História It's Not Like i Like You! - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Eldarya
Personagens Ezarel, Personagens Originais
Tags Eldarya
Visualizações 75
Palavras 952
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Estupro, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bem-Vindos(as)! (づ´•ヮ•`)づ


—Peço que leiam as notas por completo antes da leitura. Obrigada pela compreensão! ;u;

- Os erros apresentados ao decorrer dos capítulos serão corrigidos com o tempo. Inclusive, peço que se você achar um erro, mande-o pelos comentários dos devidos capítulos para eu corrigi-lo.

- Críticas construtivas são sempre bem-vindas, por isso, não hesite em manda-las pelos comentários.

- Caso queiram utilizar os OC's (personagens originais) dessa fanfic, por favor, me avisem antes, ou considerarei como plágio. O mesmo se aplica com todos os conceitos ou até mesmo palavras inventadas, entendido?

—Agora que essas dúvidas foram esclarecidas, vamos continuar. Boa leitura! ;u;

(...)

Capítulo 1 - Através das 4 paredes


Fanfic / Fanfiction It's Not Like i Like You! - Capítulo 1 - Através das 4 paredes

 A noite estava silenciosa e a lua estava alta e brilhante. Era a hora perfeita para uma pequena fuga.

 A garota caminhou cautelosamente da sua cama para a porta, seus longos cabelos negros estavam se rastejando pelo chão. Ela sabia que não deveria sair, mas pouco ligava para isso. Não queria ficar presa para toda a eternidade, queria ser livre, não viver como um pássaro preso dentro de uma gaiola.

Por um pequeno descuido, a arqueira pisou em uma madeira solta, fazendo com que um som de madeira rangendo quebrasse todo o silêncio presente dentro do cômodo. Mordeu o lábio inferior, provavelmente a garota acabara de acordar sua mãe, e sabia muito bem das consequências de fugir de casa. Isso porque já havia tentado fugir um milhão de vezes, mas nunca com sucesso.

- Athena! - gritou a velha, de forma que o som saisse de forma bruta e arrogante.

- S-Sim?! - sussurou, temendo das próximas palavras de sua mãe.

- O que está fazendo fora da cama a essa hora? 

- E-Eu? Só estava indo beber água...

- Beber água? Achava que já ia fugir novamente. Não aguento mais ter que lhe reprender! - a velha virou para o outro lado da cama e se contentou a dormir novamente. A garota suspirou, havia fugido por pouco do fracasso.

Era a primeira vez que havia conseguido enganar sua mãe. Desastrada como era, conseguir dar um passo a mais que antes já era uma grande vitória. Abriu a porta com a mesma cautela que usara para andar, inclinando um pouco a cabeça, pode ver sua mãe adormecida. Sem saber bem o porque, sorriu, antes de fechar a porta com cuidado.

A noite estava repleta de estrelas, mas por trás daquela beleza, Athena sabia muito bem os perigos que Eldarya possuía a noite. Caminhou pelas folhagens com o máximo de cuidado possível, estava atenta para qualquer som ou movimento. A única coisa que podia ouvir era o barulho de mascotes selvagens.

De repente, um som a chamou a atenção. Barulhos de gritos foram ouvidos pela garota e antes que tivesse tempo para pensar, correu em direção aos gritos do indivíduo. 

Estava no chão, um homem de cabelos azuis, se contorcendo de dor enquanto apoiava uma de suas mãos sobre seu braço. Athena levou a mão a boca, era um dos membros da Guarda de Eel! Seu olhar parou no braço do homem, uma flecha havia o acertado e o mesmo estava perdendo muito sangue.

- Preciso fazer alguma coisa! - sussurou discretamente. — E se...

Seu olhar se virou para suas costas. Presa a sua camisola, estava um frasco de vidro com um líquido azul dentro. Seus olhos da mesma cor do líquido brilharam ao encarar o objeto. A garota sabia muito bem os efeitos da poção e que ela continha seus riscos, mas era necessário agir, não poderia ficar parada enquanto o homem a sua frente morria aos poucos.

Confiante, a garota se levantou e andou para frente até que a mesma ficasse no campo de vista do jovem. Localizando a garota, o elfo de cabelos azuis se pôs a encara-la. Nunca havia a visto antes e não sabia o que ela estava fazendo ali, principalmente porque a mesma estava apenas com uma camisola.

- Q-Quem é você? - disse a arqueira em alto e bom tom.

- Um membro da Guarda de Eel... 

- Ok. Então, querendo ou não, irei te ajudar... Mas terá que me prometer que não irá contar para ninguém da Guarda Reluzente que me viu aqui, entendido?

- Como sabe da Guarda Relu...? - o alquimista foi interrompido pelo olhar mortal da garota, que perdia cada vez mais a paciência. Não tinha confiança nela, mais não tinha escolha. Ou deixava ela ajudá-lo, ou morreria.

- Entendido? - perguntou ela outra vez. O mesmo assentiu com a cabeça antes de fechar os olhos e virar o rosto para outra direção. A arqueira se aproximou e se ajoelhou a sua esquerda. 

- I-Isso... Isso vai doer um pouco, ok?

Com um pouco de receio, Athena pegou a poção das suas costas e a tomou por inteiro. Sentindo uma grande concentração de maana dominar seu corpo, a mesma envolveu a fecha sobre suas mãos e, com o máximo de concentração possível, passou toda a maana para a flecha. Uma áurea azul florescente tomou domínio do corpo do alquimista e uma dor insuportável foi presente nos dois indivíduos.

Usando toda a força que lhe restava, Athena puxou a flecha para cima, fazendo com que a mesma se desintegra-se no ar, acabando com toda a dor presente nos dois corpos. 

A respiração dos dois estava em harmonia. Respiravam ofegantes, esperando alguém quebrar o silêncio que ali continha.

- Eu...Obrigado, sua idiota! - falou o elfo, antes de abaixar a cabeça, sem jeito.

- Como?

- O que? Esperava que eu fosse gentil com você só porque me ajudou? - Levantando a cabeça, o elfo deixou um sorriso cínico escapar de seus lábios. Indignada, Athena se levantou e deixou a raiva a dominar. Como podia a tratar assim logo depois da mesma o ajudar, sendo que podia ter o deixado morrer? Não, as coisas não podem ficar assim!

- Olha aqui.  Não pense que você tem o direito de me tratar mal só porque você quer. Eu poderia ter deixado você morrer, mas não, eu te ajudei e só graças a MIM, você está respirando. Então trate de me respeitar assim como eu respeito cada ser aqui presente, entendeu?

O elfo engoliu em seco. Nunca pensara que a mesma o respondesse desse jeito, bendito orgulho! Infelizmente nunca havia tratado alguém completamente bem, não sabia como ser gentil, o orgulho não permitia.

E como um animal selvagem, a garota que havia acabado de o ajudar fugiu entre as folhagens ali presentes, como se nunca tivesse passado ali.









Notas Finais


Porque será que Ezarel havia levado uma flechada no braço? Hehe, que o mistério fique no ar. :'3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...