1. Spirit Fanfics >
  2. Jam (SooKai) >
  3. Whatever Happens

História Jam (SooKai) - Capítulo 13


Escrita por:


Capítulo 13 - Whatever Happens


Fanfic / Fanfiction Jam (SooKai) - Capítulo 13 - Whatever Happens

- 5:43 AM - Dormitório de Soobin/Huening Kai -

Uma mensagem de Beomgyu no meio da noite, avisando-lhe que teria de deixar seu próprio presente na cafeteria antes da hora do almoço fora a primeira coisa que notara. Kai, ainda um pouco grogue, arrebatado por ter acabado de levantar-se de um sono profundo ao lado de seu namorado, encarava o celular com um olhar de indiferença. Espremendo levemente os olhos com a visão turvada pelo tempo de descanso, desbloqueara o aparelho e rolara pela tela de conversa.

"Ei. Tá aí?"

"Não tive tempo de pegar seu presente e botar na mesa."

"Vou estar voltando pra cafeteria na hora do almoço pra organizar mais umas coisas."

"Aconteceu um imprevisto".

"Você consegue pegar seu presente e levar pra lá?"

Dera um suspiro ao ler as mensagens. Olhou rapidamente para seus arredores, Soobin ainda dormia, seu lado da cama estava desarrumado. Mordera levemente o lábio inferior, com uma pontada de nervosismo em seu peito.

Os primeiros raios solares passavam pela cortina, preenchendo o quarto com um brilho azul fraco, e leve. Este era complementado com o frio que sentia, causado pela central de ar. Seus pés descalços no chão gelado lhe causavam arrepios a cada passo.

O mesmo colocou o celular na cômoda, e trocara rapidamente de roupa. Havia decidido que iria até a cafeteria naquela mesma hora, colocaria a sacola com a caixa do presente, e voltaria para o dormitório. Com sorte, sem que Soobin acordasse.

"Me pergunto sobre quais foram esses imprevistos...precisarei falar com Beomgyu. Ele não esteve online desde as três da manhã. Deve estar dormindo....ou não. Esse garoto é muito imprevisível". Pensou, passando a camisa rapidamente por sua cabeça, vestindo-a antes que "congelasse" de tanto frio.

- Ningning? - O jovem assustou-se com a voz chamando-o por seu apelido. Virou-se no mesmo instante com uma expressão de choque, e ao perceber, vira que era Soobin.

Este estava apoiado em cima com os dois cotovelos, com uma cara de sono, ainda bem coberto pelos lençóis.

- Vai para algum lugar? - O moreno perguntou com uma voz grogue. Era a mesma pergunta do dia anterior.

Huening Kai desviara o olhar para o canto do quarto e voltara este para o de Soobin novamente, tentando pensar em uma desculpa, ao mesmo tempo em que tentava disfarçar seu nervosismo.

- Eu...hum...- Retraíra os lábios. - Vou a lugar nenhum, Binnie. Sabe, é que acordei com preguiça hoje e quis me arrumar logo para quando chegasse o horário do almoço. - Contara, mudando o tom de sua voz para um mais descontraído.

O mesmo caminhara até a cama, onde sentara na beirada. Nunca deixando de olhar nos olhos de seu amado, acariciara levemente a franja daqueles fios, tão negros quanto o céu noturno. Levara uma mecha atrás da orelha deste, com um certo cuidado, e sorrira ternamente. Mesmo com o cafuné, seu cabelo de bebê ainda permanecia bagunçado pelo efeito que a cama lhe causara.

Mas isso não incomodava nem um pouco Huening Kai, que achava a vista de seu amado daquele jeito muito fofa, e sentia-se mais conectado intimimante com este, por ele o deixar vê-lo daquele estado. Soobin sempre fora alguém que cuidava muito da própria aparência.

- Desculpa, acordei você? - Perguntou com um tom de voz mais suave, agradando os ouvidos que ficavam sensíveis pela manhã do moreno.

- Mais ou menos...- Respondera. Olhando de volta para Kai como se estivesse em um transe.

Kai virou-se em sua direção e deitou-se lentamente, afastando Soobin para o próprio lado para que lhe desse espaço na cama. Assim que cobrira a si mesmo, envolvera os ombros e pescoço do outro jovem. Movendo-se mais entre os lençóis, afundara seu rosto na clavícula deste, descansando ali.

A sensação de segurança da qual sempre sentia ao lado de Soobin retornara, fortificando-se quando este pôs as mãos ao redor de sua cintura, diminuindo ainda mais a distância entre ambos. Dera um suspiro aliviado, deixando seus ombros irem e virem com a ação. Sentia-se mais leve, sentia que poderia descansar ali mesmo, mas sabia que não poderia dormir novamente. Tinha que fazer o que Beomgyu havia lhe pedido.

"Não posso vacilar com Beomgyu..." Pensava, enquanto sentia as delicadas carícias que Soobin fazia em sua nuca. Em poucos minutos, estava lutando com os próprios sentidos, estava lutando pata manter-se alerta.

"Não...posso"...


- 11:23 PM - Cafeteria -

Taehyun acabava de largar uma caixa pesada no chão do salão de festas. Enquanto alcançava as próprias costas com as mãos, soltara um grunhido de dor. Fizera uma breve expressão dolorida, havia ido de norte a sul naquele espaço a manhã inteira, por mais do que apenas um dia. Aquela dor muscular era fruto de mais do que apenas cinco horas.

- Ahhh Beomgyu...- Rosnara, tentando ajeitar a própria postura.

O ruivo, que levava alguns preparativos em suas mãos e seguia um trajeto, parara assim que chegara perto de Taehyun. E o encarou com espanto no mesmo momento em que o outro jovem estalara a própria coluna, soltando um ar aliviado.

O moreno, assim que notara sua presença e como havia chamado sua atenção naquele ponto, virou-se para o mesmo.

- Por quê não podemos deixar tudo para, sei lá, dia dois, três? Vai dar tempo até lá. Minhas costas já não aguentam mais... - Uivou no final da frase. Havia abaixado a postura de uma forma que seus sentidos internos gritaram de dor.

Beomgyu o olhou de cima a baixo, arqueando uma sombrancelha.

- Soobin queria deixar a universidade para ir se encontrar com os pais no dia cinco. Seria bem melhor fazermos a festa surpresa logo na véspera, assim ele pode aproveitar. Não se preocupe, já estamos quase acabando. - Respondeu, calmamente como um bom líder. Sua responsabilidade e foco agora eram maiores, tornavam-no alguém mais calculista, longe do semblante extrovertido, e em vezes considerado "lezado" por muitos. - Aliás, você viu o Huening Kai?

Taehyun o respondeu negativamente com a cabeça, voltando a se abaixar para pegar a caixa que havia deixado no chão. O ruivo então virou na direção maior do salão, para os demais que estavam trabalhando.

- Algum de vocês viu o Huening Kai? - Recebera a mesma resposta de Taehyun dos outros jovens. - Esquisito...- Comentara.

O mesmo caminhou até a mesa principal e deixara a caixa que tinha em mãos em cima desta. Alcançara o celular que tinha no bolso, e o desbloqueou, indo diretamente ao app de conversas.

"Última vez on-line, cinco e quarenta e três da manhã...duas horas após eu mandar minha mensagem..." pensou enquanto lia "espero que não tenha contado tudo pro Soobin, senão...-"

- Cheguei pessoal! - Reconhecera a voz deste atrás de si. Se virou, encarando-o com um olhar confuso. Assim que Kai notara sua expressão, caminhou até parar em sua frente, com um sorriso nervoso.

- Aonde estava? - Indagou, tentando não transparecer sua ansiedade no tom. - O Soobin soube de alguma coisa?

O mesmo permanecera encarando o rosto de Huening Kai. Era visível que ele não havia entendido o motivo de sua irritação. Beomgyu, vendo o quão pouco seu comportamento o iria levar, dera uma pausa para respirar.

- Foi mal, tive que acordar cedo pra arrumar tudo...

- Tá tudo bem Beomgyu. Eu trouxe o que você me pediu na noite passada, já arrumei tudo que precisava, despistei o Soobin. A única parte que não deu foi o presente.

- O quê houve?

- Bem, a sacola que você tinha levado não era ele. O presente tá no nosso dormitório, então eu achei que seria bem melhor levar ele enquanto eu chamava o Binnie para quando a festa começasse.

- ...Certo, certo. - Assentira, sinalizando com a cabeça. - eu e os meninos já estamos acabando por aqui. Acho que até hoje a noite terminaremos, e amanhã a festa começará. Obrigado por ter feito sua parte. Aliás, aconteceu algo hoje de manhã? Você demorou.

- Soobin acordou enquanto eu saía, lá pra umas cinco horas da manhã. Eu tinha visto sua mensagem e quis ir logo, aproveitando o horário, só que aí dormi de novo porque ele percebeu.

- Ah poxa, desculpa ter te feito acordar essa hora. É que aconteceram umas cois-

- Beomgyu! - Ambos os jovens foram cortados por uma voz estridente, que parecia ter parado o salão.

No mesmo momento, a espinha de Beomgyu gelou. Sabia de quem era aquela voz, e aquele tom não combinava em nada com alguém que parecia feliz em lhe ver ou que lhe procurava para auxílio. Era como se tivesse pressentido, seu coração saltou.

Era Yeonjun.

Ele caminhava com passos largos, visivelmente irritado. Era como ver os últimos momentos de um toureiro, que olhava para os olhos ferventes da criatura, correndo em sua direção com os pares monstruosos de chifres. Sem ter para onde fugir, sem ter para onde correr e se esconder, apenas podia fechar os olhos, e rezar para que o estrago não fosse tão enorme.

- Y-Yeonjun...- Sussurara, encolhendo-se. O jovem de cabelos azulados agarrara seu braço com uma força que este doera quase que instantaneamente.

Yeonjun o mirou no fundo de seus olhos. Ao olhar de volta para as suas íris, apenas chamas de raiva eram visíveis.

- Onde ele está? - O mesmo indagou, em um tom ríspido, aproximando seu rosto do de Beomgyu. O outro mordera o lábio, desviando o o olhar, seu coração acelerou.

- Q-quem? - Perguntou, com a voz baixa.

- Você sabe quem. Aquele merdinha, do basquete, que tava com você ontem. Eu sei de tudo.

- O quê... - Voltara a olhar para Yeonjun.

- Como você pôde fazer isso comigo, Gyu? Com nós... - Sua voz começara a tremer, e via aos poucos olhos do jovem ficarem vermelhos. Queria chorar, mas não podia. Todos do salão os olhavam agora com todo aquele escândalo. Beomgyu arriscou uma rápida olhada para Huening Kai, que estava parado diante daquele situação. Estava com tanto medo quanto seu melhor amigo.

Voltando a mirar Yeonjun, o ruivo recompôs-se, engolindo em seco.

- Por favor...aqui não Junnie...- Sussurrou.


- 11:30 - Banheiro do Salão de Festas -

O jovem de cabelos azulados esfregava as têmporas, frustrado. Caminhava de um lado para o outro em uma tentativa falha de acalmar-se, pois logo voltava a lembrar de sua razão de ter aparecido ali.

Beomgyu o fitava, estava ansioso, sentia que seu coração iria explodir em seu peito. Fazia tempos que ele não se sentia assim.

- Yeonjun...- Emitira, timidamente em meio ao silêncio.

- O quê?! - O outro jovem rebatera, irritado.

- Eu posso explicar...

- Você não precisa me explicar nada...- Disse. Beomgyu o olhou com um olhar esperançoso. Teria ele o perdoado?

- Eu já sei de tudo. - Desmoronara.

Pela primeira vez em tempos, vira seu amado Yeonjun desabar, frágil. Seus olhos ficaram vermelhos novamente, como minutos mais cedo, desta vez, as lágrimas que esteve guardando mostraram-se.

Ver seu namorado ali, chorando por sua causa lhe cortava o coração. Fazia Beomgyu sentir-se mais culpado, a cada segundo que passava olhando para sua expressão sofrida.

- O Taesung me contou...- Disse.

- O Taesung? - Beomgyu rebatera, com um olhar espantado - Como você confia em alguém como o Taesung? Você mesmo me disse milhares de vezes que ele era uma das piores pessoas dessa universidade, e que você nunca foi com a cara dele.

- Pois parece que a pessoa com quem menos esperei algo de bom foi quem teve a bela intenção de revelar-me a vida secreta, de alguém com quem pensei que pudesse confiar minha vida inteira. - Contou. Ouvir aquelas palavras cortaram seu coração. Queria poder ter voltado no tempo, concertado tudo, ter olhado melhor para o próprio caminho e não ter esbarrado em Hyunjin. Aquela havia sido a porta para que tudo acontecesse. No momento não havia pensado, em si, em seu amado, e nas consequências.

- Você me disse que ele era apenas seu ex.

- E ele é, Junnie.

- Você me disse que ele tinha deixado o país, abandonado você para sempre. Eu cuidei de você, te dei tudo o que eu tinha. O meu tempo, o meu amor. Eu entrei nessa universidade por sua causa, planejava tudo para nós, para nosso futuro.

- Eu nunca disse que eu não queria tudo isso. Eu nunca disse que não amava você. Eu só...eu não sei. Eu estava andando pelo corredor e esbarrei nele, não sei o quê me deu...foi como se, todos os sentimentos, tudo que estava reprimido dentro de mim, fossem liberados de uma vez só. Eu não tive controle de mim mesmo, e ele também não. Foi o meu erro, eu deixei acontecer, eu deixei que meus sentimentos tomassem conta. - Beomgyu contou. Yeonjun o mirava agora com uma expressão triste, não encontrava forças em si mesmo para respondê-lo. As únicas forças que ainda lhe restavam estava usando para encarar o ruivo. Sentia que este havia sido sincero naquela resposta. Mas sentia raiva, sentia que tudo havia sido em vão, e que tomaria a qualquer momento a decisão de deixar Beomgyu para sempre, junto com aquela universidade, caindo no esquecimento enquanto mudava-se para outro lugar.

Mas por outro lado, uma parte grande de si também dizia que aqueles eram apenas momentos ruins de qualquer casal. Que era passageiro, que aquela situação apenas fortaleceria o laço emocional de ambos, e no final tudo acabaria bem. Por anos, ficou à par das mais piores situações que Beomgyu passara, acompanhara-o, ajudara-o a transceder. E no fundo sabia que Beomgyu nunca faria algo assim por maldade, se o fizesse, este nunca seria sua intenção. Apenas se estivesse com saudade do indivíduo. E Hyunjin se encaixava nisso.

- Você ainda o ama? - Perguntou, repentinamente. Seu tom mudando para um de frieza para conseguir manter a própria compostura.

Beomgyu demorara alguns segundos para responder, talvez tentando raciocinar, e ler os próprios sentimentos. Algo que naquele momento, lhe era quase impossível.

-...Sim. Mas não é como se fosse o amor que sinto por você. - Respondera. Yeonjun arqueara uma sobrancelha.

- Eu acho que o quê eu sinto por ele é apenas saudade. Não chega perto de tudo o quê temos. Eu te amo mais Yeonjun, mais do que qualquer coisa nesse mundo. Eu não quero que você desista de nossos planos, de nosso futuro. Eu estive esperando tanto para que o nosso grande dia chegasse, e não quero que acabe. Ainda mais só por causa de uma paixonite do passado. - Disse, caminhando lentamente até Yeonjun. Como uma pessoa que caminhava até um animal assustado, tentando o acalmar e levar para casa, onde saberia que nada de ruim aconteceria. O ruivo, pela primeira vez desde a noite anterior, havia chegado perto o bastante de seu amado. Como se conseguisse ver toda a dor e confusão que sentia, através de seus olhos. Yeonjun afastara-se alguns centímetros pela aproximação repentina, como uma resposta de seus sentidos.

- Me desculpe mesmo. Não queria ter feito você passar por isso. Eu te amo muito, Yeonjun - Beomgyu disse, levantando a mão lentamente, levando esta próxima à mandíbula do jovem. Assim que percebera que sua guarda estava baixa, acariciou sua bochecha com leveza, não querendo machucá-lo ou fazer algum movimento brusco.

- Eu também te amo. Mas preciso de um tempo...preciso pensar - Respondeu, olhando para o chão.

Beomgyu dera um suspiro, retirando sua mão e afastando-se. Levara esta ao próprio peito, em uma tentativa de enviar sinais para que seu corpo se estabilizasse.

- Tudo bem. Mas...você ainda vai para a festa do Soobin, não vai?

- Eu não sei. - O mesmo cruzou os braços, não retribuindo o olhar que Beomgyu tanto desejava ter de volta.


- 11:56 AM -

Yeonjun caminhara até o lado de fora da cafeteria. Dera alguns passos até a calçada, dando um rápido vislumbre pelo outro lado da rua. Nada de tráfego naquela hora do dia, pelo menos naquela parte da cidade. A calçada estava estranhamente vazia, e o ar era pesado. Mas não tinha muita certeza se este era enraizado no quê havia acabado de acontecer na cafeteria atrás de si, ou se apenas o dia que estava abafadiço.

Na mesma direção para onde olhava, podia ver a universidade de longe. A mesma onde havia ingressado junto de Beomgyu, para que unidos pudessem seguir o próprio sonho, como profissionais, e amantes.

- Não é hora para se arrepender agora... - Murmurou para si mesmo, puxando um ar.

- Como foi? - Ouvira uma voz melodiosa dizer no canto direito. Olhando na direção deste, apoiado no poste da calçada, com um casaco preto de frio, e uma calça jeans azul escura, estava Taesung. Yeonjun tinha certeza de que o jovem estaria usando roupas mais provocantes se o clima tivesse o deixado. Este esboçava uma expressão de satisfação. O quê apenas contrariava esta era seu sorriso cínico, como se tivesse perguntado aquilo já sabendo o quê teria acontecido. - Ele realmente te...? - Arquera uma sobrancelha.

- Você estava certo. Ele realmente me traiu com aquele...jogador de basquete mesquinho. - Cuspira as últimas palavras. Só de lembrar de Hyunjin seu coração amargurava.

Taesung dera uma risada fechada, descruzando os próprios braços e deixando de apoiar-se no poste. - Você não precisa ter vergonha de xingar ele. Ele fez mal pra você, pra sua relação. Você tem todo o direito desse mundo de querer se vingar, Junnie. - Dissera, caminhando como uma modelo de passarela na direção de Yeonjun. - Me diga...como foi ter que fazer isso tudo?

- Senti a pior dor que já tive em toda a minha vida.

- Ficou com raiva? - Taesung indagou, estudando a expressão do outro jovem.

- Um pouco...dele, do Hyunjin, da situação. De tudo. Acho que exagerei muito quando cheguei no salão gritando. Toda vez que me lembro disto sinto vergonha de mim mesmo. Fui muito infantil.

- Ah, pois não se sinta. Você foi brilhante, mandou sua mensagem da melhor forma. É melhor assim, todos certamente olharam para você e pensaram em nunca mais mexerem com você, ou até mesmo com nosso querido Beomgyu.

- Certeza?

- Absoluta. - O moreno respondeu, sorrindo. - É melhor que ele sinta tudo isso para se arrepender depois, e sentir o mesmo gosto da tristeza que você sentiu vendo ele com outra pessoa. Só estamos começando nosso plano. - Aproximou-se de Yeonjun.

- Sabe...já que seu dormitório ficará vazio porque o Beomgyu vai começar a dormir no do Hyunjin, poderíamos aproveitar... - O mesmo arriscara. Dera uma rápida lambida no lábio inferior de Yeonjun, dando lhe um selinho molhado.

Este afastou-se rápido, com um sorriso de uma criança malcriada, pronto para disfarçar as próprias peripércias.

- Não dormirei com você, Taesung. - Yeonjun alertou, franzindo a testa. - Você pode ter me ajudado, mas não farei isso.

- Uma pena. Pensei que ainda houvesse um pouco de sede por aventura aí dentro. - O moreno sorriu, mesmo com um ego ferido. - Mas quando quiser...- Tirara o celular do bolso, mostrando-o - É só me mandar mensagem, que eu apareço. - Completara. Este dera meia volta, ainda com um sorriso maroto em sua face. Andando com seu ritmo seduzente até desaparecer do campo de vista de Yeonjun.

O jovem permanecera parado, um pouco inquieto pela provocação, até tomar a decisão de finalmente sair dali e voltar para a universidade. Não doiria ignorar o ruivo por um certo tempo, até que a situação estabilizasse e tomasse a própria decisão.

Deu meia volta, e caminhou com a cabeça baixa, atravessando a rua e tomando o trajeto de seu destino.

Mal sabia ele, que alguém esteve observando-o desde pôs os pés fora da cafeteria.


- 18:20 PM - Vestuário Masculino da Universidade -

Diversos jovens saíam do lugar, usando as roupas que haviam colocado posteriormente em suas mochilas. Havia sido uma partida difícil, que teria demandado mais do que apenas seu foco e o esforço de seus físicos. Mais do que desgastante disso daquele partida, havia sido o técnico Hyonu, que gritava incessantemente, e estava mais frustrado quanto todos os meninos dali. Parecia que anos de experiência haviam o deixado louco.

Entre os muitos garotos, sentado em um banco, solitário, enquanto mexia em seu celular, estava Hyunjin. Ainda não tinha feito muitos amigos desde sua recente chegada na universidade, pensando que conseguiria enturmar-se pelo menos com os mais esportivos e populares do lugar, juntara-se ao clube de basquete. Porém, parece ter tido um efeito contrário pois muitos garotos começaram a guardar um certo desgosto pelo jovem. Justamente por ser um dos melhores, que ganhava diversos elogios dos superiores, e era desejado por muitas garotas, que a maior parte delas os outros não conseguia nem chamarem suas atenções. Mas Hyunjin admitia que não ligava muito para tais títulos, ou até mesmo para garotas.

Seus cabelos pretos pingavam com a água, estavam molhados da ducha que havia tomado, mas não se incomodava em ter que enxugá-los. Estava distraído demais com o próprio Twitter no celular para se incomodar em fazer algo sobre estes.

Assim como as próprias roupas, estava nu, exceto pela toalha que usava amarrada na cintura.

- Amanhã vai ter revanche, Hyunjin. Você vai ver só. - Ouvira um dos meninos falar por cima de seu ombro. O mesmo só respondera positivamente com a cabeça de forma leve, sem tirar os olhos da tela do celular. Estava ocupado demais para ligar.

Em pouco tempo, os minutos passaram. E só quando percebera que a luz do fim da tarde havia cessado e já não era possível ver seus últimos raios pela pequena janela do vestuário, também como os gritos competitivos e fala alta dos outros jovens haviam cessado, viu que estava por si só.

O mesmo levantou-se, com o celular na mão, e caminhou pelo lugar apenas para certificar-se. Assim que teve total certeza, dirigiu-se para o próprio armário.

Deixara a toalha no banco, e abriu o armário para pegar a roupa que havia deixado ali horas mais cedo. Uma blusa preta, que havia ficado meio apertada desde que começou a treinar, e uma calça cinza moletom. Peças mais do que confortáveis para voltar para o dormitório e dormir tranquilo como um bebê.

Percebera enquanto vestia-se que era relativamente mais calmo, e menos estressante, estar naquele vestuário quando ninguém estava ali mais.

Ninguém se importava o bastante com Hyunjin para esperá-lo. E muitas vezes quando ele usava o celular em um canto, via comportamentos que o faziam questionar sobre a saúde mental dos garotos do time.

Alguns gritavam em meio à conversas, fazendo todos olharem para eles. Estes eram muito barulhentos, eram os supremacistas, idolatravam a si mesmos e acreditavam que apenas o próprio time importava no mundo. Outras vezes, via alguns jovens jogando suas partes em outros, o quê fazia Hyunjin agradecer mentalmente por ninguém o conhecê-lo e o ter como alvo de brincadeiras como essas.

Existia outros, que considerava um dos piores tipos, que eram viciados nos corpos de garotas, alguns até chegavam ao ponto de tirarem fotos destas sem seu conscentimento.

Era um ambiente tóxico em todos os sentidos. Algumas vezes Hyunjin pegava-se pensando se era o único sã naquele lugar.

Assim que acabou de vestir, inclinou-se para pegar de volta a toalha no banco para colocá-la na parte da lavanderia.

O mesmo pegou um susto ao ver um par de pernas sentado no banco, depois, olhos mirando diretamente nos seus. Seu espanto fora tão grande que sentira seu coração querer saltar para fora de seu peito. O mesmo quase havia deixado cair a toalha, e quando percebeu, precisou agarrar em uma parte do armário para não perder o equilíbrio e acabar caindo no chão sujo.

- Minha nossa, você está bem? - A pessoa que percebera no mesmo ambiente se aproximou.

Ao ver que era da mesma altura, e perceber os fios lisos e únicos, tingidos de ruivo, soube automaticamente quem ele era.

Beomgyu fitava sua expressão com um olhar de espanto. Seu olhar indo entre seus olhos e sua boca, procurando por uma resposta. - Desculpa mesmo, não foi minha intenção te assustar. - Deu uma risada ao perceber que Hyunjin não havia se machucado. O mesmo afastou-se um pouco, dando ao moreno espaço para que se estabilizasse.

- A quanto tempo esteve parado aí?...- Hyunjin indagou, sua expressão logo mudando para uma de felicidade, claro que sentia um pouco de vergonha. O local não era muito apropriado para um encontro como aqueles.

- Desde que você...bom - Beomgyu desviou o olhar, retraindo os lábios. Em poucos segundos estava tão vermelho quanto um tomate.

Hyunjin compartilhou do mesmo sentimento no mesmo momento em que percebera o que seu desconforto signficava, e encolheu-se.

Não era como se aquela fosse a primeira vez que havia visto Hyunjin nu.

- Tá tá - O moreno levantou a mão repentinamente, em uma tentativa de atenuar o clima - Desembucha. Primeiro: o quê você veio fazer aqui? - Indagou.

Beomgyu voltara a encará-lo, a cor de seu rosto voltando aos poucos. - Eu queria te fazer um pedido. - Respondeu, abaixando o tom de sua voz. - Eu não queria ter que pedir isso, mas...aconteceu umas coisas hoje de manhã.

- O quê houve? - Hyunjin perguntou, indo sentar-se no banco para pegar a mochila que havia guardado ali embaixo.

- O Yeonjun descobriu tudo. - Cuspira a frase. O moreno levantou-se pondo a mochila ao redor dos ombros, voltando a olhar para Beomgyu. Respondendo-o com um olhar chocado.

- O-o quê? Como...descobriu...descobriu o quê? - Gaguejou.

- Nós, Hyunjin. Ele descobriu o que aconteceu entre nós ontem, bom, o Taesung contou...como ele soube eu não sei. -

Hyunjin dera um suspiro, acompanhado de uma virada de rosto frustrada.

- Eu acho que o garoto seguiu a gente. Ou então ele viu nós dois na frente da cafeteria, mas...isso não vem ao caso. O negócio é que ele e eu estamos brigados, ele disse que queria um tempo para "pensar". E eu, bom...você já sabe o que aconteceu, fizemos aquilo por causa da saudade.

- Certamente. - Hyunjin dissera, com uma leve resposta positiva com sua cabeça. - Mas, então qual é o seu pedido? Precisa de ajuda?

- Na verdade eu só queria um bom lugar para poder passar longe do meu próprio dormitório - Contara, colocando uma mão na cintura, flexionara o canto da boca. - Pensei, ele quer espaço, ele terá. Eu mesmo não quero mais olhar na cara dele. Estou cansado disso tudo. Acho que ele nem notará minha ausência porque o vi se beijando com o próprio Taesung na cafeteria, logo depois dele ter chegado gritando e me feito ir conversar com ele sobre o quê houve entre nós. Talvez o dormitório dele nem fique tão vazio quanto eu penso que irá ficar.

- Mas que filho da...- Hyunjin rebatera, com um tom ríspido, fazendo alusão à Yeonjun.

- Então eu...basicamente só queria ficar no seu dormitório e passar...um tempo com você. - Beomgyu puxara ar - Enquanto essa situação ainda não foi resolvida. - Seus ombros abaixaram, sinalizando que havia deixado de tensionarem com a fala. - Você...deixaria? - Indagou.

- Claro, claro. - Respondeu dando um sorriso, estava muito alegre com o tal pedido. Há tempos que não via Beomgyu, e muito menos pensava quando teria uma oportunidade de tê-lo perto de si novamente como nos velhos tempos. Havia entrado naquela universidade por sua causa, e dividir seu dormitório, que, por ser novato, ainda estava sem dupla, era mais do que boas notícias. Ótimas, sentia como se estivesse vivendo um de seus sonhos. Se não fosse pela vergonha, teria pulado de alegria, abraçado o ruivo em sua frente e lhe enchido de beijos ali mesmo.

Ambos os jovens ficaram conversando por mais alguns minutos até que notassem que estava tarde demais. Haviam perdido o jantar, e só lhes restava voltar ao dormitório, descansarem e aproveitarem o café da manhã do outro dia.

E claro, quando entardecesse, teriam que ir à cafeteria, e torcerem para que ocorresse tudo de acordo para a festa.

Beomgyu e Hyunjin então caminharam lado a lado para o dormitório do jogador de basquete, onde lá, o ruivo trocara de roupa para algo mais confortável (ainda vestia as roupas de horas mais cedo) e deitou-se para dormir.

- Boa noite, Hyunjin - Dissera calmamente, olhando-o do outro lado do quarto.

- Boa noite, Gyu. - Respondera com um sorriso fechado. Alcançando então com uma mão o abajur que ficava na cômoda, sendo a única fonte de luz que ainda iluminava aquele cômodo.

Ainda tinha de se acostumar com alguém ali do outro lado do dormitório. Ainda quando esse alguém era ninguém menos do quê seu próprio ex. Que mesmo com todo o tempo que passara ainda o amava profundamente, como nos primeiros dias que estiveram juntos anos atrás.


Notas Finais


próxima dica pro que vai dar no prox cap = começa com F e termina com A (o que será? Difícil em)

E sim, finalmente coloquei a primeira foto pra começar um capítulo, e foi logo como eu imaginava a aparência do nosso queridinho Taesung kwkkkkk espero que tenham gostado, foi meio corrido, teve varias quebras de tempo, mas espero que tenha dado pro gasto


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...