História Jealous - Capítulo 58


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Blackpink, EXO
Personagens Byun Baek-hyun (Baekhyun), Jennie, Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Jun-myeon (Suho), Kim Min-seok (Xiumin), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Chan-yeol (Chanyeol), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Rosé
Tags Baekhyun, Bangtan, Bighit, Bts, Chanyeol, Ciumes, Exo, Fluffy, Gastronomia, Love, Noona, Romance, Suho, Taehyung, Você, Xiumin
Visualizações 101
Palavras 2.106
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Fluffy, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Após alguns stresses causados pela mesma pessoa mala, deixo vocês com esse capítulo quase um pouco mais relaxante, ou não.

Tem tanto nessa fic sobre o 'Bolo de Leite de Pássaro', que eu vou até deixar a receita nas notas finais. Quem tiver tempo, coragem e bons ingredientes, boa sorte !!!

Essa música é muito linda, 'River Flows in You', vou deixar o link nas notas finais.

'Hello Bitches' não é uma música linda, mas é só para quem conhece a CL, ela também fazia parte do grupo 2NE1.

A última parte do capítulo me deixou agitada, enfim, boa leitura !

^^
Leiam também minha fic 'Let Me Know'

:3

Capítulo 58 - River Flows in You


Fanfic / Fanfiction Jealous - Capítulo 58 - River Flows in You

 — " Já vou. "    — gritei.

Lembrando ao cara desconfiado na minha sala que eu tinha uma refeição com a avó de Chanyeol. 

Pisquei meus olhinhos para ele.

— " Você tem muita coragem se se atrever a implicar comigo por causa disso Kim Taehyung. " 

Ele abaixou a cabeça pesando minhas palavras junto com os desaforos que a mãe me fez passar a tão pouco tempo. 

  — "Isso já estava marcado ou você está se vingando de mim por causa de ontem? " —  seu olhar de desconfiança me varreu.

    — " Por mais tentador que possa parecer, não é vingança. E para mim sua memória está falhando muito rápido para alguém de 23 anos de idade, já que estava bem ao meu lado quando combinei esse almoço. " — zombei ao abrir a porta da geladeira e encará-lo de lado. — " E não me venha com essa cara, pois se você está caduco, eu não estou, já que me lembro perfeitamente de ter me jurando que não iria mais brigar comigo por causa dele. " 

Mesmo lembrando, ele só não queria dar o braço a torcer, ficou emburrado um biquinho quase se formando em seus lábios.

Deixei o bolo na bancada da cozinha ouvindo a campainha tocar mais uma vez.

— " Noooona. "     — Chanyeol gritou atrás da porta.

Gemi por dentro, será que dá para esperar Park Chanyeol??

O laço do meu vestido foi puxado enquanto ele balançava a cabeça na minha direção.

— "As vezes eu acho que você quer me deixar louco sabia? Se é que eu já não estou." — admitiu, contornei sua cintura com as mãos, sorrindo culpada, hoje é a vez dele sentir ciúme. 

Eu sei meu amor.

  — "Não é como se eu não pensasse o mesmo as vezes." — levantei uma sobrancelha abusada, mas só estava implicando. — " Volte mais tarde, traga um dos seus filmes, seu pijama de dinossauro e seus beijos para mim, podemos fazer hoje a noite o que deveríamos ter feito ontem. "

  — " Só nós dois? "    — perguntou todo manhoso.

Confirmei com um movimento de cabeça e um beijo bem gostoso logo depois.

— " Só nós dois. " 

...

Quase tive que limpar a baba que escorria do canto da minha boca, a casa dele me fez lembrar da casa de Ryeo em Daehangno, só que era maior, muto maior.

      — " Woah! Acho que escolhi o pretendente errado. "  —  entreguei o bolo para Chanyeol, saindo do carro olhando para todos os lados.

A entrada era ampla em um estilo clássico ao mesmo tempo que moderno, o jardim era enorme quis sair e me infiltrar no meio de todas aquelas flores perfumadas e lindas. As árvores de cerejeira me deixaram vidrada. 

Sua risada alta me fez rir junto.

Chanyeol apoiou a mão livre nas minhas costas me guiando para a entrada que dava para um grande salão cheio de esculturas e de quadros caros na parede. 

      — " Não me tente. "  — falou baixinho, mas logo me soltou, pois sua avó vinha a todo vapor na minha direção.

Ela era tão forte quanto eu me lembrava, seu abraço foi firme e aconchegante, halmeoni  tinha os mesmos colares e anéis da última vez.

      — " Quero agradecer pelo xarope halmeoni, fez realmente eu melhorar mais rápido. "  —  me curvei em agradecimento.

Latidos vieram da parte contrária a que estávamos e o sorriso mais lindo que já vi Chanyeol dar, surgiu em sua face.

      — " Tobeeeeeeen. "    

Um cachorrinho de pêlos negros e brilhantes vinha como uma flecha sobre o dono.

Antes que uma tragédia acontecesse peguei o bolo de volta, e eles puderam se apertar um no outro em meio aos latidos de um e as risadas do outro. Chanyeol sempre me falava da saudade que sentia de Toben, ele sempre vinha visitá-lo mas só as vezes podia levá-lo junto para o dormitório. 

      — " Venha conhecer a noona, Toben." —  seu sorriso dessa vez foi para mim e enquanto o bolo passava agora para a mão da sua halmeoni, foi a minha vez de babar pelo cachorrinho. 

...

      — " Youngmi, olhe só quem chegou trazendo uma sobremesa de dar água na boca."  — halmeoni anunciou minha chegada a Sra.Park.

Assim que entramos na cozinha um cheiro delicioso nos rodeou, a omma de Chanyeol estava com mais uma ahjumma, ela fazia muito bem na cozinha, eu quase poderia compará-la a Sra.Sung, quase. 

 Yoora estava em uma pequena viagem com o pessoal do telejornal, nos sentamos para colocar a fofoca em dia, enquanto Chanyeol brincava com Toben e atendia a uma ligação ao mesmo tempo.

      — " Você gostou mesmo do meu anel não é verdade? "  — aparentemente eu estava quase puxando o anel de Safira dos dedos de halmeoni e saindo correndo.

Senti o rosto corar de vergonha.

Ela perguntou se eu queria usá-lo até que fosse embora, e mesmo sabendo que não deveria, quem eu queria enganar? Então, só aceitei.

Durante o tempo em que eu encarava o brilho azul que irradiava do meu dedinho, falei sobre as comidas da Feira de ontem omitindo tudo de ruim, entreguei as receitas novas que tinha visto e separado para o cardápio do Viva Polo e me entupi de Champignon com parma e gorgonzola que a Sra.Park tinha posto na minha frente.

   — " No outro dia Chany estava no celular marcando um café com uma garota. "  — a omma dele começou toda desconfiada.    — " Então, eu pedi para falar com ela, já que tinha certeza de que falava com você, mas ele negou e não quis me dizer quem era. "

As mulheres da família estavam achando que o bebê da casa mais uma vez se relacionava com a doida da Seohyun, e eu não poderia deixá-las pensando assim. Logo que terminou a ligação, Chanyeol veio se sentar conosco, porém, antes eu revelei a identidade da garota misteriosa que não era eu, muito menos Seohyun.

      — " Rosé." 

Um olhar feio foi direcionado a mim assim que mostrei uma foto dela para as duas. Ele ia puxar meu celular, o guardei bem rapidinho antes que ele pegasse e desse um fim nele.

Sua omma perguntou se eu a conhecia, e fez mais 85427 perguntas sobre Rosé. 

      — " Não se preocupe Sra.Park, essa é normal."  —  eu a acalmei, ajudando um Chanyeol de cara amarrada a por a mesa.  — " Eles ainda estão se conhecendo, mas ela gosta muito do seu filho."

Sua omma me encarava sem acreditar muito nessa conversa, e me explicou que o problema era ele gostar dela. Pousei a última taça na mesa, olhando a Sra.Park, logo depois lançando meus olhos as costas do filho que ainda trazia as preparações. 

Suspirei.

      — " Não se preocupe com isso também Sra.Park, se tivesse visto a cara do Chanyeol-shi olhando para ela. "  —  na mesma hora ele se virou e além do rosto, suas orelhas também estavam vermelhas.  — " Na verdade, eu tenho um vídeo. " 

Já pegava novamente o celular para mostrar  a mãe dele sua reação a dança de Rosé quando Chanyeol veio como um raio na minha direção.

      — " Nooooooona!! "  — berrou, fiquei com medo e tive que guardar o celular mais uma vez, sobre as risadas da Sra.Park.

   — " Acho difícil o meu Chany olhar para alguém de um jeito mais pateta do que ele olha para você. " — halmeoni sempre dizia as frases mais constrangedoras possíveis, fazendo logo depois o silêncio reinar.

Olhei bem para aqueles olhos grandes, negros e tão lindos que me fitavam de volta. 

  — " Eu não falei nada, brigue com ela e não comigo. "   — o orelhudo ousou falar em voz alta, sabendo muito bem que eu não iria e nem poderia brigar com a avó.

Engoli uma resposta, e logo começamos a refeição.

...

Meus olhos varriam cada ponta da casa dele, a decoração e os nomes dos quadros nas paredes. Chanyeol fazia um tour comigo, sem nem precisar olhar para falar de quais artistas as obras eram. 

      — "Portinari; Salvador Dalí; Monet; Renoir; Courbet; Delacroix e Rembrandt." — a medida que ele falava um pouco sobre cada uma delas eu pensava em Taehyung, ele iria adorar isso. Se eles dois se esforçassem um pouco mais com a presença um do outro, tenho certeza que se dariam muito bem e poderiam conversar por horas sobre arte e música.

Atravessamos um corredor com um lustre bem bonito, que fazia as cores do arco-íris se irradiarem por todo o cômodo. Chanyeol parou ao lado de uma das portas, me olhando de um jeitinho todo manhoso.

   — " Noona, quer conhecer o meu quarto? "  — sua língua umedecendo seus lábios de forma sexy, logo depois ele começou a simular um strip-tease, e eu não pude segurar o riso.

   — " Seu ridículo. Vou chamar sua avó para ela ver a sua pouca vergonha. "  — impliquei, nossas risadas se misturando, entrei em seguida.

O quarto era espaçoso, limpo e organizado, ele bateu a porta, se escorando nela todo duro e desconfiado. 

   — " O que foi? "  — perguntei recebendo uma negativa dele.

Esse garoto acha que me engana.

  — " Desencoste da porta e me mostre o seu quarto Park Chanyeol."   — ergui minha mão na sua direção, piscando meus olhos, mordendo o canto dos lábios, provocando.

Na mesma hora ele segurou a minha mão na dele, seus lábios se separando, mas antes de chegar mais perto eu o puxei para o lado, dando de cara com um pôster enorme da Dara do 2NE1, só de lingerie.  

'Hello Bitches', prefiro você CL.

Meus olhos analisaram o pôster e depois foram para o rosto de pimentão do meu orelhudinho saliente. 

— " Dara?"    — dei as costas seguindo com a minha investigação pelo quarto.  

Muitas prateleiras de livros, CD's, LP's, DVD's e várias outras siglas que eu não sabia identificar, também tinha algumas fotografias de quando ele era criança, diferentes daquelas que eu vi no Viva Polo, uma mais fofa do que a outra.

A cama também era grande, tinha lençóis escuros que pareciam ser bem macios, mas eu não me atreveria a tirar a prova dessa teoria. 

  — " Onde estão seus outros instrumentos?" — perguntei percebendo que só tinha o violão ali.

     — " Eu tive que fazer uma sala com isolamento acústico, antes que minha família me jogasse na rua. "    — sua covinha apareceu com seu sorriso sem graça, e se fosse comigo eu nem iria ligar de escutá-lo 24h por dia tocando violão, ou piano ou qualquer outro dos 87532 instrumentos que ele sabia tocar. 

...

Logo me vi sentada em um cantinho daquele estúdio, com a mão sustentando o rosto e toda mole ouvindo Chanyeol tocar 'River Flows in You'.

Dedilhando perfeitamente as teclas sem nem ao menos olhar para o que estava fazendo, pois seus olhos estavam ocupados me atravessando, eu o encarava de volta sem conseguir desviar o olhar daquele poço de profundidade.

A letra daquela música era perfeita para nós dois. 

Seu sorriso se misturou ao meu quando ele terminou a canção e sem cortar nosso olhar se sentou ao meu lado.

  — " Noona, essa música sempre me faz lembrar você. " — seu corpo foi se aproximando, sem dizer nada eu concordei com a cabeça, sentindo minha mão pequena ser tomada pela sua mão quente.

Devagarzinho e bem lentamente sua outra mão passou pela minha face, pela minha nuca, e eu deixei, só segui o encarando e agora aproveitando o carinho.

  — "Eu queria muito te beijar agora e só fazer você sentir o gosto do meu beijo e não o sabor da culpa que vem com ele todas as vezes em que me beija.   " — disse baixo, já tínhamos conversado sobre isso, eu tinha dito que me sentia culpada, não queria ter esse tipo de sentimento nas minhas costas.   — " Queria que fosse responsabilidade minha cuidar de você quando estivesse doente, só queria que você também quisesse, então poderia te tocar a hora que eu bem entendesse, dormir e acordar ao seu lado e te amar em cada canto possível da sua e da minha casa. "

Woah.

    — " Não fale essas coisas, e não se aproxime de mim dessa forma. "    — pisquei meus olhos longe dele, ouvir seus desejos de forma mansa não estava ajudando em nada a minha situação.

    — " Só estou sendo sincero noona, e você sabe disso. E por você eu estou conhecendo outras pessoas e tentando ficar com outras pessoas. "  — lentamente ele voltou a virar meu rosto para o seu, meus olhos para os seus, seu indicador desenhando as curvas dos meus lábios. — "Beijando e mordendo outras bocas lembrando da sua. "

Sua mão escorregou de volta para a minha nuca, ele estava tremendo ou era eu, não sei dizer. E conforme ele se aproximava, mais eu tinha certeza que teria um ataque cardíaco a qualquer momento.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...