1. Spirit Fanfics >
  2. I've Always Been Yours (Drarry) >
  3. Amores Não Revelados

História I've Always Been Yours (Drarry) - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Olhem a capa perfeita que a mii (@psychomalfoy no twitter) fez para a Fic! Novamente, muito obrigado, eu amei aaaaa!

Fiquem com o cap!
Boa leitura

Capítulo 2 - Amores Não Revelados


Fanfic / Fanfiction I've Always Been Yours (Drarry) - Capítulo 2 - Amores Não Revelados

-----------------------★


  — É para seu próprio bem, Potter! - Disse a Professora olhando nos olhos de Harry e logo apontando sua varinha para ele, e então...

— Professora, não! - Diz Hermione entrando na frente de Minerva. — Eu sei quem é... - Se vira para Harry. — Eu vou chamar Malfoy, Harry. Não se preocupe. - Diz Hermione deixando um moreno de olhos muito arregalados.

Como ela soube era a questão que rondava todos os pensamentos do grifinório.

•••

A cacheada estava indo em direção ao corujal às pressas.

Era óbvio que ela já sabia. Harry que não sabe esconder seus sentimentos.

Nunca que ela acreditaria naquela baboseira de perseguir o Sonserino porque "Draco é um comensal".

Hermione desceu rapidamente a enfermaria, chegando ao lado inferior oeste, onde ficava o pátio.

Quando ela pôs os pés fora da escola ela viu a pessoa para quem ela deveria mandar uma carta. Ela agradeceu a Merlin por aquilo.

Ela correu até o garoto loiro que estava andando em direção ao portão e o chamou.

— MALFOY! - Gritou ela enquanto corria. — MALFOY, ESPERA, POR FAVOR!

O loiro se assustou e arregalou os olhos ao ver Hermione correndo em direção à ele.

— Eu só vim pegar minha varinha de volta mas eu pensei melhor e não quero ela mais, eu tô indo pra casa, eu juro, eu não vou fazer nada! - Disse ele exasperado tratando de se explicar.

— Calma Malfoy, eu preciso falar com você. Isso vai ser MUITO difícil para você conseguir entender, mas se você não vier por bem, - Hermione muda sua expressão de calma para ameaçadora. — você virá por mal. - Ela diz ameaçadoramente fazendo o mais novo engolir em seco.

— Pois diga então. - Disse um tanto intrigado.

— Bom... É muito complicado de contar isso, mas vamos para a enfermaria que no caminho eu conto.

— Tudo bem... - Diz o loiro engolindo à seco novamente. Aquela garota conhecia mais feitiços que a própria McGonagall se duvidar.

•••

Eles estavam chegando na enfermaria depois de, longos, cinco minutos. Draco não poderia estar mais chocado. A parte Veela de Harry deveria ter mostrado isso quando o mesmo fizera 15 anos.

Hermione tinha uma teoria do por que aquela parte de Harry só tinha se mostrado agora, mas ela só falaria quando o assunto convier.

Quando a porta da enfermaria foi vista pelos dois que andavam depressa, eles ouviram um grito de dor e se puseram a correr.

Quando eles adentraram a porta de abeto da enfermaria eles viram Harry gritando e se contorcendo de dor, Draco foi logo até ele e se abaixou ao lado do moreno, ele já sabia o que precisava ser feito e então sussurrou:

— Eu cheguei, eu estou aqui, eu prometo não sair de perto, eu estou aqui, se acalme, eu estou aqui e aqui ficarei, descanse, não o machuque. - Sussurrou o de cabelos perfeitamente alinhados no ouvido do Potter baixinho para somente ele ouvir a ponto de acalmar a parte Veela do mais novo.

Ele percebeu que o mais novo havia parado de se debater e então levantou um pouco sua cabeça olhando nos olhos do Veela fazendo uma onda elétrica passar entre os dois corpos.

— Durma, hm? - Disse o mais alto em um tom doce saindo de seus lábios que nunca foi do conhecimento do grifinório, já que esses mesmos, lindos se o permitia dizer, lábios, antes só eram usados para falar em tons arrogantes e aristocratas consigo. — Você precisa descansar... - Disse novamente ele no mesmo tom mas agora passando a mão no queixo sujo do mais baixo.

Quando ele acordasse ele tomaria um banho, ele ainda estava imundo da guerra, mas agora ele só queria dormir e sonhar com os mesmos olhos azuis acinzentados que estavam o fitando.

O moreno pegou no sono, ninguém ousava dizer nada, porém a atual diretora quebrou o silêncio.

— Eu preciso explicar o por que a parte Veela do Sr. Potter só deu às caras agora. - Disse a mais velha em um tom sério olhando para Draco. — Imagino que a Senhorita Granger, inteligente como é, já saiba o porquê, mas eu vou confirmar. - Disse ela a dando um breve olhar. — Vamos todos para a ala ao lado para não acordarmos o Sr. Potter. - Todos os presentes, menos Madame Pomfrey, seguiram a, agora, Diretora de Hogwarts.

— Draco. - Disse Hermione chamando a atenção do mesmo que fora o último a entrar no cômodo. — Deixe a porta aberta para a parte Veela de Harry sentir o seu cheiro e fique perto da porta.

O loiro assentiu, encostou a porta na outra parede e puxou uma cadeira e a encostou na porta. Ele estava na direção do moreno e toda hora o olhava preocupado.

— Bom. - Começou a mulher. — Sr. Potter era uma horcrux de Voldemort, certo? - Todos no cômodo assentiram. — Pois bem, uma horcrux é algo maligno, algo completamente impuro, que não deixou o Veela do Sr. Potter sair aos poucos e ir o atingindo devagar, e principalmente, quando ele fez quinze anos... Mas, quando o pedaço de alma de Voldemort saiu de si, a parte Veela dele se sentiu livre e liberta, e se liberou de uma só vez, por isso não mudou e nem mudará a aparência do Sr. Potter. Claro que ele irá emanar a essência Veela, mas seu corpo não ficará feminino.

Hermione levantara a mão assim que Minerva terminara de falar.

— Diga. - Disse a grifinória mais velha em direção a virginiana.

— Harry ainda poderá engravidar? - Disse Hermione com naturalidade e Rony se lembrou desse detalhe sobre os veelas e se esbranquiçou na hora.

— Sim, só sua aparência que não mudará, mas todas as outras coisas que os Meio-Veelas têm o Potter terá. - Disse a diretora.

Draco absorvia tudo com muita calma e tranquilidade. Será que eles teriam um filho? Ele e Harry? Era o que ele mais iria querer no mundo.

Desde quando em seus pensamentos ele se chamava Harry e não Potter? Ele não sabia, mas que tem mais de anos, isso tem.

•••

Eles estavam há uns 20 minutos conversando sobre coisas que aconteceram na guerra, já que tudo que McGonagall quis explicar ela explicou, quando Madame Pomfrey chamou o Malfoy, ele rapidamente se pôs de pé e foi ver o que a Enfermeira queria.

— Quero te explicar algumas coisas.- Disse a mulher apontando para a cadeira que estava ao lado de Harry e o loiro logo se senta. — Você é o único homem que consegue se conter ao ver o Sr. Potter, todos os outros homens tentarão o assediar ou até mesmo o estuprar. - Disse fazendo os olhos de Draco se arregalarem.

"Mas o único problema será o trauma do Sr. Potter, pois quando o membro masculino, que não seja o seu, chega perto da pele do Sr. Potter, ele começa a formigar e pinicar. Então não precisa se preocupar com isso já que ele nunca será estuprado, sua preocupação deve ser o livrar de traumas."

Draco tinha escutado tudo direitinho, mas agora uma pergunta pairava em sua mente: "Será que Potter iria algum dia querer transar comigo?"

Porque o sonserino queria, há muito tempo ele vem querendo. No terceiro ano, Potter não podia andar que ele se endurecia.

— Sobre o fato de que vocês terão que ficar no mesmo aposento. Vocês ficarão em uma comunal antiga de professores que estava inutilizada. Se os amigos de vocês quiserem eles podem ir também, mas vocês terão um quarto próprio e terão só mais dois quartos que serão um de meninos e outro de meninas. - Disse Papoula fazendo Draco se animar mais ainda, mas ele pensou: Será que o Weasley irá aceitar dormir com Blaise e Theo no mesmo quarto?

"Sobre a relação sexual agora, Sr. Malfoy. Só quando os dois se amarem, independentemente da parte Veela, vocês conseguirão ter a relação sexual. Entendido?"

Draco assentiu, e então ele pensou: "Se quiséssemos fazer agora nós faríamos pois Harry precisava me amar para a sua parte Veela me escolher para ser seu parceiro e eu sempre o amei desde que o vi na Madame Malkin. Obviamente eu não sabia que era amor pois eu tinha 11 anos, mas eu senti algo diferente."

— Ah! - Disse de supetão a enfermeira. — Lembrei. O Potter terá poderes para se defender de outras pessoas. Não é muito, mas é. As unhas dele crescem e endurecem feito garras de aço quando ele sente medo.

Draco já sabia disso mas só assentiu gentilmente.

— É só isso que eu lembro agora querido, o restante das coisas eu terei que contar para vocês dois juntos, e não é nada que precise se preocupar agora, pode voltar para continuar conversando com eles. - Disse Pomfrey o dando um sorriso sem dentes que é retribuído.

O Sonserino logo se levanta e vai em direção à porta da sala em que eles estavam conversando, mas antes de entrar ele se vira e olha para o Potter. Ele dá um sorriso sem dentes e decreta em seu pensamento: "Eu irei cuidar de você, pode ter certeza!"

Ele se virou e se sentou na cadeira onde estava sentado, há uns minutos atrás, antes de Pomfrey o chamar.

 ----------------------★


Notas Finais


Obrigado por ler!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...