História Jeon's Caffer - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Personagens Originais
Tags Artes, Bangtan Boys (BTS), Café, Jeongguk, Lemon, Taehyung, Taekook, Vkook, Yaoi
Visualizações 16
Palavras 4.369
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


*Contem uma breve cena de abuso psicológico, se isso servi como gatilho para você, pule essa parte que estará em itálico.*

Capítulo 1 - Capitulo um


Fanfic / Fanfiction Jeon's Caffer - Capítulo 1 - Capitulo um

Coloco os grão de café no moedor de grãos, para fazer um café e um capucino forte e outro mais fraco, assim como constava no papel que SeokJin me entregou. Ser dono de uma cafeteria era um trabalho muito difícil, porém, tendo SeokJin, Mina como atendentes e Bogun como gerenciador, tudo ficava mais fácil, não tão fácil como eu gostaria por conta de questões burocráticas e algumas coisas que quebram as vezes, mais bem menos difícil do que o normal.

Difícil mesmo era ser chefe aos 24 anos, tento três funcionários dois anos mais velho que você. As vezes eu era tratado como uma criança e isso tirava toda a minha moral, difícil mesmo era ter eles como melhores amigos de infância - tirando Mina, que eu conhece apenas a um ano - e não ficar com raiva verdadeiramente por não ser levado a tão serio.

Assim que o café fica pronto, coloco o liquido amargo e marrom na xícara e logo levo ate o balcão, onde eu pego o creme e vou despejando no café e fazendo uma figura de uma folha. Era a minha especialidade, fazer desenhos nos cafés dos clientes. Entrego para SeokJin que vai ate a mesa do cliente e entrega o pedido com uma fatia de bolo feito por Hoseok.

Hoseok era novo aqui, fazia um pouco mais de um mês que tinha entrado e já ganhou o coração de todos com sua comida deliciosa. As massas de bolo era tão veludos e os recheios que derretiam em sua linguá e fazia você revirar os olhos de tão gostoso. Seus croissant eram crocantes por fora e macios por dentro. Hoseok era um verdadeira cozinheiro, por mas que ele tenha aprendido tudo no famoso YouTube e descoberto o seu dom. Ainda tinha Minho, que é o meu caixa, um ótimo funcionário e um paquera muito grande de Mina, que não escondia de ninguém que queria pegar ele, mas acho que ele não é tão afim, pois eles brincam com isso, mas nunca foi além do que apenas brincadeiras e isso deixa a coitada um pouco decepcionada. 

Quando eu fiz o vigésimo café do dia, vejo a pessoa que mais estava esperando passar pela porta de entrada. Ele era lindo. Seus cabelos castanhos compridos, seu terno marrom claro, quase como se fosse café com leite, que caia perfeitamente em seu corpo e o modelava. Seus ombros largos... Ele era todo lindo, cada parte, por mas que eu não tenha o visto extremamente de perto, mas ele ali, sempre concentrado em seu livro, parando apenas para tomar seu café, era tudo para mim. Ele é jornalista... Talvez eu tenha pesquisado sobre ele na internet, depois que SeokJin conseguiu o nome dele.

- Ele esta aqui. - Jin se encosta no balcão e me olhou com um sorriso de lado. - E hoje não foi com um livro, será que hoje você consegue a atenção dele?

- Impossível, ele nunca olharia para mim, Taehyung esta em um nível mais alto do que eu, nunca olharia para mim, além do mais, ele nem sabe que existo. - Ele da um sorriso triste e balança a cabeça negativamente. Meu último relacionamento foi bastante turbulento, sobre muito abuso verbal. Era um namoro totalmente abusivo, isso fez com que eu não tivesse mais confiança em mim mesmo e SeokJin ficava triste.

 

Naquele dia, peguei Yug transando com outro nossa cama, eles gemiam tão alto que era impossível não escutar do lado de fora da casa. Fiquei ali parado vendo tudo, até que ele percebesse que eu estava olhando toda a cena de um ato que ate agora, só a gente fazia. Ele mandou o garoto embora e começou ajeitar suas coisas com raiva. Eu estava desesperado com medo dele ir embora e me deixar. Eu perdoava ele, eu o amo tanto...

- Yug, por favor! - Eu começava a chorar implorando para que ele ficasse em casa.

- Por favor, o caralho, Jeongguk, você não merece um pingo do meu amor, olha o que você me fez fazer, eu te trai por sua culpa, você não é mais interessante, você não se cuida mais, você não é mais nada! Ninguém vai te querer seu merdinha. Eu vou embora e você vai ficar ai, sozinho e sem amor. - Pegou suas malas e me deixou ali, totalmente sem reação e me tremendo de tanto chorar.

Liguei para SeokJin que veio as presas para a minha casa. Ele ficou ali, a tarde inteira comigo me dando carinho e cuidando de mim. Jin, era meu melhor amigo e só ele sabia como meu coração estava.

- Gguk, não fique assim, por favor. Ele nunca te mereceu, você sabe disso. - Eu soluçava ainda mais em suas pernas.

- Ele disse que me traiu e foi por minha culpa, porque eu não sou mais interessante. - O olho com os meus olhos inchados.

- Logico que não! Ele é um louco, você é lindo e é o cara que todos queriam ter na vida, nunca escute o que esse homem, se é que eu posso chama-lo assim. Você é incrível, meu amor, incrível, incrível...

E assim se passou os dias, eu chorando e SeokJin cuidando de mim, passei a ir a psicólogos e me tratando de tal relacionamento que tive. A dor parecia diminuir com o tempo, mas as marcas estavam ali ainda, a ferida ainda sangrava não porque eu ainda o amava, mas por todo estrago que ele fez em minha vida.

 

Fico triste em pensar nesse passado horrível que tive. Tirei ele de tudo na minha vida e ate me mudei para ele não ir atrás de mim. Prefiro olhar agora para aquele homem maravilhoso que esta ali sentado, ele deve ser tão doce, tão sereno em tudo o que fazia, como podia existir algo tão lindo quanto esse homem na mesa do meu café? Sem duvida nenhuma, não existe homem mais lindo.

Eu o vejo olhando para cá e logo desvio o olhar dele para o balcão, totalmente envergonhado por encarar ele desse jeito, parecia um maníaco pronto para atacar. As vezes eu o encarava tão descaradamente e por tanto tempo, que era impossível não senti o meu olhar sobre, eu praticamente despia ele com o meu olhar e como eu queria ver ele sem nenhuma pesa de roupa, mas por Deus, Jeon Jeongguk!, penso comigo mesmo.

- Ok, mas se prepara. - Eu o olhei confuso. - Ele esta vindo para cá. - Passo a olhar para o castanho que andava lentamente ate a mim. Meu coração disparou e eu só queria que fosse um infarto e não o cara que eu tenho uma queda se aproximando de mim, ou podia ser os dois, assim eu escutava a sua voz e morria feliz.

- Olá, posso sentar aqui? - Ele pergunta e SeokJin logo sai me deixando sozinho com ele.

- Lógico, esses bancos foram feitos para vocês se sentarem também. - Tento colocar o melhor sorriso que consigo na cara e disfarçar o meu nervosismo.

- Ótimo então. Eu faço o meu pedido com você ou para o outro cara? - Sua voz era tão linda, parecia um anjo falando. Será que os anjos do céu atendia quando ele falava? Anjos podiam se escutar, não?

- É... Pode pedi comigo também, eu atendo os balcões. - Dou uma pequena gaguejada e me xingo mentalmente e ele da um sorriso. Lindo.

- Então eu quero um capucino e um pão com geleia de morango, por favor. - Anoto em um papel e saio de perto dele para da o pedido para Hoseok e logo vou para a minha máquina, colocando os grãos de café ali para fazer seu capucino.

Ter que encarar ele é como se eu estivesse vendo uma pintura renascentista ou algo do tipo ou ate uma pintura barroca, cheio de detalhes e sem defeitos nenhum. Assim que fica pronto, coloco em uma xícara e vou ate ele, pegando o creme e despejando dentro lentamente e pego um pauzinho de ferro que carrego para fazer uma figura de uma raposa para ele.

- Uau! Você desenha muito bem. - Eu sorriu tímido para ele e o mesmo da um meio sorriso. Pgo o seu pedido com o Hoseok e ate ele novamente e entrego. Agradeço e saio de perto para atender outro clientes que tinha ali e os diversos pedidos que SeokJin me dava.

Meu coração parecia que estava em uma festa, totalmente elétrico aqui dentro da minha caixa torácica, pois não parava quieto um só momento de tão nervoso. De vez enquanto eu o olhava para ver se ele realmente estava ali e as vezes o meu olhar encontrava com o dele, me deixando vermelho. Quando eu estava perto o suficiente dele, vi ele folheando algum folheto que tinha um quadro que eu já tinha visto, porém, não sabia de quem era.

- Posso perguntar de quem é esse quadro? - Pergunto sem olhar para ele e dando atenção ao copo que eu enxugava com um paninho.

- Esse é do Botticelli, um dos melhores pintores do século e o meu pintor favorito, modéstia parte e esse quadro é o Nascimento de Vênus, um dos meus quadros favoritos também. - Ele diz com tanta empolgação que fico triste por fazer uma cara de confusão.

- Eu nunca ouvi falar dele, desculpa, mas já vi esse quadro muitas vezes em estampas de roupas. - Eu abaixo meu rosto para olhar o copo e depois para o seu, onde seus olhos pareciam que iam saltar do seu osso nasal, o que me deixou com vontade de rir.

- Como assim você nunca ouviu? Ele é maravilhoso! O Botticelli pintava um expressionismo sem saber, ele já colocava nas pinturas dele essa expressão ai no rosto da galera, que parece tá mais voltado pras questões internas que preocupado com o mundo aqui fora. - Ele deu um sorriso divertido e eu o acompanhei. - Esse quadro é um dos meus favoritos, ele usava a Simonetta que era musa do renascimento como molde pra Afrodite e Vênus. E na época, ela foi a primeira pintura renascentista com uma representação mitológica. A galera deu uma pirada nele. - Mais uma pausa para rimos juntos. - Ele era muito esse cara que pintava expressões reflexiva, emoções em pinturas. Tipo um pré-percurso do expressionismo sem saber. Fez parte do comitê florentino que julgou o David de Michelangelo e ajudou a decidir onde ele ia ficar indo contra Leonardo da Vinci. Foi discípulo de Savonarola, que fez uma revolução em Florença e implantou essa era dark, por isso as pinturas dele mudam nesse período. Ele entra em conflito com a religião, juntamente com o Michelangelo. É basicamente isso. - Ele deu um suspiro e eu sorrir. Ele era realmente encantador. - Como é o seu nome? - Ele me pega de surpresa pela pergunta.

- Jeongguk, Jeon Jeongguk. - Falo um pouco tímido pelo cara que eu tenho uma queda extremamente alta me perguntar tal coisa. 

- Um nome muito bonito. O meu é Kim Taehyung, prazer. - Ele estica a mão para mim e eu a pego. - Próxima semana eu vou para a Itália, ver alguns quadros dele e publicar no jornal. Eu sou jornalista da coluna de artes. - Eu faço uma cara de surpresa, só para disfarçar que eu não sou um louco por ele e já não pesquisei sua vida inteira na internet. 

- Serio? Eu tenho um jornalista em meu café então? Que honra. - Eu sorriu e ele  logo me acompanha, bebericando do seu cappuccino. 

- Espera, você é dono desse café? - Ele pergunta um tanto surpreso e eu apenas sorriu tímido. Balanço minha cabeça positivamente. - Nossa! Você parece jovem para ser dono daqui. - Todos sempre diziam isso. Okay que eu realmente pareço jovens para ser dono de um café tão bem fraquentado. - Ele é incrível. Tem lugar para ler la em cima, que é bastante silencioso e aconchegante, assim como todo o local, você pensou em tudo não foi mesmo?

- Para falar a verdade, esse café era do meu avô, eu amava tudo isso quando mais novo e quando ele morreu, deixou tudo para mim e sempre foi o meu sonho ter ele, então, eu só mantenho o legado dele. - Ele coloca a mão no queixo e olha fixo para mim. - O que foi? - Pergunto confuso para o olhar tão penetrante dele para mim.

- Você é encantador. - Arregalo os meus olhos e fico totalmente sem jeito e provavelmente meu rosto estava vermelho de vergonha. Ele da um sorriso e termina o seu cappuccino, me entregando logo em seguida. - Eu preciso ir, tenho que ir trabalhar. Foi um prazer, Jeongguk. Espero conversar mais vezes com você quando eu vinhe. - Eu afirmo com a cabeça.

- Pode deixar, eu sempre estarei aqui para isso. - Ele sorrir e me da tchau, sumindo assim que sai pela porta da entrada. Coloco a mão no meu peito, sentindo ele tão rápido que parece que eu corri uma maratona. 

- Espero que esse sorriso bobo ai seja porque ele pediu o seu numero. - SeokJin se encosta no balcão, me entregando um papel com um pedido.

- Não, a gente só conversou mesmo, mais foi tão maravilhoso. Ele disse que  eu sou encantador, SeokJin! Você tem ideia disso? Por Deus! Eu acho que vou ter um ataque cardíaco só por isso. - Ele gargalha alto em me ouvir dizer tudo aquilo.

- Você é um tolo apaixonado, Jeon. Agora acorde para a vida, que tem muitos clientes querendo o seu café. - Faço um bico, mas logo sorrio novamente como um bobo. 

Volto a fazer os cafés que os clientes queriam, mas em nenhum momento o sorriso bobo abandonou meu rosto. Não era como se agora nós dois iriamos ser melhores amigos e depois namorados ou algo do tipo, mas pelo menos, se ele quisesse falar comigo, já seria um avanço enorme. Mas ele realmente é lindo, muito mais lindo de perto. Tinha uma pintinha charmosa em seu nariz e sua pele parecia ter sido beijada pelo por de um sol. 

Assim que da 21hr, espero todos os funcionários saírem para que eu pudesse fechar o estabelecimento. Tranco as portas e fecho as grades, pois as portas eram de vidro e facilmente podiam ser quebradas. Vou ate o meu carro que deixo do outro lado da rua e entro nele. Com o dinheiro que ganho, eu conseguir ter meu próprio apartamento e meu carro seminovo, um Santa Fe, que economizei por quatro anos para te-lo. 

Dou partida e vou para minha casa. O transito não estava tão ruim, pois não era um horário de pico, mas também, as ruas não estavam desertas para que eu pudesse chegar rápido em casa, pelo menos, durou 30 minutos para chegar. Entro e vou para o meu quarto, tirando minha roupa e vou ate a cozinha colocando água no fogo para fazer um miojo. Eu podia ser um dono de um café, mas estava morto e não estava muito no clima de fazer um jantar descente. 

Tomo um banho bem demorado tentando não gastar muita água, pois eu era uma pessoa bem consciente com a crise de água no mundo e se eu pudesse ajudar, eu iria de qualquer jeito, então passei mais tempo me depilando e passando sabonete no corpo do que realmente sentindo a água em meu corpo. Assim que termino, vejo que minha água quase evaporou pois coloquei pouca água e ainda demorei. Encho o copo de miojo e espero os famosos 5 minutos. 

Vou para o sofá e ligo o meu notebook e vou ver a coluna de arte de hoje. Aqui diz que o Taehyung iria viajar para ver os famosos quadros que estavam sendo exibida de Botticelli e volto a lembrar de nós dois conversando e quando ele disse que sou encantador.

- Fala serio, como eu posso ser encantador enquanto você existe no mundo? - Falo sozinho. As vezes eu queria ter um animalzinho para não me sentir sozinho e mimar muito ou ter um Taehyung comigo já seria ótimo.

SeokJin e eu podíamos ser melhores amigos, mas quase nunca saíamos juntos, simplesmente por eu não gostar de festas e beber até não aguentar mais e Jin, era desse tipo, que amava se divertir ao máximo, vivendo a cada segundo. O meu divertimento mesmo era ficar em casa, comer qualquer porcaria que estivesse ao meu alcance e assistir qualquer série ou filme até pegar no sono e amanhecer para ir trabalhar.

Guardo meu notebook e jogo a embalagem de miojo no lixo, vou para a minha cama, pois hoje eu estava mais cansado do que nunca estive antes e feliz também, pois pude falar com Kim Taehyung, o homem pela qual tenho uma queda tão absurda que pelo amor.

 

                                                                                {**}

 

O dia se passa tranquilamente, muitos vem a cafeteria para conversar, passa um tempo, ter encontros e alguns por conta da biblioteca no piso em cima, vem para estudar para seus cursos, já que o café fica perto de algumas escolas e uma faculdade de psicologia e historia. Me lembro que Taehyung não vem essa semana e na próxima por conta de exposição na Itália. Sinto que meu coração vai explodi de saudade, por mas que o nosso primeiro contato foi ontem, sinto que meu coração não vai aguentar de tanta saudade.

- Você como chefe, deveria trabalhar mais e divagar menos. - Jin taca um bano em mim e eu acordo dos meus devaneios, como ele fala.

- Desculpa, não consigo para de pensar em ontem, sinto que vou explodir de tanta felicidade  e saudade do minimo contato que tive com ele. Essa noite eu sonhei com ele, que a gente dançava uma valsa, em um lugar cheio de velas espalhadas, iluminando todo o local e deixando ainda mais romântico. Ah, Jin, estou tão apaixonado por quele homem e ele nem sabe disso. - Jin revira os olhos e fico emburrado por sua falta de delicadeza com tais pensamentos meus.

- Vocês nem se conhecem direito, deixe para se apaixonar depois do primeiro encontro ou depois do primeiro beijo. - Suspiro pesadamente.

- Nem sei se terá um primeiro encontro, imagina um primeiro beijo, ele só deve ter se simpatizado por eu ser o dono, nada mais. - Me viro para a maquina de moer o café e volto a fazer o meu trabalho, pelo menos eu sei que os desenhos nos cafés me ama e eu os amo igualmente. 

Eu amava o meu trabalho, eu simplesmente sonhei minha vida inteira em trabalhar aqui, diferente de Junghyun, que tem uma agencia de modelos e é super famoso por tal coisa, eu sempre quis ser barista. Mamãe e papai, sempre me apoiaram, assim como apoiaram Jung.

Jung é um ótimo irmão, sempre fez muitas propagandas do meu café e ate mesmo me incentivava a fazer algumas propagandas para ele. Fiz, umas duas para ele, mas fico muito sem jeito com alguém tendo que tirar diversas fotos minhas, mas nada como ajudar o seu irmão mais velho.

Dias se passam desde o dia que vi e conversei com Taehyung, ele deveria ter voltado a mais de três dias, já que eu acompanhei tudo pelo site do jornal. Mas ainda não o vi, de jeito nenhum, acho que ele deve esta muito ocupado ou simplesmente cansou de vir no meu café e aquele dia foi uma despedida a ele.

Hoje o movimento estava um absurdo e eu nem estava entendo o por que disso. Parecia que estava tendo um evento na faculdade e todos resolveram vir tomar café aqui, isso era ótimo para mim, mas estava um loucura.

- Esta uma loucura, minha nossa! Hoseok, você já fez o pedido da mesa 15? - Jin grita.

- Estou finalizando, se acalma. - Hoseok grita de volta. O barulho estava tão alto que era bem capaz deles gritarem mais alto e ninguém escutar de fato.

- Jeon, você fez o pedido da mesa 26? - Ele olha para mim pegando algumas xícaras de algumas mesas já pronta. 

- Estou esperando minha bebê aqui termina. - Aviso.

- Ótimo, porque a mesa 26 é do Taehyung. - Gelo na mesma hora. Procuro pela mesa 26 que esta perto da escada que da aceso a biblioteca e la vejo ele, dessa vez ele esta ainda mais lindo, seus cabelos estão loiros como o sol. Suspiro. - Sim, sim, ele esta lindo de cabelo descolorido, agora acelera logo isso que você tem mais clientes.

Balanço a cabeça positivamente e tento não focar no loiro, mas é quase impossível, mas vejo que ele não esta sozinho, ele esta com outro homem, esse com um cabelo preto e moreno, quase igual a ele. Sera que são namorados? Eu dei em cima de uma pessoa compromissada?

Logo fico triste por pensar que poderia ter algo com ele, quando ele já possuía um belo namorado. O que eu estava pensando? Que Kim Taehyung, o homem mais lindo do meio jornalistico iria me querer? Eu nem mesmo sei nada sobre artes de pintores, apenas sobre a Monalisa do Leonardo e sobre o Van Gogh, mas pouquíssimo.

Volto ao meu trabalho e com o passar das horas, o local vai ficando menos agitado. Eu quase fico maluco com tantos pedidos de uma vez, imagina Hoseok que estava cozinhando. Quando tudo ficou mais tranquilo, me sentei em um banquinho e coloquei minha cabeça no balcão, estava começando a ficar com dor de cabeça, estava cansado, mas pelo menos o dinheiro foi mais do que eu poderia esperar.

- Hoje estava bem agitado. - Me levanto de repente pelo susto que tomei com aquela voz tão perto de mim. - Me perdoe, não queria te assustar. - Ele da um sorriso pela cara de assustado que eu devo esta fazendo.

- Tu-tudo bem. Você vai querer alguma coisa? - Tento agir o mais natural possível, mas é Kim Taehyung na minha frente. Seus cabelos loiros e sua roupa rosa que estava o deixando ainda mais gostoso. Pelo amor, eu pensei que ele não podia ficar ainda mais lindo e ele vem assim e me mostra que estou totalmente errado.

- Sim eu quero, quero sair com você. - Eu passo um tempo processando o que ele me disse, mas assim que cai minha fixa, eu arregalo os olhos e quase caio tentando sair corretamente do banco.

- O que? - Quase grito a pergunta, o que faz ele sorrir mais.

- Quero sair para jantar com você, que tal? - Ele faz a pergunta novamente, mas eu preciso que ele repita pelo menos mais 3 vezes para que eu entenda de verdade o seu convite.

- Mas e o seu namorado? - Aponto em direção ao o homem que estava sentado com ele e o vejo conversar com Jin, que parece esta se atirando para cima do homem. Franzo a senho. Taehyung sorrir abertamente e eu o olho confuso.

- Ele não é meu namorado, é o meu irmão mais velho, Kim NamJoon, ele veio conhecer o seu café, porque eu vivo falando dele. - Então eu olho novamente para o homem e para Taehyung, e vejo a semelhança entre eles. Como fui burro.

- Então... Você fica indicando o meu café por ai? - Eu sorrio para ele e ele retribui. 

- Sim, mas falo mais sobre você para as pessoas, o quanto que o dono é muito lindo e que eu quero muito sair com ele. - Fico vermelho com esse comentário e sorrio tímido.

- Eu aceito, mas jantar não, você esta indo muito rápido, já quer me levar para sua cama assim tão rápido? - Dessa vez, ele que arregala os olhos.

- Não, não é isso, não entenda mal. - Ele gagueja quando fala e eu acabo rindo com isso.

- Tudo bem, tudo bem, eu só estava brincando. - Ele suspira aliviado. - Eu aceito almoçar com você, aqui em frente tem um restaurante muito bom, meu horário de almoço é 12hr, que tal? 

- Ótimo então, que tal amanhã? - Eu concordo e sorrio tímido. - Ótimo. Vai ser ótimo almoçar com um garoto tão lindo quanto você, Jeon. Até mais. - Ele sai de perto do balcão e vai ate o seu irmão e ambos saem juntos, mas antes, ele acena para mim e eu retribuo. 

Meus Deus! Ele realmente me chamou para almoçarmos juntos? Isso não é nenhum sonho? Meu sorriso é tão grande que parece totalmente o Coringa e sua boca rangada. Meu sorriso estava de uma ponta a outra do meu rosto.

- Esse sorriso todo é o que? - Eu olho para Seok, que esta encostado no balcão com um sorrisinho para mim.

- Ele me chamou para almoçar comigo... Bem, ele me chamou para jantar, mas eu acabei brincando com ele que estava indo rápido demais e que já queria me levar para cama. Ele ficou super vermelho e eu disse que podiamos almoçarmos juntos amanhã aqui em frente. Vai ser ótimo. Vou falar com Yoongi para separar a melhor mesa do restaurante dele. Eu to tão feliz, Jin! Ele realmente me convidou para sair! - Eu estava quase gritando de felicidade e Jin estava com enorme sorriso no rosto também. - E você? O que o irmão dele queria com você, que você estava todo atirado? - Ele da mais um sorriso.

- Ele me convidou para sair também e pediu o meu numero. É assim que os adultos fazem, bebê, não ficam enrolando não, vamos direto ao ponto. E bem que você queria que ele te levasse para a cama e transassem loucamente. - Ele da uma gargalhada e eu fico vermelho.

- Querer, eu quero, mas não agora, eu gosto que as coisas vão acontecendo com o tempo, depois do Yug, eu prefiro conhecer. - Ele faz uma cara desgostosa e sai para atender novos clientes.

Meu coração não para de bater forte pelo descolorido, eu realmente iria sair com ele e nem era um sonho, era tudo verdade, eu não podia esta mais feliz do que isso.

 


Notas Finais


Então, essa fanfic é muito amor da minha vida, eu amo demais ela, super fofa e fiquem tranquilos que não vai terminar que nem a outra, isso eu posso garantir.

Queria agradecer a Dela, que me ajudou sobre o Botticelli, que eu não sabia quem era, mas já vi os quadros dele. Muito obrigada, Dela, vc é muito especial para e mim e espero que continue me ajudando sobre outros artistas. E fica bem, pelo amor!

É isso gente, espero de coração que vocês gostem, comentem muito, digam o que acharam, se não gostaram de alguma cena, sei que é bem chato a parte do JK com o ex, mas é fundamental para vocês saberem mais la para frente.

JK vai ser bottom sim, pq eu amo ele bottom, vocês que lutem, não pretendo fazer flex.

É isso apenas. Obrigada a todos e POR FAVOR, COMENTEM E FAVORITEM É MUITO IMPORTANTE ISSO.
Obrigadaaaa


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...