1. Spirit Fanfics >
  2. Jealous at dawn - Normero >
  3. But... there's her

História Jealous at dawn - Normero - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


A normero shipper Sandy me enviou esse mimo em forma dessa maravilhosa one shot que ela escreveu espontaneamente
para mim. Eu tenho as melhores leitoras. Divirtam-se!

*todos os direitos reservados a sandy, não acrescentei nada ao conteúdo da história*

Capítulo 1 - But... there's her


Já se passava das 2h da manhã quando Alex despertou, procurando por sua amada na cama. Era tão normal tê-lá em seus braços a noite todos os dias que quando ela não estava lá, ele sentia um desconforto incontrolável. Alex levantou e desceu as escadas procurando por ela, suspirou por achá-la na sala.

— Ainda bem que você está aqui. Está sem sono, meu amor? - Perguntou.

Assim que a mulher o encarou ele pode ver os seus olhos inchados pelo choro, seus olhos inundados eram lindos e ao mesmo tempo caóticos e ele não pode esperar por muito tempo, não ali ao vê-la se desmanchar em lágrimas. Sentia uma pontada forte em seu peito, era quase que um gatilho pra ele também sentir dor. Norma estava pálida, demonstrava um cansaço e uma ressaca nos olhos, os seus pulmões se abriam devagarinho e ela chorava como em um sussurro pedindo clemência, seus olhos encontraram os dele e ele pode ver o quanto ela estava devastada ali.

— O que aconteceu, amor? - Alex correu com seus braços abertos e em um amparo abraçou a mulher fechando seus olhos um pouco, acariciou a cabeça dela e suspirou forte. — Meu amor, não chore... O que aconteceu? - mais uma vez, perguntou.

— Eu, Alex... Eu.. - Sem condições de fala naquele momento ela o abraçou forte e ele retribuiu o abraço e a beijou em seu pescoço, voltando a olhar nos olhos dela. Ele mais uma vez pedia por explicação. O homem levantou indo até a cozinha e pegou um copo de água pra ela, já eram quase duas e meia da manhã, ele olhou para o relógio e pode constatar isso, prendeu seus lábios forte entre os dentes, e levou a água até sua amada. Norma já estava mais calma e bebeu a água que ele deu.

— Alex, eu apenas... - Ela estava confusa pois choro, se sentia insegura e até mesmo idiota e sorriu de lado deixando o homem sem entender nada.

— Me diz o que está acontecendo, amor. - Ele tentou entender as expressões faciais dela.

— Eu sou uma idiota. - Ela disse colocando o seu copo na mesinha de centro. Alex encarou a mulher e sentou ao seu lado, e ainda sem entender pegou na mão dela e levou até seus lábios.

— Não, você não é idiota. - Ele sorriu.

— Alex, eu tenho medo. E eu sou insegura em relação a nós, em relação a isso tudo. Eu tô com medo de tudo isso acabar um dia. - Ela disse mordendo os lábios forte.

— Você não tem que ter medo... - Suspirou.

— Todos os meus relacionamentos foram um fracasso, eu nunca tive isso aqui e fora que tem a... - Ela se calou sem mencionar nada.

— Norma? me conta o que aconteceu. - Ele pediu.

— Eu só estou com medo de ser uma troca fácil por alguém menos surtada. - Ela disse sem encará-lo. — a Rebecca, ela é bonita, não surta tanto e vocês dois se conhecem bem. - Ela disse em um quase desabafo.

— Assim você me ofende, eu não estou aqui só pra te levar pra cama, Norma, eu estou aqui pois te escolhi, e a Rebecca ela não é tão menos surtada assim, e se ela te disse alguma coisa eu juro que...

— Vai procurar ela? Você quer uma oportunidade pra isso? - Ela não deixou ele terminar a frase e ele revirou os olhos.

— Você tá surtando de ciúmes? Essa hora? Não, pois a gente fez um amor gostoso e depois estávamos agarradinhos naquela cama e eu acordo e você não tá lá, do nada ,Norma! Você acordou pra surtar de ciúmes? - Ele pergunta.

— Ela te mandou mensagem, você não viu? - Ela perguntou.

— Você mexeu no meu celular? - Ele soltou um sorriso, se aproximou dela ainda mais.

— Só vi a mensagem dela, não mexi... Na verdade, todas as conversas estão lá, você não apagou. - Ela fechou os olhos e voltou a encarar ele de canto de olho.

— Eu sou um xerife meu amor, eu costumo ser detetive e isso é normal pra mim, tudo chega a ser uma prova e eu não costumo apagar as coisas por isso. - Ele sorriu.

— Então, senhor xerife.. Você costuma listar todas? - Ela levanta.

— Eu acho que caí na minha própria armadilha... - Ele mordeu os lábios. — Mas vem cá, dona Norma Romero.. Você não acha que se eu estivesse escondendo alguma coisa de você, eu não teria apagado as mensagens? Pois assim, pensando como um homem que não leva a sério o seu relacionamento eu teria apagado sim. - Ele diz.

— Ela vive enviando mensagem. - Norma faz gestos com as mãos cheias deixando o seu ciúmes notório.

— Você tava chorando por isso? - Ele perguntou.

— Não, estava chorando por todo o meu surto, e medo de perder você. - Confessou. — Alex, ela é linda e vocês se conhecem.. muito bem, aliás e ela disse que tava com saudades e eu sou apenas eu, caramba.

— Norma, você é apenas você e é por isso que eu estou aqui, quando você vai permitir que eu te ame? E aceitar isso? Que você é a minha mulher, e eu só quero você, só você. - Ele levantou puxando ela pro colo dele e levou sua mão até as bochechas dela, o toque suave com as costas dos dedos em sua pele macia fez a mulher arrepiar por inteira, Norma não resistiu em ter ele ali tão perto, ela o amava demais e colou os seus lábios no dele.

— Eu te amo, muito.. - Alex sussurrou entre os beijos quentes da mulher, ela estava vermelha e quente agora e ele conhecia bem aquilo, a língua quente de ambos travava quase que uma batalha por espaço em suas bocas. Ele sorriu e sendo mais ousado ainda levou suas mãos até as nadegas dela e então apertou a bunda da mulher.

— Me perdoa? - Ela sussurrou depois de interromper o beijo e subiu com seus lábios até a orelha dele, o hálito quente da mulher fazia o corpo inteiro dele tremer, esses eram um dos efeitos que ela causava nele, ela beijou o pescoço dele e mordiscou ali, fazendo uma trilha de pequenos chupoes.

— O jeitinho que você pede perdão, é quase impossível não perdoar. - Alex brincou e abriu os olhos sorrindo. — Você é única. - Ele a beijou mais uma vez.

— Promete que nunca vai me deixar? - Norma pediu.

— Eu prometo te amar pra sempre. - Ele beijou o pescoço dela e ficou ali inalando o seu cheiro.

— Te amo, seu unicórnio. - Ela sussurrou, e ele gargalhou forte.

— Ok, eu te amo muito mas não ressuscita isso... - Pediu e os dois gargalharam.

— Ué, eu acho tão lindo e você realmente tem poderes mágicos pra acalmar essa surtada aqui. - Sorriu.

— Eu tenho muitas coisas mágicas pra te acalmar. - Sussurou em duplo sentido e ela sorriu.

— Eu vou sempre escolher você. Eu te amo demais, senhora Norma Romero! E o meu amor é maior que todas as suas inseguranças e seus amores fracassados, eu estou aqui por você e eu sempre vou estar aqui por você, desde quando eu te vi naquele motel na madrugada, eu sabia que você era minha e eu tinha a obrigação de te fazer a mulher mais feliz desse mundo... - Ele mordeu os lábios, e soltou um sorriso, o mais lindo do mundo aos olhos de Norma.


Notas Finais


Achei a coisa mais linda <3 me contem o que acharam e aproveitem pra pedir que ela escreva um próximo capitulo com hot 😂 vou até deixar a fanfic em andamento pq espero a parte 2. ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...