1. Spirit Fanfics >
  2. It's Not Hate and Love - Imagine Jeon Jungkook >
  3. Capítulo 20

História It's Not Hate and Love - Imagine Jeon Jungkook - Capítulo 21


Escrita por:


Notas do Autor


Olá! Olá! Olá!

Como vocês estão nessa quarentena? Vocês estão bem? Estão se cuidando? Me falem que sim.
Todo cuidado é essencial nesse momento, enfim só vim desejar uma boa leitura e fiquem com estes dois bipolares.

Capítulo 21 - Capítulo 20


Fanfic / Fanfiction It's Not Hate and Love - Imagine Jeon Jungkook - Capítulo 21 - Capítulo 20

Você é diferente.  Foi tudo o que ele me disse após sumir do meu campo de visão na quarta-feira e sem entender fiquei com essa simples frase em minha mente o restante do dia, ele não apareceu na quinta na escola e achando estranho fui atrás de respostas e quando as encontrei me sentir aliviada em apenas saber que ele perdeu o horário.

Conversei com minha mãe sobre os sentimentos que havia sentindo, as sensações e momentos malucos, mamãe ousou em dizer que estou me apaixonando pelo garoto e apenas neguei a deixando sozinha na cozinha. Sorrir ao entrar em meu quarto pensando nessa possibilidade de estar tendo sentimentos, mas nós somos apenas amigos e isso foi ele mesmo que propôs e disse para ser mais exato, mas ele também me disse que amigos não se beijam e nem se aproximam da forma como nos aproximamos quando estamos perto um do outro. Chego a pensar que meu corpo tem ação própria quando se trata de Jeon, o garoto qual odiei por bastante tempo e que hoje me mostrar ser alguém diferente do que pensei, não posso negar que tenho um pé ainda atrás consigo e uma pulga atrás da orelha.

Eu tenho vontade de o pergunta o que ele falava com Yura naquela biblioteca quando pedir para ele ficar longe, pergunta o por que dele agir tão protetor comigo e pergunta por que ele foi atrás do meu pai falando que ele me levaria em casa todos os dias após o nosso castigo. Certo que tanta segurança me incomoda e sufoca, mas sinto a necessidade de discar seu número e falar consigo nessa tarde de sexta exaustiva em que fomos liberado da escola por conta da dedetização regular de seis em seis meses. Deslizo a tela abrindo a agenda vendo seu contato salvo, eis a mera questão em minha mente conturbada – ligar ou não ligar? -, travo a tela desistindo e jogo meu aparelho para o lado da cama escutando o mesmo cair no chão, - nem parece que não primeira caída ao chão eu abrir a boca por conta do arranhão na película -.

- Filha está dormindo? – Ouço a voz da minha mãe do outro lado da porta fazendo-me encarar a estrutura a vendo ser aberta pela mesma. – Que cara de bunda é essa? – Sorrir me sentando. – Você tem visita.

- Quem é que veio me incomodar?

Minha voz acaba risonha e a mesma dar de ombros saído enquanto a sigo pelo corredor, desço as escadas bocejando por sentir sono – normal –, coço meus olhos e minha mãe me dar um empurrão de leve toda sorridente, a olho sem entender antes dela sumir para sua cozinha bem cuidada que se espelha mais a lente do óculos que uso.

- Pensei que não iria descer.

A voz conhecida por mim faz com que eu olhe para o centro da sala, vendo ali o garoto com uma toca enquanto olha a tela do seu celular, mas logo o deixando de lado passando a me olhar com um sorriso no rosto.

- O que está fazendo aqui?

- Não posso vim te visitar? Que feio _____.

- No dia em que não tivermos aula? – Pergunto e ele dar de ombros. – Achei que estaria jogando seus games ou vendo filmes ou saído com alguém ou estando fazendo tudo isso com seus amigos.

- Você é maluquinha. – Um riso surgir em sua face e acaba sendo acompanhado por mim. – Estive com eles pela manhã, mas agora já é tarde e vim ver como você está.

- Estou bem e isso é estranho. – Falo o óbvio o vendo concorda. – Por que está me olhando assim?

- Nunca lhe vir de óculos antes. – Diz sincero.

- Eu uso mais lentes, porém em casa gosto de usar eles. – Me jogo sobre o sofá enorme o vendo sorrir. – E você usa?

- Somente para ler. – Murmuro por conta da minha posição e escuto passos pela casa e em seguida a voz da minha mãe mandando eu me senta direito. Acabo sorrido e me sento a vendo sorrir para o garoto a minha frente e logo depois sair toda risonha, eu devo controlar a minha mãe. – Você quer sair comigo?

- Sair com você? – Pergunto interessada. – Se for ter comida eu vou.

- Que interesseira. – Diz indignado e dou de ombros.

- Vai ter ou não?

- Vista algo mais quentes, está frio lá fora.

- Ok, eu só preciso avisa a minha mãe.

- Ela já foi avisa e está ciente que iremos sair, assim como seu pai.

O olho incrédula e espantada, porém me levantando subindo correndo pelos degraus escutando sua risada, entro no quarto trocando meu moletom por uma calça, blusa de mangas e o moletom pedido do meu primo quentinho que fica no fundo do guarda-roupa, a peça fica grande e não ligo tanto, calço meus sapatos e saio do quarto minutos depois, de dois em dois pulo os degraus encontrando meu pai em uma conversa com o garoto que sorrir ao me ver.

- Tomem cuidado e me liguem caso aconteça algo.

- Não se preocupem senhor Kim. – Diz firme e meu pai apenas afirma. – Cuidarei dela como havia dito ao senhor.

Papai olha-me e dou de ombros sentindo seu beijo sobre meus cabelos, sigo o garoto para fora de casa e respiro ao não ser seguida pelos seguranças. Vejo Yuri e aceno para o mesmo que retribuir sorridente, o garoto abrir a porta do seu carro e entro o vendo fechar a mesma para logo tomar seu lugar ao meu lado, coloco o cinto junto consigo e acabamos sorrindo.

- Onde você está me levando? Vai ficar muito tarde.

- Surpresa e para de ser boba ainda são quatro da tarde. – Diz convicto.

- Para de jogos Jungkook, onde você está me levando?

- Deixa de ser curiosa demais mimadinha. – Diz e o encarro contento minha raiva do mesmo. Bufo irritada e cruzo meus braços o ouvindo sorrir. – Você irá gostar.

- Se for alguma gracinha, eu te jogo desse carro.

- E quem vai dirigir? Você nem tem carteira ainda.

Diz risonho fazendo-me bufa ainda mais. Jungkook um e a minha pessoa zero, encosto minha cabeça sobre o vidro olhando as ruas passarem e um garoto cantor que não conhecia além do seu lado esportivo surgindo ao meu lado enquanto dirige, o mesmo sorrir ao batucando seus dedos no volante e apenas sorrio ao ver seu olhar se desviar para o meu. Em torno de uma hora se passou e o tanto que xinguei o garoto ao está perto de escurecer e nada de chegar ao bendito local, contudo me surpreendo ao ver ele tomar a direção as montanhas parando consequentemente em um lugar e me surpreendo ao ver o mesmo movimentado.

Saio do veículo e vejo Jungkook abrindo a porta malas do carro. Olho sem entender e sigo até o mesmo o vendo retirar algumas coisas dali de dentro, sorridente ajudo o mesmo a retirar as coisas. Sigo ao seu lado um pouco receosa com tudo em nossa volta, o me estende a cesta fechada retirando das minhas mãos o tecido o forrando no chão, me sento quando o vejo ir até o carro novamente.

- Você é bizarro. – Sussurro olhando a cesta á frente.

- Ei vem me ajudar aqui. – Olho para o garoto o vendo com travesseiros nos braços, levanto indo o ajudar.

- Para que tudo isso? – Seguro os dois travesseiros o vendo com uma manta nas mãos enquanto fecha por fim o porta malas ligando o alarme do mesmo. – Jungkook!

- Só vem se sentar.

Diz e respiro fundo voltando onde estava, o entrego os travesseiros e o mesmo se senta olhando a visão a sua frente, minha boca se abri ao ver a cidade daqui de cima – eu nem ao menos tinha reparado antes -. O olho o vendo dar de ombros vendo minha situação, retiro meu celular do bolso registrando uma foto voltando a me sentar ao seu lado.

- Por que me trouxe aqui e trouxe tudo isso?

- Já ouviu falar em piquenique noturno? – Nego. – Faremos um e você terá uma surpresa.

- Já disse que você é um amigo estranho?

- Já disse várias coisas nerd, mas aproveita que minha mãe fez bolo de chocolate e trouxe para você.

Meu riso aumentou ao ver que na cesta aberta encontra-se comida, ele me estende uma vasilha e uma colher, abro a mesma sem perda de tempo degustando do bolo que por incrível que pareça derrete em minha boca. O garoto sorrir para mim enquanto come seu pedaço roubado da minha vasilha, apenas o fuzilo me distanciando do mesmo em resmungos.

- Eu tenho todinho nerd.

- Deixa meu bolo, é meu. – Digo de boca cheia encarando a vista a minha frente. – Seu maluco.

Em toda a minha vida, eu nunca vim aqui e agora estou aqui com meu inimigo idiota que odiei por muito tempo e que agora estamos nos dando uma oportunidade de ser amigos, mesmo quando meus batimentos aceleram quando estamos próximos demais um do outro. Ufa! Que agora eu respiro fundo.

Jungkook por sua vez retira de uma bolsa uma máquina fotográfica que nem ao menos havia notado que ele estava com a mesma. Em um aceno do mesmo eu me levanto com minha vasilha o seguindo entre as pessoas, passo por si seguindo na frente até a área de proteção da montanha, elevo o último pedaço de bolo e ouço um flash.

- Você tirou uma foto minha comendo Jungkook! – Esbravejo o vendo risonho para câmera. – Apaga.

- Ficou legal, vai. – O mesmo se aproxima ficando do meu lado e devo admitir que a fotografia ficou legal. – Mas não irei apagar.

- O que eu não sei mais sobre você? – Pergunto o vendo fotografar agora a vista a nossa frente. O mesmo apenas sorrir e acabo voltando ao nosso cantinho deixando a vasilha dentro da cesta, onde encontro alguns morangos e uvas. – Ele é doidão.

Volto ao mesmo e o vejo ainda perdido em seu mundo fotográfico, assim como ele retiro meu celular tirando algumas fotos as enviando a Luna, vendo seus surtos. Olho para Jungkook e tiro discretamente uma foto sua, porém assim como a mim tiro fotos suas o vejo tirar fotos minhas.

- Tá legal, vamos tirar uma juntos. – Falo e o mesmo me olha surpreso. – Vai Jungkook.

Tiro uma foto consigo e o vejo com cara de tacho tomando meu celular das minhas mãos encarando a fotografia com um sorriso.

- Ficou legal, me manda depois. – Afirmo. – O que você quer fazer antes que escureça?

- Eu quero comer. – Digo sincera o vendo me olhar incrédulo. – O que é você trouxe comida e isso me agrada bastante.

- Você ainda pensa no que eu disse naquele dia na escola? – Ele deixa sua câmera de lado e segue para onde estávamos antes. Sigo atrás de si, porém tropeço em meus próprios pés, mas antes que eu caia agradeço quando alguém que ajudou-me.

 – Obrigada! – Digo ao me erguer sendo grata ao garoto que apenas sorriu, contudo ao se afastar noto Jungkook ao meu lado dessa vez segurando em minha mão levando-me consigo.

- Você está bem? – Afirmo e me sento após deixa sua mão livre da minha. Olho para frente vendo aos poucos algumas luzes se acederem da cidade e um riso surgiu em minha face, olho para Jungkook e me sento ao seu lado dessa vez sentido o vento gelado tocar a minha pele. - _____ você não me respondeu.

- Por que me trouxe aqui? – O fito. – O que você realmente quer?

- O que eu realmente ando querendo não pode ser dito enquanto a minha pergunta não for respondida. – Minha expressão foi a melhor possível, pois no instante seguinte o vejo quase se engasgar comendo alguns morangos. – Você tem que ver a sua cara.

- Isso não tem graça. – Lhe acerto com o travesseiro o vendo me olhar incrédulo. – Vai me responde.

- Me responde primeiro. – Acompanho suas ações e apenas respiro fundo o vendo me olhar fixamente. Mordo meus lábios e desvio do seu olhar que me deixa sem saída, sua mão toca a lateral do meu rosto fazendo-me o olhar novamente. – Você quer ser apenas uma amiga?

- Por que está repetindo tudo de novo? – Afasto de seu toque e me deito no tecido deixando minha cabeça sobre o travesseiro. – Eu acho que já sei por que me trouxe aqui.

- Mudando de assunto? – Sorrir o olhar se deitar olhando o céu. – Você me disse que queria ver as estrelas fora da cidade e aqui estou realizando seu desejo.

- Você planejou tudo isso. – Sussurro sentindo meus olhos marejarem deslizando pelas laterais dos meus olhos as águas salgadas.

- Você está chorando. – Diz se sentando rapidamente enquanto me fita. Me sento o encarando fixamente sentindo minha respiração pesada e acelerada, assim como as batidas do meu coração. – Quando aquilo aconteceu você também sentiu não foi? – Ele sorrir e afirma. – O que eu não entendo é o porquê você se aproximou de mim Jungkook?

- Por que eu quero está perto de você. – Diz e me calo ao ver ele se aproximar. – Eu pensei em muitas coisas e conversei com meu pai e aqui estou eu relembrando as coisas que o Jin e Yoongi me disseram. Eu sinto meu coração bater quando você está por perto como um louco, sinto as coisas como uma bomba relógio sabe.  Você não precisa responder agora e não precisa responder se não quiser.

Eu tento dizer algo, porém não consigo dizer nada. Viro-me para frente abraçando meus joelhos encarando o céu acima vendo as estrelas que sempre quis ver sem as luzes da cidade, aos poucos as pessoas vão indo e sinto que as palavras da minha mão fazem sentindo. Eu estou devidamente gostando do garoto idiota bem mais que um simples amigo, o olho de lado vendo observar o céu, levanto-me seguindo até a área de proteção, fecho meus olhos deixando tudo a minha volta acontecer e ao abrir meus olhos sinto a presença do mesmo atrás de mim.

- Eu não sei ao certo o que podemos ser Jungkook. – Falo sentindo sua respiração sobre minha cabeça fazendo-me sorrir breve. – Mas eu acho que a minha mãe estava certa.

- Você é complicada. – Sinto seu abraço por trás de mim e me arrepio de imediato. – Eu acho que gosto de você pirralha.

Ergo a minha cabeça e sorrio o vendo me olhar fixamente. Por um único momento sinto a sensação de me sentir sozinha se esvair de mim, respiro fundo ao sentir as mãos sobre minha cintura, automaticamente minhas mãos se juntam as suas as apertando. Meu coração acelera, as batidas se tornam fortes quando seu nariz roçam meu pescoço, fecho meus olhos com a sensação e o escuto sorrir após beijar a pele.

- Jungkook é... - Afasto-me de si o vendo me olhar preocupado, acelero meus passos voltando para perto do carro, porém meu braço é agarrado por si fazendo-me parar antes de concluir meu pensamento.

- Você vai fugir mesmo depois de eu ter falando dos meus sentimentos por você garota? – Sua voz soa firme e me encolho me soltando de si. – Espera você nunca namorou antes?

Sua pergunta escapa e mordo meus lábios firme. O mesmo respira fundo bagunçando seus cabelos e o vejo colocar as mãos na cintura olhando-me.

- Eu vou te levar para casa.

Diz passando por mim e noto sua expressão frustrada. Sou burra, é isso. Ajudo o mesmo a recolher as coisas no chão, porém ele diz que pode fazer tudo sozinho e que eu não me preocupe, afasto de si e dou de ombros voltando a olhar o céu e as estrelas, meu riso aumenta ao ver uma estrela cadente passando e então fecho meus olhos fazendo um pedido o qual eu só saberei se irá se cumprir. Meu nome é chamado por si e o olho o vendo entrar em seu carro, sigo até o mesmo abrindo a porta coloco-me no meu lugar e vejo o mesmo não ligar o carro.

- Desculpas ____. – Sussurra.

- Você não precisa pedir desculpas Jungkook. – Falo o fitando. – Você só não sabia disso até por que eu nunca contei.

- Estraguei a noite. – Diz risonho e nego saído do carro o vendo fazer o mesmo. Dou a volta no carro e me encosto sobre o veículo vendo ele se colocar ao meu lado observando algum ponto qualquer que não seja o meu rosto.

- Você não estragou a noite Jungkook. – Falo. – Eu só preciso de coragem para uma coisa antes de irmos embora.

- Que coragem?

Respira que você consegue. Minha mente diz e assim fico defronte de si o vendo me olhar intenso, elevo minhas mãos a sua jaqueta e ainda de olhar baixo vejo suas mãos em minha cintura puxando-me para si, suas pernas se afastam e fico entre elas, respiro fundo erguendo meu olhar para si o vendo tenso assim como a mim.

- A coragem para lhe beijar sem pensar que somos amigos ou qualquer outra coisa.

Dito isso o vejo sorrir abertamente e antes me arrependa seguro em sua jaqueta, beijando dessa Jeon Jungkook, o carinha estranho que odiei e que agora sei o que sinto. Eu estou realmente gostando dele, estou me apaixonando pelo playboy marrento.

As mãos me predem em contra si em um aperto forte, as minhas se envolvem em seu pescoço permitindo sentir a textura de seus lábios contra os meus e a sua língua em junção da minha, antes que nos afastamos por completo seus lábios sugam os meus, os deixando preso entre seus dentes. Abro meus olhos o vendo abrir os deles separando de uma só vez nossas bocas, Jungkook sorrir abertamente segurando meus cabelos entre seus dedos, me surpreendo quando ele invente as posições deixando meu corpo em cima da lataria com seu corpo entre minhas pernas que balanço em ansiedade extrema nesse momento.

Escondo meu rosto contra seu peito o vendo sorrir da minha atitude e apenas sinto a vergonha me dominar.

- Então eu posso dizer que lhe ganhei. – Diz cheirando a minha pele enquanto seguro em seus ombros. Jungkook ergue seu olhar fitando meu rosto, deslizando seu polegar por meus lábios parando na lateral da minha face. – Ou ainda quer ser a minha amiga?

- Eu sinto que gosto de você. – Falo mordendo meus lábios vendo seus olhinhos arregalados. – Mas vamos com calma.

- Toda a calma do mundo.

Seu sorriso aumenta e em uma atitude inesperada sou beijada novamente pelo meu inimigo o qual eu não recuo e sim ouso me aproximar ainda mais. Espero não está cometendo uma loucura, caso contrário estarei sendo enganada por estes novos sentimentos. 


Notas Finais


Será que vai se aprofundar nesse romance dos dois? Ele mudou? Ela está amando mesmo ou são apenas hormônios e hormônios da pele.

Ele levou ela para ver o céu.

Contudo a pergunta é: O que vai acontecer quando Yura descobrir esses acontecimentos entre os dois?
Fogo no parquinho! HAHA!

Nova fic com nosso querido Jungkook, espero ver vocês por lá também.


Bjs e até a próxima meus amores. 🌸💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...