1. Spirit Fanfics >
  2. It's Not Because I Like You >
  3. Capítulo 05

História It's Not Because I Like You - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Antes de tudo, perdoem os erros que verem, eu reviso mas néq

Capítulo 5 - Capítulo 05


O caminho até o apartamento foi feito no silêncio total. Por mais que Adora quisesse falar com Catra, não sabia muito o que dizer.

A morena estava bem concentrada na rua, até Adora tirar seu casaco vermelho, fazendo um cheiro doce de perfume se espalhar pelo ar. Rapidamente, mas sem virar a cabeça, olhou para a garota ao lado. Ela se mexia, arrumando seu cabelo. Quanto mais se movia, mais o leve perfume adentrava às narinas de Catra, inebriando-a.

Trocando de marcha, virou bruscamente a rua, trocando o trajeto, fazendo Adora se assustar.

— Para onde estamos indo? — Perguntou com um misto de curiosidade e receio. Catra não falou nada. — Você não vai me matar, esquartejar e me dar de comida para os peixes, não é? — Perguntou com um sorriso nervoso.

— Ninguém merece te comer, nem morrendo de fome e você sendo a única coisa por perto… — Afirmou em provocação.

— É o que, garota?! — Adora, emburrada, pegou o seu casaco e jogou em Catra. — Você é uma vadia muito má! — Xingou, cruzando os braços enquanto a morena, tirando o casaco pendurado em seu ombro e colocando em seu colo, sorriu.

— Eu sei! — Parando em uma vaga de estacionamento, buzinou duas vezes.

— Quem você tá esperando? — Perguntou ao olhar para um pet shop no qual o carro parou em frente.

— Não te interessa. — Disse simples.

Viu uma mulher se aproximar do automóvel e Catra logo tirou o cinto de segurança, saindo do carro. Ela não se tocou que, quando saiu, pegou o casaco de Adora e levou consigo, mas a loira percebeu.

A porta de trás foi aberta e uma caixa grande com alguns furinhos foi deixava no banco. Isso deixou Adora extremamente curiosa.

Assim que Catra voltou para o banco do motorista, voltou a colocar o casaco no colo, ligando o carro sem falar mais nada.

— É um animalzinho? — Os olhos de Adora brilharam enquanto encarava a caixa.

— É um gato. O achei na rua ontem quando estava indo trabalhar. Eu, como uma excelente, amável e bondosa pessoa, não podia deixar ele lá. — Sua fala era extremamente debochada, mas no fundo, Adora sabia das boas intenções da outra. — E não! Não vamos ficar com ele. Amanhã mesmo estarei entregando para a adoção. — Afirmou, vendo o sorriso da loira sumir e ela voltar a se sentar direito no banco.

Assim que chegaram no apartamento, Catra desapareceu para o seu quarto com a caixa, sem nem deixar Adora pelo menos ver o gatinho. Não queria admitir a si mesma, mas ficou chateada com aquela atitude, mas o que poderia se esperar de Catra? Não menos que isso, obviamente.

***

A noite de sexta-feira para pessoas da idade de Adora era a melhor parte da semana, mas ela preferia ficar em casa, com uma roupa confortável e comendo alguma besteira. 

A loira passou o dia inteiro no quarto. Aquilo não era nenhuma novidade. Porém, ao ouvir barulho na sala, entendeu que Entrapta e Scorpia já estavam em casa. Saindo do quarto, foi direto para o banheiro, tomar um banho rapidamente. Ali mesmo ela se vestiu, colocando um shortinho cinza de algodão e uma regata branca. Praticamente, um pijama. Como estava frio, ao entrar no quarto para pentear os cabelos, colocou uma meia igualmente branca e saiu para a sala. Se deparou com Scorpia e Entrapta emboladas uma na outra no sofá, com um balde de pipoca e sorvete. Ao perceberem a presença da loira, logo sorriram.

— Ei! Vem aqui! Estamos escolhendo um filme. — Disse Scorpia, se ajeitando no sofá. — Estávamos pensando em chamar você, mas como não ouvimos nada no quarto, pensamos que estaria dormindo. — Explicou.

— Eu estava tentando fazer o meu trabalho da faculdade, mas ainda não consegui nada. — Disse um tanto chateada, se aproximando das meninas.

— Vem, senta aqui, she-ra. — Entrapta a chamou, batendo em uma parte minúscula do sofá.

Entrapta estava com as pernas jogadas em Scorpia que, por ser grande demais, embolava as pernas no lado da cabeça da amiga. Estavam tão enroladas uma na hora que Adora tinha certeza que não seria fácil para elas saírem dali.

— É… meu nome é Adora, não she-ra. — Falou sem jeito. — Acho melhor eu sentar no chão. — Afirmou, se sentando e encostando as costas no sofá.

— Adora? Por quê? — A de cabelos roxo perguntou, sem entender.

— Porque é o meu nome… — Ela não sabia exatamente o que acontecia com Entrapta, mas tinha certeza que ela não batia bem da cabeça.

— Não liga pra ela! Eu a conheço há cinco anos e ela mal sabe o meu nome… — Havia mágoa naquela frase, mas Entrapta não pareceu entender.

As três ficaram revirando a Netflix, não conseguiam escolher um filme que as três, ou melhor, as duas, Entrapta e Scorpia, gostassem. A mais baixa queria ficção científica enquanto a outra queria comédia romântica. Adora apenas queria se manter longe daquela discussão, comendo pipoca olhando para o catálogo de filmes na tv.

A porta abriu e se fechou com tudo. Catra havia chegado, mas isso não abalou o debate das duas garotas, mas Adora olhou para a morena colocando as chaves na bancada.

— O que as tapadas estão fazendo? — Catra olhou para as duas amigas, ignorando Adora.

— Escolhendo um filme. Quer assistir com a gente? — Scorpia perguntou, mas  depois refletiu por alguns segundos. — Espera aí! Nós não somos tapadas! — Determinou, olhando feio para a morena que apenas revirou os olhos. — Estamos escolhendo um filme.

— Vamos assistir terror! — Catra declarou, roubando o controle de Entrapta e se jogando em cima das duas, que gritaram.

— Não! — Falaram ao mesmo tempo, se contorcendo desconfortavelmente por Catra estar, literalmente, deitada em cima delas. Adora não pôde conter o riso.

— A bruxa de Blair, exorcista ou invocação do mal? — Perguntou, se ajeitando.

— Nenhum! Por favor, Felina, nenhum desses! — Scorpia implorou debaixo da amiga.

— Já disse pra você não me chamar assim! — A repreendeu severamente. — Ok. Então, vamos assistir o iluminado. — Afirmou dando play sem nenhuma das três concordarem.

Entrapta começou a suspirar com uma cara entediada. Não tinha medo, mas não era um dos estilos de filme preferido. Scorpia choramingou, mas parou assim que recebeu um “Shiu!” de Catra. E Adora...Bom, continuava sendo ignorada.

Ela gostava de filmes de terror, mas ainda sim sentia um pouco de medo.

A medida que as cenas iam acontecendo, as pernas da loira que, antes estiradas no chão, se encolhiam, aproximando-se do tronco. Por mais que Catra estivesse com os olhos na tv, pela sua visão periférica, via cada gesto de Adora. A garota estava assustada e a morena gostava disso. As mãos de Adora deslizavam lentamente por suas coxas. O que era uma tentativa de se acalmar, para Catra, se tornou uma provocação. Com a cabeça apoiada no braço do sofá na parte que Entrapta estava, Catra simplesmente tirou sua atenção no filme e pôs nas pernas de Adora que, por sua vez, estava alheia a situação.

No meio no filme, uma cena mais forte passou e Scorpia deu um grito tão alto que estremeceu os ouvidos das três, as assustando de um jeito que elas deram um pulo. Scorpia se levantou contudo, fazendo as pernas de Entrapta torcer e Catra ser jogada do sofá, caindo em cima de Adora que, por reflexo, abaixou as pernas e deu um gritinho.

— Eu nunca mais assisto isso na minha vida! — Scorpia berrava enquanto saia correndo para o quarto.

Entrapta resmungava de dor e Adora estava em choque com Catra atravessada em seu colo.

— V-Você tá be…

— Não me toca! — Catra interrompeu a fala da outra assim que sentiu a aproximação das mãos dela.

Ela se levantou e saiu furiosa da sala. Levar um tombo não era uma das coisas favoritas dela, muito menos a deixava de bom humor.

— Louca… — Adora disse baixinho e olhou para Entrapta que abraçava suas perna doloridas. — Eu vou buscar gelo. — Avisou, indo para a cozinha.

Mais uma vez, a noite sendo estragada por Catra. Sempre Catra…

***

A manhã amanheceu chuvosa. Era sábado e Adora não ficava surpresa de, em plena 10h, todas ainda estarem dormindo. Assim que escutou batidas na porta, a loira saiu correndo até lá com uma torrada na boca. Era Glimmer. Vencendo a amiga pela sua insistência, estava ali para que as duas pudessem se arrumar para a festa. Tudo isso para ter certeza que Adora não daria um bolo, já que Bow contou à ela como Adora parecia insegura. Então, Glimmer combinou de passar o dia com a loira.

Aquilo era bom para Adora, pois realmente gostava da amizade com a garota. Ela a entendia perfeitamente, assim como Bow.

As horas passavam e as duas se divertiam muito. Jogavam video game que Glimmer trouxera, debatiam coisas da faculdade e comiam guloseimas sem parar.

De vez em quando elas viam Entrapta e um robô em forma de bola verde andando de um lado para o outro. Também viam Scorpia cantarolar, mas logo sumir. O que não viram foi Catra. Mesmo que o quarto  de Adora fosse de frente para o dela e a porta estivesse aberta, não obteve nenhuma sombra da mesma.

— Então, o que acha desse? — Glimmer estendia um vestido roxo, chamando a atenção de Adora sentada na cama.

— Wow! Esse vestido ficaria lindo em você. — Sorriu, admirando o tecido brilhoso.

— Eu sei… — Disse convencida. — Estava pensando nele, mas é muito chamativo para apenas uma festa de faculdade. — Afirmou, colocando o vestido na cama.

Com Glimmer entretendendo-a, não viu quando finalmente Catra saiu do quarto. Por causa da porta aberta de Adora, a morena se deparou com as duas ali, rindo e mostrando roupas uma para outra.

Se lembrou de quando era criança e ela e Adora faziam as mães delas comprarem roupas iguais para que pudessem brincar no parquinho como se fossem gêmeas. Elas amavam aquilo. E Fazia tanto tempo... Às vezes, Catra gostaria de voltar ao passado apenas para reviver alguns momentos com a ex-amiga. Atualmente, estava mais amargurada e sem paciência, mas no fundo, tudo o que precisava era apenas de um pouco de atenção e carinho.

Estreitando os olhos em sinal de desaprovação de seus pensamentos, saiu dali como um foguete. Para ela, era bem mais fácil tratar mal Adora do que admitir que sentia saudades ou esquecer do quanto a loira a magoou.


Notas Finais


O próximo cap é a bendita (& clichê) festa. Os caps anteriores já estavam escritos há um pouquinho de tempo, por isso as rápidas atualizações. Agora, peço um tiquinho de paciência para o prox, pondo em vista que terá que ter uma atenção a mais na escrita e na criatividade. Não vai demorar mt, mas não vai ser tão rápido como foi os anteriores XD


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...