História It's Not Hate And Love! (Imagine Jungkook) - Capítulo 23


Escrita por: ~ e ~_Larii_

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jin, Jungkook, Suga, V
Tags Bts, Jeon Jungkook, Jungkook
Visualizações 829
Palavras 3.380
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltei de novo.

Eu disse que seria rápida a nossa volta kkk
Vamos adiantar e muito a história para que vocês possam acompanhar cada passo da mesma sem atraso...

Enfim Boa Leitura Meus Amados Xuxus!

Capítulo 23 - 22


Fanfic / Fanfiction It's Not Hate And Love! (Imagine Jungkook) - Capítulo 23 - 22

 

“Eu sou você e você sou eu, como um marco de sintonias e sincronização. Somos eu e você.”

 

Abri meus olhos lentamente ao sentir uma respiração em meu pescoço. Virei-me e o vir ali. - Não foi um sonho? -. Levantei um pouco os lençóis e tive a certeza de que não havia sido um sonho. Realmente aconteceu, deixei um sorriso escapar tentando ainda acreditar em tudo. Foi tão diferente, meu corpo chamava pelo seu e sentia que o seu chama pelo meu. Deitei-me e pus a olhá-lo, seu rosto, sua pele, seus toques, seu cheiro, seu corpo me causa um turbilhão de sensações. Estaria apaixonada por aquele que me infernizou a vida toda.                       

Ele não foi embora e nem me deixou aqui sozinha. Aproximei-me de seu rosto e selei nossos lábios com um sorriso. O abracei e pude ouvir seus batimentos; fechei os olhos e aconcheguei mais sobre si. É você me conquistou o idiota que me fez ver o que é o amor.  Senti o mesmo me abraçar e ao olhar o mesmo vir que estava com os olhos fechados.

 

 Jungkook: Ah... - Se espreguiçou.                       

-: Bom dia...                       

Jungkook: Bom dia. Que horas é agora? - Falou acariciando meus cabelos.                       

-: Eu não sei dizer... - Me ajeitei sobre a cama.                       

Jungkook: Ah, nossos celulares.                       

 -: Não sei onde estão. Provavelmente estão no carro.                       

Jungkook: Hã... - Olhou debaixo da coberta e se assustou, pois estávamos nus.                        

-: É eu tive a mesma reação... - Me permitir a sorrir.                       

Jungkook: Acho que nem vergonha precisará mais, já fizemos o tinha que ser feito. - Sorriu fazendo biquinho.                       

-: Você que pensa... - Me cobrir por completo sorrindo.                       

Jungkook: Yah! Somos namorados menina. - Sorriu.                       

-: É, tem razão, mas isso não mudar, eu sou assim...                       

Jungkook: Minha tímida... Tem tantos apelidos meigos. – Pude o escutar sorrindo e o abracei por debaixo dos lençóis. - Acho que ainda está chovendo.                       

-: Eu achei que já havia passado essa chuva...                       

Jungkook: E a nossa aula hein? - Falou preocupado.                       

-: Jungkook meu pai! - Sair das cobertas e olhei. - Não voltei para casa, ele vai nos matar.                       

Jungkook: Tudo bem, somos de maiores. Sabemos o que temos que fazer.                       

-: Você não conhece o meu pai... - Me levantei da cama me cobrindo com um lençol... - Ele vai me matar...                       

Jungkook: Faltaremos aula hoje e quando a chuva parar nós voltaremos para casa, ok? - Me encarou deitado.                       

-: Yah! - Me sentei ao seu lado.                       

Jungkook: Hum?                       

-: Quer?                       

Jungkook: Pensei que você tinha me chamado.                       

 -: Não chamei não... - Me deitei por cima do mesmo, e a única coisa que não saia da minha cabeça é que meu pai vai me matar por não ter voltado para casa e por não ter ido á escola.                       

Jungkook: Timidez sumiu. - Sorriu.                       

-: Talvez sim, talvez não.                        

Jungkook: Vamos tomar um banho?                       

-: Juntos? Hã....Pode ir primeiro... - Sorrir fraco.  Mesmo depois de ontem, ainda insisto em ficar assim, nem eu mesma me reconheço.                     

Jungkook: É só um banho amor. - Me roubou um beijo.                       

-: Promete?                       

Jungkook: Claro. Vai, vamos. - Me pega no colo estilo noiva levando-nos para o banheiro. Acabo me rendendo e o mesmo sorri. - Até que fim. - Colocou-me no chão dentro do box já adentrando e ligando a água morna.                       

-: Jungkook virá. - Digo com um pouco de vergonha.                       

Jungkook: Vergonha?  Você não estava assim ontem. – O mesmo sorrir e sinto minhas bochechas ferverem.  Virei-me de costa já em baixo do chuveiro, quando sentir ele me segurar pela cintura e me abraçando. Ele tem seus golpes baixos, isso não é justo.

-: Não faz isso... - Sorrir.                       

Jungkook: Faço sim, pois é minha namorada. E você já deveria começar a me tratar como seu namorado. - Beijou meu pescoço.                       

-: Eu vou tentar. - Sorrir.  

Jungkook: Assim espero. - Me soltou e pude o escutar sorrindo de suas travessuras. 


A água caia por meu corpo e pelo dele, sem tirar o fato de que uma hora o mesmo inventava “gracinhas” deixando-me nervosa. Sair antes do mesmo e pegando uma toalha enrolei em meu corpo seguindo para o quarto enquanto o mesmo sorria da minha situação.

Olhei em voltar á procura das nossas roupas e sorrir por ver a situação de tudo, recolhi as peças do chão e as coloquei sobre a cama. Já vestida me permite a olhar o grande espelho do teto e notei que minha clavícula tinha algumas marcas, nada que as roupas não cubram. –Sorri -, mas meu sorriso se desfez ao pensar em meu pai novamente, eu estou realmente ferrada. Vir o mesmo sair do banheiro com uma toalha “cobrindo” seu corpo, o mesmo pegou suas roupas e me deu um sorriso antes de se vestir. Voltei meu olhar para o espelho e me permitir viajar por meus pensamentos, quando o mesmo se sentou ao meu lado entrelaçando nossas mãos, com um sorriso bobo no rosto.


-: Porque esta assim?

Jungkook: Por que estou feliz. Na verdade nunca fiquei feliz como estou agora.


Permitir-me a sorri com seu comentário e me sentando ao seu lado, deslizei meu olhar para a janela e vir que a chuva já havia passado e restava apenas o sereno, o frio na barriga acabará de voltar.

 

-: Eu amo você, mas se não voltarmos agora nossos pais iram nos matar.

Jungkook: Você tem razão.


Não demorou muito para sairmos dali, o vento estava frio e gelado anunciando que logo o inverno chegaria. Vestir minha jaqueta e o mesmo repetiu antes de entrarmos no carro e seguir para casa. A chuva não estava tão forte quanto ontem á noite, mas agora poderíamos chegar a casa.

Já estamos em frente à porta da minha casa preste a entrar, olhei pro mesmo que assentiu para abrir a porta. Não avistei ninguém na sala e dei passagem pro mesmo entrar, quando fechei a porta e virei em direção á poltrona vir meu pai com uma cara nada boa, olhei para Jungkook que engoliu em seco assim que viu meu pai se por de pé.

 

-: Pai! - Parei no mesmo instante.                       

Chul: Bonito, muito bonito... - Disse rodeando nós dois.                       

Jungkook: Eu posso explicar...                       

Chul: Não pode explicar nada! - Se alterou.                       

-: Pai fica calmo...  – Rapidamente me calei quando o vir me olhar com raiva. Ai meu Deus.

Chul: Onde é que vocês estavam? -Jungkook abaixou a cabeça e engoli em seco. - Eu sei que são de maiores, mas onde estavam? 

-: Precisa dizer mesmo? - Já estou ferrada mesmo.                       

Chul: MAS É CLARO QUE SIM S.N.                         

Jungkook: Eu falo. – O olhei assustada. - Como o senhor sabia, jantamos fora e aquele temporal começou... Impossibilitando a nossa passagem e então tivemos que dormir em um... um... mo... motel. - Gaguejou.                       

Chul: Tivessem avisado pelo menos! E meu Deus! Tinha que ser em um motel? - Disse bravo.                       

Jungkook: Era o que estava mais perto.                       

 -: Pai já estamos aqui! – Meu pai me olhou torto e eu sabia que ele havia visto algo em mim.

Chul: Vocês fizeram...? - Falou arregalando os olhos, sentir meu ar faltar e comecei a tossi, Jungkook me olhou preocupado e voltando ao meu estado normal o mesmo se tranquilizou, mas me assustei com o grito do meu pai. - S/N? - Falou me encarando sério.                       

-: Ai meu Deus! Calma pai.                        

Chul: Ok, hoje eu tenho todo o tempo do mundo.                       

Jungkook: É... Eu vou ir pra casa, tchau! - Disse dando meia volta apressado.                       

Chul: Você, fica! - O puxou.                       

-: Pai não precisa disso...                       

Chul: Só me falem.                       

Jungkook: Pai... - Respirou fundo. - Eu e a S.N dormimos juntos e... Sim, isso que o senhor pensou aconteceu.  - Ele nos olhou e deu um passo para trás. Jungkook e eu trocamos olhares sem entender e voltamos a olhar pro mesmo e me assustei quando o vir mais branco do que o normal.                     

-: Pai?                         

Chul: QUÊ? - Acordou para a vida. - Direto pro seu quarto S/N! E você Jungkook, vá para a sua casa agora mesmo.                       

-: O QUÊ? - Olhei para Jungkook e o mesmo assentiu cabisbaixo. O mesmo iria me abraçar, mas papai o interrompeu.

Chul: Para sua casa Jungkook.                   

-: Mas que droga! Eu não sou mais uma criança... - Saí os deixando sozinhos, subir para meu quarto entrando no mesmo frustrada e com raiva.  Seguir para o closet com raiva retirando o vestido com a jaqueta e a sapatilha; peguei um conjunto de moletom, já que esta fazendo frio e me joguei sobre a cama. Sempre é assim, sendo tratada como uma criança. Quando que vão entender que já cresci e sei quais decisões eu devo tomar? Saco!

 

 

~~~~*~~~~

 

 

Ela anda tirando com a minha cara, desde ontem á noite tento ligar para ela, mas a mesma não atende e nem dar sinal de vida. Todas as mensagens que mandei não foram respondidas e a raiva nem me consome. Se eu ver ela eu mato ela, não vou me importar se é minha amiga ou não, mas eu pego ela. E para completar a desgraça do Jungkook é outro que não atende nem nada. Aposto que estão juntos. Vejo Jin sentando no pátio e me sento ao seu lado frustrada.

 

Luna: Atenderam? – O mesmo negou. - Se eles estão juntos ou não, não me importo mais também. - O sentimento da revolta já estava sobre mim, ainda mais agora.                 

Jin: Eu vou matar o Jungkook. Ele só pode ter enlouquecido mais S.N, sumirem e nem dar noticias.

Luna: Eles falaram que iriam sair Jin... – Ai foi que cair na real e olhei pro mesmo.

Jin: Será que eles passaram a noite juntos?

Luna: Só pode ser. Aquele temporal alagando tudo.

Jin: Mas isso não justificar ele terem ficado sem dar notícias... - Disse emburrado.       

Luna: Verdade! - Segurei o riso. - Me passou merda na mente, mas é melhor eu ficar quieta. - Fiquei séria.                       

 Jin: E você duvida! - Sorriu. - Eu não duvido nada.                       

Luna: Meu Deus. - Voltei a rir.

Jin: Eu sei, eu sei... – Sorriu.

Luna: Espera um pouco moço... - Desculpa perguntar, você é... Virgem? - Falei baixo.          

Jin: Não. – Disse naturalmente.

Jin: Luna, você está bem? É eu acho que falei demais...                       

Luna: Tá, melhor pararmos por aqui... - desviei meu olhar.                       


Jin: Tudo bem...                       

Luna: Hã... Uma pessoa tímida não dá certo. - sorri. - Mas a S/N ganha por ser mais tímida.                       

Jin: Não parece que você é tímida. - se aproximou ficando bastante próximo. - Seria errado se eu dissesse que queria te beijar agora mesmo?                       

Luna: Não, por que você é meu namorado.                        

Jin: Então estou fazendo a coisa certa. - Ele segurou meu rosto em suas mãos e selou nossos lábios um ao outro. O beijo era calmo, com carinho e ternura, ele pediu passagem, então cedi. Contudo nos separados pela falta de ar, mas antes ele puxou meu lábio inferior devagar e com carinho. - Acho que também não seria errado, se dissesse que lhe quero como mãe dos meus filhos, como minha esposa. - Ele olha fixamente em meus olhos.  - Você é a garota da minha vida Luna, eu te amo. - Ele me puxou pra si, me envolvendo em seus braços.                  

Luna: Também sinto o mesmo Jin. Você é o cara mais perfeito e ideal para mim. Eu te amo muito. - Me envolvo mais em seus braços.                       

Jin: Acho que isso é um sim. - Sorriu fazendo carinho em meus braços.                       

 Luna: Claro que seria um sim, eu te amo muito Seokjin. - Sorri.          

Ficamos abraçados por um longo, já que não teríamos mais aulas hoje. Sentíamos que alguém estava próximo de nos e quando olhamos virmos Yoongi vindo em nossa direção, estragando o clima.

 

Luna: Oi Suga!

Yoongi: Que mau humor! – O mesmo me afastou de Jin e se sentou no nosso meio.

Jin: Obrigado Suga.

Yoongi: De nada.

Luna: Suga vou te inscrever num site de relacionamento.                       

Yoongi: Obrigada Luninha, mas estou bem do jeito que estou. – Sorriu. – Estou vendo que terei que me desculpa com vossos senhores. Desculpas!

Jin: Relaxa Suga. Diz ai o que aconteceu? Sentindo falta do Jungkook?                       

Yoongi: Eu? Não! Eu conheço o safado, deve ter ficado com a S.N. - Disse simples.  – Os dois começaram a sorrir um acompanhando o outro e lutei para segurar o riso. Tentativa falha.

Luna: Gente que isso? Vocês são safados e vão logo ao ponto.                       

Jin: Para que enrolação, se já sabemos o final? - Riu ainda mais. No mesmo instante me calei. “O Jin é safado. – pensei.”

Yoongi: Vai dizer que é virgem? – Assenti e o mesmo sorriu ainda mais. – Se segura com Jin Hyung então, Luna.

Jin: Min Yoongi. – O vir ficar serio.

Yoongi: Mas eu não estou mentindo... – Jin suspirou e coçou a nuca.

Luna: Só vocês mesmo. – Sorri. Logo o sinal tocou informando que estamos liberados e saímos dali em direção a nossa sala para buscar nossas coisas. Enquanto caminhávamos com nossas coisas recebi uma mensagem de S.N informando de que ela está e que já esta em casa. Ela me pagar por ter me deixando preocupada, vir Suga sonolento e sendo acompanhado por Jin.

Yoongi: Quando chegar em casa, vou dormir o dia todo, nem quero saber de ligação e nem de nada.

Acabamos caindo na risada enquanto seguíamos o trajeto para nossas casas.

 

 

 

~~~~*~~~~

 

 

Às vezes meu pai me irrita, mas eu o amo mesmo assim. Ele tem que entender que não sou mais aquela criança que vivia na cola dele o tempo todo. Ah papai, eu cresci, estou me tornado madurar e o senhor não ver isso. Fecho meus olhos tentando pensar no que acabou de acontecer na sala horas atrás e acabo suspirando pesado por lembrar-se da noite de ontem.

 

-: Espero que você esteja bem.                       

 

Escuto barulho de pingo de chuva da sacada e vendo a mesma aberta me levanto para fechar a mesma. Vejo os pingos caírem pela e logo se intensificarem e rapidamente voltou para minha cama me cobrindo por completo quando escuto e vejo meu pai entrando no mesmo.

 

Chul: Filha...

-: Oi pai! – Vir o mesmo se aproximar e se sentar em minha cadeira florida me olhando.

Chul: Eu não acredito que você fez isso. - Falou não acreditando.

-: Pai eu não sou mais aquela criança, eu cresci.

Chul: Você é e sempre será!                       

-: Eu não sou pai! E sim eu fiz isso, é por que o amo. – A expressão do meu pai mudou rapidamente e o vir se por de pé e me fitar com os olhos semicerrados.

Chul: CHEGA S.N! – Gritou me assustando, ato que me fez se sentar rapidamente na cama. – Te mandarei o mais rápido para o Brasil.

-: Como que é? Eu não vou pro Brasil, não agora... - Me exaltei.                       

Chul: Vai sim! E mesmo que não queira você irá. Já passou dos tempos de você ir.

-: EU NÃO VOU PAI! Porque isso agora?                       

Chul: Por que sim! Pronto e acabou. Lá você vai estar com seus avós e terá pessoas te acolhendo com uma ótima recepção.  

-: Eu não me importo com nada, eu não vou deixar meus amigos, minha família, eu não vou deixar o Jungkook! - Gritei...                       

Chul: Vou ignorar o quê você acabou de dizer, então lhe peço para começar a se despedir dos seus amigos e do Jungkook. - Saiu do meu quarto batendo a porta com tudo. Fiquei em pé vendo a reação do meu pai, tudo isso somente por que me entreguei para o Jungkook.

 

-: EU NÃO VOU PARA O BRASIL!

 

Passei a caminhar pelo meu quarto e a raiva me consumindo só me fez opta por algo que nunca fiz antes. Uma semana? Ou sei lá quantos dias ainda tenho por aqui, mas eu não vou mesmo. Yah! O que eu vou fazer? Sentir ás lagrima rolarem por meu rosto e trancando minha porta para que ninguém me encher. Voltei para minha cama vendo o estrago feito de longe ao espelho, causado por minha raiva e sem me importar voltei a chorar.

 

 

 

 

~~~~*~~~~

 

 

Tentei de varias formas explicar a situação para o pai de S.N, mas o mesmo não entendia nada, já que estava com raiva. Depois que a mesma subiu para seu quarto, sair de lá já que o mesmo disse que conversaria com ela sozinhos. Vendo o portão da minha casa em frente, deixa-me ainda mais nervoso.

Sair do carro e deixando o mesmo na garagem. De frente para a porta, encosto minha mão na maçaneta e levemente a abro e vejo que a sala está vazia e tão tento passar para o meu quarto. Quando vejo meu pai e minha mãe parados no meio do corredor me olhando com uma cara nada boa.

 

Jun: Onde que você estava Jungkook?

Jungkook: Na casa da S.N, pai.

Hyuna: Vocês passaram a noite fora! E os pais dela não paravam de ligar Jungkook! Onde infernos vocês passaram a noite? - Disse irritada.                       

Jungkook: No Motel. – Falei sem enrolação.

Jun: Como é?

Jungkook: Estava caindo um temporal e precisávamos de um lugar para dormir e fomos ao local mais próximo.

Hyuna: Você fez alguma coisa com a menina? Jungkook, eu vou te dar uns tapas menino.                       

Jungkook: Calma mãe, já somos maiores de idade... Bom. - Suspirei. - Dormimos...                       

Hyuna: Calma? Você me pede calma e quer que eu fique calma!  

Jun: Hyuna, vá se tranquilizar e eu irei conversar com nosso filho.

 

 A mesma saiu e quando passou por meu lado me deu um tapa na cabeça e acabo sorrindo ao ver ela dizendo coisas sem sentidos. Meu pai pigarreou e quando o olhei o mesmo fez sinal para que o segue-se até o seu escritório. O mesmo me deu passagem e apontou para que me sentasse.

Jun: Você sabe que pode confiar em mim filho! E eu como homem sei que não foi somente uma noite de sono. - Disse sério.          

Jungkook: Tudo bem... Eu e a S.N, o senhor sabe!     

Jun: Meu Deus Jungkook! - Se sentou na mesma hora com as mãos no rosto. – Não foi que lhe ensinei a vida toda Jeon. O que você vai fazer agora? - Engolir em seco ao ouvir as palavras do mesmo. Na verdade, nem eu sei de nada. - Vocês são maiores de idade e espero que vocês, principalmente você filho não tenha feito burrada e das grandes.                                                 

Jungkook: Claro papai.

Jun: Espero mesmo. E quando sumir de novo avisa e não me mata de preocupação não. Sua mãe ficou acordada a noite toda...              

Jungkook: Meu celular descarregou.        

Jun: Tudo bem. Eu vou indo trabalhar e ver se criar juízo. – O mesmo saiu me deixando sozinho em seu escritório.

Jungkook: E agora? - Coloquei as mãos na cabeça. - Aish! - Baguncei meus cabelos. Retiro-me do escritório e vou para o meu quarto. Tomo um banho gelado e visto uma roupa confortável. Eu não sei o quê eu estou sentindo, só sinto vontade de chorar. Corri para o jardim coberto da casa, pois pra mim é o lugar preferido para pensar. Fiquei analisando a paisagem e a chuva que caia deitei-me em um dos grandes tapetes que fica ali e observei tudo, exatamente tudo a minha volta. 

 Junghyun: Hyung!  - Quando dou por mim, ele já se encontrava em cima de mim e me abraçando. - Porque está aqui sozinho? Papai brigou com você?              

Jungkook: Não maninho. - Deixei uma lágrima cair, sem querer.

Junghyun: Não chorar Kook! - Limpou meus olhos com suas mãozinhas. - O que foi? A Noona se machucou?

Jungkook: Eu não sei Saeng. - O abracei. - Seu Hyung não se sente bem. - O aconcheguei em meu colo.

Junghyun: Você precisa da Noona. - Sorriu. - Final de semana vamos para casa Noona? Você me prometeu que eu iria dormir com ela.                       

Jungkook: Claro! Que tal irmos dormir na casa da Noona amanhã?                       

Junghyun: Tudo bem. Vou arrumar minha bolsa... - Entrou correndo dentro de casa. - Avisa ela Hyung... - gritou.                       

Jungkook: Tudo bem! - Gritei de volta.

 

Eu sabia que algo aconteceria, mas não saberia que causaria uma irritação nisso tudo. É depois de juntos ainda insistimos em causa problemas. 

      


Notas Finais


Ela vai mesmo para o Brasil?
O que Jungkook irá achar dessa situação? Vai aceitar ou não?
Tantas perguntas e perguntas kkkk #Vai ou #Não


Postei e fui... kkkk


Deixem seus cometários e opiniões...
Obrigada pelo carinho xuxus!

Perfil: @Meillee e @_Larii_

키스와 포옹 - Beijos e abraços... 💖😍🍃
Até o próximo... ❤🍃


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...