1. Spirit Fanfics >
  2. JJBA: Heart Waves >
  3. Wave

História JJBA: Heart Waves - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - Wave


Fanfic / Fanfiction JJBA: Heart Waves - Capítulo 4 - Wave

10 de Agosto de 2024

Muita coisa aconteceu desde então. Meu aniversário de 18 anos foi ontem, e como você já deveria esperar, eu passei minha vida inteira naquele orfanato. Passei 3 anos apenas esperando sair daquele lugar, com sangue nos olhos e sede de vingança. Minha família toda foi destruída por uma gangue. Após saber que foram eles que destruiram o meteoro, deu ainda mais motivo para caçar cada um deles. Era isso que eu queria, mas nesses 3 longos anos eu cresci. Não apenas fisicamente, mas mentalmente. "O que é vingança? Vale a pena? Eu devo fazer algo? Muita gente passa por coisa parecida, meus problemas são só mais um tijolo na parede" Eu estou confuso. Metade minha quer destruir cada um, mas outra metade me diz para continuar com minha vida, que não sou forte o bastante para acabar com eles. Talvez eu devesse deixar de ouvir o meu cérebro e... Seguir as ondas do meu coração.

"Seguir as ondas do meu coração" foi a resposta que eu encontrei dentro daquele orfanato. Entretanto, ainda tinha algo que me deixava intrigado; Aquelas visões que tive quando um membro da gangue me atacou. Eu não consigo dizer se aquilo era real ou alucinação, se era verdade ou sonho. Foi então que essas visões começaram a ficar mais frequentes. Primeiro eu achei que eu estava alucinando, mas quando eu parei para prestar atenção, elas eram reais até demais. "Sou algum tipo de médium?" Pensei comigo mesmo, enquanto via uma espécie de criatura, ela era humanóide, usava um tipo de capuz marrom escuro, no qual a sombra causada pelo mesmo capuz escondia seu rosto. Ele possuía um tórax definido com um torso bem humano em geral, de coloração marrom, mas não tinha braços. Dos seus ombros, saíam ondas que lembravam ondas de eletrocardiograma, como se fossem batimentos cardíacos, essas ondas eram rodeadas por uma linha ondulada que se extendiam até uma luva vermelha, que era grudada no resto do corpo pelas ondas. Ele tinha esse mesmo esquema de ondas nas pernas, que se conectavam as coxas que tem a mesma coloração do seu torso, com a parte do joelho rasgada, revelando uma patela metálica, que se juntava com uma perna mecânica, que lembrava próteses. Essa criatura, usava, por fim, um tênis bem moderno. Em geral, ela parecia intangível, eu não conseguia encostar nela, e parecia um espírito. Entretanto, essa criatura conseguia interagir com outros objetos e até pessoas.

Esse espírito me assustava das primeiras vezes, sempre aparecendo atrás de mim e me seguindo. Eu comecei a me acostumar com isso, e então lembrei da fala daquele membro de gangue, especificamente a palavra 'Stand'. Eu assumi que não era o único que tinha esse tipo de espírito, e ele era referido como 'Stand'! Pensei que deveria dar um nome para o meu stand, e devido a essa estética de ondas, eu dei nome de "Wave".

Agora, voltando para onde estou aqui... Eu acabei de sair do orfanato, e apesar de estar na minha cidade natal, Paradise City, eu me sentia perdido. 

— Por onde eu vou começar? Eu quero minha vingança, mas como vou achar pistas daquela gangue?

Eu pensei alto, alto até de mais, que um homem alto respondeu:

— Procurando vingança? É um prato que se come frio. Quer dizer... Eu não acho que um cara mirradinho como você, com ess cabelo longo parecendo um mendigo vai conseguir fazer algo.

Ele riu depois de dizer isso. Dava para ver que ele não tinha nenhuma intenção ruim, e só queria zoar com minha cara, mas por algum motivo, eu me ofendi bastante. Eu olho melhor para ele, e ele não parecia ser daqui, ele era um japonês, usava uma roupa de marinheiro branca, com detalhes roxos e uma âncora de mesma cor no meio do abdômen. Ele tinha um cabelo encaracolado, com as laterais raspadas. Não dava para ver muito mais do cabelo dele por causa do chapéu.

— O que você disse?! Eu vou acabar contigo, marinheiro filho da puta!

— Credo, que mau humor, pretende me acabar como?

Ele continuou me provocando, isso me deixou puto o suficiente para o meu stand aparecer. O marinheiro parecia ficar assustado por um segundo, mas logo me encarando com um olhar assustador, falando:

— Não esperava encontrar um usuário de stand por aqui, mas se vai ser desse jeito, que seja...




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...