Hist√≥ria J-HOPE - Provocative Friendship (BTS) ūüĒ• - Cap√≠tulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Assassina, Assassinato, Bangtan, Bts, Coreano, Coreanos, Doutor, Doutora, Horror, Hoseok, Hospital, Hot, Insano, Jhope, J-hope, Junghoseok, Korean, Louca, Louco, Medical, Medicina, Seoul, Suspense
Visualiza√ß√Ķes 51
Palavras 1.967
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
G√™neros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta hist√≥ria s√£o apenas alus√Ķes a pessoas reais e nenhuma das situa√ß√Ķes e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma fic√ß√£o. Os eventuais personagens originais desta hist√≥ria s√£o de minha propriedade intelectual. Hist√≥ria sem fins lucrativos, feita apenas de f√£ para f√£ sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltei, e dessa vez com hot!

Capítulo 29 - Hot hard


Fanfic / Fanfiction J-HOPE - Provocative Friendship (BTS) 🔥 - Cap√≠tulo 29 - Hot hard

— Hoseok? Esta tudo bem, só pesso que feche seu olho. Você irá viajar lentamente, então descanse até que cheguemos. Eu não irei te machucar, então fique tranquilo, e apenas siga minha voz.


•••


Algum tempo depois 


Hoseok e a Jovem estavam chegando na base memorial, mais conhecida como, o centro do universo e suas ocorrências, facilmente soletrada por, CUSO. – O que cria piadinhas internas entre os anjos do céu do leste.

Lá, ficavam somente os soberanos, e os mandantes que ordenavam as ações e leis que regiam a terra, como por exemplo, a própria gravidade. – Pensada com cautela e cuidado, para que todos se mantivessem de pé.

Zecctrus, o "chefe", pessoalmente buscou Hoseok e a garota, que estavam perfurando a camada de limites humanos, e criando graves acidentes, como por exemplo, a queimada em Seoul, o tempo parado ao redor do mundo, e também a enorme Tsunami, que deixou as cidades por água baixo.

Isso era feito pelo amor deles, que se tornava tão forte, e não fora de série, atravessando a barreira viva, e chegando a adentrar na morte. – isso significa, que eles se tornariam imortais, se soubessem controlar o próprio poder. E isso ameaçava a elite master.

Seus corpos deixaram de ser tornar meros mortais, e fizeram seu toque ser mortal. O que os levou, a o estado que estão agora, o doloroso fim.


— Abre seus olhos. 

Zecctrus pediu a Hoseok.


— Hm..quem...que porra é essa...


— Você está no CUSO, centro do universo e suas ocorrências. Aqui, nós basicamente, mandamos no destino.

Ele disse, se aproximando mais do rapaz, no salão branco, que ele estava dormindo a dias.


— Cara....eu devo ter usado muita droga essa noite – Hoseok começou a rir descontroladamente.


— Você está aqui faz cinco dias. Nós buscamos você na terra. E precisamos da sua ajuda, para salva-la.


— Que isso? Algum tipo de piada, daqueles programas sem graças que passa na quinta feira e ninguém assiste? – Ele continuou rindo, observando com desdém a maestria a sua frente. – Beijo a todos, eu amo vocês!


— Já chega. – Zecctrus puxou sua mão, levantando Hoseok no ar, usando o mínimo de poder que ele podia. Já que era ridiculamente fácil, abordar humanos.


— Cara...que LSD é esse? – Ele continuou sem acreditar na palavra do mais sábio, e estava fazendo o mesmo perder a paciência.


— (S/N). – Zecctrus apenas disse isso, mudando completamente o humor de Hoseok.


— Cade ela...ela tá bem? Você há machucou?


— Acho melhor você perguntar pra ela. – Ele abaixou o rapaz, com o olhar assustado e palpitação aumentando cada vez mais. Parecia, estar prestes a ser convencido.


— Aonde ela está?

Ele perguntou sério, encarando o grandão. Zecctrus admirou sua coragem, e viu que ali realmente existia amor, pois ninguém teria bravura de enfrentar um poderoso chefão sem barreiras.


— Terá que me seguir.


Ele começou a andar, e Hoseok seguiu ele. Os dois atravessaram o salão, passando por estatuetas estranhas de formas diferentes e esbranquiçadas. Até chegar na porta alinhada ao meio. Havia duas, uma preta, e uma branca, eles iam na mais clara. Despertando a curiosidade do mais novo.


— O que significa essa porra preta? Inferno?

Zecctrus sorriu.


— Não existe inferno, e nem céu. Apenas facções que cuidam de tudo que acontece em seu mundo.

Hoseok parecia querer saber mais, daquela maluquice estranha. E pediu para ele continuar.

— As facções dentro da porta preta, são, o grupo 3 e os sem facções. Também há suas fábricas solitárias.


— O que são esses grupos?


— Os grupos são caçadores. O grupo um, o meu, cuida dos recém nascidos, regemos a vida. O grupo dois, caça pessoas para entrarem nas facções, de acordo com seu histórico. O grupo três, são caçadores de almas. Eles recolhem as almas más, e as vezes boas, para fazerem o que quiserem com eles. Eles regem o mal. Como Yin yang.

Ele abriu a porta, e os dois passaram por ela.

Havia casas brancas, do mesmo formato e tamanho, com placas e símbolos diferentes, e o chão, era transparente, mostrando as estrelas do universo aos seus pés.


— As facções são pequenos lugares, que cuidam de pequenas coisas, como o amor, o perdão, a raiva etc, eles regem os sentimentos. E temos também, a ala do destino, que digita humano por humano, o que irá passar e como irá morrer. Para que tudo permaneça em ordem.


— Isso é loucura...– Hoseok apenas conseguiu dizer aquilo. Nada parecia real, apenas algumas horas de droga.


— Sei que é confuso, mas precisa colaborar.

Ele parou em um local diferente, de coloração preta, e também acinzentada. Era um prédio pequeno e não havia placas sobre ele.


— Porque tem um prédio preto, no meio desse mar branco?


— Aqui é a casa da sua namorada.


— A gente é amigo...


— Amigos que transam.

Zecctrus disse rapidamente, fazendo as bochechas de Hoseok arderem para primeira vez. 

— Enfim – continuou o maior. – Depois explicaremos isso há você, agora entre, fale com ela, coma alguma coisa e tire um tempo para perambular pelo pátio. Logo iremos ter uma reunião.


— Qual seu nome mesmo?

Hoseok perguntou antes de entrar, isso surpreendeu Zecctrus.


— Zecctrus, o superior de todos os grupos. Fundador do destino. E criador dos pátios.


— Sabe Zecctrus, até que pra um chefão você não é tão chato e assustador....

Hoseok bateu no peito dele, e o maior olhou ele assustado e cheio de dúvidas, como ele poderia ousar tocar em um superior? Que muleque...

— É Nois grandão, quando eu voltar pra terra quero um PlayStation em...


Hoseok entrou enfim na porta, fechando ela é voltando a andar no corredor. Zecctrus indignado, apenas colocou as mãos sobre os olhos e começou a andar desgovernado, raivoso sobre os pisos.

O corredor era preto, e uma música calma tocava. Havia quadros e mais quadros, todos com fotos estranhas de uma mulher, que era muito parecida com (S/N). Mas Hoseok fingiu que não fosse.

Ele entrou na sala, e viu a garota olhando para a parede, de tons escuros e desenhos macabros. Ela parecia se divertir.


— Ei....

Hoseok saiu correndo em sua direção. A garota observou ele, e foi ao seu encontro, em um lindo abraço.


Um beijo aconteceu, cheio de paixão e desejo, o sangue e prazer correndo em suas veias só pelo fato de se tocarem ali. A garota soltou um leve gemido, pelo grande sabor que os lábios de Hoseok lhe proporcionavam, um dos melhores gostos que ela provou.

Hoseok mordeu o lábio inferior da jovem, e disse baixinho, o quanto sentia a falta dela. A jovem disse o mesmo, e tudo começou a esquentar, como sempre, no calor de seus corpos juntos.


• (S/N) On • 


— Eu senti tanta saudade...de foder você. – ele sussurrou enquanto me beijava. Eu mordi seu lábio, e falei de volta.


— Eu não aguentava mais ficar longe de você, do seu prazer... – cravei as unhas em sua cintura, abaixo da blusa branca que ele usava.


— Vamos aproveitar então... Não quero perder mais tempo.

Ele passou a mão sobre minha blusa, apertando meus seios, sem esperar minha fala.


— Mas nós podemos?

Eu disse, jogando a cabeça para trás, e respirando fundo para não gemer de novo mas era impossível.


— Se podemos ou não, eu não sei, eu só quero ouvir você gemer pra mim, pedindo pra mim te foder mais fundo...


— Então vem, me fode gostoso..


Hoseok começou a deixar beijos sobre meu pescoço, enquanto abria sua calça desesperado por aquilo. Meu corpo tremia, estava ansiosa e delirava só de pensar nele entrando em mim novamente.

Seu membro saltou, e ele apenas voltou às mãos para meu shorts retirando ele há força, feroz, me fazendo se sentir uma presa fácil. E ele o predador.

Segurou seu garotinho nas mãos, chacoalhou por uns segundos, e enfim, adentrou seu delicioso em minha intimidade.

Aquilo pulsava, ardia, era tão bom, tão...


— Ahm...Hoseok...

Gemi seu nome assim que senti seu pênis em mim. Voltei meu corpo amolecido em ti, e agarrei seu pescoço, arranhando o mesmo.


— porque tão gostosa?

Ele disse, com dificuldades. E continuou devagar, segurando meu corpo com as mãos, e estocando aos poucos, delirando.


— Pra que você possa me foder...

Disse baixinho em seu ouvido, fazendo sua velocidade ser aumentada um poucos mais.

Meu corpo se arrepiou e passou a queimar de tesão e prazer. Joguei a cabeça para trás, mordendo os lábios.


— Eu vou te foder até você ficar sem pernas, não ouse brincar comigo.

Ele disse beijando meu pescoço e depois mordendo o lóbulo de minha orelha, deixando sua voz grossa adentrar em mim.


Remexi o quadril, pedindo por mais sem precisar dizer. Ele percebendo sorriu, e passou mais um nível de velocidade, fazendo meus seios pularem em meu corpo.


— Mais rápido...


— Garota... 


— É só isso que consegue fazer? Me fode fundo, anda, me deixa chorando de dor...

Provoque ele, vendo que sua velocidade aumentava a cada palavra que eu dizia.


— Não me provoque...mais uma vez e...


— E o que? Fode essa buceta, bem gostosinho, mais rápido....


Hoseok me pegou no colo, perdendo a paciência, com pressa é mais tesão que antes.

Ele me deitou no chão, e ficou por cima de mim, abrindo minhas pernas com a mão brutalmente. Seu pênis saio, e depois entrou de novo, fundo e rápido.

Ahm... é tão bom, tão gostoso sentir ele me fodendo, ver esse rosto avermelhado com tesão, socando seu pênis na minha vagina, enquanto morde os lábios. É tão bom gemer seu nome e balançar o quadril, sentir minhas pernas serem regassadas e a intimidade arder. Ahm, se eu pudesse transaria com você o tempo inteiro, por favor Hoseok....fode...fode...


Gemi alto, seu nome, ele fez o mesmo e me pegou no colo denovo.

Eu estava apoiada na parede, e ele fodia mais forte que antes. Eu estava quase chegando no ápice.

O prazer veio, e eu gozei, era impossível não gemer, eu tentei aguentar mais, mas ele me fodendo é tão bom, que eu não aguentei tanto tempo.

Ele continuou me fodendo, mesmo eu já estando sem forças, com pressa e fundo, arranhando meu corpo e gemendo trêmulo.


— aai caralho....você é tão gostosa...


Ele me beijou com voracidade, mordendo forte meus lábios e fodendo mais forte ainda.

Ele ficou frente a frente comigo, me proporcionando a bela visão de seu corpo chocando-se contra o meu, e me perfurando.

Ele gemia, o que me dava ainda mais tesão ver seu rostinho gostando de me comer.

Seu ápice chegou logo, e ele soltou um arfar grande e gostoso de se ouvir, agarrando meu seios e apertando ele em suas mãos grandes.

Mas ele não parou de foder, apenas mais lento, porém bem fundo.


Joguei ele contra a parede, e subi nele, começando a cavalgar gostoso em seu membro, enquanto ele me olhava derrotado, deitado ao chão, gemendo fraco e segurando meu quadril.

Rebolei torturando o rapaz, e fiz como um lap dance dentro do seu pau pulsando.

Ele estendeu a mão fraco e começou a me masturbar enquanto me fodia. Fazendo com que eu chegasse ao meu apice mais depressa.

Ele chegou junto comigo, já sem forças e com um prazer enorme estampado em seu rosto. Ele gemeu fraco, e eu me levantei para sair de seu membro.


Ele nao permitiu, então apenas continuei rebolando fraco, já sem forças, enquanto ele gemia de olhos fechados.

Foi para frente sem parar, beijando-o enquanto nós gemiamos completamente exaustos. Mas sem parar.


Ele abriu os olhos e trocou as posições de novo, começando a me foder novamente. Fraco e devagar. Torturando meus pensamentos.

Ele gemia sem parar, estava sensível por ter gozado duas vezes, mas abusava de suas forças ainda.

Ele começou a ir mais fundo, porém devagar, e novamente masturbar enquanto me fodia, usando seu dedo.

Gemi diversas vezes seu nome, e quanto fui chegando ao meu apice, subi em cima de seu corpo, e deslizei devagar, afundando minha buceta em seu pênis.

Ambos gozamos, e ele parou por alguns segundos e voltou a me beijar.

Nos beijamos por mais de dez minutos, e então comecei a sentir algo prazeroso de novo.


— Você tem uma energia em...


— Não consigo me controlar...


— Já gozamos mais de duas vezes...

Eu disse passando a mão pelo cabelo dele, enquanto me estocava devagar.


— Quando se trata de te foder, eu faço de tudo. 





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usu√°rios deixam de postar por falta de coment√°rios, estimule o trabalho deles, deixando um coment√°rio.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...