História It's Our Secret - " É O Nosso Segredinho" - Capítulo 37


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Tom Holland
Visualizações 26
Palavras 605
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 37 - 35.


Fanfic / Fanfiction It's Our Secret - " É O Nosso Segredinho" - Capítulo 37 - 35.

- Não vai embora, fica...

- Maggie, eu tenho que...

- Por favor, fica comigo.

- Tudo bem.

Margareth abriu os olhos lentamente aquela manhã, e, ao seu lado, avistou o que mais queria...

Tom.

Embalado em um sono profundo, o rosto sereno virado para seu lado, ela sorriu enquanto analisava seu rosto, tão inocente enquanto dormia, o peito se movendo lenta e calmamente com a respiração, Margareth acariciou seu rosto, a pele era macia e quente, uma juventude que a muitos anos já  teve e que muitos dizem que ela ainda mantém, mas não acredita.

Vagarosamente ela desceu o olhar de seu rosto para o pescoço, o fantasma de um hematoma roxo em volta do pe, ela sabia de sua vida em casa, de seu passado, de sua condição, Margareth tocou-lhe o meio do peito, o coração batia calmamente e ela observou as pequenas cicatrizes redondas em sua pele, pontinhos queimados de cigarro, Tom se moveu sonolento e Margareth beijou-lhe o rosto com carinho.

Levantou-se sem acordá-lo e saiu do quarto, desceu as escadas e seguiu para a sala, como rotina das manhãs, Margareth foi à caixa de correio (que se encontrava em uma pilha de tijolos cimentada na calçada em frente a escada) verificar se havia alguma conta a receber, ao abrir a portinhola, encontrou apenas um envelope branco, ela o pegou e analisou do que se tratava.

Aquilo não era uma conta... Nem mesmo cobrança...

Era a carta de um escritório de Advocacia.

N&M Advogados.

Endereçado à Lucas Harrison.

Margareth sentiu o coração acelerar absurdamente...

Seria o que estava pensando?

Logo voltou para dentro e rasgou a lateral do envelope, pegou a carta e a abriu.

Sim...

Era o que ela estava pensando...

Documento para divórcio.

Margareth não soube como reagir corretamente.

Ela já esperava aquilo mas mesmo assim não conseguiu deixar de sentir o peso da situação, manteve assim o rosto sério enquanto lia, mas as lágrimas caiam devagar de seus olhos.

Os passos lentos na escada a assustaram, logo ela amassou os papéis na mão e os jogou de canto, ao olhar para a escada, viu Tom (já arrumado) sorrir para ela.

- Bom dia! - Ele falou sorridente.

- Bom dia. - Ela respondeu com um leve sorriso, Tom se aproximou, a agarrou pela cintura e deu-lhe um selinho demorado nos lábios, quando os lábios se afastaram, Margareth viu um sorriso radiante no rosto de Tom.

- Você parece feliz demais, Tom. -Falou calmamente, tocando seus ombros. - Por quê hein?

- Ora, por quê não deveria estar feliz?! - Ele indagou sorridente. - Tive uma noite maravilhosa com a mulher mais linda que já vi!

Aquela declaração fez seu sorriso sumir, ela viu um brilho nos olhos dele, um brilho de muito tempo atrás, brilho que já vira nos olhos de seu marido, Margareth sorriu em disfarçe.

- Pare com isso, Tom. - Ela riu e lhe deu um tapa no ombro. - Agora me solte, preciso fazer seu café.

- Maggie, não precisa, eu como alguma coisa no caminho da escola. - Ele falou sorridente, as mãos acariciando sua cintura, Margareth manteve os olhos fixos no dele, o brilho se tornara mais intenso.

- Eu vou ter que ir em casa pegar minhas coisas e ir pra escola. - Ele acariciou seu rosto, os olhos gravando cada detalhe do rosto dela, Margareth sentiu algo no fundo do coração, uma pequena dor. - Qualquer coisa, me chame, tudo bem?

-T-Tudo bem. - Respondeu nervosa e sorriu. - Tenha uma boa aula.

Tom riu e lhe deu um selinho demorado, se afastou sorridente e saiu pela porta, exalando uma felicidade que não lhe cabia no peito, Margareth apenas o acompanhou com o olhar.

O garoto não podia estar confundindo as coisas...

Não podia estar apaixonado por ela...

Ele não podia...

Não devia estar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...