1. Spirit Fanfics >
  2. Jeito - Imagine SeuGi >
  3. Someone's Someone.

História Jeito - Imagine SeuGi - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


ATENÇÃO:
• O capítulo tá grande? Sim, mas eu espero que vocês gostem dele.
• Terá mais capítulos? Não, este aqui é o último.

Título: - Alguém de Alguém -

Capítulo 6 - Someone's Someone.


- Você está bem? - SeulGi pergunta após o o pequeno tempo de silêncio dentre elas.

- Ah, eu tô sim - sorri fraco para a outra. - Só estou um pouco...

- Calada demais? - a mais velha completa, deduzindo ser isso.

- Sim... Eu estou assim porque não sei o que fazer ou falar - conta para a mais velha olhando para o esmalte em suas unhas.

- Oh, você está tímida? - pergunta risonha atraindo o olhar da outra.

- Acho que sim - admite.

A mais velha se vira no bando, ficando de lado no mesmo e olhando a mais nova. - Bem, você não precisa ficar assim comigo - fala pegando na mão direita de S/N com a sua esquerda. - Se lembre que comigo você pode sempre ser você mesma, ok? Não precisa ter medo ou receio.

- Você tem certeza? - pergunta a olhando séria. - Você pode muito bem não gostar do meu eu verdadeiro, como muitos, e me deixar por isso, e eu não quero ter que passar por outra perda agora - confessa.

- Eu não teria feito nada do que fiz até agora se não quisesse estar ao lado da verdadeira S/N - informa para a mais nova a vendo sorrir novamente fraco e abaixar a cabeça. - Já conheço um pouco desse seu verdadeiro jeito e estou curiosa para conhecer mais - solta a mão da outra e a leva até o seu queixo, o puxando para fazê-la olhar para si. - Você vai me deixar te conhecer mais um pouco? - pergunta e S/N afirma com a cabeça. - Em troca eu deixo você me conhecer também - tira a mão de seu queixo e a leva até a sua bochecha e faz um carinho na mesma, logo beijando a testa, depois o nariz e por fim deixando um selinho nos lábios vermelhinhos da outra.

 

Após separar os lábios da outra, S/N devolve o selinho na mais velha e volta rapidamente com o seu olhar para o paisagem, se sentindo feliz.

Kang olha a outra e sorri mais uma vez, levando de novo a sua mão esquerda até a direta dela e entrelaçando os dedos, focando o olhar no caminho que seu irmão faz para levá-la até o lugar que SeulGi tanto quer ir com a menor.

 

- Nós já estamos chegando? - S/N pergunta se mexendo no banco.

- Sim, não falta muito.

- Certo, mas onde nós estamos indo? - sua voz denúncia curiosidade para saber onde tá sendo levada.

- Bem, nós estamos indo para uma cidadezinha pequena onde tem vários lugares dos quais são ótimos para se visitar e estar.

- Sério? - pergunta animada.

- Sim - responde feliz ao ver o sorriso radiante da outra. - Olhe - aponta para a janela ao lado da outra e essa se vira para olhar, logo vendo uma plaquinha escrito "Bem-vindo à Place for everyone".

- Place for everyone? - repete o que leu se virando para a outra. - O que significa?

- Significa que o lugar é para todos, não importando quem você seja - explica para a menor vendo outro sorriso aparecer em seu rosto.

- Gostei do nome - fala animada olhando pela janela e vendo o comecinho da cidadezinha e percebendo o carro ir parando aos poucos. - Você já veio aqui com alguém? - se vira para outra perguntando.

- Só com a minha halmeoni e o YeoSang-oppa - conta. - Como hoje é sexta-feira, a cidadezinha dente a fica com os lugares aberto até ás duas e meia da madrugada, então achei que seria legal passar aqui de noite.

- Será legal mesmo. Eu gosto de andar em lugares quando tá de noite.

- É mesmo? - pergunta animada. - Meu plano para a fazer ficar feliz com o passeio, tá funcionado - SeulGi pensa.

- Sim, porque geralmente é um pouco mais silencioso, dependendo do lugar que eu estou, do que de dia. Além de que, de noite os lugares parecem ter mais vida - sorri mais uma vez contando a mais velha.

- Não sabia disso.

- Eu ia te contar - informa. - Ia te contar quando estávamos fazendo a vídeo chamada, mas acabei esquecendo - assume olhando para frente e vendo YeoSang parar o carro em uma vaga no que parecia ser o estacionamento da cidadezinha.

- Sem problema, e bem, nós já chegamos - anuncia para a outra.

O Kang mais velho tira o seu cinto e abre a porta para sair do carro, logo dando a volta no mesmo e abrindo a porta traseira desta.

- Chegamos - anuncia sorrindo para as duas. - Venham - ajuda primeiro a SeulGi a sair do carro e depois a S/N. - Me liguem quando vocês quiserem ir embora - fala para as duas mais novas as vendo concordar e fecha a porta traseira e abrindo a porta dianteira para pegar a mochila da irmã - Toma - entrega para ela e fica de frente para as duas. - Sei que já são grandes, mas tomem cuidado e se cuidem - pede. - E se divirtam também - deseja e vai até a irmã e beija a testa da mesma, logo fazendo no mesmo na S/N. - Tchau - se despede e as meninas fazem o mesmo.

YeoSang entra em seu carro e liga o mesmo enquanto coloca o cinto de segurança, logo dando partida e pondo as mãos no volante para tirar o carro dali.

 

- Vamos? - a mais alta pergunta estendendo a sua mão esquerda para a outra.

- Vamos - leva a sua direta até a outra mão e entrelaça os seus dedos.

 

POV's SeulGi.

 

Começamos a andar em direção a cidadezinha e o primeiro lugar que eu quero a levar é uma lojinha onde vende vários tipos de doces e que antes de comprar, você pode experimentá-los para saber o sabor dos mesmos e os levar.

 

- Vou te levar à uma lojinha - digo já andando em direção ao lugar.

- Uma lojinha? - pergunta confusa.

- Sim, essa aqui - aponto para a fachada da loja e vendo ela olhar também, mas ela abaixa o olhar e o foca na bancada fora da loja cheia de doces dentro na mesma.

Mais um sorriso grande se forma nos seus lábios e seus olhos parecem brilhar diante a visão de tantos doces.

 

- Posso escolher qualquer um? - pergunta ansiosa.

Sorrio com a sua ansiedade por querer pegar logo um. - Você na verdade pode experimentar antes de comprar e sim, você pode escolher qualquer um - lhe dou permissão para pegar.

S/A leva a sua mão em direção aos doces, mas logo para parecendo estar indecisa em escolher qual pegar primeiro e eu a olho.

- Você quer ajuda? - ofereço e ela aceita.

Pego uma pequena bandeja que há sobre a bancada e vou colocando alguns dos quais já experimentei e gostei, e outros que eu acho que ela irá gostar, e ao ter a badeja já um pouco cheia, eu me viro para ela.

- Experimenta esse aqui - falo pegando um dos doces e levando até a sua boca. - O que acha?

- É nutella? - pergunta mastigando o doce.

- Isso mesmo. Você consegue sentir algo mais?

- Hãã... A nutella vem primeiro, mas tem um pouco de chocolate... Branco? - assinto para ela. - Yah, é bom! Eu gostei muito.

- Sério? Este é o meu favorito - conta a ela, vendo essa sorrir. - Toma - a estendo a bandeja. - Experimente outros.

S/A pegou a bandeja e ficou a encarando por alguns segundos antes de ir pegando alguns bombons e os pondo na boca, experimentando cada um deles e arregalando os seus olhinhos ao saborear os doces.

 

- Será que eu posso levar alguns para a Irene-unnie? - pergunta pegando um doce da bancada agora, já que os que estavam na bandeja que eu peguei acabou.

- Pode sim - sorrio permitindo. - Eu vou levar alguns para o Yeonnie também - ponho a bandeja de volta ao seu lugar e chamo a moça que já conheço a algum tempo para fazer a compra.

Ver o sorriso que enfeitava o rosto da mais nova enquanto a mesma experimentava os doces é simplesmente impagável e eu fico imensamente feliz ao ver e perceber que ela realmente gostou dessa lojinha de doces, já que acabamos ficando mais tempo do que eu imaginava e acabamos por sair da lojinha com quatros sacolas, duas dela e duas minhas.

 

Nós fomos andando pela cidadezinha e a cada coisa que chamava a atenção da menor, a mesma sempre me perguntava, demostrando a sua curiosidade - como eu quando conheci o lugar - até com as coisas mais simples que víamos pelo caminho, enquanto eu respondia ela sobre tudo e ia tirando algumas fotos - tanto dos lugares como da S/A também - com a câmera que eu peguei da minha mochila e coloquei em meu pescoço assim que saímos da lojinha de doces.

Andamos também por uma pracinha que nos levaria até um livraria um pouco velha, mas que eu sabia que a mais nova iria gostar.

Mesmo que seja raro ela ler - como ela já tinha me contado -, eu já vi ela lendo alguns livros pequenos quando encontrava com ela nos corredores da escola no tempo livre dos períodos da aula, então, sendo ou não um costume ler frequentemente, acho que ela irá gostar bastante.

 

- Aqui é a livraria - aponto para a construção de aparência um pouco velha a olhando e prestando atenção em suas expressões.

- Parece tão velha quanto a minha halmeoni, mas eu gostei! - exclama feliz e por um momento eu pensei ter errado em escolher este lugar por causa do comentário da halmeoni dela.

- Ok, então vamos entrar - puxo ela pela mão que não segura sacola alguma e entro com ela na livraria.

 

Ao entrarmos na construção, nos deparamos com várias estantes grandes e cheias de livros, tantos velho - com as folha até amarelas, coitados - quanto alguns novos que pareciam ter chegado ali em pouco tempo.

- São tantos livros - comenta baixo soltando sua mão da minha e andando pelo lugar.

Olhei para o canto direito da livraria para ver se tinha mesas ali e ao ver que as mesmas ainda estão no mesmo lugar de antes, eu vou até uma delas e coloco as minhas sacolas sobre a mesa e me sento na cadeira, procurando a menor com o olhar e a vendo focada em um livro que tá em suas mãos.

Ela deve ter se interessado pelo livro e eu não irei me incomodar em comprar ele para ela.

 

Enquanto S/A olha os livros - ela pegava um aqui e outro ali - e os detalhes da construção um pouco velha, eu tirei as caixas dos doces da sacola e os coloquei de um jeito que não vá amassar nenhum deles dentro da minha mochila, já que eu estou com preguiça de carregar outra coisa que não seja a minha mochila e para não ter que ficar andando por aí com sacola em mãos, que será um incomodo para mim, porque eu quero muito ficar andando pela cidadezinha de mãos dadas com a mais nova.

Eu peguei minha câmera no meu pescoço e a aproximei do meu rosto, ajustando um pouco o ângulo e tirando algumas fotos da menor sem a mesma perceber e acabou que fotografei um total de quinze fotos, então tiro a câmera da frente do meu rosto e vou vendo as imagens que conseguir tirar.

 

- Irei levar esses aqui - chega perto de mim falando e ponhe os três livros sobre a mesa que antes ela os segurava contra os seios e colocou as duas sacolas no chão ao lado da cadeira em que ela está perto.

Paro de olhar as imagens na câmera e olho para os livros, dois com uma pequena quantidade de páginas e o outro - que estão sobre o livro maior - com uma quantidade maior de páginas.

- Não se preocupe - chama a minha atenção. - Eu vou ler todos, principalmente o maior - aponta para o mesmo e eu sorrio com isso.

- Você tem certeza que quer levar esse? - me refiro ao de maior páginas.

- Sim, eu tenho certeza - afirma dizendo. - E, presumo eu que você que vai pagar... Certo?

- Uhum - concordo com a cabeça. - Por quê? Você quer pagar?

- Quero muito na verdade, mas eu fui esperta o suficiente para sair de casa apenas com o meu celular - murmura parecendo estar triste e se senta na cadeira em minha frente.

- Ei, não fique assim - peço. - Eu não me importo de estar pagando as coisas para você.

- Mas eu me importo e isso não é justo - faz um biquinho com os lábios.

- Yah, você está muito fofa assim, e da próxima vez que a gente sair, eu deixo você pagar. Pode ser? - proponho sorrindo para ela.

- Da próxima vez? - pergunta confusa. - Terá uma próxima vez?

- Bem, por mim terá muitas próximas vezes, mas só se você quiser.

Ela não me respondeu de imediato, apenas ficou me encarando e sorriu grande - mais uma vez naquela noite - se levantando da sua cadeira e se aproximando de mim para logo colocar as suas mãos em cada lado do meu rosto e me dar um selinho, algo que eu pensei que ela nunca fosse fazer.

 

- Eu tô com fome - disse após separar os seus lábios dos meus.

Sorrio com a sua fala devolvendo o seu selinho.

- Você só pensa em comer? - pergunto rindo.

- Aniyo. Eu penso em outras coisas também.

- Tipo o que? - murmuro baixinho.

- Tipo você - confessa usando o mesmo tom de voz que eu. - Mas... - tira suas mãos do meu rosto e olha os redor da livraria. - Aqui vende comida, além de livros?

- Por sorte aqui vende - digo virando minha cabeça para a mesa e procurando o cardápio deles. - Aqui - pego o papel plastificado e o estendo para ela. - É coisa bem simples, mas deliciosa.

- Oh! Eles servem hotteok - fala enquanto olha o cardápio pequeno.

- Sim, e você pode escolher esse e outros, se quiser.

- Sério? - afirmo com a cabeça e me levanto da cadeira e vou em direção aos livros.

- Faça os nossos pedidos que eu irei pagar os livros.

- Você quer que eu escolha para você comer? - seus olhinhos se arregalaram ao perguntar e eu apenas assento. - Mas... Mas e se eu escolher errado e você não gostar?

- Impossível você fazer isso - sorrio a tranquilizando. - Eu já volto - e saio de perto da mesma.

Fui andando até o balcão de vendas que tem no final da livraria com a cena da menor ainda me dando aquele curto, mas especial selinho.

 

Nunca imaginaria que ela fosse tomar alguma iniciativa, já que desde do momento em que eu a conheci, puder perceber bem rápido que há coisas das quais ela quer fazer - como tomar um iniciativa, por exemplo - mas se requer um esforço muito grande para realizá-lo, mesmo que essa coisa seja algo simples como um selinho. Então ela ter feito isso, ter tomado essa iniciativa, me deixou incrivelmente feliz e me fez gostar mais ainda dela, mais ainda do seu jeito.

 

🐻

 

Após pagar os livros escolhidos pela mais nova, eu voltei para a mesa em que a mesma tá sentada e pude ver que os pedidos feito por ela já chegou.

 

- Vejo que você não resistiu em pedir hotteok - comento chegando perto da mesma e me sentando à sua frente, logo pegando minha mochila e colocando dentro dela a sacola com os livros.

- Assim que eu li o nome, fiquei com uma vontade absurda de comer - fala sorrindo. - Mas eu também pedi alguns tteok, banana milk para mim e chinlsung cider para você - aponta para a bebida dentro da lata.

- Viu? Você fez um bom pedido - olho para os doces e a panqueca sobre a mesa, junto das bebidas. - Não precisava se preocupar.

- Sei disso - concorda comigo. - Só que eu pensei na possibilidade de estar escolhendo algo errado para você - conta pegando o seu banana milk e o abrindo. - Mas vendo que você não reclamou ou fez algo do tipo, é porque você gostou - sorri pegando um tteok e o levando até a sua boca.

- Com certeza - sorrio e pego a câmera em meu pescoço e a coloco em frente ao meu rosto. - Sorria, por favor - peço focando a câmera no seu rosto e a vendo sorrir, fazendo seus olhinhos quase se fecharem por inteiro.

Apertei o botão da câmera e registrei a foto que eu queria muito fotografar e tiro a câmera da frente dos meus olhos para poder ver como havia ficado. - Ficou linda - informo olhando a foto.

- Obrigada - agradece baixinho, voltando a beber o seu banana milk.

 

Continuamos a comer, enquanto íamos falando sobre coisas aleatórias e sobre a escola e, sobre esse assunto a mais nova me contou que pediu desculpas a Joy e os meninos por não ter contado nada sobre nós duas, apesar dos mesmos já saberem de tudo por eu ter os contado, mas ainda sim S/A se sentiu na obrigação de pedir isso a eles, já que segundo ela: "Eles me contam absolutamente tudo, e é muito injusto de minha parte não fazer o mesmo com eles".

Enfim, fomos conversando sobre outras coisas também e ela se mostrou estar bem empolgada com o lugar que estamos, me fazendo ficar ansiosa para mostrar o próximo lugar que eu iria a levar.

 

Quando terminamos de comer, eu paguei pela nossa comida e saímos da livraria - de mãos dadas - para continuarmos com o nosso caminho que se seguiu em silêncio com cada uma aproveitando a companhia da cada.

 

- Para onde nós estamos indo? - pergunta depois de um pequeno tempo que ficamos andando.

- Estou te levando para o centro.

- Centro? O centro da cidadezinha? - indaga curiosa.

- Sim - afirmo para ela. - Mas diferente de outros lugares, no centro dessa cidadezinha há um jardim.

- Sério? - para de andar e se vira para mim.

- Uhum - sorrio para ela.

- Yah, eu quero muito ver - sorri em expectativa e se vira para frente. - Vamos! - puxa a minha mão e eu sorrio com o entusiasmo dela.

- Tá tão entusiasmada assim para ver um jardim?

Ela assente com a cabeça e sorri para as crianças que passam por nós duas correndo. - Jardim florido, eu sou teu, querido.

- Como? - pergunto confusa com a sua fala.

- É a frase de um filme que eu gosto muito - conta me fazendo sorrir por ela ter sitado uma frase de algo que ela gosta.

É a primeira vez que ela faz isso.

 

🐻

 

Continuamos a andar em um silêncio confortável e logo pude avistar as árvores mais altas da cidadezinha enfeitadas com linhas de luzes nas mesmas e uma trilha levando em direção ao assento que eu levaria a menor e sobre a pequena trilha, há os arcos redondos com luzes e pequenos raminhos de plantas enfeitando o mesmo, junto de flores cor vermelha ao pé de cada lado do arco.

Há uma certa expectativa e curiosidade no olhar da S/A enquanto nós passamos pelo arco, com a menor virando a cabeça para todos os lados e observando tudo ao redor.

 

- Aqui é muito lindo - fala olhando agora para frente. - Como você descobriu esse lugar?

- Quando descobrir que minha halmeoni estava doendo, eu mais do que tudo precisava ficar em um lugar sozinha - começo a contar. - Queria clarear as ideias e acabei parando ali - aponto para dois balanços um pouco à nossa frente. - Foi assim que descobri esse lugar e eu sempre venho aqui quando preciso pensar - termino de contar a levando até o balanço.

A menor me ouviu explicar e assentiu com a cabeça após eu terminar de falar e logo se sentou no balanço do lado esquerdo e eu do direito.

 

- Eu acho que não conseguiria encontrar um lugar tão lindo assim se saísse de casa - fala passando a mão pela corda que prende o balanço no tronco da árvore.

- Por que?

- Porque por mais que ás vezes eu queria muito fugir de muitas coisas, não conseguiria de fato fazer isso - foca o olhar em mim. - Eu meio que não seria boa o suficiente para fazer.

- Não diga isso - murmuro manhosa a vendo sorrir mais uma vez. - Você pode sim fazer isso e sei que é mais do que suficiente para tal ato, mas não faça, ok? - peço e ela assente com a cabeça. - Ótimo - sorrio para ela. - Eu me sentiria muito mal se você sumisse - confesso.

- É sério? - pergunta arregalando seus olhos.

- Sim, muito sério, mas olha, pode parecer que tá escuro ainda, só que é natural se sentir assim e não se preocupe, porque no final o tempo vai passar e tudo ficará melhor - a digo. - Não pense que há algo de errado com você só por não conseguir fazer isso, porque você pode só estar enganando a si mesma, além de ser dura e mal com você e mesmo que ache que seja mentira, eu estarei sempre aqui para te dizer o que precisar e a verdade. Então, não se preocupe, você está fazendo bem até agora, apenas continue. Não se importe com o que algumas pessoas dizem, não se importe quando alguns te odeiam e não se importe com as coisas que te deixam doente, porque eu vou estar aqui - concluo o meu pensamento e percebo que a menor está com a cabeça baixa e o olhar no chão. - Eu... Eu falei algo de errado?

- Aniyo - responde rápido. - Você filosofou bastante dessa vez.

- Oh, me desculpe - peço e levo minha mão até a sua e as entrelaçando. - Hãã, me descu-

- Não se desculpe - me interrompe me olhando. - O que você falou foi mais que perfeito, mas eu não soube o que responder porque isso sempre foi algo que eu desejei ouvir - me conta e eu sorrio com isso. - Eu só não sabia o que falar.

- Não tem problema, porque vai ter muita coisa que vou falar e você provavelmente não saberá responder - digo e ela concorda. - Mas se minhas palavras te deixarem feliz, eu já fico também, mesmo você não me respondendo nada.

- Mesmo?

- Mesmo - falo sincera. - Mas... Você sabe por que eu te chamei aqui?

Ela nega com a cabeça. - Eu ia te perguntar isso agora mesmo.

- Certo - abaixo minha cabeça olhando para o chão abaixo de mim, tentado criar um pouco de coragem para o próximo passo.

- Unnie? - me chama. - Tá tudo bem?

- Tá sim - levanto a cabeça respondendo. - Só tô tentando criar coragem - confesso rindo um pouco.

- Coragem? - indaga confusa. - Coragem para quê?

- Para cantar algo - respondo e antes que ela pudesse falar algo, eu continuo: - Você me disse que gosta quando cantam para você - relembro o que ela me disse e rapidamente ela arregala os olhos. - A... A minha voz não é uma das melhores, mas... - paro no meio da frase e respiro fundo e devagar, tomando o minimo de coragem e a encarando, logo começando.

 

POV's Narradora.

 

Talvez isso seja loucura

Louco só de pensar

Pensar se existe alguém

Destinado a você.

 

Sol quando está chovendo

Chovendo sobre apaixonados

Apaixonados na sombra da cor azul.

 

Há alguém para dar tudo?

 

Ao decorrer que a mais velha ai cantando a música, S/N vou percebendo o significado por trás de cada palavra e acabou por ficar com os olhos um pouco úmidos devido a emoção sentida com a música.

 

Todos nós queremos ser alguém

Queremos ser alguém de alguém

Com alguém que não podemos viver sem.

 

Todos nós queremos ser alguém

Queremos ser alguém de alguém

Alguém que não podemos viver sem.

 

Tão completamente perfeito

Perfeito sem motivos

Motivos são para pessoas

Que você está destinado a perder.

 

Alguém cheio de segredos

Segredos em suas sombras

Sombras com desculpas

Rompendo.

 

Mas há alguém para dar tudo?

 

Todos nós queremos ser alguém

Queremos ser alguém de alguém

Com alguém que não podemos viver sem.

 

Todos nós queremos ser alguém

Queremos ser alguém de alguém

Alguém que não podemos viver sem.

 

Alguém que não podemos viver sem

Alguém que não podemos viver sem.

 

SeulGi se assustou por ver lágrimas nos olhinhos redondos da outra e até pensou na possibilidade da menor estar odiando a cantoria, mas a mesma apenas continuou para apenas saber o resultado no final e ao terminar de cantar a música que ficou horas treinando, S/N ainda mantém o olhar fixo na mais velha, mas agora com pouca água nos olhos.

 

- F-Foi tão ruim assim? - Kang pergunta nervosa passando a mão direita pelo rosto da outra tentando limpar o rosto desta das lágrimas.

- A-Aniyo - ela responde sorrindo em meio as lágrimas. - I-Isso foi... F-Foi tão lindo e significante.

- Você achou? - murmura sussurrando vendo a outra balançar a cabeça várias vezes. - Isso me deixa muito feliz, e sabe por quê disso?

- Aniyo - nega com a cabeça.

- Eu me declarei para você e isso foi significativo também, não foi?

- Foi umas das coisas mais significativas que aconteceu na minha vida - revela a menor vendo a mais velha sorrir.

- Então, a declaração foi significativa, logo a música, o encontro e o pedido também teriam que ser.

- O-O pedido? - pergunta confusa. - Que pedido?

Antes de responder, SeulGi termina de limpar o restante de lágrimas que tem no rosto da menor e se aproxima dela pata deixar um selo em sua testa para logo se levantar do balanço e ficar agachada à frente e respirando fundo - possivelmente pela decima quinta vez nesse dia - e voltando a pegar nas mãos da outra.

- Confesso que foi difícil estar perto de você - começa a dizer. - Mas independente disso, eu com toda a certeza do mundo faria tudo novamente - confessa sorrindo. - Nos aproximamos mais enquanto estávamos passando o nosso tempo juntas e neste período fui reparando mais em você, mas no seu jeito e... Jeito esse que eu simplesmente gosto demais e estou até aprendendo a amar - informa vendo a menor arregalar os olhos e o focar em outro lugar que não seja nos olhos da mais velha. - Ei, olhe para mim - pede levando suas mãos até o rosto da outra e o puxando para a olhar. - Acalme-se, por favor. Eu sei que você provavelmente já sabe o que eu irei pedir, mas de qualquer maneira não fuja - fala com a voz calma e baixa.

- Por que? Por quê eu não deveria fugir? - indaga com curiosidade em seu tom de voz e com o coração no ritmo levemente irregular.

Seu batimento cardíaco agora tá se assemelhando a quando ela está tendo uma de suas crises de ansiedade, mas a diferença de agora é que, ao invés de seu coração estar batendo de forma estranha por algo que nem a mesma sabe explicar, ele está batendo ansiosamente para - provável - o pedido da mais velha.

 

- Porque você sabe que fujir de mim nunca vai dar certo - informa para a menor. - Das vezes que isso aconteceu, eu sempre te achei, lembra? - pergunta e a outra assente com a cabeça. - Além do mais, você sabe que não precisa fujir de mim, porque eu sempre vou estar aqui com você, não importa o que aconteça.

- É sério?

- Muito sério - fala com a maior sinceridade. - Não tem motivos nem razão para você fazer isso, ainda mais comigo, a pessoa que gosta, que é completamente apaixonada por você - dita sorriso verdadeira, deixando a outra impressionada com suas palavras. - E tem mais... - continua. - Você é a menina mais incrível que minha pessoa já teve o prazer de conhecer - confessa feliz. - Eu adoro estar com você, porque isso me faz extremamente bem e adoro o seu cheio, a sua maneira de gostar e amar tanto as pessoas ao seu redor, adoro a textura da tua pele macia e do seu lindo sorriso - fala com convicção e S/N acaba por fazer uma carreta e arranca risada da mais velha. - Olha, você insiste muito em dizer que é feio só por ser grande e se assemelhar a uma forma geométrica: o retângulo, mas em minha opinião - foca o olhar nos lábios da menor. - Na minha opinião ele é o sorriso mais lindo que eu já vi em toda a minha vida - termina de falar tendo a total atenção da Bae em si, tentando não ficar nervosa com o pedido a seguir. - E...Todos queremos ser alguém de alguém - repete a frase da música. - E eu quero ser essa alguém para você, assim como quero também que você seja essa minha alguém.

Antes que a menor pudesse responder a outra, SeulGi tira as suas mãos do rosto dela e procura por sua mochila ao lado do balanço, logo a achando e pegando a mesma e abrindo o pequeno bolso que há na frente da mochila e tirando de lá uma caixinha e pondo a mochila no lugar de antes, voltando novamente a ficar de frente para a outra, mas dessa vez ajoelhada e segurando o pequeno objeto com as duas mãos e levantando um pouco os braços.

 

- Você aceita ser essa minha alguém? Aceita poder passar mais do seu tempo comigo? Me aturando e me tendo sempre por perto quando você mais precisar e quiser? - pede a outra e vendo que essa percebeu a caixinha e instantaneamente arregala os olhos. - Você, Bae S/N, aceita ser uma pessoa que irá me fazer mais feliz do que já sou? Aceita ser a minha namorada? - pergunta nervosa, mas feliz ao mesmo tempo, tentando mostrar o seu melhor sorriso e rapidamente abrindo a pequena caixinha em formato de coração da cor vermelho veludo.

Automaticamente as lágrimas voltaram nos olhos da menor, deixando a mais velha assustada com a reação da outra.

- P-Por que você está chorando? - indaga desfazendo seu sorriso e olhando preocupada a outra. - Eu disse algo de errado? Porque se for isso, e-eu posso fazer de novo, posso faz-

- Aniyo! - responde rápido a interrompendo. - Não é isso! Você não falou nada errado - diz e leva as suas duas mãos até as mãos da Kang que ainda segura a caixinha. - É só que... Eu...

A definição de S/N gora é de puro desespero e nervosismo.

O nervosismo nem a mesma sabe porquê está sentindo, mas o desespero é claro, porque e se aceitar o pedido da mais velha, mas não a fazer feliz como a mesma disse? E se ela só a irritar com suas coisas, manias e costumes, além de dar possivelmente trabalho para a mais velha? E se a mesma começasse a se enjoar de sua presença?

São esses e tantos outros "e se", que a mais nova nem percebeu quando a mais velha a deu um selinho, a fazendo "despertar" dos seus pensamentos poucos negativos.

 

- Você não quer nam-

- Não é nada disso - a interrompe mais uma vez. - Eu quero mais que tudo estar com você e pode te fazer feliz, mas eu tenho medo - confessa.

- Medo? Medo do que? - pergunta ainda preocupada e abaixando as mãos, mas a menor a impede, deixando suas mãos no mesmo lugar de antes. - S/A... - a chama vendo ela olhar fixamente para o par de alianças na caixinha.

 

- Eu na verdade não sei bem como é o sentimento de gostar verdadeiramente de alguém, mas eu também gosto muito de estar com você, de falar com você e de ter a sua presença perto da minha. Sem contar que ás vezes, ou muitas vezes, você sempre me vem na cabeça ou você já está na minha cabeça - conta deixando SeulGi com uma expressão de surpresa e de animação no rosto.

- É a primeira vez que ela fala de seus sentimentos por mim - a Kang pensa feliz ouvindo a outra.

- Acho que, se alguém me perguntasse o que me fez gostar de você, eu certamente não saberia responder direito para essa pessoa, porque eu posso arriscar te dizendo que foi o seu sorriso tão lindo quanto o meu - pronuncia a última fala com ironia e a mais velha ri disso. - Ou dizendo também que foi a sua enorme paciência e atenção comigo, só que, não é o suficiente. Nada vai ser o suficiente para te agradecer por tudo que você já fez por mim - fala ainda olhando para as alianças, logo levantando a cabeça e encontrando no olhar da outra uma grande expectativa. - E é por isso que eu aceito - responde ao seu pedido deixando a maior feliz. - Mas eu não estou só aceitando por querer te agradecer de alguma forma, mas porque também quero aprender a gostar mais de você - informa a outra sorrindo. - Quero aprender a gostar do seu jeito também e quero poder, acima de tudo, ser a sua alguém - termina de dizer e pega a aliança sem a joia e a tirando da caixinha. - Eu posso colocar em você? - pergunta tímida.

A mais velha assente para a pergunta da outra e estende a sua mão direita para ela, enquanto segura o pequeno objeto com a mão esquerda e vendo a menor colocar a aliança em seu dedo anelar.

 

- Gostei muito de como ficou - comenta ao terminar de colocar o anel no dedo da outra.

- Eu fico muito feliz por isso - sorri olhando para o dedo anelar da mão direita e virando o olhar para a outra aliança na caixinha. - Agora é a minha vez - tira o outro anel do seu lugar. - Posso? - S/N faz que nem a mais velha e assente com a cabeça, logo mostrando a mão direita para ela e a vendo colocar o anel em seu dedo. - Ficou definitivamente melhor na sua mão. Caiu muito bem no seu dedo.

- Sim, ficou ótimo e nem tá largo - olha o anel em seu dedo e notando que o tamanho ficou bom, diferente dos seus outros anéis que ás vezes ficam largo em algumas partes. - Gostei bastante do anel e dos detalhes dele. Como conseguiu acertar o número?

- SeongHwa me ajudou com isso - SeulGi fecha a caixinha e a ponhe ao seu lado, se levantando no chão e ficando de frente para a mais nova. - Na verdade, a Joy e o Hong também ajudaram - fala se aproximando mais da menor e colando seu corpo no dela e a abraçando pela cintura e sendo correspondida no ato. - A gente foi na joalheira ver os modelos dos anéis, mas eu falei para você que tinha ido para a sorveteria - revela o ocorrido.

- Então... - a menor processa a informação. - Você, tipo, mentiu para mim?

- Sim, e me desculpe por isso - pede com pesar. - Eu realmente não queria mentir para você, mas também queria que você não desconfiasse de nada.

- Tá tudo bem - sorri tranquilizando a outra. - Foi uma pequeninha mentira - leva as suas mãos até o rosto e limpa o mesmo dos resquícios de lágrimas que haviam fica ali.

Você já tinha parado de chorar a poucos segundos e agora um sentimento grandioso te preenche: a felicidade e gratidão pela mais velha, enquanto encara a mesma.

 

Bae S/N já tinham passado por muita coisa - Kang não sabe de tudo, ainda - e estava quase disposta a desistir de tudo e começar a viver em puro estado vegetativo, mas, com a chegada de Kang SeulGi em sua vida, muitas coisas mudaram, só que não para pior e sim para melhor. Claro que, ainda tinha um pouco de dificuldade para se comunicar com a mais velha e de contar as suas vontades ou sensações que sente com ela, mas independente de qualquer situação que ela vá passar, a mais velha sempre estará ao lado dela, assim como S/N também estará ao seu lado.

Ela seria essa alguém que não só a SeulGi precisava, mas como ela também necessitava e com toda a certeza, aprenderia sim a gostar da mais na mesma intensidade que a mesma gosta de si, sem deixar de gostar de nenhuma partezinha dela. Também daria o seu melhor para ela, porque sentimentos assim são difícil de se encontrar e também de se lidar, mas ter alguém que te faz querer ser além do que se é, que te dá vontade de se doar e de se entregar até mesmo que o não tem, e como S/N sempre foi solitária em sua vida nem um pouco movimentava, ela tecnicamente não tem nada a perder se doando mais uma vez para uma pessoa que tem se tornado extremamente importante em sua vida.

 

Já cansada de encara a mais velha, a mais nova leva as suas mãos até o rosto da maior, tocando levemente as bochechas fofas e macias da mais alta e avançando para aquele que seria o segundo melhor beijo de sua vida - o primeiro foi quando SeulGi a beijou no dia da declaração.

Seus lábios estão tão macios quanto estavam na primeira vez em que foi beijada por ela, e eles são suaves e um pouco gélido - como um sorvete que você acaba de chupar - pela corrente um pouco fria que passa pelo ar neste noite.

S/N suga o lábio inferior da outra como se tentasse de modo sutil sentir o gosto de algo, e acabando sentindo um gosto bom de chocolate - vindo dos doces que haviam comido mais cedo - invadir a sua boca.

A mão na cintura da menor lhe aperta mais e lhe puxa para mais perto - se possível - do corpo da mais alta, que parecia ansioso por qualquer toque por parte da outra, sentindo sua derme arrepiar quando levou a sua mão para acariciar os cabelos de sua nuca.

 

S/N se viu um pouco ofegante após terminar o beijo, com os olhos perdidos dentro dos outros e os lábios vagamente inchados pela necessidade e a afeição do beijo, porque a menor queria de novo, e totalmente distraída ainda olhando os olhos da outra, Kang a encara por pequenos segundos e volta a beijar a mais baixa, mordendo seu lábio inferior e dando curtos selares ao terminar, não deixando de sorrir ao ver a menor de olhos fechados com suas bochechinhas rosinhas.

- Você... - começa a dizer fazendo a Bae abrir os olhos e o focar em si. - Você é a garota que mais me encanta e a sua presença faz com que o meu coração fique mais alegre - conta feliz e deixando a outra com o mesmo sentimento. - Não sei se você está me entendendo direito, já que eu não consigo controlar meus sentimentos hoje, mas há uma arte maior no jeito de cada um... E você vive para ser feliz e não para ser comum.

- Eu achei que viveria apenas para ver as pessoas ao meu redor feliz, mas desde do dia em que te conheci, essa minha perspectiva mudou bastante - diz baixinho aproximando seu rosto da outra e colando sua testa na dela.

- Sabe de uma coisa? - pergunta no mesmo tom de voz da menor a vendo negar. - O seu olhar me fascina, a sua beleza me encanta, a sua voz me domina e viver sem você me espanta ao ponto de me sentir insegura e apenas me acalmar com o seu toque. Você com o seu doce jeito me enlouquece e me alivia até a alma e... E eu darei o meu melhor para gostar mais ainda de você, mais ainda do seu jeito e eu serie a sua alguém. Sua alguém que você não pode viver sem.

 

Todos nós queremos ser alguém

Queremos ser alguém de alguém

Alguém que não podemos viver sem.

Someone's Someone - MONSTA X

 

And the end.


Notas Finais


Os arcos: https://br.pinterest.com/pin/842384305286542214/

O balanço: https://br.pinterest.com/pin/842384305286621459/

A caixinha com os anéis: https://br.pinterest.com/pin/842384305287024927

• Se você chegou até aqui, muitíssimo obrigado por ter ler este capítulo inteiro e muitíssimo obrigado também por todas as visualizações, favoritos e comentários que essa estória teve o grandíssimo prazer de receber.

• Eu demorei para atualizar ela pelo fato de que as minhas aulas voltaram e o 2°ano não tá tão fácil quanto eu pensei que estaria e porque também foi complicado e difícil de escrever este capítulo, mas apesar disso, espero do fundinho do meu kokoro que vocês tenham gostado desta minha estória e fiquem ligados que eu estarei postando uma estória FanBoy muito em breve aqui no meu perfil.

• Mais uma vez: muitíssimo obrigado e até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...