História Jeito Malicioso - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Ino Yamanaka, Personagens Originais, Sai
Tags Ino, Sai, Saino, Yamanaka
Visualizações 86
Palavras 1.800
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ooie pra quem me conhece e bem vindo pra quem nunca me viu.. esse é um desafio que propomos no grupo... e bom espero que vcs gostem e que possam me ajudar.. beijão

Capítulo 1 - Capítulo Único


Eu não era mais uma das meninas que gostava de relacionamentos, alguns eram perda de tempo e já outra não tinha a mínima graça, era uma garota Boa tinha meu jeito louco assim como meu jeito sóbrio, mas o que me representava era o maliciosa.

Eu sabia como dominar alguém na cama e até mesmo na cabeça, o chato é que quando um homem ver que uma mulher não o quer, quer ser livre e dona do seu próprio nariz eles a querem por que sabem que elas são cheias de si. E isso lhes parece um dos melhores prêmio a ser conquistado.

E as vezes isso me irritava em Sai, um dos carinhas que eu ficava algumas vezes, ele queria algo sério apesar de ja deixar claro que eu não quero nada além de uma boa noite e me divertir sem ter que da satisfação do que faço ou não. Eu era desapegada e todos que me conhecia sabia disso. Quem quiser ficar comigo apenas era so falar, não que eu era uma piranha, mas meu jeito era malicioso, nada sério apenas algo rápido que possa ser vivido.

- Não vai mudar sua atitude maninha - Deidara estava na minha frente, me dando mais um sermão por eu nunca lhe apresentei um namorado.

- De Desilusão eu to fora - falei vendo meu celular ligar a tela vendo chegar mais uma mensagem - Você sabe que prioridade não é pra mim.

## Podemos conversar? ##

Abri uma das mensagens que o moreno havia me mandado. Eu não recusaria, afinal não tinha nada pra fazer. Peguei minhas coisas e me despedi do meu irmão que fez uma cara de desaprovação ao ver que não mudaria, talvez não agora. Deixei o dinheiro do meu suco, atravessei a rua que onde estava meu carro, entrei no veículo e arrumei o retrovisor vendo meus lindos olhos azuis. Mais eu não iria falar com ele, pelo menos não agora.

Eu dirigia em direção a uma das festas que Pain faria essa noite, um dos meus antigos colega de faculdade. Me aproximei do local, vendo várias pessoas ali em meio a tantas insinuação e cheiro de excitação no ar. Como todas as festas que ocorria em sua humilde casa bem ampla, estacionei o carro e caminhei em direção a festa vendo todos os olhares maliciosos sendo lançados em minha direção, entrei na casa e logo achei o homem de madeixas laranja com sua bela namorada.

- Olha quem está aqui?! O que devo a honra? - Falou um pouco alto por conta do grande barulho da música que vinha da sala.

- Nada pra fazer - Dei um sorriso elevando a minha voz - Mais então, o que tem de bom nessa festa? - andei para a cozinha enchendo meu copo com o líquido azul misturado com outras bebidas.

- E os seus namorados? - perguntou a garota se aproximando de mim.

- Eu passo a minha vez, nem vem com esse papo, Deus é mais - falei bebendo o líquido. - Ja vou embora. So dei uma passada aqui pra matar a saudade.

Me despedi dela dando um beijo em sua bochecha. Arrumei meu vestido colado o ajeitando mais uma vez em meu corpo. Eu gostava de momentos rápidos, de uma boa dose, mas odiava o fato de não poder fazer nada sozinha.

Eu conhecia aquela rua, aquele mesmo apartamento e até mesmo a Praça que fica em frente daquele prédio. Estacionei na garagem do prédio e logo o porteiro me olhou e me lançou um sorriso, eu o conhecia afinal vinha algumas vezes aqui, não sabia o que ele pensava de mim mas eu gostava do senhor. Ao chegar no andar da cobertura, eu parei no mesmo quarto, trezentos e dois. Logo tocando a campainha .

Ele sabia que eu viria, ele me conhecia bem, sabia do jeito que eu sou e mesmo assim me olhava apenas com a toalha em volta de seu corpo mostrando todo o seu físico que eu conhecia bem, que quando eu tinha tempo de passar aqui ele era meu. Eu gostava de visitar Sai, mas ele as vezes tocaba em um assunto que eu não queria saber.

- Lembrou que eu existo? - falou dando espaço para que eu entrasse e ele voltaria a tornar o mesmo assunto. - Por que não paramos com esse lance de pegacao e ficamos em algo sério?

- Eu já falei sobre isso, eu não quero nada sério. Eu já falei se você quiser algo sério, ache outra pessoa - falei vendo ele revirar os olhos.

- Tem alguém melhor que eu ne?! - dessa vez foi eu que revirei os olhos.

- Eu nao sou de me apegar você sabe, eu quero apenas ficar. Então para com isso tem coisa melhor pra fazer.

- Você é maliciosa. - falou me pegando no colo e sentando novamente no sofa da sala - Faremos um trato, não vamos se apegar, apenas ficar.

No fundo eu sabia que ele não ia ficar por isso mesmo. Ele deu sorte por eu passar essa noite aqui.

Senti meus lábio sendo invadindo com uma onda de vontade e desejo. Ele passou sua mão delicadamente em meu rosto fazendo um carinho ali, eu gostava mais ele as vezes era carinhoso de mais. Fui para mais perto dele e o beijei, seus lábios se movimentava, na mesma velocidade que a minha, o gosto da bebida misturada com a saliva de nosso beijo, dava um gosto diferente. Olhei em seus olhos e logo me sentei em seu colo. Voltei a beijar sua boca, senti suas mãos irem até meu vestido e o tirar com rapidez e eficácia, logo indo para o feixo do meu sutiã e abrir, senti a peça deslizar sobre meus seios e cair no chão. Logo Sai deslizou sua mao para aquela região tão sensível. Dei um gemido entre nosso beijo. Desde quando ele era assim.

Senti meu corpo levitar, o moreno me encaixou em seu corpo, me levantou e me guiou até uma porta, senti todo seu peso em meu corpo, logo estava prensada na porta de um quarto que eu conhecia muito bem. Levei minhas mãos até seus cabelos e o puxei. O mesmo me jogou na cama e me olhou, senti ele puxar minha calcinha com uma certa brutalidade. Eu senti bem mais prazer vendo ele ali me dominando como jamais fez. Senti ele me virar mais uma vez me deixando de Costa para ele, passou seu dedo levemente sobre meu corpo, começando pela batata da perna até chegar no meu bumbum onde desferiu um tapa, se eu não estivesse tão empolgada eu lhe devolveria dando um soco em sua cara, senti uma leve ardência na região da minha nadega, ele continuou o movimento com seus dedos até chegar no meio de minhas Costa onde havia uma tatuagem do filtro dos sonhos, ele a circulou e então deu um beijo, todo o meu corpo se arrepiou com o seu toque. Senti ele puxar minhas mãos para cima e a segurar com certa força. Logo ele chegou seu quadril para mais perto do meu bumbum.

- Está sentindo?! Como você me deixa so de me dar um olhar - Eu sentia o quão excitado ele estava. Não falei nada apenas empinei minha bunda - PUTA QUE PARIU, não faz isso.

Para provoca-lo mais remexi sobre seu membro sentindo ele apesar de estar de toalha. O moreno puxou devagar a única coisa que não me dava a visão de todo. Sai levou seus dedos até minha intimidade e sem permissão a invadiu, colocou seus dedos me masturbando com um certo fruor, a maneira como ele massagiava meu clitóris era diferente das outras vezes, mas nada se comparava quando ele colocava sua língua, beijando de uma forma quente. Senti todos os meus músculos se contrair, eu havia gozado. Eu retribuiria o carinho mais dessa vez sai não deixou, abriu um pouco mais minha pernas e é colocou delicadamente seu membro dentro de mim, eu senti cada pedacinho ser invadido. Senti ele se movimentar rápido e fundo como não fez das outras vezes, agora parecia que ele não queria mais relacionamento, para minha alegria. Senti cada estocada ser preenchida pelo meu ventre e cada gemido abaixado pelo colchão, Minhas mãos estavam todas vermelhas por minhas unhas, não conseguia disfarçar o que sentia pelo seu toque bruto. Senti mais um tapa ser depositado em meu bumbum, e assim foi indo, tapa por tapa e a cada um eu sentia mais desejo em chegar rápido.

Mordi fortemente meus lábios sentindo todo meu corpo se empinar e uma onda maravilhosa me envadit, eu definitivamente havia chegado no meu melhor ápice. Sai continuou se movimentando dentro de mim com uma forma maravilhosa até ele parar e se jogar ao meu lado. E havia voltado os carinhos, me puxou para perto dele me abraçando, peguei o lançou da cama e cobri meu corpo nu.

- Eu te machuquei? - Perguntou depois de ver que sua respiração voltou ao normal.

- Não mesmo. Continue assim, você foi ótimo - falei colocando minhas mãos sobre seu peitoral.

Deitei mais uma vez e so pude sentir minhas pálpebras pesarem, o sono havia me invadido.

Na madrugada levantei assutada eu não podia dormi aqui, eu teria uma reunião daqui a duas horas, pensei olhando para o despertador, Me levantei com cuidado vendo se Sai não acordaria, peguei minhas roupas e fui para a sala. Vesti todas as minhas peças e quando terminei peguei seu bloco de notas e deixei um bilhete.

Corri apressada para que ele não percebe-se que eu havia indo embora, afinal seu sono era leve. Quando cheguei na minha casa, pude descansar fielmente.

~~~

Surpresa? Muito surpresa essa era a palavra e a reação perfeita para me definir nesse momento, o moreno estava na sala de reuniões na minha frente sendo apresentado para o novo designer de moda, o novo desenhista da empresa e o meu mais novo chefe.

- Se todos entenderam, podem ir - Falou o supervisor da nossa área - Ino leve ele até a sala.

Apenas concordei e o levei sem dizer uma única frase, eu ainda estava ingerindo o que estava acontecendo. Caminhei ao seu lado até chegar e entrar na sala toda bem arrumada.

- Quem diria que eu seria seu chefe. - ele falou vendo minha cara de espanto. - Não se preocupe senhorita Yamanaka.

- Olha, pessoa do profissional - falei me virando para sair, mais logo senti meu corpo pressando na porta.

- Muito frio da sua parte deixar um bilhete e sair - Ele falou perto da minha orelha.

- Eu nao sou piranha, mas ja deixei claro eu so jogo meu jogo. - falei me virando para ele. - Eu nao te dei ideia errada.

@@ Meu jeito é malicioso eu faço gostoso mais não gruda de mais se não eu caiu fora @@@ Se quer prioridade voce ta no lugar errado


Notas Finais


Então gente o que acharam? Eu não gostei muito kkshaoandk.. por um fato eu nunca escrevi nada com esse casal e foi algo diferente porém bom... Então me dêem uma forcinha


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...