História Joey Drew - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bendy and the Ink Machine
Personagens Joey Drew
Tags Devil Studios
Visualizações 9
Palavras 1.874
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


...

Capítulo 3 - Capítulo 3 - Final


Grant estava com um sorriso macabro no rosto, ele lançava um olhar assassino sob mim. Nem estava com medo, pois, já sabia que iria ser torturado. Mas seu sorriso é o seu olhar foram desfeitos quando o Bendy o impediu de continuar a andar

Grant: —"Bendy!" — Diz com bastante raiva e cerrando os punhos

Todos ali presente estavam meio surpresos com a ação de Bendy. Logo o mesmo olha para Norman, e faz um pequeno sinal com a mão. Norman acede lentamente.

Bendy deixa Grant continuar a andar, o mesmo não havia entendido o que havia acabado de acontecer... Mas havia deixado para lá...

Bendy e Grant pareciam já ter um plano para me torturar, como se estivessem planejamento a anos.

Primeiro vem Grant que me levanta e me prende na cadeira novamente, logo em seguida segura meu queixo com força, me fazendo abrir a boca. Bendy tira sua luva e se aproxima. Grant joga levemente minha cabeça para trás

O que eles vão fazer?...

Bendy coloca a mão bem acima da minha boca, deixando escorrer tinta para minha boca.

Tenho que admitir, essa tinta não tem gosto nem um pouco bom.

Logo em seguida, Grant fecha a minha boca e coloca uma fita, para impedir que eu cuspa. Eu acabo engolindo a tinta.

A tinta começa a simplesmente queimar a minha língua, logo passa para minha epiglote que começa a queimar bastante.

Tento dar um grito de dor mas acabo me engasgando com a tinta, e também não iria dar por conta da fita

(Morre engasgado! Morre engasgado! Morre engasgado!)

Já estava com falta de ar por conta disso. Ficar sem respirar e muito ruim!

Grant: — “Está gostando, Joey?” — Diz com um sorriso psicopata

Do nada eu ameaço desmaiar mas logo sinto algo bem poderoso sob mim que me impede de desmaiar... Seria o Grant?

Grant: — “Não desmaie ainda...” — Diz mantendo o sorriso

Fiquei alguns minutos sem respirar mas logo eu consigo engolir a tinta. Quando eu engoli eu senti um forte arrepio

Grant: — “Pode começar Bendy...”

Bendy começa a mover a mão, como se estivesse controlando algo. Sinto alguma coisa começando a andar dentro do meu corpo.

Era a tinta.

A tinta caminhava e me queimava por dentro. Queria tanto gritar!

Grant apenas me olhava com um olhar sério, mas e faz um leve movimento com a mão, esse movimento...

Fez com que eu tivesse a impressão que meus ossos eram quebrados violentamente!

Isso dói pra caramba! Dói muito!!!

E para completar Grant pega um cano que havia ali, e começa a me bater com força, me fazendo sentir a pior dor que já senti na minha vida.

Só o que conseguia fazer era chorar de dor

A cada batida que Grant me dava, mais a tinta se movia. Essa tinta estava me rasgando por dentro.

Estava doendo tanto... Mas tanto que já estava perdendo os sentidos. As dores já estavam se tornando um costume para mim.

Um pouco de sangue misturado com tinta saída da minha boca lentamente, manchando a fita que colocaram em minha boca.

De repente eu vejo o Henry me batendo com o cano. Balanço a cabeça e vejo o Grant batendo...

Grant: —"Não está sentindo nada não é?" — Diz parando de me bater com um sorriso psicopata

Apenas fico de cabeça baixa, sentindo o meu corpo totalmente dolorido

Henry: —"Só me dá os comandos que eu continuo daqui em diante" — Diz me olhando

Henry vai me torturar, que ótimo... Não... espera... HENRY!?

Olho novamente e vejo que era o Bendy. O que está acontecendo comigo?

Grant começou a dizer algo para Bendy, e a medida que dizia as minhas dores eram insuportáveis.

Minhas feridas ardiam por conta da tinta, a vontade de gritar era grande... mas não conseguia

Grant vem até mim e arranca a fita da minha boca com tudo.

Gritei o mais alto o possível, com todas as minhas forças

Grant: — “Que melodia...” — Diz apreciando meus gritos

Bendy: —"Norman..." — Diz olhando para o mesmo

O mesmo acede e dirige seu 'olhar' a mim, sua luz começou a brilhar bastante. De repente, tenho um blecaute, minha visão havia ficado bem escura, uma dor de cabeça horrível me atinge.

Minha visão volta ao normal, mas... todos que estavam ali... estão mortos...

Henry não estava mais naquela cadeira, ele havia sumido...

Mas eu ainda continuava preso...

Minha respiração falhava bastante, minha visão ficava turva. Eu estava morrendo lentamente, aquela dor não parava em meu corpo.

Logo sinto bastante dificuldade de respirar, como se alguém estivesse me enforcando. Minha visão fica mais turva, de repente vejo uma silhueta diferente.

—"H-Henry!?" — Digo com bastante dificuldade

Minha visão volta ao normal. Olho novamente para o mesmo... Ele estava diferente... estava ensanguentado, seus olhos estavam totalmente negros... mas o que mais destacava em sua face era seu sorriso macabro e diabólico.

Henry: —"E Joey... eles não me deram a chance de te torturar" — Diz com uma voz bem diferente —"Eu mesmo tive que arranjar essa chance... e agora... eu vou me vingar de ter me prendido nessa porcaria de estúdio!"

Ele solta o meu pescoço e recua. Eu fico em silêncio.

Henry: —"Você sabia que eu viria... VOCÊ SABIA! E SABIA QUE EU NUNCA MAIS PODERIA SAIR DAQUI!" — Diz chutando uma cadeira —"E TUDO CULPA SUA!"

Ele vai até o canto da sala e pega o seu machado ensanguentado. Henry acaricia o machado lentamente e olha para mim.

Com uma sacada rápida, ele atinge minha coxa, fazendo um corte muito profundo. Dei um grito de dor. O meu sangue escorria lentamente.

Henry: —"Dói não é? Dói saber que nunca mais verá sua família. Dói saber que nunca mais vai sair daqui. Dói ser perseguido por demônios de tinta..." — Diz removendo o machado de minha perna —“Te torturaram fisicamente não? Agora eu vou te torturar psicologicamente... Mesmo que esteja a beira da morte” — Diz com um sorriso sádico

Ele se aproxima lentamente de mim, mas logo e impedido por outra pessoa

Henry: —"SAI!" — Diz Henry lutando contra essa outra pessoa

A pessoa tira um facão da cintura e dá várias facadas violentas em Henry.

Mesmo que ele seja ruim agora... dói muito o ver sendo esfaqueado

—"Para..." — Digo com uma voz falha

Do nada a pessoa olha para mim com desprezo. Olho seu rosto e... era eu.

Joey: —"Parar? Por que? Só estou fazendo o que você não teve coragem de fazer" — Diz 'Joey' me analisando —"E agora está aí... aguardando a morte"

O mesmo se aproxima

Joey: —"Foi uma boa ideia trazer eles aqui... neste inferno..." — Diz sorrindo —"Agora que você infernizou a todos... e sua vez de ser infernizado..."

(Um infernizado vai infernizar o infernizador causando a infernizade... '-' )

—"Ande logo... me torture..." — Digo com a voz bem fraca —"Me mate..."

Ele continua a me olhar com desprezo

Joey: —"Você... Você desistiu de tudo pra sair desse inferno... Tudo mesmo..." — Diz me olhando com desprezo —"Até de seu melhor amigo... Eu tenho vergonha de mim mesmo..."

Apenas fico de cabeça baixa, já estava pálido de tanto perder sangue, já nem conseguia mais falar de tão fraco que estava.

O mesmo pega meu queixo e levanta lentamente o meu rosto

Joey: —"Foi isso que seus funcionários sofreram..." — Diz sério —"Sentiu o que eles sentiram, Joey?"

Apenas o fiquei encarando por um bom tempo

Joey: —"Adeus... Joey Drew..." — Diz erguendo o facão

Apenas fecho os olhos e sinto ele cortar meu pescoço.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

????: —"Joey?" — Ecoava uma voz —"Joey! Acorde..."

Abro os olhos com dificuldade

???: —"Joey Drew?"

Tento olhar para pessoa que dizia o meu nome, mas minha visão estava embasada... e também havia uma luz sob a pessoa.

Estou no céu? No inferno? Ou ainda estou sob julgamento?

????: —"Ele acordou..." — Diz com uma voz calma

Abro os olhos por completo, pisco algumas vezes antes. Vejo alguns médicos a minha volta, com algumas agulhas em mãos, e outras ferramentas de cirurgia

Médico: —"Como está se sentindo?" — Pergunta um pouco feliz por causa que eu não estou morto

—"Melhor que antes..." — Digo com uma voz fraca

Não entendo o que está acontecendo... seria uma ilusão? Ou eu estava sonhando?

???: —"Ele está bem!?" — Diz entrando no quarto

Olho para essa pessoa que acabou de entrar... era o Henry

Começo a ficar super confuso com tudo que havia acontecido.

Os médicos vão até Henry e explica alguma coisa a ele... logo após isso eles se retiram

—"Henry..." — Digo fraco

Henry: —"Descanse Joey... você precisa... acabou de fazer uma cirurgia!" — Diz bem preocupado

—"O que aconteceu comigo?" — Pergunto olhando para o mesmo

Henry: —"Não lembra? Você caiu da mina! Se não fosse o Thomas você estaria morto!" — Diz com um tom de preocupação

Após isso nem falei nada. Será que eu estava com tanto medo que imaginei meus funcionários me torturando?

~Após alguns dias...

Já estava quase totalmente recuperado. Agora é o horário de visitas, e como sempre, Henry e o primeiro a chegar... e o único a vir me visitar

Henry: —"Oi Joey!" — Diz com um sorriso —"Adivinha quem veio!"

Olho com cara de tédio para Henry

Henry: —"Ok... ok... e o pessoal do estúdio" — Diz se afastando da porta

Alguns funcionários entram na sala, eu estava com um pouco de medo deles... mas como só foi coisa da minha cabeça, eu vou ficar tranquilo... mais tranquilo pelo fato deles não estarem transformados em demônios de tinta...

Sammy: —"Oi Joey!" — Diz com um sorriso —"Desculpe, mas nós tivemos que trabalhar mais no estúdio... para manter tudo em ordem"

Susie: —"Tudo mesmo"

Do nada eu olho Henry que estava saindo de fininho, mas e impedido por Allison. Começo a ficar preocupado

Linda: —"O médico falou que você vai receber alta hoje!" — Diz bem animada

Norman: — "Que bom que está bem, Joey..." — Diz no canto da sala

Wally: —"Eu preciso de produtos de limpeza para sangue" — Diz meio desesperado

Começo a ficar um pouco desconfiado

Thomas: —"Fechem a porta..." — Ordena

Começo a ficar realmente tenso. Allison fecha a porta

Grant: —"Ja que está recuperado... e hora de voltar..." — Diz com um sorriso macabro

Shaw: —"Só não sujem o chão de sangue de novo!" — Diz cruzando os braços —"E difícil limpar o sangue!"

Wally: —"Disso eu concordo"

Começo a entrar em desespero

Murray: —"O que foi? Está desesperado?" — Diz rindo —"Achou que aquela tortura toda, era pra te matar!!?"

Jack: —"Se matar o Joey... a diversão acaba... não é mesmo Bertrum?"

Bertrum: —"Não podemos ficar sem diversão..." — Diz com um sorriso macabro

Lacie: —"Vamos voltar para o estudio... senhor Joey Drew" —

Começo a fazer um não com a cabeça. Já sabia que aquilo tudo ia acontecer novamente

Henry: —"Não... não façam isso com ele novamente..." — Implora enquanto lacrimejava

Bendy aparece na sua forma demoníaca. Eu começo a gritar por socorro, a me debater e a gritar. Henry já estava chorando no canto da sala... Ele sabia que aquele pesadelo iria voltar. Todos, exceto eu e Henry, começaram a rir maleficamente

Grant: —”Que o pesadelo comece novamente... Joey Drew...”


Notas Finais


...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...