1. Spirit Fanfics >
  2. Jelena: The Story >
  3. Hard To Face Reality

História Jelena: The Story - Capítulo 20


Escrita por:


Notas do Autor


Capítulo inteiro de P.O.V do Justin!

*E provavelmente é um cap um pouco mais hot dos q eu escrevi até agr...

Capítulo 20 - Hard To Face Reality


Fanfic / Fanfiction Jelena: The Story - Capítulo 20 - Hard To Face Reality

P.O.V Justin Bieber
 

Não sei o porquê, mas acordei cedo naquele dia. Bárbara estava apoiada em meu peitoral e eu tive que sair com cuidado para não acorda-la. Vesti a cueca que estava no chão e foi direto ao banheiro, fazer minha higuene pessoal.

Pra minha raiva, sair da cama com cuidado para não acorda-la me lembrou a noite que compus All That Matters. Despistei esse pensamento em seguida e desci pra a cozinha. 

Lá, me deparei com Twist e Khalil conversando no meu balcão, enquanto meus funcionários preparavam o café da manhã. 

- Twist, Khalil... O que vocês tão fazendo aqui? - Perguntei. 

- Temos a chave, achei que fôssemos bem-vindos. - Twist respondeu. 

- Não é isso mano, para de graça! Temos um bagulho sério pra falar. - Khalil comentou. Fiquei me perguntando o que seria. - Você atendeu as ligações de Scooter? - Fiz que não com a cabeça. - Olhou a internet pelo menos? 

- Eu nem sei aonde está o meu celular! - Respondi, agora ficando cada vez mais curioso. - Parem de suspense, falem logo o que aconteceu!

Eu não percebi, mas neste exato momento, Bárbara havia descido e estava prestes à entrar para a cozinha. Fui saber só depois que ela viu Twist e Khalil e resolveu se esconder para escutar a conversa. 

- Sua ex, resolveu repostar a foto que eu postei com você e com Bárbara. Ela colocou três pontos na legenda. Apagou depois, mas logo o post viralizou no Twitter. - Twist disse. 

Não é possível. Simplesmente inacreditável que depois de tudo ela pudesse achar que tinha a moral de fazer isso. 

- O pior foi que depois da publicação, os fãs dela mais um monte de gente ficou contra você. Te acusam de traição. - Khalil suspirou. - E acontece que Scooter tá puto com isso. 

Respirei fundo, contando até 10. Raiva, raiva e raiva, era o que eu conseguia sentir por Selena. 

- Espera um pouco... - Levantei da banqueta que estava sentado. - Selena termina comigo daquele jeito, me abandona na hora que eu mais preciso dela e agora que finalmente posso sequer falar como uma garota ela faz isso? Eu estou solteiro cara. Não tenho compromisso nenhum com ela. Se eu tô transando com a Bárbara, isso não é da conta dela. 

Eles pareciam estar tensos. Ficaram um tempo em silêncio até que Twist falou: 

- Não é só por isso que seus fãs tão bravos com você. - Até as beliebers, pensei. - Não gostaram do jeito que você olhou pras angels no desfile e nem de uma última notícia vazada. 

- Que notícia? - Perguntei imediatamente. 

- Um portal de notícias afirmou que o motivo do término de Jelena foi uma traição sua com Channel Celaya. 

Puta que pariu. 

- E como você sabe... - Disse Khalil. 

- Essa é a versão de Selena. - Respondi. - Essa filha da puta tá fazendo de tudo pra me queimar. 

Permanecemos um tempo tentando raciocinar. Cíntia e as outras funcionárias até tentaram me servir um café, mas como estava puto, recusei com certa brutalidade. 

De repente, Bárbara surge na cozinha. Usando uma camiseta minha, que não faço ideia de onde arrumou e apenas sua calcinha. 

Instantaneamente, os olhos dos três homens da cozinha foram direcionados ao seu corpo. Twist e Khalil ficaram auriçadinhos, e mesmo Bárbara não sendo nada minha, isso me irritou. 

- Ah, desculpa chegar assim, não vi seus amigos. - Ela sorriu de um jeito fofo e sexy pra mim. - Espero que não se importe de eu pegar sua camiseta.

- Não, pode usá-la. Ficou melhor em você do que em mim. - Brinquei, fazendo-a rir.

Continuei percebendo meus amigos babando e tentei lançar-lhes um olhar de desaprovação. Mas não fizeram nada. Continuaram secando a mina com que eu tinha dormido. Falta de respeito.

- Khalil, Twist, se mandem.

- Qual é? - Twist tentou protestar. 

- Já disse, tchau! 

- Ele já foi mais educado... - Khalil provocou. 

Os dois saíram dando risadas para me irritar, e eu me servi de iogurte. Ofereci para Bárbara, mas ela só comeu uma maçã. 

- E então, acho bom finalmente falarmos sobre a noite de ontem. - Eu disse de forma descontraída. 

Ela deu risada e respondeu. 

- Acho bom esclarecemos as coisas. - Ela me disse, me trazendo um leve receio. - Sinto que preciso ser completamente franca com você. - Bárbara pegou em minhas mãos. 

- Eu quero que seja. - Respondi. 

- Eu ouvi a sua conversa com Twist e Khalil. Sua ex ainda gosta de você, e sinto que se eu me meter na relação de vocês... - Minha expressão esbajava dúvida. - Quero dizer que, têm milhares de fãs sabendo do termino de vocês e que estão chateados com você por ontem. Não quero ser julgada como a amante que separou o casal mais querido do mundo entende? Tenho uma carreira e... Tô com medo. Não quero que pense que não gosto de você. Você é um cara incrível, tive a melhor transa da minha vida ontem e adoraria fazer isso mais vezes, eu só não quero me meter onde não devo. 

Talvez minha expressão esbanjasse raiva. Digo isso, porque Bárbara parecia apreensiva com as palavras. Mas minha raiva não era de Bárbara. Estava com raiva pelo plano de Selena ter dado certo. 

- Me desculpa por isso. - Ela tentou se redimir. 

- Relaxa, Bárbara. Tá tudo bem, eu não tô chatedo com você. Entendo perfeitamente a sua decisão e concordo com ela. Só fico puto de o plano da minha ex ter dado certo e até você se prejudicar com essa situação. 

Bárbara pareceu se compadecer. Me deu um abraço apertado e disse:

- Não esperava que ela fosse fazer isso. Isso não é legal e ela vai acabar sofrendo por isso. Mas como mulher, lhe aconselho: ela provavelmente tem motivos. Conversa com ela, vocês se amam pra caralho ainda, dá para perceber. 

- Perceber? - Não entendi. .

- É, percebi ontem... 

- Oh meu deus! - Exclamei morrendo de vergonha. - A transa foi ruim e você acha qie foi porque eu tava pensando nela? 

- Não, seu bobo! - Bárbara riu. - Foi perfeito, só teve uma hora que você quase gemeu o nome dela... 

- Ah não! - Não sabia onde me enfiar. - Isso foi um fiasco! 

- Relaxa, eu já tinha chegado lá, isso nem me atrapalhou. 

- Ufa. - Engoli um seco fazendo-a rir. - Obrigada por tudo, Bárbara. Você é uma menina foda. 

- De nada... - Ela beijou minha bochecha. - Bom, já deu minha hora. Vou pegar as minhas coisas e tenho que ir. 

- Quer que eu te leve? 

- Não... - Ela sorriu. - Obrigada, mas já chamei um táxi. - Bárbara acenou. - Até a próxima, Jay! 

E ela saiu me proporcionando uma vista maravilhosa. Terminei de tomar meu café e um mordomo trouxe meu celular. 8 ligações perdidas de Scooter.

Meu dia vai ser foda.

 

Scooter solicitou uma reunião no estúdio, e logo pedi para que meus seguranças me levassem até lá. Seu semblante era de preocupação e Scooter logo começou a olhar documentos, atender ligações e checar sites de notícias e mídias sociais. 

Permaneci sentado numa poltrona enquanto o esperava finalmente se dirigir a mim.
Ele então finalizou o que tinha que fazer e se sentou a minha frente. Suspirou e me disse:

- Justin. Bom dia. 

- Bom dia, Scooter. 

- Bom, vamos direto ao ponto. - Ele passou as mãos pelo rosto. - Sua ex namorada divulgou algumas informações que estão lhe trazendo certos problemas. O motivo do término foi apontado como traição com Channel Celaya, e vocês dois estão levando muito hate. As coisas só pioraram com a sua performace no desfile da Victoria Secrets e sua foto com Bárbara que seu amigo postou no Twitter. Ela repostou com três pontos e todos estão dizendo que você a decepcionou. 

Permaneci quieto. Eu não conseguia acreditar nesse monte de mentira que Selena estava inventando sobre mim. 

- Diga alguma coisa. Precisamos tentar reverter a situação. - Ele disse. 

- Não tem o que fazer, Scooter. Selena terminou comigo por não confiar em mim, e agora tá se fazendo de coitadinha sendo que eu nunca a trai. 

- Exponha isso. Mostre a todos o que ela está fazendo. 

- Eu não consigo, tá legal! Eu não quero machucar ela mais. Por quê no fundo, fui eu que errei. 

O que me deixava mais mal era ter a certeza que eu estraguei tudo e que eu a fiz chorar. Agora ela iria se vingar. 

- Como assim? - Seu semblante era de dúvida. - Não traiu mas foi o único que errou?

Suspirei. Tudo estava tão confuso. 

- Ela não gostava que eu fosse amigo de outras garotas. Eu não dei a mínima para o que ela falava e agora... 

Parei de falar. Não estava mais com raiva. Um sentimento de quere-la de volta me dominou. 

- Eu sinto a sua falta. - Disse finalmente. 

Scooter permaneceu me encarando. Percebi que não devia ficar me abrindo com ele, afinal também estava envolvido naquele acordo estúpido. 

- Quer saber, Scooter, quero que saia daqui. - Ele franziu as sobrancelhas. - Isso mesmo, preciso pensar e você tá me irritando. 

- Justin... Acho melhor você me ouvir e também ouvir todos aqueles que se importam com você. 

Isso era demais. Que hipocrisia de sua parte dizer isso. 

- AH, TODOS O QUE SE IMPORTAM COM VOCÊ... CLARO! - Debochei. - Não tenho ninguém que se importa pra valer comigo, e você sabe muito bem. 

- Quero que tente me ouvir. 

- E EU QUERO QUE VOCÊ VAZE! - Me alterei. - Saia da minha sala. AGORA!

Scooter pegou suas coisas e deixou a sala, com um olhar preocupado.

Assim que ele saiu eu chutei uma estante, fazendo milhares de objetos caírem e se espatifarem no chão. 

Milhares de sentimentos passavam pela minha cabeça. Eu estava confuso entre achar Selena uma controladora, mentirosa e vitimista e me sentir culpado, querendo tê-la nos braços. 

Senti uma enorme saudade de tudo nela. Principalmente de seu corpo, das milhares de noites que passamos juntos, de tudo que experimentamos. Nada nem ninguém seria como a ela. Não existia comparação. 

Eu finalmente reconheci que errei. Ela tinha todo o direito de me odiar. 

Tive vontade de quebrar tudo no estúdio. Como fui tão burro ao ponto de estragar tudo o que tínhamos?

Uma enorme culpa me assolou e eu quis morrer naquele momento. Eu não tinha mais nada além dela, como pude deixá-la ir embora? 

Até que peguei as minhas coisas e sai da sala com raiva. Precisava fazer alguma coisa. 

Passei reto por Scooter e o deixei falando sozinho. Meus seguranças vieram atrás de mim e quando abri a porta pra sair, me deparei com o que menos queria. Fãs na porta. 

Eu amo minhas beliebers mas naquele momento eu não tinha condições de falar com ninguém. 

- Justin! Gente é o Justin! JUSTIN BIEBER! - A mais baixinha gritou. 

- Justin, eu te amo Justin, eu te amo! - A outra também se aproximou. 

Coloquei meus óculos escuros e fechei a cara. Não vou falar com ninguém. Meus seguranças me cercaram e eu continuei caminhando até meu carro. 

- Justin, nós somos suas fãs, fale com a gente! - Elas se aproximaram ainda mais tentando ultrapassar meus seguranças. 

Tentei fingir que nada estava acontecendo e permaneci de cara fechada, já puto com a situação. 

- Justiiiiin! - Uma delas me tocou. 

Naquele exato momento um urso cheio de fúria surgiu em mim. 

- EU NÃO QUERO FALAR COM VOCÊS, PORRA! - Gritei fazendo-as se assustarem. 

Naquele momento uma delas desabou em lágrimas, e justo nessa hora percebi que paparazzi filmavam tudo. Tô fudido

Meus seguranças me colocaram imediatamente no carro em questão de segundos. Fecharam logo a porta e um deles foi falar com as garotas. Consegui ouvir ali do carro mesmo: 

- Por favor, desconsiderem essa atitude dele. Justin está uma pilha, anda muito mal por causa das brigas com Selena. Tenho certeza que ele vai se arrepender, ele não é assim. 

Que segurança babaca, pensei. Odiei o fato de ele citar Selena e tive a certeza que o demitiria. Falta de respeito do caralho. 

Me virei na poltrona, com minha cabeça explodindo. Depois do que acabara de fazer, minha reputação estaria um lixo.

 

Alfredo, Twist, Za e Khalil estavam começando a perceber como eu estava uma pilha naquele fim de ano. Os quatro tinham praticamente se mudado para a minha casa e eram os responsáveis por me trazer um pouco de diversão em meio aquele caus. 

Scooter veio com a ideia de prozuzir uma versão acústica de Believe e ainda produzir um filme, na intenção de limpar um pouco a minha ficha, mostrando um lado bom meu. Mesmo eu acatando e gostando desses projetos, isso redobrou minha carga de trabalho, já que agora eu tinha uma turne pelo mundo todo pra fazer.

A mídia nunca caiu matando em cima de mim como estava naqueles dias. Segui o conselho de Bárbara de tentar falar com Selena, mas ela não me atendia nem respondia as minhas mensagens e, em contrapartida, não parava de me mandar indiretas, expostas pra quem quisesse ver. 

No fundo, eu achava isso bem compreensível e não iria desistir de me redimir para ela. Talvez ela me perdoasse. 

Minha cabeça estava tão confusa que eu nem sabia o que fazer, nem como agir. 

Minha mãe nunca encheu tanto o meu saco, e como eu ainda estava irado com ela, não lhe dei ouvidos. Ela não tinha moral pra dizer o que eu devo fazer. 

Meu pai nem falava nada, continuava vivendo a sua vidinha tranquila, o que de certa forma aumentava minha mágoa, mas também me aliava por ele não estar me enchendo o saco como Pattie. 

Na verdade, eu não estava parando para refletir sobre o que estava acontecendo, só ia deixando as coisas fluirem, cada dia mais perdido. 

Uma vez, voltando de um show na Flórida, meus amigos me fizeram um pedido, enquanto eu engolia a garrafa de vinho. 

- Bizzle, você tá muito estressado bro... Precisa relaxar. - Khalil disse. 

- Também acho, o Bizzle tá precisando de uma boa festa com bebidas, drogas e mulheres. - Falou Twist. 

- Eu achava que quando você ficasse solteiro ia curtir de verdade, mano. - Comentou Za. - Não tá pegando quase ninguém, tem que curtir a vida. 

- Não adianta, ele só pensa na Selma. - Khalil disse. Espera aí. Selma? 

- Quem é Selma? - Franzi a testa sem entender. 

- É o apelido que dei pra Selena. - Khalil respondeu, fazendo todos gargalharem. Esse cara não vale nada mesmo. 

- Porquê Selma? - Perguntei descontraído. 

- Não gosto dela, vocês sabem. É um jeito de se referir à ela sem precisar falar seu nome, hahaha. 

Soltei uma risada e eles comemoraram. 

- Finalmente o Bizzle tá normal! - Exclamou Alfredo. - É só falar na Selena que ele fica assim... 

- Manda a real pra gente, o que você tá sentindo? - Perguntou Za. 

Bufei, tomando mais um pouco de vinho. 

- Eu não consigo parar de pensar nela. - Finalmente respondi. - Não passo uma noite sequer sem pensar como eu queria estar transando com ela a noite toda. Sinto falta de tudo, e tô me sentindo um lixo por ter desapontado ela e estragado o que tínhamos. 

- Mas você comeu ou não comeu a Channel? - Twist perguntou. 

- Não mano, nunca. Já disse isso pra ela mas ela jura que eu a traí. 

- Se não traiu, por quê se sente culpado? - Perguntou Za. 

- Ela não gostava que eu fizesse certas coisas e eu fazia. Acho que o meu erro foi não ouvir suas reclamações... 

- Você apenas não obedeceu ela, Bizzle! - Khalil protestou. - Selena não gostava que você andasse com a gente, ela queria mandar em você e te colocar como se fosse só dela, e você não obedeceu, foi por isso que Jelena acabou. Estamos em Hollywood, se você não puder sequer conversar com uma mina, você tá ferrado. 

- Não é só isso mano. - Continuei. - Eu a magoei muitas e muitas vezes, não a ouvi, e sempre quis levá-la pras festas comigo. Foi por causa de mim que Selena começou a usar drogas, porque eu de certa forma a incentivei. Se alguma coisa acontecer com ela eu não sei o que eu vou fazer mano. 

Eles permaneceram em silêncio. Não sabiam o que falar. Eles deviam achar eu me rendendo a Selena muito estranho, já que só ficavam com mulheres pra transar e provavelmente nunca amaram ninguém. 

- Eu entendo o que o Bizzle quer dizer. - Alfredo comentou. - Ele quer uma chance de se redimir com ela. Como eu ainda falo com ela, vou planejar uma festa, daquelas bem loucas, pra virar manchete no TMZ. Aí, o Bibs vai precisar reconquista-la, e sinceramente difícil não vai ser. 

- Como assim? - Me empolguei. - Acha que vai ser fácil? 

- Conhecendo ela como eu conheço, superada ela não tá mesmo. 

Suspirei aliviado. Não poderia perder essa chance. 

- Bom, eu queria uma festa pro Bizzle passar o rodo, mas já que ele quer tanto a Selma, essa festa vai ser foda. - Khalil disse me fazendo rir. 

- É. Vai ser foda. - Murmurei.

 

Faltavam apenas 1 hora para a festa quando eu estava chegando de um evento com fãs. Fiquei o dia inteiro lá, então resolvi tomar um banho e me arrumar para a festa de Alfredo. 

Coloquei uma camiseta branca mais larga com uma calça preta larga também. Para ficar mais estiloso, peguei uma camisa xadrez e dobrei a manga, deixando-a aberta. Coloquei um boné e um óculos escuro para que na hora de sair da festa, ninguém percebesse que eu estava drogado. Coloquei um tenis e fomos direto para a festa. 

Meu motorista nos deixou lá, e ao sair da limusine, paparazzi já descobriram onde seria a festa, e dispararam milhares de clicks. 

Entramos na boate, e ela era bem convidativa. Era uma boate mais para dançar, e não uma estilo clube de stripper. 

Cumprimentei todos ali, e tentei não ficar muito próximo as garotas, pois Selena poderia me ver de longe e ficar chateada. 

Eu e meus amigos ficamos conversando num canto, enquanto bebiamos e fumavamos um pouco. 

Até então, nada de Selena. Resolvi me aproximar de Alfredo e lhe perguntei: 

- A Selena tá por aí? - Disfarçei.

- Eu acabei de falar com ela, mas agora não faço ideia de onde ela foi... Mas escuta... - Alfredo disse baixinho. - Acho que ela tá na pista de dança com as amigas. Chega lá e chega nela, mas disfarça. 

- Beleza, valeu mano. 

Quando eu estava ne distanciado, Alfredo me chamou: 

- Justin... Outra coisa... 

- Diga. 

- Se tudo der certo, eu reservei uma suíte no andar de cima pra vocês. - Ele tirou umas chaves do bolso. - É só subir aquela escada. - Ele apontou. - E abrir a porta do quarto. É incrível. Tem espelho no teto, banheira... Vão gostar! 

- Valeu mesmo, irmão! 

Nos despedimos e eu fui até a pista de dança. Na hora que cheguei, umas colegas se aproximaram de mim. Fui educado, mas não queria conversar e nem que Selena as visse de onde é que estivesse. 

Dancei um pouco e conversei com Maejor Ali, um novo amigo meu que estava lá, e percorri a enorme pista tentando avista-la. 

De repente, me esbarrei em algo. Parecia uma garota. Tentei ajudá-la a levantar e ela murmurou obrigada enquanto se virava pra mim. Antes de terminar a fala, vi seu rosto e quase tive um surto. 

Selena. Seu semblante, antes de riso, ficou sério. Meus olhos se arregalaram e eu olhei bem no fundo de seus olhos, percebendo nossas pupilas se dilatarem na mesma hora. 

Permaneci encarando-a sem reação, até que ela soltou a minha mão. 

Ela não sorriu. Mordeu os lábios, com uma sensação de preocupação. Deu mais uma olhada funda em meus olhos e saiu, colocando os cabelos atrás da orelha. 

Eu fui vendo-a se afastar com um aperto no estômago, sentindo-a tirar meu chão mais uma vez. 

Eu não posso deixá-la ir embora de novo. 

A segui em passos largos, enquanto ela ia se afastando da pista de dança. 

Quando finalmente a alcancei, peguei em sua mão suavemente. Ela virou o rosto e pude vê-lo encharcado de lágrimas. 

Selena as enchugou com a manga da blusa e eu senti meus olhos se marejarem também, ao ver que a fiz chorar novamente. 

Senti seu corpo tremer. Ela continuou me olhando, quando mais lágrimas escorriam de seu rosto. 

Ali mesmo, no meio da pista, não pude deixar de chorar silenciosamente, ainda olhando em seus olhos. 

Ela suspirou e soltou novamente a minha mão. Até que eu me coloquei a sua frente de imediato e murmurei. 

- Desculpa... 

Naquele exato momento, ela praticamente pulou em meu colo. Tirei-a do chão enquanto ela uniu nossos lábios com um beijo calmo e delicado, como se estivessemos nos apaixonando pela primeira vez, e aproveitando cada segundo do momento. 

Eu segurei seu corpo pelas costas, enquanto ela acariciava meu cabelo. 

Senti suas lágrimas encostarem a minha pele e intertompi o beijo. 

Passei meus dedos por sua pele macia e continuei com os olhos cheios de lágrimas. 

- Eu não quero de perder... - Falei. - Me perdoa? 

Ela não respondeu. Apenas juntou nossos lábios com outro beijo, agora mais desesperado, enquanto me abraçava como se fosse a última vez. 

Fomos até um canto mais afastado da pista e continuamos a nos beijar. 

Enquanto minha língua passeava por sua boca e se encontrava com a dela, sentia nossos corpos se contraírem, cada vez mais arrepiados.

Fiquei com medo de tentar evoluir as coisas, mas não resisti ao cheiro de seu doce perfume e dei uma lambida em seu pescoço. 

Ela envolveu seus dedos em meu cabelo e jogou o boné pra baixo.

Soltou um suspiro e arranhou minha nuca. Resolvi passar meus dedos sobre sua coxa desprotegida e senti sua pele se arrepiar. 

Ela então me surpreendeu, dando uma leve apertada naquela região e me deixando completamente preparado para se entregar a ela. 

- Você quer me enlouquecer... - Sussurrei. 

- Eu preciso de você... - Ela disse numa voz 100% sexy, como só ela sabia fazer. 

Continuei beijando-a loucamente até que senti meu corpo necessitar absurdamente de seu corpo. 

- Tenho a chave de uma suíte que Alfredo reservou... - Disse ofegante. - Você quer? 

- Eu preciso mais que tudo... - Ela me deu um selinho. 

Então, peguei em sua mão e a levei rápido até a escada, porque não dava mais para disfarçar o quão excitado eu estava. 

Subimos a escada e eu abri a primeira porta com uma das chaves. Entramos numa espécie de rol e abri uma outra porta de madeira. 

O quarto era bem clean, com um espelho enorme no teto, um aroma único, e uma luz de led vermelha em volta da cama. Tinha também um suporte de polidance. Vendo isso, nossos rostos se iluminaram. 

Foi então que tive a certeza que essa transa seria a mais especial que tivemos até hoje. Selena então ligou o rádio que tocava músicas bem sensuais. 

Eu me aproximei e já fui beijando-a desesperadamente, até que ela nos interrompeu com uma mordida e sussurrou próximo ao meu cangote. 

- Eu quero te surpreender. Fica paradinho. 

Ok, essa mulher quer me matar. 

Ela então foi tirando o vestido delicadamente, me provocando a cada movimento. Ficou apenas de lingerie e foi em direção ao suporte de polidance. 

Começou a me hipnotizar com sua dança. Fiquei me perguntando onde ela teria aprendido.
Eu a encarava quase sem ar, enquanto me controlava para me manter parado na cama. 

Ela dançou por mais alguns instantes e então se aproximou de mim. 

- Você está me matando... - Eu murmurei. 

- Essa é a intenção... - Ela sussurrou se sentando meu meu colo de frente pra mim. 

Foi tirando minha roupa devagar e passando os dedos pelas tatuagens. 

- Eu estou explodindo... - Disse, não aguentando mais aquela tortura. 

Ela deu um sorriso "tímido" que a fez parecer mais sexy que o normal, se é que tem como. Me empurrou na cama e colocou seu corpo em cima de mim, então me beijou novamente e permitiu que trocássemos de posição. 

Fiquei em cima dela e nós finalmemte aliviamos o desejo que nos tomava conta. 

Eu não poderia estar melhor.




 


Notas Finais


aaa q esses dois n conseguem ficar separados hahaha!
oq vcs tão achando? me conta aí!

obs. O Justin tá começando a ficar na fase esquentadinho! só quem eh belieber sabe o quão ruim foi isso hahaha...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...