História Je suis comme toi - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens All For One, Chiyo Shuzenji (Recovery Girl), Dabi, Denki Kaminari, Eijirou Kirishima, Enji Todoroki (Endeavor), Fumikage Tokoyami, Fuyumi Todoroki, Hawks, Hizashi Yamada (Present Mic), Inko Midoriya, Izuku Midoriya (Deku), Katsuki Bakugou, Kurogiri, Kyoka Jiro, Mashirao Ojiro, Mei Hatsume, Mina Ashido, Minoru Mineta, Mirio Togata (Lemillion), Momo Yaoyorozu, Neito Monoma, Ochako Uraraka (Uravity), Shouta Aizawa (Eraserhead), Shouto Todoroki, Stain, Tenya Iida, Toga Himiko, Tomura Shigaraki, Toru Hagakure, Toshinori Yagi (All Might), Tsuyu Asui, Yu Takeyama (Mount Lady), Yuga Aoyama
Tags Shigadeku
Visualizações 36
Palavras 1.288
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Ficção Científica, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Shoujo-Ai, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu finalmente voltei de viagem! Estava ansioso para postar o capítulo, que bom que podemos voltar normalmente a essa rotina.

Aproveite a leitura!

E sim, eu sei que não se comemora dia das crianças em 12 de outubro lá no Japão... mas fazer o que.

Capítulo 11 - Pensamentos em excesso



11-10-2019


Finalmente sexta. Tudo bem que agora, nesse momento talvez seja meia-noite, e eu estou sentado na cama sem sono algum. Mas o que importa é que hoje é dia 11 de outubro de 2019, uma sexta-feira. Amanhã é dia das crianças, e eu não estou nem um pouco animado com isso. Eu estava, a uns dias atrás. Mas de lá até cá aconteceu tanta coisa que acho que já perdi todo o meu interesse nisso.

Infelizmente, as vezes é assim a vida. Só nos damos conta do valor de algo quando perdemos esse algo, mesmo que por breve segundos. E por mais persistente nós formos, para não cometermos o  mesmo erro, acabamos fazendo, acabamos o cometendo. E isso vira um ciclo, já que não sabemos quando que algo vai acontecer. Colocamos na nossa mente isso, mas sempre deixamos um erro escapar. E talvez, esse erro seja o que vai lhe trazer frustração para o resto da vida, por mínimo que ele seja.

Por isso que eu apenas prefiro ignorar tudo isso, e pensar que não vai acontecer. Digo, não é como se alguém ligasse, mas é algo dentro de mim. Sei que ignorar não parece a melhor a opção, e eu devia fazer algo a respeito. Espera, o que eu estou falando. Nem eu mesmo me compreendo, como vou querer que as outras pessoas me entendam?

Espero, que lá no fundo, mesmo que seja poucas as pessoas, alguém me entenda. Alguém me prove que eu não estou louco. Ou que fiquei louco. Não faz sentido. Mas o que tudo isso prova parar mim mesmo? Disso que eu penso tanto.

Não tem sentido mais nada, todas as peças se interligam. Quando você começa a pensar demais em certa coisa, essa coisa fica estranha, peculiar ou "desconhecida". Quando começamos a contar os problemas da sociedade, entramos em uma gigante prisão. Machismo, homofobia, racismo, preconceito, bullying, assassinato, mídia manipuladora. Independente do local, vai ter alguém querendo ajuda entre outros que eu não me recordo no momento. Mas o que podemos fazer em relação a isso? E eu penso: nada. Exato, não podemos fazer nada. E é esse "nada" que vai fazer tudo. Ou esse "tudo" não vai fazer nada.

Caos. Acabei de chegar na conclusão que isso tudo é um caos. Lógico, a grande parte das pessoas -talvez até todas— já chegaram a conclusão, e eu não sou nenhum mágico de Oz por fazer isso (que por sinal, é igualmente o que as outras pessoas já fizeram). E é por isso que não há nenhum gênio. O que significa que não precisa ter muita coisa para pensar nisso. Se não pensou vai pensar. E isso me leva a pensar novamente, se todo mundo já pensou nisso, estranhou ou teve alguma reação, não é porque tem algo errado?

Não sei. Sou apenas um adolescente, cujo o pai é divorciado da mãe e todos acham que eu estou sendo o culpado (eu preferia usar o termo "principal suspeito") por um assasinato que eu nem sei de quem foi! -A melhor É parte é que eu não faço a mínima ideia de quem eu supostamente matei- Na qual acordou de madrugada e agora está tendo pensamentos profundos, pois logicamente que os pensamentos mais profundos aconteceram na madrugada.

Acho que era de madrugada quando Aisten pensou "acho que tem alguma coisa errada nessa parada toda aí. Vou fazer um estudo para descobrir e me opor a igreja e a fala de todos. Pois não é a minha opinião". Não tão arrogante desse jeito e sem um vocabulário tão escasso quanto esse, mas deu para se notar algo.

Cheguei a um ponto que quando me olho no espelho, vem outra pessoa. Converso com alguém... não. Eu ouço outra pessoa, e isso me deixa nervoso.

Descobri que meus pensamentos são muito aleatórios.

-Hehehe. -Rio sozinho, comigo mesmo. Devo ter endoidado de vez.

-Jesus cristo tenha piedade de mim, nesse madrugada que acho que escutei o capeta rindo! -Escuto a voz de "Shou-chan" ecoar por meu quarto, assustadamente.

-Shou-chan? -Chamo pelo seu apelido e ele suspira aliviado.

-Graças a deus que é só você, Izuku. Senti meu coração quase pular para fora de mim aqui. -Ele diz, colocando a mão sobre o peito esquerdo.

-Hahaha. Calma, sou só eu. Porque levou um susto tão grande? -Pergunto entre risos.

-Achei que estivesse dormindo... -Ele responde meio confuso, enquanto olha o relógio que tinha em seu celular. -São 1 da manhã e você está aqui acordado. E olha que você tem que estar na escola as 6 em ponto!

-E desde quando você está aqui? -Pergunto, mas não obtenho uma resposta. -E eu to sentado na cama, lógico que não durmo sentado.

-Eu sei. -Ele ri. -Mas na hora eu não sabia.

-Entendi. Poderia tomar cuidado para nao acordar minha mãe? Não quero mais problemas do que já tenho... -Digo tentando não escolher um mal-uso de palavras.

-Está afirmando que eu sou um problema? -Ele coloca a mão no peito esquerdo novamente, mas dessa vez como se algo tivesse atingido aquele local.

-Não é isso! Eu gosto muito de você! -Respondo rapidamente, meio desesperado por não querer perder mais alguem importante, vejo ele dar uma leve risada.

-Eu estava só zuando, se acalme. -Ele dá uma risada enquanto eu aceno aliviadamente. -Então, está com sono?

-Não. -Nego.

-Mas tem que dormir! Não pode ficar acordado a "manhã" toda e depois ir para aula parecendo o zumbi. -Ele faz aspas com os dedos na palavra "manhã". -Izuku, é importante para sua saúde.

-Eu não consigo dormir, estou sem sono! -Afirmo novamente. Eu não consigo, já falei para ele, não querendo ser rude. Longe disso.

-Mas precisa! -Ele para um pouco pensativo. -Hmmm... que tal fazermos assim. Eu te ajudo a dormir e depois peço algo em troca.

Isso não me cheira bem. Olho para ele, que está com um sorriso mínimo. Talvez nem seja tão importante dormir cedo. Tirando o fato que amanhã tem prova e... amanhã tem prova e eu não me lembrará.

-Okay! -Aceno rapidamente com a cabeça. -Mas posso pedir um favor antes?


«←●○◎※♡※◎○●→»


Estava já na sala. Novamente, havia sido o primeiro a chegar, mas dessa vez tinha companhia. O problema foi em me acordar. Shou-chan tentou várias vezes (de acordo ele mesmo, pois eu não senti nada) até que em uma, na qual foi bem desagradável pois ele disse "poxa, você vai perder seu horário da prova, toda a sua noite de estudos e seu amigo por causa da sua dormida..." e eu acordei na hora.

-Izuku-kun! -Uraraka chama. -Você está meio distraído. Aconteceu alguma coisa?

-Ah... não. -Respondo com um sorriso. Estamos conversando junto a na sala, pelo menos enquanto ninguém chega.

-Estudou para a prova? -Ela pergunta animada e eu aceno.

-E você? -Pergunto e vejo ela acenar rapidamente. Estranho isso. -Uraraka-chan...

-Ta bom, ta bom. Eu estudei mais ou menos... -A garota confessa, sem seu ânimo típico. -Mas deixando esse assunto de lado, o que vai fazer amanhã?

-Melhor nos separarmos, alguém está vindo! -Afirmo e ela acena, enquanto nos separamos rapidamente do local que estavam os e nos espalhamos pela sala, até que Lida abre a porta, e ao nos ver muda de feição.

-Céus, como conseguiram chegar antes de mim novamente? Isso vai ter volta! -O líder da sala resmunga com si mesmo, tirando risadas (escondidas) de mim e de Uraraka, que se encontrava no outro canto da sala.

Abaixo a cabeça e dou uma risada. As vezes parece que as coisas não são reais, ou melhor, distinto da realidade. Pois se tem uma coisa que aprendi lendo "Alice No País das Maravilhas" é que não existe algo irreal. Só existe algo que não sem compará a realidade. Pois se existe é real, independente do que seja.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...