História Jeon Jungkook- "SuperNatural" - Capítulo 61


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Got7
Visualizações 230
Palavras 1.335
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Magia, Mistério, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello meus amores, quanto tempo, não? Não né hehehe... Olha a hora que eu vim escrever esse capítulo, me dá uma dose de café para que eu fique acordada porque... Meu Deus!!😅😨😜

Captured: Capturada

Músicas:

1°BTS-(2!3!): https://youtu.be/dK8paV8ndEc
2°BTS-Interlude(Wings): https://youtu.be/QVIppYLBzek

Capítulo 61 - Captured


Fanfic / Fanfiction Jeon Jungkook- "SuperNatural" - Capítulo 61 - Captured

Por favor... Abre essa porta.__Minha mão machucada doe muito pela força que usei para acerta a mesma que está completamente intacta, escoro na porta me sentando no chão com minhas mãos em meus cabelos bagunçados.__Lobinha... 

_______________________________________

Jeon Jungkook P.O.V

Encosto minha cabeça na porta passando minhas mãos em minha testa e nos fios de cabelo que a cobre, estou assustado e com medo que algo aconteça a ,________, e que eu não cumpra o papel de guardião que me deram para que eu poça protegê-lá do mal que tem nesse mundo obscuro.

Apoio minha cabeça na porta e ouço os garotos conversarem no corredor, pelas vozes estarem emboladas e longe não ouço corretamente as mesmas. Me levanto segurando na maçaneta redonda e platinada a girando meu olhar na mesma, a porta se abre e ergo meu olhar para frente.

O cômodo está todo queimado os Hyungs todos lá dentro com expressões preocupadas, atravesso o corredor adentrando o quarto da Lobinha, olho para os lados a procura da mesma que não tem a sua presença, os olhares em minha direção espantados.

-Aonde está a Lobinha?__ Pergunto com o olhar preocupado olhando para cada um que se entre olham.__AONDE DIABOS ESTÁ A ,________,?__ Falo alto entre os dentes, não obtenho respostas.

Caminho de um lado para outro, entrando no closet da mesma e no banheiro que está nas mesmas condições do quarto e sem sinal da menor. Saiu do banheiro olhando para Jin Hyung que caminha em minha direção segurando em um dos meus ombros.

--Namjoon e eu achamos que a Calíça a levou.__O mais velho olha no fundo dos meus olhos e me desespero.

Tiro sua mão do meu ombro e caminho até a porta, passo a mão em meu cabelo o puxando para trás, me viro olhando para os mesmos que me olham preocupados.

-Por que motivos Calíça levaria ela?__Minha respiração ameniza mais ao sentir um cheiro adocicado conhecido por minhas narinas.__Ela ainda está perto...

Saiu do quarto correndo rápido pelo corredor, imagino os quadros nas paredes me olhando, mas nego com a cabeça tirando os pensamentos ruins, desço as escadas e respiro fundo tentando captar mais uma vez o cheiro da ,________, que parece se afastar cadê vez que a localizo.

--O que há Jungkook?__Lucca aparece ao meu lado me tirando o foco, olho para o mesmo e rosno.

-A ,_________, foi capturada e não consigo encontrar seu cheiro... Ela deve está longe o suficiente.__Sento no último degrau da escada e adentro meus dedos no meu cabelo negro os puxando forte.

--Ei, você irá se machucar desse jeito.__O mais velho segura minhas mãos afastando da minha cabeça, ouço os passos atrás de mim e ergo meu olhar para os vampiros e os Hyungs.

Me levanto em um pulo, subindo até ficar próximo deles, ergo uma das minhas sobrancelhas e seguro a jaqueta de couro que o Hoseok veste o puxando para cima fazendo o mais velho ficar nas postas dos pés.

-A culpa é sua, se não tivesse me trancando naquele maldito quarto não teriam levado a única herdeira do trono.__Levanto a outra mão para desferir socos na cara do que está em minha frente.

--Jeon Jungkook-ah, a culpa não é dele.__Jimin segura minha mão soltando o Hyung de cabelos alaranjados e espivitados de minha mão,o mesmo conserta seu casaco em seu corpo.

-Você está certo... A culpa é de todos vocês!__ volto a descer as escadas indo até as portas grandes da frente da mansão, antes de abri-lá fecho meus olhos e suspiro.__Vão me ajudar a procurar a Lobinha ou vai ficar me olhando sair da Mansão?

Após falar todos eles incluindo os vampiros e o Lucca vêm em minha direção, abro as portas e sinto o vento chocar contra meu corpo que se arrepia, saímos da velha mansão Wolf, Jin ao meu lado olha seu celular no GPS, reviro meus olhos pela demorar do que seja lá o que ele esteja fazendo.

--Hoseok tenta localizar as energias vitais da ,_________, e me dê as coordenadas.__Ele diz ao Hobi que faz um círculo com alguma símbolos em coreano mesmo.

Ele se senta dentro do círculo em posição de meditação, ele começa a assobiar alto junto ao vento que torna uma melodia, se eu estivesse calmo apreciaria, mas estou sem paciência para isso. Hoseok-ah se levanta e fica ao lado de Jin sussurrando algo em seu ouvido, o mais velho concorda começando a fiscalizar a tela do seu celular.

--Lucca você pode pegar o carro para mim, por favor?__ Pede ao mesmo que concorda com o acenar de cabeça e saí em direção a garagem.

Lucca volta em seguida com a limusine branca parando em nossa frente, Jin mostra o celular para ele que presta a atenção em suas falas. Entramos no carro comprido, junto aos vampiros que olham o interior da mesma que é bastante luxuosa.

-Aonde está a ,_________,?__Pergunto tirando minha atenção da janela.

________________________________________

,__________, P.O.V

Sinto como se meu corpo pegasse fogo e em seguida ser molhado por um balde de água fria me fazendo desperta. O local escuro com a luminosidade de uma pequena janela de vidro quebrado, escolho meus olhos tentando focar na imagem encolhida em um canto escuro do pequeno cômodo quadrado.

A imagem encolhida se vira para mim mostrando uma caricatura assustadora de uma mulher sem os olhos e a pele azulada, me mexo na tentativa de me afastar do corpo ou assombração que vêm até a mim, mas meus braços e pernas estão presos em correntes apertadas que machucam meus pulsos e meus tornozelos.

Ergo meu olhar para cima olhando para minhas mãos que se estrebucham no fecho da corrente que fere minha pele, volto a olhar para frente e dou um pulo para trás ao rosto da mulher está muito próximo ao meu, engulo em seco respirando descompassado pelo susto repentino que me causou.

-Q-quem é você?__Pergunto na tentativa de desviar meus olhos do seus que são negros como carvão.

--Não lembra da pessoa que te salvou?__Ela sorrir com sua voz trêmula que ecoa pelo local vazio.__Me chamo Calíça!!__Ela se ergue para frente e sua imagem aos poucos muda para uma bela mulher loira.

-Uma Veela!!__Falo ao lembrar da história em que meu pai contava das mulheres traiçoeiras que se transformava em Harpias ou fantasmas na busca de vingança.__O que você quer comigo?

Puxo meu rosto ao sentir suas garras arrastar por minha bochecha fazendo um corte ali, a mesma passa a língua negra em seu dedo que contém meu sangue, ele entre abre a boca soltando o ar acompanhado de um grito de prazer.

--Sangue Wolf Blair, nunca mudam sempre tão... Saborosos.__Ela gargalha alto segurando forte meu queixo passando sua longa língua pelo corte que a mesma fez.

-Sua vádia!!__Fecho meus olhos pelo ardo da língua áspera que passa por todo local do ferimentos que não para de sangrar.

--Essas palavras não me insutam criança.__Ela desfere um tapa em meu rosto fazendo o local arde mais do que antes.

Xingo palavrões em minha língua nativa (português) a fazendo rir, ela caminha até a janela se abaixando e mexendo nos caquitos de vidros espalhados pelo chão, pega um maior e mais pontudo girando seu corpo em seu calcanhar, seu sorrio psicopata me atormenta e me faz gritar pedindo socorro.

--Ninguém irá te ouvir... Estamos bem longe de qualquer local que tenha movimento.__Parada a minha frente ela passa a língua no vidro a cortando, segura em meu rosto e me beija transferindo seu sangue para mim, mexo meu rosto tentando afasta-lo.

Sinto o gosto de ferrujo em minha boca descendo por minha garganta como ácido, ela separa o beijo forçado lambendo a canto da minha boca, cuspo o resto do sangue no chão, me dá ancia e coloco força para que saia o sangue contaminado que eu acabara de ingerir.

-Mas que merda... O que você vez?__ Falo baixo sentindo minha cabeça tontear.

--Meu sangue irá te matar pouco a pouco.__Ela lambe seu próprio sangue que tem no vidro em suas mãos.

-Você não sabe, não é?__Ergo minha cabeça a olhando de cima a baixo.__Sangue de cobra para mim é como se fosse água.__Ela me olha seria e se afasta.

--S-seus...__Ela aponta para mim e olha para a pequena janela.__Temos compania...__Ela sorrir desaparecendo no meio da escuridão... 



Notas Finais


Vamos fazer uma vaquinha e matar a Calíça? Quem topa?😈😊


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...