História Jelsa - O Amor da Nossa Imortalidade - Capítulo 35


Escrita por:

Postado
Categorias A Origem dos Guardiões, Big Hero 6 (Operação Big Hero), Como Treinar o seu Dragão, Detona Ralph, Enrolados, Frozen - Uma Aventura Congelante, Mulan, Valente
Personagens A Fada dos Dentes, Anna, Astrid, Banguela, Baymax, Coelhão, Elsa, Fa Mulan, Flynn Rider, Fúria da Noite, Grand Pabbie, Hiro Hamada, Jack Frost, Kristoff, Li Shang, Marshmallow, Mérida, Norte, Olaf, Pascal, Personagens Originais, Rapunzel, Sandman "Sandy", Soluço, Sven, Vanellope von Schweetz
Tags A Origem Dos Guardiões, Big Hero 6, Bruni, Como Treinar O Seu Dragão, Detona Ralph, Elsa, Elsamaren, Enrolados, Flynnzel, Frozen, Gale, Guardioes, Honeymaren, Jack Frost, Jack X Elsa, Jackmaren, Jelsa, Kristanna, Luna Snow, Marvel, Mericuup, Mulan, Mulan X Shang, Nokk, Rainha Da Neve, Rainha Iduna, Rei Agnar, The Big Five, The Big Four, Valente, Vaniro, Wifi Ralph
Visualizações 66
Palavras 1.459
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Não tem aquela tal vilã robô que eu coloquei lá no início da história? Então, aí está ela.
Nesse meu Segundo Arco, ele talvez seja um pouco mais curto do que o primeiro e vai ter um pouquinho mais de ação e aventura, como também vai ser inspirado nos filmes: “Wi-Fi Ralph e Vingadores: Era de Ultron.”

Espero que gostem desse capítulo 👍🍁❄💙

Capítulo 35 - Capítulo XXXIII - Sangue de Alfa e Peças de Xadrez


Fanfic / Fanfiction Jelsa - O Amor da Nossa Imortalidade - Capítulo 35 - Capítulo XXXIII - Sangue de Alfa e Peças de Xadrez



Em algum lugar de São Fransokyo...


Agora que o erro de Hiro foi criado, Alina está a solta por algum lugar de São Fransokyo. Antes dela conseguir fugir do laboratório, ela danificou o scanner de rastreamento de Baymax, pois ela já sabia que seria rastreada no momento que saísse do link de comunicação dele.


- Ah, Hiro. Você não queria que a sua inteligência artificial ajudasse a salvar o mundo? Então vou fazer o que a minha programação procede. - Ela deu um sorriso psicótico.

- Eu vim aqui fazer um show. Boneca eu sou, eu sou assim. Um ótimo mundo, vou criar. A paz, eu quero. Eu quero sim. - Ela cantarolou, enquanto estava colocando numa mesa alguns objetos metálicos e computadores. 

Como Baymax já havia deduzido, ele sabia muito bem o que Alina pretendia fazer.

Para ela criar uma extinção global, é óbvio que ela precisaria de certos materiais e um tipo de magia elemental poderosa o bastante para fazer isso. Só que antes disso, ela precisava dar um jeito de cobrir os seus rastros antes de agir.

E era por esse motivo que ela estava fabricando dezenas de cópias robôs de si mesma. Ela iria atrás de certos itens e ao mesmo tempo, construir a sua máquina.

Como no jogo de xadrez, você precisa usar cada peça cuidadosamente, para que o seu exército domine o rei e ganhe a batalha. E para isso, ela precisava de alguns bispos para derrotar algumas torres.

Ela separou uma das suas cópias para ir até o Polo Norte, enquanto ela preparou outras cópias para ir para a Europa.


- Para eu passar pela primeira fase do plano, eu preciso do sangue alfa de um Fúria da Noite, uma partícula mágica com um raio de sol, aquele cristal que afeta criocinéticos e certos minérios que não existem aqui nesse mundo. - Ela disse, pensativa. - Então chegou a hora de conhecer alguns espíritos. O Natal chegou mais cedo esse ano.


Enquanto isso, no Polo Norte...


Faltavam algumas semanas para a Páscoa, e Coelhão já estava pintando alguns ovos enquanto ajudava Tooth a revisar alguns dentes.

- De quantas crianças você já visitou hoje? - Coelhão perguntou a Tooth.

- Umas 912. Todos os dias, as crianças deixam cair os dentinhos de leite e por isso, sempre se repete. É bom pra conservar as memórias delas. - Tooth sorriu, enquanto contava os dentes.

- Já imaginou numa coisa?

- O quê? 

- No Frost. Como vai ser quando ele descobrir sobre tudo? Que é um Espírito de Northuldra, igual a namoradinha de gelo dele? - Coelhão perguntou.

- Eu não sei. Ele ainda é bem jovem, ao contrário da gente. As vezes, nós temos vontade de esquecer algumas lembranças. Até eu. Mas tem algumas que eu adoraria lembrar pra sempre. - Tooth sorriu.

- É, isso é verdade. Se lembra dos anos 80? A gente começou a usar a moda daquela época. - Disse Coelhão.

- É, eu me lembro! E me lembro que o Norte te fez usar aquela roupa de Natal que ele mesmo fez.

- Nem me fala disso. O Frost ficou me zuando muito por causa daquela moda que eu tava usando.

- Mas estava muito divertido. - Norte gargalhou. - E todos os espíritos me pagaram só pra ter uma foto sua.

- Eu não gostei disso não, Norte. Eu fui zoado até pelo Frost! Pelo Frost! - Coelhão esbravejou, enquanto pintava os seus ovos.

- Mas tem que aceitar que foi muito engraçado, Coelhão. Olha só pro Sandy. - Norte apontou para Sandy, que estava gargalhando enquanto flutuava.

- Pra mim não foi! E eu devia é cavar um buraco pra cima de vocês e jogar terra em cima! - Coelhão esbravejou, e todos gargalharam.


Do nada, uma gargalhada mecânica se alastrou por todo o Salão do Globo.


- Nossa, por essa eu não esperava. Os Guardiões da Infância. 

- Quem está aí? - Norte perguntou. - Apareça!

- Muito bem então. - A voz saiu das sombras. - Eu estou bem aqui.


Das sombras, saiu uma espécie de robô feminina, mas com traços humanos.


- Quem ou o que é você? - Coelhão perguntou, ficando em postura de combate.

- Pode relaxar, Coelho da Páscoa. Eu sou apenas alguém que quer ajudar o mundo. Só que como muitos não entendem o meu plano, eu mesma preciso fazer isso sozinha. Ah, e se quer saber o meu nome, pode me chamar de Alina.

- Uma andróide? - Norte perguntou.

- Eu sou uma Inteligência Artificial, pra falar a verdade. - Ela sorriu. - E eu estou aqui pra procurar, quero dizer, pegar alguns arquivos.

- Há! Vai tentar roubar da gente? Pode até tentar! - Norte pegou as suas espadas, e pulou para cima de Alina, que desviou rapidamente.

- Olha, eu queria é resolver tudo isso numa boa e sem matar nenhum de vocês. Mas como eu estou com o horário apertado, eu vou pegar esses arquivos a força!!!


Várias cópias suas apareceram quebrando a janela, e foram para cima dos Guardiões, que estavam se defendendo.

Enquanto as cópias robôs estavam distraindo-os, Alina aproveitou a distração para hackear o Globo, para pegar os arquivos e tudo o que ela precisava para o plano dela.

Mas os yetis chegaram armados com lanças, para ajudar os Guardiões. Alina percebeu que a janela dela estava se fechando.


- Devo dizer que foi bom enquanto durou. E eu achei divertida essa invasão, mas eu preciso ir agora! - Alina jogou as suas bombas de fumaça, e fugiu da oficina.

- Ela fugiu! - Tooth voou sobre o Salão, mas a inteligência artificial havia sumido.

- Mas o que aconteceu? E o que ela queria? - Coelhão perguntou, trazendo o seu bumerangue para a sua mão direita.


Norte estava em seu computador, e estavam dados sobre alguns jovens e outras criaturas que ele conhecia muito bem.



- Identidades confirmadas: Rapunzel Corona, Soluço Haddock III, Fúria da Noite, Elsa de Arendelle e Jack Frost. - Disse a voz do computador.


- Por quê ela quer os garotos? - Tooth perguntou.

- Por quê ela precisa deles. - Disse Norte, se virando para ela. - Para destruir a raça humana.



::

::

::


Enquanto isso, em Nova Berk...


Mérida tentava domar a Fúria da Noite que Soluço e Banguela encontraram recentemente, após a luta contra o Grimmel, e os seus dragões envenenados.

Apesar da ruiva ser bem confiante e destemida, ela precisava conquistar a confiança da Furia da Noite. E com ela, isso não seria fácil.


- Mérida, você vai assustar ela. 

- Relaxa, Soluço. Não é todo dia que eu vejo uma Fúria da Noite branca. - Disse a ruiva, tentando chegar perto dela. - Ainda por cima, não vai rolar nada demais.


Mérida chegou perto da Fúria da Luz, mas a fêmea se irritou, e foi para perto do Banguela.


- É, essa aí tem cara de que não quer me ver. - Disse Mérida.

- De fato, majestade. - Uma voz robótica apareceu, planando no ar. - Mas eu quero um vê-los. Especificamente, ele. - Alina apontou para Banguela, que já estava em alerta.

- Quem é você?! - Soluço ativou a sua espada de fogo.

- Eu? Eu não sou ninguém importante. Sou só alguém... - Ela criou uma lâmina com as mãos. - Que quer uma gotinha de sangue do seu dragão!


Ela foi pra cima do Banguela, mas o dragão a empurrou com a sua cauda. Mérida começou a atirar suas flechas, enquanto ela dava cobertura para Soluço chegar mais perto dela, e suas lâminas se encontraram.

- O que você quer de verdade?! - Soluço perguntou.

- Eu preciso do sangue de alfa do seu dragão. E eu vou te-lo de um jeito ou de outro!


Ela jogou Soluço contra uma árvore, enquanto ela aproveitou para chegar até o Banguela, arranhar a pele dele e guardar uma gota de sangue num frasco.


- Esqueceu que eu tô aqui? - Mérida atirou uma flecha no braço direito dela, enquanto ela tentava fugir. - Não vai fugir não!

- Não preciso fugir, princesa. Eu já consegui o que queria. - Ela saiu voando, mas a Fúria da Luz foi atrás dela. - Adeus, crianças. - Ela atirou uma bomba de fumaça, e fugiu da fêmea.

- Soluço, você tá bem? - Mérida ajudou Soluço a se levantar.

- Eu tô sim. Valeu, Meri. - Soluço guardou a sua espada. - Mas o que ela queria com o sangue do Banguela?


::

::

::


O jogo de xadrez estava funcionando, e Alina estava conseguindo derrubar alguns bispos. Ela agora, precisaria enfrentar algumas torres.


- Faltam apenas um fio de cabelo da Princesa de Corona e a imortalidade de um dos criocinéticos. E eu sei muito bem de quem eu vou arrancar!





Notas Finais


Espero que tenham gostado desse capítulo. Até mais 👋🍁❄💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...