que duas bebês seria o dobro disso e mais dor de cabeça. Recebi uma licença paternidade que já está no final e eu ainda não me acostumei com tanta diarréia verde e catarro em meninas tão pequenas.

    Entrego a boneca que GuangYao fez para A-Qing pra ela enquanto pego A-Ning e a troco. Logo faço o mesmo com A-Qing e elas parecem se acalmar, escuto alguém bater na porta e instantaneamente eu me sinto mais aliviado, deve ser o Yao.

    Deixo as garotas no berço e vou até a porta, abrindo e me deparando com o anjo das meninas.

     — Aposto que não tomou café ainda. — Jin diz com o café da manhã comprado nas mãos, rio assentindo e dou passagem.

     — Elas estão lá no quarto, estavam chorando e... — No mesmo instante uma delas começa a chorar, fazendo a outra chorar também e começa aquilo tudo de novo.

     — Pode deixar, faz as mamadeiras que eu acalmo elas. — Ele diz me entregando o café e a pequena caixa de croissant's.

    Yao tem me ajudado bastante nesses dias, sem ele a polícia encontraria um corpo jogado em meio a gritos das meninas, e ele até traz o meu café da manhã às vezes. Não sei nem como agradecer por tudo que ele me fez, me ajudando todo dia com elas.

     Faço as mamadeiras das meninas e as levo para Yao, entrando no quarto enquanto minha cabeça agradece pelo silêncio no lugar. Ele colocou as duas juntas no mesmo berço e estava brincando com elas, acho que elas gostam da companhia uma da outra.

    — Aqui. — Chamo sua atenção, ele pega uma mamadeira e volta pra perto do berço.

    — Conseguiu dormir hoje? — Pergunta colocando a mamadeira na cômoda e pegando A-Qing para me entregar.

    — Pouco, mas consegui. — Respondo colocando delicadamente a mamadeira na boca da pequena em meu colo. — Recebeu alguma mensagem do Wei Ying?

    — Não, nenhum sinal. Ele não me atende e nem responde minhas mensagens. — Yao pega A-Ning e alimenta ela também.

     — Será que ele tá bem? — Pergunto e ele dá de ombros. — Acho que nunca mais vou ver ele.

   

     — Talvez ele só precise de um tempo, pra pensar sobre tudo que aconteceu, sobre vocês dois.

    — Só espero que ele não me odeie.

    Após terminarmos de dar de mamar para elas, tomo rapidamente o meu café da manhã, troco as roupinhas delas e dou o passeio diário com elas. O carrinho quase não desce no elevador de tão largo, eu preciso comprar uma casa agora que tenho duas filhas.

    Passeamos enquanto penso em Wei Ying, eu queria tanto que ele estivesse com a gente, que ele visse as meninas e segurasse elas. Mas as coisas infelizmente são diferentes, ele não quer nada disso e talvez nunca vai querer.

 

     (...)


 

    P. O. V. Wei Ying

      Termino meus exercícios diários e me olho no espelho, tentando enxergar músculos a mais e gorduras a menos em mim. Suspiro sem resultados, eu engordei bastante por causa de toda aquela comida da gravidez e eu ainda tô com fome, mas eu quero ficar em forma de novo.

     Pego meu celular e analiso as mensagens, GuangYao faz parecer que eu desapareci a anos e Lan Zhan parece um namorado abandonado. Eu odeio responder mensagens, que droga. Me levanto e sigo para o banheiro, vou tomar banho e depois vou na casa do Zhan resolver essa coisa do apartamento, depois vou visitar o Yao e contar que não estou morto nem nada do tipo.

 

     (...)

 

     Okay, agora que estou em frente ao apartamento dele, eu me lembrei de tudo que nos aconteceu e estou me segurando pra não fugir disso e esquecer ver ele de novo. Oito dias desde o nascimento delas, ainda é cedo pra ver ele. Não, Wei Ying, você é poderoso e só vai discutir negócios. Cabeça erguida e peito estufado, vou adquirir meu apartamento lindo e ser um rico de prestígio.

    Entro no apartamento passando pela portaria e ao me ver o porteiro já abre o portão, agradeço e caminho até o elevador.  É agora ou nunca.

    Chego ao apartamento de Lan Zhan e bato na porta, esperando com meu nariz empinado. Ajeito meu cabelo, me sentindo nervoso e então Lan Zhann abre a porta, me olhando surpreso.

     — Wei Ying. — Ele abre um lindo sorriso que me recuso a reparar demais.

     — Eu vim falar do apartamento. — Digo sério e ele dá espaço.

     — Na verdade, eu ainda não comprei o apartamento porque achei que você quisesse escolher. — Ele diz enquanto caminhamos até a sala de estar.

   Ao chegar na sala, paraliso vendo o carrinho duplo ao lado do sofá.

      — Vem. — O alfa me chama e continuo a andar, evitando olhar elas. — Vou ali no quarto buscar o notebook pra te mostrar, já volto.

     — Ei, não vai levar elas? — Pergunto sentindo um certo nervosismo.

      — Não, é rápido. — Lan Zhan diz já saindo e reviro os olhos.

 

     Me viro à elas e as observo de longe, parecem lagartinhas pequenas. Cruzo os braços virando o rosto com a cara amarrada, não quero saber delas. Logo eu as olho de novo e me aproximo lento, ainda com os braços cruzados. Olho para elas, me sentindo curioso, as mãozinhas se movendo para cima e para baixo enquanto soltam barulhos estranhos com a boca. Será que elas querem me dizer alguma coisa? Será que estão incomodadas?

     Observo as duas, notando a semelhança delas e uma até sorri pra mim mesmo com os olhos fechados, me fazendo afastar o rosto. Eu tenho cara de palhaço por acaso?

     Volto a aproximar meu rosto e observar elas, um cheiro de bebê. Aproximo minha mão de uma delas e recuo, voltando a realidade, quando escuto os passos do Zhan. Me afasto delas disfarçando e o alfa se aproxima com o notebook em mãos, se sentando no sofá.

      Me sento ao seu lado enquanto ele procura as fotos do apartamento, levo meus olhos curiosos até as meninas discretamente. Observo elas se mexerem inquietas.

   

     — Olha. — Ele me mostra e presto atenção nas fotos. — Você pode escolher qual desses você quer e eu te compro.

     — Tudo bem... — Digo e ele coloca o notebook sobre minhas pernas.

    Lan Zhan se levanta e vai até o sofá perto do carrinho delas, pegando um chocalho que estava dentro do carrinho e balançando ele enquanto sorri pra elas. Observo a delicadeza de Zhan com as pequenas meninas, será que ele é um bom pai?

     — GuangYao acabou de sair daqui. — Ele diz de repente e corro meus olhos para a tela, voltando a olhar as fotos e analisando.

     — O-O Yao? — Pergunto tentando me concentrar nas fotos.

     — Sim, ele tem me ajudado a cuidar das meninas. — O alfa me diz.

     — Ah, que legal. — Digo sem tirar os olhos da tela.

    — Já escolheu? — Ele pergunta largando o chocalho.

     — Ainda não. — Respondo e levo meus olhos ao carrinho, voltando eles ao notebook. — Acho que elas são ômegas, você está triste com isso?

     Pergunto fingindo estar entretido com as fotos, escuto sua risada e me viro à ele, admirando mais uma vez seu sorriso sincero.

     — De jeito nenhum, na verdade eu tô mais que feliz. Não faria diferença se elas fossem alfas ou betas, eu amo elas. — Lan Zhan diz confiante e sorrio instantaneamente, mas logo desfaço voltando à tela.

     — Eu preciso pensar. — Fecho a tela e coloco o notebook ao meu lado.

      — Tudo bem então. — Ele concorda e me levanto, olhando as meninas em silêncio. — Quer segurar elas? — Ele pergunta risonho.

       — Não, eu... Tchau. — Vou saindo da sala e logo do apartamento.

    O que eu tenho na cabeça? Elas são bebês normais, como qualquer outros, nada de novo. Eu sou muito esquisito, olhando o bebê dos outros. Paro do lado de fora do apartamento de Lan Zhan e suspiro passando as mãos pelo rosto.

       — Foco, Wei, foco. — Digo para mim mesmo.

      Decido que hoje a noite vou em alguma balada, distrair a cabeça disso e aproveitar minha vida como eu queria, bom, como eu quero. É isso que eu quero, né?

  



 


Notas Finais


Esse Wei...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...