História Jeon, o estranho que mora ao lado. - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, Got7
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Jikook, Namjin, Tae, Yoonseok
Visualizações 34
Palavras 2.407
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, LGBT, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi meus bolinhos lindos... essa é minha segunda fanfic, eu realmente espero que gostem. O primeiro capítulo é meio chatinho mas vai melhorando.
Vou deixar o link da primeira nas notas finais, espero que gostem.

Capítulo 1 - The guy with no family.


Capítulo um - The guy with no family.

Sou o Jimin, e tenho 18 anos. Moro em uma cidade pequena não muito conhecida e eu e os meus pais não temos uma vida tão estável, nossas condições financeiras não são tão boas, sem contar que sou o desgosto da família. Por mais que eu queira estudar e ser alguém um dia, com um emprego bom e tudo mais, eles não me vêem como motivo de orgulho, porque sou gay. Pra eles, tem que ser filho normal (na cabeça deles filho normal é hetéro), então o orgulho deles é só o meu irmão, Jaehyung. Meu irmão tem 21 anos e está estudando pra advocacia em uma faculdade em Seul, pretendo ir pra lá futuramente, mas nem adianta falar pra os meus pais, se dependesse deles, eu já teria saído daqui de casa a muito tempo. Bom, meu sonho não é exatamente esse, quero fazer isso para que se  orgulhem, mas não posso deixar de ser gay.

Não sou uma pessoa que tem muitos amigos. Aqui na minha cidade, só tenho dois amigos. Jung Hoseok e Min Yoongi. Ainda prefiro ter poucos amigos que sejam verdadeiros do que muitos e com pura falsidade.

Jung Hoseok é do tipo brincalhão, que faz de tudo pras pessoas soltarem gargalhadas. Já Yoongi, bom... como posso descrever Yoongi? Ele é do tipo que só de tocar nele ele já te dá uma bronca. Um dia eu acordei ele, e ele me mandou pra puta que pariu. Pois é... ele também ama ser irônico.

Quando souberam que eu teria de ir para Seul pra estudar, não gostaram da ideia. O pior, é que são meses mais novos que eu, então não poderam ir pra faculdade no mesmo tempo que eu. Ficaram abalados, não vou negar que eu também fiquei, mas oque eu poderia fazer? De qualquer forma, eu tenho que seguir minha vida.

Meu sonho é ser cantor e dançarino, mas o pior, é que eu quero dar orgulho aos meus pais de uma maneira ou de outra. Preciso estudar algo na faculdade, mesmo sem gostar. Eu pensei em ser engenheiro, mas eu me pergunto todos os dias se irá valer a pena seguir uma profissão que nem gosto só pra agradar meus pais que mesmo fazendo de tudo não gostam de mim.

- Jimin, pensa bem, você não pode jogar seu sonho no ralo desse jeito. Quer dizer... o nosso sonho. - diz Hoseok indignado e triste.

- Pois é. Você sabe que somos amigos a anos, e desde pequenos dizemos que iríamos morar em Seul e formar um grupo, mudou de ideia? - perguntou-me Yoongi, parecendo chateado.- Você disse que nos esperaria.

- Já conversei com vocês sobre isso antes. Vocês sabem que quero dar orgulho aos meus pais, podem simplesmente me apoiar? - digo encarando os dois. - Eu sei que sempre estiveram comigo, e que sempre que precisou me deram bronca, mas por favor... me apoiem mais uma vez, mesmo achando errado ou não.

- Yoongi? - Hoseok chamou encarando o mesmo.

- Hoseok? - Yoongi retribui o olhar fazendo uma careta de pensativo.

- Por favor... - digo.

- Tudo bem, nós iremos deixar passar. Mas não pare de falar com a gente - fala bagunçando meu cabelo. -, você sabe que o amamos, baixinho.

- Eu amo vocês. Agora vamos pra casa.

Estávamos em uma cafeteria. Mesmo a cidade sendo pequena, tinha muitas coisas. Era 23:32 da noite, ela sempre está aberta, mas então quando chego em casa, sou recebido com gritos de minha mãe.

- Onde você estava, Park Jimin?

- Eu só estava decidindo quando ir pra Seul, mamãe. - achei melhor falar a verdade sobre Seul.

- Que ideia tola é essa? - perguntou aumentando mais ainda seu tom de voz. - Você nunca será nada. 

- Eu só quero dar orgulho à vocês, e eu preciso de um futuro, meu irmão também estuda e vocês não reclamam.

- Você nunca será seu irmão!

- Oque está acontecendo aqui? - meu pai perguntou entrando na sala. - Assim vão acordar os vizinhos.

- Desculpe papai.

- Onde você estava?

- Ele estava vagabundando! - disse minha mãe muito chateada.

- Pai, eu só estava na cafeter... - sou interrompido por um tapa na cara.

- Além de ser uma decepção, acha que pode chegar tarde. Seu ingrato, deveria agradecer por ainda permitimos que more aqui.

- Saia daqui, agora! Não quero mais te ver aqui até minha raiva passar. - gritou minha mãe.

Sem hesitar, abri a porta e sai correndo. Será possível que é tão difícil assim me aceitar? Mesmo tentando ser motivo de orgulho eles sempre dizem que não presto pra nada. Oque eu fiz de tão errado?

Enquanto eu vagava pelas ruas, me dei conta que realmente estava tarde, precisava de um lugar para poder descansar e esfriar a cabeça. Então mandei mensagem para Hoseok.

Mensagem:

Hoseok Online ▫

Jm: J-hope, posso dormir na sua casa hoje?

Jh: Claro, mas oque aconteceu?

Jm: Falo quando chegar em sua casa, pode ser?

Jh: Ah céus! Pode vir.

Fim da mensagem.


Minutos depois...


- Foi realmente horrível Hoseok, nunca havia acontecido isso antes.

- Seus pais exageram demais heim, Jimin. Por uma parte, fez bem resolver ir estudar em Seul, mas espero que aguarde por mim e pelo Yoongizinho estressadinho. - disse rindo e apertando as próprias bochechas. - Quer tomar um banho? Eu te empresto algumas roupas.

- Ah... obrigado namdongsaeng, não sei oque seria de mim sem você.

Depois que eu estava no banheiro tomando banho e relaxando meus músculos, escutei Hoseok gritar "Hyung, suas roupas estão encima da cama", eu resolvi não responder, com certeza ele sabia que escutei. Foi bom eu ter tomado aquele banho, eu relaxei e me ajudou a pensar muito no que fazer daqui pra frente. Quanto mais cedo eu me mudasse melhor, e eu teria de voltar para pegar as minhas roupas. Pretendo ir amanhã, mesmo faltando uns dias para as aulas começar na faculdade. Eu já havia me matriculado a algum tempo, e já tinha arranjado o lugar onde eu ficaria, só que eu estava evitando ir tão rápido para ficar com os meus amigos, mas não tem jeito...

Quando sai do banheiro com a toalha na cintura, avistei a roupa que J-hope tinha deixado para mim na cama, me sinto tão agradecido por ter um irmão assim.

Quando me vesti e pentiei meu cabelo, desci para ver oque tinha pra comer, Hoseok morava sozinho mesmo tão novo.

- Oque tem para comer namdongsaeng?

- Kimbap, quer?

- Ah namdongsaeng... você sabe que eu amo.

- Sei, por isso eu fiz.

- Sabe Hoseok, acho que vou embora mais cedo.

- Sério? Não pode esperar mais um pouco?

- Não namdongsaeng... eu não posso. Estou pensando em pegar minhas roupas amanhã e logo após viajar, mas no outro dia claro. - olho para ele parecendo estar triste. - Vai me acompanhar? Eu sei que prometi ficar mais tempo, mas assim vai ser melhor para mim, você e o Yoongi de qualquer forma, porque quando vocês forem, talvez eu esteja mais estável pra sustentar a gente namdongsaeng... você me entende?

- Entendo hyung... eu vou te acompanhar. Não se preocupe. Amanhã falamos com Yoongi.

- Obrigado. - falo indo dar um abraço no mesmo.


Dia seguinte


- Annyeong, omma. - falei quando mamãe abriu a porta.

- Joh-eun achim, Jimin. - ela ainda parecia chateada, mas acho que estava arrependida pelo que aconteceu.

- Eu gostaria de me despedir, e vim pegar minhas coisas. É que, amanhã já estou indo para Seul morar em meu apartamento.

- Tá, tanto faz. - mesmo se arrependendo das coisas que faz, ela sempre mantém pose de durona. - Vai logo.

- Vamos Hoseok.

Depois que peguei tudo e que passaria pela porta, abracei minha mãe mesmo ela não retribuindo o abraço.

- Até logo, omma.

Ela não respondeu. Yoongi me deu vários cascudos por querer ir antes do tempo, mas eu não aguentava mais. Brincamos o dia todo, passeamos, brigamos, comemos, e quando nos demos conta, o dia já havia chegado. Nos despedimos, choramos, e só ficamos com a esperança de que um dia iríamos nos reencontrar de novo, e seria tudo melhor.

O apartamento era bem legal pra ser sincero, eu realmente gostei bastante. E quando eu cheguei já era à noite.

Tinha umas caixas que eu deveria abrir, mas não eram muitas, eu não tinha tanta coisa, e o apartamento já era montado. Eu estava tão exausto que deixei para fazer aquilo no outro dia. Deitei na cama, e tentei relaxar, não tinha forças nem para poder tomar banho, até que quando fecho os olhos, um maldito barulho veio do apartamento ao lado.

A música estava tão alta, que eu não conseguia dormir. "Oque diabos é isso?" Pensei. Então resolvi ir falar com a pessoa que morava ao lado.

Toquei na campainha e uma pessoa respondeu sem abrir a porta e sem eu conseguir ver seu rosto, mas era uma voz grossa e masculina.

- Oque é?

- Com licença senhor, mas não consigo dormir com essa música.

- E?

- E? Será possível que o senhor possa abaixa-la?

Ouvi a fechadura da porta fazer barulho, até que um cara de capuz aparece.

- Oque diabos é isso?

Ele estava com uma máscara, mas então à retirá. Era um homem bonito.

- Desculpe, vou abaixar. Meu nome é Jungkook.

"Ah Jungkook, por que você parece ser tão problemático?"

- Sou Park Jimin. Seu nome é só Jungkook?

- Jeon Jungkook.

- Certo senhor Jeon. É que eu me mudei hoje e estou muito cansado, seu som estav... - sou interrompido.

- Não precisa se explicar, já disse que baixarei. Boa noite. - então o mesmo fecha a porta na minha cara, literalmente. Canalha.

No outro dia quando eu estava arrumando as minhas coisas, recebi uma mensagem de hobi, e já eram 18:50 da noite, eu dormi muito, e quando acordei fiquei mexendo no celular deixando pra arrumar as coisas mais tarde, e aqui estou eu.

Mensagem:

Hoseok Online ▫

Jh: Oi meu docinho, saudades.

Solto uma risada pela forma que o mesmo falou e logo em seguida respondo:

Jm: Oi namdongsaeng. Como você está?

Jh: Estou bem hyung.

Jm: Eu também estou com saudades de você.

Em meio a conversa, vi um noticiário na televisão que havia tido um acidente. Um carro se chocou com um homem que estava de bicicleta, e por incrível que pareça, seu nome era Jeon Jungkook.

Jh: Eu sei hyung.

Jh: Que demora de responder...

Jh: Você está me ignorando?

Jh: Já está ficando diferente hyung... nem faz uma semana e já está assim.

"A vítima do acidente parece não ter família aqui em Seul, então vai ficar sozinho no hospital. Ele está inconsciente, mas seu estado não é grave." Apareceu o rosto de Jeon na tv, e oque mais me deixou triste foi ele não ter família aqui. Claro que eu não o conheço direito, mas eu achava errado deixá-lo sozinho, sem contar que ele é meu vizinho.

Jm: Desculpa namdongsaeng, estou ocupado. Eu vou ter que sair agora, mais tarde falo com você.

Hoseok Offline

Fim da mensagem.


Acho que Hoseok ficou chateado, até porque ele só visualizou e me deixou sozinho. Mas eu não me importei muito. Peguei uma roupa que havia achado em uma das caixas, tomei um banho rápido, e coloquei a localização do lugar em que Jeon estava no celular para ir até lá.

Quando eu cheguei estava realmente muito cheio, as condições do hospital não eram tão boas, até porque, era um hospital público, então todo mundo ia pra lá. Eu conversei com as enfermeiras, me informei onde era o quarto, e conversei com o médico que atendeu o senhor Jeon. Eu tive que mentir que era seu primo.

Enquanto esperava o mesmo acordar, cai no sono em uma cadeira que havia do lado de sua cama. Era desconfortável, mas era a única que tinha.


Jungkook


Eu acordei com dores em meu corpo, estava tomando soro, e eu uma cama de hospital. Era muito cheio por sinal. No mesmo quarto que eu, tinha várias pessoas em outras camas, o lugar era apertado mas deu muita gente. Me virei e vi na cadeira do lado de minha cama o meu vizinho que havia pedido para eu abaixar o som, oque ele está fazendo aqui?

- Ei. Esquisito. - digo o cutucando.

- Ah, annyeonghaseyo.

- Oque você está fazendo aqui?

- Bom... falaram que você não tinha parentes aqui em Seul, então eu disse que era seu primo e fiquei aqui com você. - mas... por que ele faria algo assim? Nem mesmo me conhece direito. - Algum problema com isso? - pergunta me tirando de meus pensamentos.

- Estou bem. Realmente não precisava disso. - digo tentando me levantar, eu realmente estava bem. Mas minha tentativa falhou.

- Annyeonghaseyo. - diz o médico olhando para a ficha enquanto estava entrando no quarto. - Opá, oque está fazendo?

- Eu quero ir embora.

- Não pode, já conversei com seu primo e terá que passar dois dias em observação mesmo que não tenha sido grave. - só era oque me faltava. - E ainda terá que ficar de observação em casa quando ter alta. Ele disse que cuidará de você. - logo o esquisito?

- Certo. - digo bufando.

Depois que passou dois dias e eu tive alta, eu continuei em minha casa, mas Jimin tinha que me visitar o tempo todo.

- Trouxe seu jantar. - disse abrindo a porta e vindo em direção à mim.

- Gomawo.

- Como está se sentindo?

- Eu estou bem. - digo agradecendo novamente e começando a comer.

- Eu sei que não nos conhecemos direito, mas achei melhor ter ido ficar com você lá. - oque? - É ruim ficar sozinho.

- Já passou por isso?

- Eu sempre fui sozinho, nunca tive ajuda. Só a de meus amigos. Vim para Seul na intenção de estudar e deixar meus pais orgulhosos. - o mesmo olha para mim me deixando mais curioso sobre sua história. - Não sei se você é homofóbico ou algo do tipo, mas sempre tiveram desgosto e raiva por eu ser gay. - aquilo me fez engasgar, eu não esperava. - Oque foi? Desculpa... falei algo errado?

- Não, não vejo problema nisso.

- Não é que eu esteja dando encima de você. De maneira alguma. - disse.

- Não se preocupe.

- Você é hetéro?

- Eu nunca pensei nisso, mas acho que sim. Minha última namorada foi Rosé, mas do nada ela começou a namorar uma tal de Lisa.

- Ela deve ser bissexual.

- É... deve ser.

- Quais seus sonhos? - perguntou. Que curiosidade é essa? Não estou chateado por isso,  deve ser só tédio, sem contar que está cuidando de mim, mas não gosto de perguntas.

- Eu quero ser cantor. Formar um grupo, dançar, cantar, ser famoso... - o mesmo parou de pôr comida na boca, e pareceu se assustar. - E os seus?

"Ora, ora Jimin... por que sua reação foi está?"

Notas Finais


Espero que tenham gostado, meus bolinhos.


{VAI TER LEMON SIM!}
Mas comentem meus nenês, assim eu saberei se continuo ou não, e se vou chegar até o lemon.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...