1. Spirit Fanfics >
  2. It's you. It has always been you. >
  3. O Passado

História It's you. It has always been you. - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Embora eu escreva há anos, essa é a primeira fanfic que decido postar. Ela não é das melhores, mas foi fruto de uma inspiração doida em meio à quarentena, então espero que esteja ao menos legível.

Essa história é composta por conteúdo de vários spin-offs diferentes de CDZ e nenhum deles me pertence. Todos os direitos reservados aos seus respectivos autores.

Esse capítulo baseia-se especialmente na Saga de Hades do anime original, no Lost Canvas e, surpreendentemente, no MMO de CDZ da Ongame.

Boa leitura!! :>

Capítulo 1 - O Passado


— Hades… Por acaso você sabe o que é o amor?

A pergunta de Atena — tão estúpida vinda da suposta Deusa da Sabedoria — ecoou pelos Elíseos, pegando-o de surpresa. O sorriso vitorioso em seus lábios se desfez e, por um momento, o Imperador do Submundo apenas encarou com olhos frios sua sobrinha e o cavaleiro moribundo que ela aninhava em seus braços.

Lágrimas corriam por suas bochechas alvas e sua voz parecia prestes a falhar. No entanto, a garota, valente como era, engoliu o choro e continuou:

— Talvez os humanos sejam realmente seres tolos vistos pelos olhos de um deus, mas eles… Eles possuem aquilo que chamam de amor, Hades… — Atena fez uma pausa, seus olhos claros buscando por seus semelhantes. — E, por esse amor, os humanos são capazes de se tornar infinitamente gentis, são tão forte quanto desejarem! Mesmo sendo um deus, você não tem o direito de punir as pessoas sem saber o que é o amor!

Suas palavras eram severas, mas a deusa jamais poderia imaginar o impacto que elas teriam sobre seu tio, pois desconhecia as feridas antigas em que tocava.

Se Hades sabia o que era o amor? Ora, não fora ele aquele que mais amara a humanidade?

Desde que Prometeu roubara aquela maldita chama... Desde que seus filhos de barro tomaram o mundo, não fora Hades quem melhor cuidara deles? Prometendo-lhes justiça e vida eterna, enquanto os outros deuses os castigavam e os usavam para seus jogos sádicos?

Hades, diferente de Zeus, Poseidon e dos outros olimpianos, verdadeiramente os amara, e seu amor era fruto do fascínio que sentia por eles, fascínio que logo se fora, uma vez que os humanos mostraram sua verdadeira natureza.

Devassos, impuros e violentos… Os humanos eram um reflexo quase perfeito dos deuses. Não bastasse a selvageria que demonstravam com as guerras e o caos, a sujeira e a doença que espalhavam pelo mundo, os humanos quiseram desafiá-los, desobedecendo-os e desrespeitando-os, ousando decidirem seu próprio destino.

Algo assim não poderia ser perdoado, nem deixado impune. Aquelas criaturas deveriam ser castigadas por sua insubordinação e Hades, como o Imperador justo que era, passou a torturá-los por seus pecados no Inferno.

Por alguns milênios, assim foi. A humanidade pagaria na morte pelo que fizera em vida, sofrendo pela eternidade nas mãos daquele que um dia tanto a adorara. O medo a mantinha sob controle, obrigando aqueles que desejavam uma punição mais branda a domar seus instintos doentios e aceitar a vontade dos deuses. Porém, as coisas começaram a mudar, no momento em que a Deusa da Guerra decidiu apoiar sua rebelião.

Traidora… Será que sua sobrinha não percebia o que estava fazendo? Que seu comportamento feria diretamente os seus? A sua família?

Era claro que aquilo não podia continuar. Os humanos mereciam ser castigados e, se Atena os protegia na Terra e o único lugar em que poderia fazer sua vontade era no Inferno, então os mataria a todos, para que provasse sua soberania, para que o divino prevalecesse.

A primeira Guerra Santa começou. Atena reunira seus santos e Hades, seus espectros — humanos que lhe juraram obediência em troca da vida eterna, que, assim como o deus, viam na humanidade não mais que um veneno pútrido que deveria ser eliminado.

Batalhas eram seguidas de mais batalhas. Seus soldados matavam e morriam e, quando o caso era o último, seu Imperador lhes trazia de volta para que continuassem sua luta pelo que era certo. Ainda assim, Hades sentia sua dor cada vez que seus espectros caíam e lhe doía ainda mais ter de vê-los sofrer — lhe doía porque ele os amava. Eles eram justos, eram leais e adoravam ao seu deus… Exatamente como…

Havia um homem nas fileiras de Atena a quem Hades admirava. Seu nome era Rodório, mas na guerra ele era conhecido apenas como Pégaso. Desde os primórdios do Universo, Hades jamais havia visto um ser tão fiel aos seus princípios, tão determinado a fazer o que era certo, tão… Amoroso.

Pégaso, apesar de sua baixa patente como um cavaleiro de bronze, era o mais poderoso e mais leal dos seguidores de Atena. Era claro para qualquer um que olhasse em seus olhos vermelhos como sangue que ele a amava e que amava a humanidade, que havia devotado toda a sua vida e seu coração para protegê-la. Hades achava aquilo lindo.

Ele desejava ter alguém como Pégaso em seu exército. Desejava tê-lo consigo, desejava que ele não fosse um traidor, desejava… Seus desejos eram tão fortes, que Hades percebeu que o amava, e esse amor foi o que lhe fez hesitar, o que permitiu que Pégaso chegasse tão perto, que ele o ferisse.

Os punhos de Pégaso contra seu rosto… Aquela fora a primeira vez que seu corpo divino sangrara.

Ícor escorria dos cortes em sua têmpora e em seus lábios. A dor era atordoante, mas não era pior que vê-lo daquela forma, tão agressivo, tão cheio de ódio em seus belos olhos para com o deus, morto.


Notas Finais


Parabéns se chegou até aqui!

Para aqueles que estão confusos, segundo o MMO de CDZ, o nome do primeiro Pégaso é Rodório.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...