História Iwakan - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Kiba Inuzuka, Menma Uzumaki, Naruto Uzumaki, Sasuke Uchiha
Tags Amor Verdadeiro, Decisões, Hinata, Irmãos, Romance, Sacrifício
Visualizações 15
Palavras 1.052
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi galera! Vim postar o segundo capítulo desta fanfic, espero que gostem!

Capítulo 2 - Irmão


Fanfic / Fanfiction Iwakan - Capítulo 2 - Irmão

Arrumei meus materiais, coloquei tudo em minha mochila e liguei para Naruto avisando que estava a caminho de sua casa. O mesmo respondeu apenas que deixaria a porta de casa aberta.

Quando cheguei no bairro em que ele morava, olhei para os lados a procura de sua casa. Logo a encontrei e andei em direção ao seu quarto, onde provavelmente ele estaria. Abri a porta e vi então um garoto parecido com ele fisicamente, porém, este era musculoso e bonito.

-Sai de cima de mim, Menma!

-N-naruto? Quem...? - Eu estava fissurada pela beleza do garoto de cabelos pretos.

-Eu sou Menma Uzumaki. Belo rosto. - Ele se aproximou de Naruto. - Essa ainda vai ser minha.

-Nem pense, idiota! - Naruto se virou para mim. - Esse é meu irmão.

-Vamos logo fazer o trabalho. - Apressei Naruto.

-Tá. Vou pegar os materiais, me espere na sala.

-Ok.

Saí do quarto e me sentei no sofá da sala. Logo ouvi os gritos de Naruto direcionados a Menma.

-Menma! Volta aqui! Seja lá o que for tentar não vai conseguir!

-E daí? - Ouvi a voz mais perto de mim. - Olá, Hinata.

Instantaneamente meus pés deram um passo à frente, colando nossos corpos. Não entendi porque, mas Menma colou nossos lábios, me trazendo uma sensação surpreendentemente boa. Infelizmente, aquilo não durou muito, pois o Naruto apareceu logo em seguida querendo confrontar Menma.

-Solta ela, seu palhaço! - Naruto deu uma voadora em Menma, porém o mesmo segurou o braço do irmão e o jogou no chão. - Nessa casa você não fica mais! - Ele gritou ainda estirado no chão.

-Não vou sair até te ensinar uma boa lição! - Menma avançou em Naruto e lhe deu um soco no rosto. - Acho que agora já posso ir, mas antes vai buscar minhas coisas! - Ordenou.

-Menma! E onde você vai ficar? - Perguntei, preocupada com o garoto que acabara de beijar.

-Eu procuro um hotel por aí.

-Se você quiser, eu posso te emprestar um quarto na minha casa.

-Sério?

-É. Meus pais e minha irmã moram no Japão, então moro sozinha.

-Valeu. Vai me ajudar bastante. - Ele me deu um leve abraço. - Vou tentar não fazer bagunça.

-Leva logo isso! - Naruto apareceu para cortar o clima e jogou as malas do Menma na nossa direção. - Agora quero ver se a mamãe te aceita em casa.

-Eu não preciso. Já tenho um lar temporário. - Ele me lançou um leve olhar e pegou na a minha mão.

-O quê!? - Naruto correu em minha direção e agachou na minha frente. - Hinata, você não vai deixar né?

-Vou. Mudando de assunto, eu faço o trabalho sozinha. Digo... com o Menma.- Lancei um olhar provocador. - Até mais.

Saímos da casa de Naruto e peguei minha bicicleta.

-O pneu furou.

-Vai indo na frente. Eu empurro a bicicleta. - Ele se ofereceu.

-Ok. - Fui andando na frente enquanto ele carregava a bicicleta. - Menma, eu já fiz vários trabalhos na casa do Naruto, mas nunca te vi lá.

-Eu estava fazendo intercâmbio nos Estados Unidos. Acho que perdi grande parte das aulas da faculdade.

-Onde você estuda?

-UFT, na turma da Kurenai.

-Kurenai... é minha professora. Você ainda não foi em nenhuma das aulas?

-Só uma. Foi ontem, ao que eu cheguei um pouco atrasado. Todo mundo estava comentando sobre uma garota que desmaiou e foi levada para a informaria. A propósito... eu não te vi por lá.

-Tive que sair mais cedo. - Olhei para os lados. - Chegamos.

Abri a porta da casa e caminhei até um quarto. Ao entrar no local, percebi que algo não estava certo. Os móveis estavam encharcados e meio... quebrados, inclusive a cama.

-Não dá para ficar aqui, mas tem outra cama no meu quarto.

-Pode ser.

Saí do cômodo inutilizado e adentrei em meu quarto, que ficava logo ao lado. Abri um armário, peguei alguns lençóis e os coloquei em cima de uma das camas. Olhei no relógio e vi que ainda era 14:00.

-Esta é sua cama. Aqui tem lençóis e almofadas, mas se precisar de algo a mais avise.

-Tá. - Ele se aproximou de mim por trás, sorrateiramente, e colocou as mãos em minha cintura, precionando nossos corpos.

-Menma...

-Só relaxa...

Quando percebi, ele segurava o zíper do meu casaco e o descia, retirando-o.

Quando vi, já havia me rendido a ele. Não conseguia mais controlar meu próprio corpo, ele já estava sob o domínio de Menma. Me virei de frente para ele e lhe empurrei para minha cama. Em seguida deitei-me com Menma e o beijei.

Foi o beijo mais longo da minha vida. Eu não queria me afastar, e notei que ele também não.

-Eu preciso ir à faculdade... - Falava, tentando me separar de seu corpo.

-Ainda são três horas...

-Tenho que responder algumas lições...

-Você pode fazer depois. - Ele insistia.

Me levantei de uma vez.

-Não era para isso acontecer... - Olhei para meu corpo, que estava seminu e senti minha pele esquentar.

-Desculpe, eu não resisti a você...

-Preciso ir. - Peguei outra roupa no armário e a vesti.

-Eu também. - Ele se vestiu e deixou o quarto.

Fiz o mesmo. Peguei minha bicicleta e pedalei até a casa de uma amiga. Bati na porta e logo ela foi aberta.

-Olá, Isuna. Como vai?

-Hinata... você por aqui! Aconteceu alguma coisa?

-Talvez. Será que eu conto...?

-Desembucha, Hinata!

-Não é nada, falei para te deixar curiosa! - Ri um pouco e entrei. - Já faz um bom tempo que a gente não se vê.

O telefone dela começou a tocar.

-Eu preciso atender. - Ela atendeu e arregalou os olhos. - Eu não tenho tempo para brincadeiras, me deixa em paz!

-O que foi Izuna?

-Não é nada... - Ela pegou na minha agenda mão. - Lembra do meu jardim? Aquelas tulipas que você me deu estão florindo!

Fiquei empolgada com a notícia e fui correndo atrás dela. Apreciei calmamente as belas flores que tive o orgulho de plantar. Não apenas as tulipas, mas também as rosas estavam cheias de brotos. Entre aquelas maravilhas espinhosas, um papel enfeitado e brilhante. Peguei cuidadosamente e li o que estava escrito no envelope.

-Para Hinata, é um assunto de grande importância...


Notas Finais


Este foi o capítulo, espero que tenham gostado, até mais!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...