História Jikook - Ballet - Capítulo 34


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Park Jimin (Jimin)
Tags Bts, Dance, Hentai, Jeonjungkook, Jikook, Jimin, Jungkook, Lemon, Parkjimin, Yaoi
Visualizações 308
Palavras 1.334
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu viajei! E acabei me desligando da internet. Eu sei que parece falta de caráter e compromisso meu, sumir assim e tal, mas é que na sexta pra segunda é difícil eu estar com redes sociais. Eu meio q tenho essa coisa de me conectar com a natureza e tal... Então sorry bae~

Capítulo 34 - Capítulo 33


— PORRA, JUNGKOOK, ACHEI QUE VOCÊ ME CONSIDERASSE SEU IRMÃO. COMO NÃO ME CONTA UMA COISA DESSAS? - Namjoon gritava enquanto andava de um lado para o outro, muito irritado com a falta de consideração do homem sentado à sua frente. Ambos gritavam à mais de duas horas dentro do escritório da casa de Jungkook.  

— Eu sei, me desculpe. Eu deveria ter lhe contado. Achei que nunca mais à veria, entenda Namjoon. Eu queria me livrar daquela parte da minha vida... seria mais fácil fazer com que todos, inclusive eu, acreditassem que ela estava morta ou tivesse sumido do mapa! - Jungkook olhou para os papéis em cima da mesa, realmente envergonhado com o olhar julgador do amigo

— sabe que isso foi perigoso, certo? Porra, Jungkook.. ela está viva, ela é maluca e vai voltar para Seul para brigar na justiça pela sua filha. PELA FILHA QUE ELA MACHUCOU! Você... você não pode deixar que isso aconteça.. No-nós não podemos permitir... - Namjoon diz com a voz embargada e os olhos queimando, enquanto se senta na poltrona e passa as mãos no rosto, em frustração. Jungkook está confuso, chocado, sua expressão de espanto é nítida.

— você fez merda. Mas está me contando agora. E isso é pessoal, eu entendo seu lado, eu entendo sua intenção.  Só.. não me esconda mais nada. Estamos juntos nessa. Jungwa é como minha filha também. E eu me apeguei à aquele Jungkook menor em versão feminina... - ele diz rindo e fazendo o mais novo sorrir. 

Jungkook levanta de sua cadeira e vai em direção ao irmão, dando um abraço apertado no maior, sentindo as costas serem afagadas por aquele à quem daria a vida em forma de agradecimento. 

— Eu te amo, Hyung! Você é o único que posso realmente contar agora.. eu estou perdido.. 

— Ei, você não está. Não fala isso. Olha tudo que construiu, tudo que fez.. Você até teve audácia de internar uma psicopata na sua própria casa em busca de ajudá-la, mesmo sabendo dos riscos. Agora, vamos falar com os advogados e resolver essa bagunça toda. Vamos juntos, provar pra todos que Jun é sua e que ninguém melhor do que você pode cuidar dela. Eu te amo, e estou aqui para o que der e vier. Então, engole o choro moleque! - Namjoon diz rindo e bagunçando os cabelos do mais novo, o fazendo rir. 

Ambos ouvem uma batida leve na porta e olham em direção à mesma, vendo um corpo magro e alto entrar na sala.

— Jimin pediu para ver como vocês estavam. Os gritos pararam do nada, achamos que tinham se matado... - Jin diz baixinho fazendo ambos se olharem e rirem

— estou indo vê-lo, obrigado, Seokjin... - Jungkook diz se aproximando da porta. 

— Já disse para me chamar de Jin ou Hyung.. somos amigos agora.. - ele diz envergonhado e Jungkook sorri, sincero, lhe dando um pequeno aceno de cabeça e sorrindo para Namjoon, que estava aparentemente desconfortável com a situação. 

Jungkook foi em direção à sala, em busca das duas pessoas que mais ama e confia nesse mundo todo. 

Chegando lá, viu a cena mais linda que poderia presenciar em um momento crítico como esse. Jimin estava sentado no sofá e balançava o corpo sonolento de Jungwa no colo, enquanto cantava uma música de ninar, com sua voz doce e melodiosa. Jungkook sentia o coração doer. A respiração pesar. Ele se perguntava, onde estaria Jimin esse tempo todo. Ele desejava criar a filha ao lado de alguém como ele. Ele queria idealizar a família perfeita e ele via a pessoa perfeita para isso naquele homem doce com sua filha no colo. Ele sabia que não seria fácil. Conhecia a ex esposa. Sabia que ela sempre foi contra gays ou assuntos relacionados à esse tipo de assunto. Ela era preconceituosa, e não sabia que o próprio marido também se interessava por homens, e ele sabe que seria um inferno se ela descobrisse que ele iria criar a filha ao lado de alguém do mesmo sexo. Ela surtaria.. bem mais, se isso for possível. 

Jimin levantou com Jungwa no colo e estava prestes à levá-la para o seu quarto, quando viu Jungkook encostado na beirada da porta, olhando para os dois, com um pequeno sorriso e o olhar perdido. 

— Você está bem, Jungkook? - ele disse preocupado, enquanto deixava Jungwa confortável, deitada em seu colo. 

— estou sim, meu amor. Me dá ela aqui, vamos colocar ela na cama. Precisamos conversar.  

Jungkook colocou a filha na cama e ambos deram um beijo na cabeça da pequena, arrumando seu edredom, desligando o abajur e fechando a porta do quarto, seguindo de mãos dadas para o quarto de Jungkook. 

— anda, me fala, está me deixando assustado amor...

— bem.. eu contei tudo sobre a Sook para Namjoon. Ele ficou chateado, mas ele entendeu meu lado, afinal. E disse que poderei contar com ele para tudo que precisar.. 

— Que bom, fico feliz em ouvir isso. Não iríamos conseguir ir à lugar algum sem a ajuda dele. Eu disse apenas o que Jin precisava saber. Eu chamei ele pra me fazer companhia, eu fiquei com tanto medo... - Jimin dizia, enquanto sentia seu corpo ser abraçado com força pelos braços do maior

— meu amor, eu nem deveria ter deixado vocês nessa situação. Me perdoa, anjo... 

— tudo bem, estamos bem. Foi apenas um susto. Mas... eu não sei se é seguro ficarmos aqui, sabe... eu tenho medo... 

— eu sei, e concordo. Mas não temos para onde irmos, assim, sem estarmos programados. E eu acho, que se sairmos, estaremos dando brechas. Ela pode achar que estamos com medo.. 

— ela..? Então.. você acha que.. 

— que ela mandou aquele homem? Eu não sei. Ela pode ser capaz de tudo. Talvez ele tenha vindo aqui para testar se as fechaduras são as mesmas. Troca-las para que Sook possa ter acesso. Mas, por precaução, irei trazer um chaveiro conhecido meu, e pedir pra que ele troque as fechaduras de todas as portas e janelas. E trarei seguranças para a casa. Essa casa será literalmente uma fortaleza. E você e Jungwa não sairão daqui até o meu advogado entrar em contato com informações dela. Entendeu?

— Certo! Eu posso ligar para o trabalho e pedir licença por alguns dias... 

— seria ótimo, anjo! - Jungkook diz, levando o menor até a cama e se deitando na mesma, trazendo o corpo do namorado para se encostar no seu. 

— vai ficar tudo bem, tenha fé meu amor... - Jimin diz, enquanto acaricia o braço do moreno, ao redor de seu corpo. Jungkook sorri, sentindo os olhos pesarem e um conforto surreal também pesar em seu corpo. — descanse, eu fico de olho em vocês dois!


⏩⏩⏩


— Então já que tá tudo certo, eu vou indo. - Jin limpa a garganta e vira as costas para Namjoon, saindo do escritório 

— Espera! Jin... - Namjoon intervém, usando seus 10 segundos de coragem, fazendo o moreno parar e respirar fundo, virando em direção ao homem à sua frente, medindo os sapatos e procurando as palavras certas

— O que você quer, Namjoon? 

— Eu.. eu queria... er.. - O loiro tenta medir as palavras mas elas simplesmente somem em seus lábios 

— Você queria, o que? O que você quer, Namjoon? - Jin pergunta, enrolando os braços no corpo, sem nenhuma paciência 

— eu queria.. falar com você.. 

— falar comigo? Eu não tenho nada para falar com você. Eu já disse tudo que precisava, no seu apartamento. Então, se me der licença, eu tenho coisa melhor pra fa-

— mas eu tenho, muitas coisas para falar com você, Jin! Então, senta aqui nessa cadeira e me escuta.. Agora! - Jin se espanta com a mudança de entonação na voz de Namjoon, passando de envergonhada para uma voz autoritária e forte, fazendo o mesmo parar, estático, no lugar. Ele não conhecia esse lado sério de Namjoon, e se o susto não falasse mais alto, ele teria achado aquilo muito sexy.  




Notas Finais


Novamente, desculpa a demora e sumisso. Avisando, fim de semana eu sumo pra dar atenção à outros assuntos doidos, eu faço faculdade de psicologia/psiquiatria e curso de psicanálise/hipnologia, então pensa... mas essa semana e ainda hoje, sai muita treta!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...