1. Spirit Fanfics >
  2. Jikook: A Regra Número 10 - ABO >
  3. - Primeiro Amor

História Jikook: A Regra Número 10 - ABO - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura 📖💕

Capítulo 3 - - Primeiro Amor


Fanfic / Fanfiction Jikook: A Regra Número 10 - ABO - Capítulo 3 - - Primeiro Amor

O sinal bate indicando que os alunos estão liberados para ir embora, guardo meu material sem muita pressa assistindo Jisoo e as Amipiranhas (amigas/piranhas) arrumando as coisas com pressa para ver Jungkook e seus amigos sair da sala e ir falar com eles. Elas sempre fazem isso. Termino de arrumar meu material na bolsa com mais dois trabalhos para fazer pra essa semana, no total são 4 trabalhos e uma lista de exercícios, hoje é quarta, vou ter que fazer tudo quando chegar em casa pra não ficar atrasado, é bem provável que mais professores passem trabalhos amanhã. Toda semana tem.

As provas acontecem uma vez por mês, e quando chega no final do semestre a prova vem muito mais difícil que o normal, parece até provas de vestibulares de tão difíceis. A escola aqui é muito redigida, sendo ela, a melhor do país, tive que ir muito bem na prova para bolsista pra conseguir entrar aqui. Meus pais pagam apenas 42% da bolsa já que o resto ganhei de descontos com os pontos da prova, confesso que não foi fácil estudar tanto pra conseguir passar, na época eu estava com apenas 11 anos e uma prova difícil como aquela tive que estudar de noite e dia pra conseguir desconto. Desde então tenho que manter minhas notas altas para não perder a bolsa.

Ando até à porta da sala e olho do lado de fora pra ver de não tem nenhum sinal de Jungkook ou de Jisoo e companhia, vendo apenas algumas pessoas, saio da sala e ando apressado para chegar no portão de saída e ir para casa. Caminho pelo pátio vendo que o segurança ainda vai abrir o portão, os alunos estão todos amontoados em frente ao portão para poder sair, ouço os gritos do segurança para darem espaço mas não adianta muito, sem paciência, ele apenas põe a chave no cadeado abrindo o portão e quase cai atropelado pelos alunos.

Alguns vão de ônibus, outros de carro com os pais, a maioria à pé igual à mim e outros de Van. Jungkook sempre vai com uma BMW preta de última geração, acho que ele é o único aqui que tem habilitação para dirigir com 17 anos, privilégios de ser rico. Espero aquele amontoado de gente sair e então, passo a andar em direção a saída. O vento continua forte, a neve cai um pouco mais que antes, as ruas, casas, árvores, etc... Estão cobertos por camadas de neve, mas isso não impede ninguém de sair de casa para trabalhar, ir a escola ou a qualquer outro lugar. Estão todos acostumando com o clima e se adaptamos à ele.

Saio da escola e passo a caminhar tentando esquentar minhas mãos geladas nos bolsos do casaco, arrumo o cachecol em meu pescoço colocando uma parte dele sobre minha boca e nariz evitando que o vento gelado machuque meu rosto. Caminho um pouco apressado pra chegar em casa mas tomando muito cuidado para não escorregar no gelo sobre as calçadas, seria muito ruim cair no chão cheio de neve e ficar todo congelado por causa disso.

Distraído, vejo uma mão aparecer em minha frente segurando minha luva, paro no meio do caminho e olho para quem segura a luva, ele. Jungkook me olha com o braço esticado segurando minha luva, a outra mão dele se encontra no bolso da blusa. Tiro minha mão do bolso devagar pegando a luva sentindo nossos dedos se tocando, a pele dele é quente e macia, enquanto a minha é fria.

— Obrigada — digo envergonhado, abaixo a cabeça após ver o sorriso simpático nos lábios dele, ele sempre sorri assim, e isso acaba com meu psicológico.

Pego a outra luva dentro do bolso e a coloco na mão, quando iria fazer o mesmo com a outra Jungkook a pega da minha mão e põe por mim, o olho surpreso e tímido ao mesmo tempo.

— Você está muito gelado — diz ele após colocar minha luva na minha mão, o tom de voz dele é de quem se preocupa com algo.

Mordo o lábio por de trás do cachecol em meu rosto, Jungkook me encara de cima à baixo sem nenhuma malícia no olhar, é como se ele estivesse procurando algo errado que possa ser arrumado pelas mãos dele.

— É normal — digo baixo dando de ombros.

Sei que estou na idade de ter um Alfa para me aquecer, meu sistema imunológico é muito mais baixo que os outros Ômegas por causa da genética maravilhosa da minha família e isso me faz ficar mais gelado e com frio duas vezes mais que o normal, isso pode me causar hipotermia, minha mãe sempre pede para mim ficar em causa nos dias mais frios por causa disso, mas não gosto de faltar na escola e perder matéria, ainda mais eu que sou bolsista e posso perder a bolsa por causa disso.

— Vem, vou te dar uma carona — diz Jungkook me fazendo travar no meio da calçada.

— Oi? — digo confuso e surpreso, não é todo dia que o meu crush me dá uma carona para casa.

Jungkook me olha risonho, agora que reparo que o carro dele está estacionado um pouco atrás de mim.

— Aonde você mora ? — pergunta ele abrindo à porta para mim, ando até ele ainda extasiado, Jungkook pega minha bolsa com delicadeza e põe no banco de trás. Sento no banco ainda meio tonto, sinto a aproximação de Jungkook quando ela se estica para colocar o sinto na trava, nossos rostos estão tão perto, posso sentir o aroma dele ainda mais forte e muito sedutor.

Suspiro aliviado quando ele fecha à porta e da a volta para começar, então, a dirigir.

— Rua: Moon-Ji, número 177 — digo meu endereço acanhado, Jungkook assente olhando as ruas dirigindo de maneira calma por causa das ruas lisas.

O rádio está ligando no volume baixo e por ela toca alguma música pop que não faço ideia de quem seja. Jungkook liga o ar condicionado deixando o ar mais quente, aqui tudo tem a cara dele, até a corrente pendurada no retrovisor com pingentes de notas musicais, e alguns dados.

Meu coração não para de bater acelerado, acho que vou morrer tendo um infarto aqui dentro.

— Você... É novo na escola ? — pergunta ele inocentemente, suspiro olhando à janela vendo as coisas e pessoas ao lado de fora.

— Não... — respondo simples, escondendo por de trás da fala a emoção de fugir dele por todos esses anos. O que agora foi totalmente inútil, já que, olha onde estou agora! Dentro do carro dele falando com ele e quase morrendo por causa disso. Se universo me odeia - ou me ama - escolheu o pior momento para nos fazer virar conhecidos (?).

— Sério que não ? — diz ele surpreso — Nunca te vi na escola. Você se escondeu bem então. — ele ri.

Engulo a bile me encolhendo no banco, mal sabe ele que isso foi o que eu fiz todos esses anos. Jungkook muda a estação do rádio colocando em outra, também de música pop só que mais legalzinha que a outra.

— A-Ah, é-é que... Eu não sou muito de ficar no pátio e nem em locais muito cheios... — respondo brevemente, olho para minhas mão com as luvas brancas brincando com meus dedos. Jungkook balança a cabeça e coloca a mão no negócio aqui do lado pra trocar a marcha do carro.

Ai de mim se Jisoo descobre que estou no mesmo ambiente que Jungkook, ou melhor, no carro dele indo para minha casa. Minha vida não podia ficar melhor, bem que Jisoo poderia ser uma Ômega normal e não pegar no pé de quem chega perto de Jungkook, parece até que ele é uma propriedade dela. Um desconforto faz meu coração doer, e se Jungkook ficar com ela ? Namorar ela ? Essa ideia é absurda, Jungkook e Jisoo não combinam e tem a personalidade muito diferente um do outro, Jungkook é humilde e simpático com todo mundo, Jisoo é metida e ignorante com o mundo todo.

Não, eles dois juntos não vai dar certo. É o que espero.

— Entendi. Por isso que nunca te vi.

Solto um "Uhum" e fico calado, não sei o que dizer, estou envergonhado de estar ao lado dele e minha timidez não ajuda em nada.

Nem percebo o carro parado em frente à minha casa, destravo o sinto de segurança e vejo Jungkook esticar o braço para pegar minha bolsa no banco de trás, olho para ele agradecido apertando a barra do meu casaco em nervosismo. Ele sorri pra mim e acabo sorrindo de volta envergonhado, ele me deixa assim, envergonhado o tempo todo.

— Muito obrigada pela carona — agradeço e abro à porta, sinto a mão dele em meu braço e me viro para ele.

Jungkook me olha como se estivesse tentando ler a minha alma, admiro aquele rosto lindo pois não sei quando será a próxima vez que irei ver ele pessoalmente igual hoje. Meu coração está dando piruetas e meu Lobo está totalmente submisso e entregue ao dele, Jungkook me tem por inteiro na palma da mão e pode fazer o que quiser comigo na hora que bem querer. Só espero que ele cuide do meu coração, e mesmo que a gente não tenha um futuro juntos da maneira que eu quero, pelos menos possamos ter uma amizade normal e com o tempo eu possa esquecer que um dia ele foi o meu primeiro amor.

Mas sei que isso não vai acontecer, Jungkook sempre será meu amor e não vou conseguir esquece-lo enquanto estiver vivo, esse sentimento demorou para vir e com certeza vai demorar para ir embora, não é como se eu quisesse esquece-lo, mas sei que se Jungkook me vê somente como um amigo, vou ter que me afastar como sempre fiz e tentar matar o amor que eu sei que vai me destruir por inteiro.

— Você não me disse seu nome! — diz ele jogando a cabeça pro lado num ato fofo em minha visão, sorrio tímido segurando a alça da minha bolsa e olho nos olhos castanhos dele.

— Jimin, Park Jimin — digo e saio do carro, fecho à porta com cuidado pra não bater e pelo vidro abaixado vejo ele sorrir e acenar, faço o mesmo e entro em casa após o carro dele sumir na esquina.

Fecho à porta atrás de mim e dou uns pulinhos de felicidade por ter falado com ele. Ainda é inacreditável, eu falei com ele, Jungkook falou comigo, e ele não me rejeitou por ser estranho e feio. Nem vejo minha mãe parada na porta da cozinha me olhando como se eu fosse um ET, ou um retardado por estar pulando e sorrindo igual a um bobo.

— Que felicidade é essa ? — indaga minha mãe me dando um susto, paro de pular e coloco à mão no peito sobre o coração sentindo as batidas aceleradas pelo susto.

Caminho até o sofá me jogando de costa sorrindo bobo para o teto, minha mãe se aproxima sentando ao meu lado e passa a mão em meus fios loiros.

— Quem é o Alfa ? — pergunta ela fazendo um cafuné em meu cabelo. Suspiro apaixonado me lembrado do sorriso lindo de Jungkook e de como a mão dele é muito maior e mais quente que a minha, ou de como os olhos dele se parecem com duas jabuticabas lindas que brilham toda vez que está feliz com algo.

Passei tantos anos o observando de longe que sei de quase todas as manias dele, o jeito que ele anda e joga hóquei deixam qualquer um hipnotizado, Jungkook é a perfeição em pessoa e eu sou o maior admirador da obra de arte que ele é.

— O nome dele é Jungkook — respondo fechado os olhos aproveitando o cafuné no meu cabelo.

Mamãe solta um riso ainda mexendo em meu cabelo, é tão bom.

— Então quer dizer que meu filhote está apaixonado ?! — ela ri após dizer, faço um bico involuntariamente abrindo os olhos e fitando o rosto da mais velha.

— Sim, mamãe. — respondo e sorrio.

Será que algum dia Jungkook me verá com outros olhos e quem sabe poderemos ser um casal ? Eu morreria feliz se pudesse pelo menos uma vez beija-lo e amá-lo com todas as minhas forças.


Notas Finais


Capítulo mais ou menos... Masssss os próximos terão um pouco mais de agitação, Jimin tem muita gente pra odiar kkk

- Comentem 💬
- Favoritem ❤

Obrigada por lerem 💓💓


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...