História Jogo da Morte - Boku no Hero Crossover - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Ao no Exorcist, Boku no Hero Academia (My Hero Academia), Danganronpa, Danganronpa The Animation, Fullmetal Alchemist, Haikyuu!!, Homem-Aranha, Hunter x Hunter, Inazuma Eleven (Super Onze), Naruto, One-Punch Man, Shingeki no Kyojin (Attack on Titan)
Personagens Alluka Zoldyck, Alphonse Elric, Annie Leonhardt, Armin Arlert, Bertolt Hoover, Bokuto Koutarou, Boruto Uzumaki, Byakuya Togami, Chiaki Nanami, Chihiro Fujisaki, Chiyo Shuzenji (Recovery Girl), Connie Springer, Dabi, Daichi Sawamura, Denki Kaminari, Edward Elric, Eijirou Kirishima, Elisia Hughes, Endou Mamoru, Enji Todoroki (Endeavor), Eren Jaeger, Erwin Smith, Genos "Demon Cyborg", Gon Freecss, Hajime Hinata/Izuru Kamukura, Hange Zoë, Hanta Sero, Himawari Uzumaki, Hinata Hyuuga, Historia Reiss, Inko Midoriya, Izuku Midoriya (Deku), Jean Kirschtein, Kaede Akamatsu, Katsuki Bakugou, Kazuichi Soda, Kei Tsukishima, Kidou Yuuto, Kiibo, Killua Zoldyck, Komaru Naegi, Koushi Sugawara, Kurapika, Kuro, Kyoko Kirigiri, Leorio Paradinight, Levi Ackerman "Rivaille", Maes Hughes, Makoto Naegi, Marco Bott, Mary Jane Watson, Mei Hatsume, Mikan Tsumiki, Mikasa Ackerman, Mina Ashido, Miu Iruma, Momo Yaoyorozu, Nagito Komaeda, Naruto Uzumaki, Ochako Uraraka (Uravity), Peter Parker (Homem-Aranha), Reiner Braun, Rin Okumura, Riza Hawkeye, Roy Mustang, Ryuunosuke Tanaka, Saitama "Caped Baldy", Sakura Haruno, Sasha Braus, Sasuke Uchiha, Seiko Kimura, Shirou Fubuki, Shouyou Hinata, Shuuichi Saihara, Shuuya Goenji, Tadashi Yamaguchi, Tenya Iida, Tetsurou Kuroo, Tobio Kageyama, Toshinori Yagi (All Might), Trisha Elric, Winry Rockbell, Ymir, Yukio Okumura, Yuu Nishinoya
Tags Anime, Ao No Exorcist, Bakugou Katsuki, Blue No Exorcist, Boku No Hero, Christa Lenz, Danganronpa, Doki Doki, Eijirou Kirishima, Fullmetal Alchemist, Haikyuu, Hajime Hinata, Hinata Hyuuga, Hinata Shoyou, Historia Original, História Reiss, Homem Aranha, Hunter X Hunter, Inazuma Eleven, Izuku Midoriya, Kiribaku, Makoto Naegi, Mistério, Morte, My Hero Academia, Naruto, One Punch Man, Rin Okumura, Roy Mustang, Sasunaru, Sasusaku, Shingeki No Kyojin, Shoto Todoroki, Shuichi Saihara, Yukio Okumura
Visualizações 7
Palavras 1.728
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, LGBT, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpe a demora para postar....
Tive alguns problemas aqui e acolá mas já está tudo bem ^^

Boa leitura e me desculpem qualquer erro ortográfico (estou com pressa para chegar na escola!!! quando chegar arrumo tudo direitinho)

Capítulo 6 - Investigando


Fanfic / Fanfiction Jogo da Morte - Boku no Hero Crossover - Capítulo 6 - Investigando

24/11/2019 - Aeroporto

A jovem de cabelos dourados observava cautelosamente cada uma das pessoas que ali adentravam. Esperava por um certo alguém, não estava muito contente em ter que se reencontrar com a tal pessoa, mas aquele era seu trabalho, fugir não era, de forma alguma, uma opção plausível para nenhum dos dois. O arrependimento era um sentimento que raramente sentia, mas quando sentia, era difícil de se esconder. Arquitetava e descartava diversos planos diferentes para de reconciliar com seu superior, sabia que aquele seria um desafio quase impossível de se concluir, afinal, havia tocado em sua mais profunda ferida. No fim, apenas concluiu que deveria focar em sua investigação apenas e não sair perguntando impulsivamente sobre a vida alheia, estava sendo extremamente intrusiva.

Abriu um pequeno sorriso ao ver o homem por quem tanto esperava. Um par de olhos rubros que lhe olhava raivosamente, não tentava esconder como ainda estava chateado. O sorriso de Christa se dissipou ao perceber que Bakugou estava mais acabado do que nunca, e provavelmente por sua causa. Caminhou rapidamente até seu parceiro, fitava o chão extremamente envergonhada devido à suas atitudes passadas. Com o rabo entre as pernas, cumprimentou o loiro.

- O-Oi...

- Tsk...Cala a sua boca, eu não quero ouvir mais nenhuma palavra vinda de você...Se tiver algo para dizer, GUARDE PARA VOCÊ MESMA!!.- As pessoas ao redor olhavam espantadas para o detetive, muitas ali lhe reconheciam, mas por medo, decidiram não se aproximar. Christa assentiu com a cabeça e começou a caminhar lado a lado com seu parceiro. Rumo ao lado de fora do Aeroporto. Ao chegarem, imediatamente entraram no carro de Bakugou e o mesmo começou a dirigir, rumo ao local do crime. Nenhuma palavra era dirigida, o silêncio mais uma vez estava presente. Como ordenado dessa vez, Christa não abriu sua boca, e assim permaneceram até chegarem ao local do crime.

A loira olhou ao redor, percebeu que estavam num lugar um tanto quanto incomum, não era normal haverem crimes numa região como aquela, principalmente pelo fato de ser um espaço mais aberto. Bakugou estacionou o carro e saiu rapidamente do veículo, nem mesmo esperou sua parceira, já começou a andar com passos largos até uma única balsa parada ali no rio. Christa saiu do veículo assim como o detetive e começou a olhar em volta. Estavam numa área vazia, a única coisa que indicava que mais alguém estava ali, era um carro estacionado ao lado do de Bakugou, que concluiu ser de Todoroki, já que o mesmo também havia sido designado para resolver aquele caso. Ao perceber que o loiro já havia sumido de sua vista, a jovem rapidamente passou a correr até a balsa, subindo na mesma. Pode ouvir Bakugou gritando com alguém, deduziu que era o próprio Todoroki pelo tom de voz e os xingamentos que o loiro usava. Seguiu a voz de seu superior até chegar na - possível - cena do crime. Não estava como as imagens que havia visto, haviam alguns objetos estranhos no chão. Duas bolas: uma de futebol e uma de vôlei, uma bandana com um símbolo estranho e um cartão de alguma empresa, preferiu não analisar aqueles objetos ainda e continuar olhando em volta para procurar por mais pistas. Continuava a analisar o local enquanto Bakugou e Todoroki ainda discutiam por algum motivo desconhecido. Podia ver algumas palavras escritas no chão, algum tipo de pichação difícil de decifrar. Observou-a um pouco, tentando ainda entender, não estava acostumada com aquele tipo de escrita, e não possuía tanto conhecimento sobre gangues ou algo do tipo. Ainda olhava aquela palavra, mas a única letra que conseguia enxergar normalmente era a letra “Z”. Suspirou derrotada, apesar de odiar ter que recorrer à esse tipo de coisa, ainda o fez, pois eram parceiros e não poderia fazer tudo sozinha. Lentamente caminhou até Bakugou que rosnava para Todoroki. Soltou uma pequena risadinha ao pensar que o loiro mais parecia um cão daquele jeito. O mesmo se virou ferozmente e agora a encarava com sangue em seus olhos.

- DO QUE CÊ TA RINDO OO FILHA DA PUTA???.- Christa recuou, dando alguns passos para trás em sua defesa, mas tentou manter a calma, pois ainda assim estavam em serviço.

- E-eu...Eu achei algumas pichações...Achei que poderíamos dar uma olhada....

- Sim!!.- Christa olhou para o lado e viu Makoto, o parceiro de Todoroki. Ele parecia bem diferente, estava mais animado e confiante, ainda mantinha um pouco de sua timidez, mas parecia mais confortável. Não poderia julga-lo é claro, só teve contato com ele durante uma vez dentre esses três dias e não sabia tanto sobre o garoto, mas não precisava já que ele não era seu parceiro.

- Detetive Shoto!! Lembra que falei ontem com você sobre as pichações?? Eu encontrei mais delas...-. A loira estava abismada “ontem??” Pensou consigo mesma tentando entender a frase de Makoto.

- C-como assim ontem?.- Todoroki deu um passo para frente, ficando ao lado de Bakugou.

- Viemos de avião...Assim que chegamos aqui, decidimos investigar a cena do crime logo...- Ouviu-se uma explosão, ao olharem para o lado de Todoroki lá estava Bakugou bufando de raiva, claramente aborrecido pela chegada antecipada de seu colega.

- Bakugou...O Mustang falou para não usar sua indivi-

- CALA A BOCA PORRA!!!.- Virou-se novamente para Christa e perguntou diretamente.

- ONDE ESTÃO ESSAS PORRAS DESSAS PICHAÇÕES???.- A loira fez um sinal com a mão para que ele a seguisse, e assim ele o fez. Andaram um pouco e chegaram em uma parte que havia algumas pichações estranhas no chão, e as mesmas letras vistas antes pela loira. A expressão do detetive mudou de raiva para surpresa, mas logo voltou à uma expressão neutra. Permaneceu assim por algum tempo, ainda olhando os desenhos estranhos que estavam no chão. Sem nem pensar, Christa decidiu fazer um breve comentário.

- Parecem desenhos de criança... 

- Você é idiota?

- H-Hã m-mas esses rabis-

- Não são apenas meros rabiscos, é uma prova de que membros de uma das maiores máfias esteve aqui...- Olhou incrédula para seu parceiro, não era possível de acreditar que aquelas palavras haviam sido escritas por alguma máfia poderosa, além do mais, como Bakugou sabia daquilo?

- M-mas como? E como o senhor sabe disso??

- CALA A BOCA BARBIE IDIOTA...É IMPOSSÍVEL DE PENSAR COM VOCÊ FALANDO NO MEU OUVIDO.- Ainda observava os desenhos, tentando deduzir o que alguns daqueles símbolos poderiam significar.

- Pode...Pode ao menos me dizer o que está escrito?...- Suspirou derrotado, olhou-a com repugnância, como se estivesse tentando evitá-la a todo custo, e ela sabia que era exatamente o que ele estava fazendo. Não o culpava, pois foi ela mesma quem o incomodou.

- KRZ

- Você os conhece?...- Perguntou relutantemente. Sabia que Bakugou não queria nenhum tipo de contato consigo, mas não poderia calar-se, estavam trabalhando como um time, e querendo ou não, ela ainda cooperaria com ele.

- Conheço, vamos logo até eles.

- Mas já??? Nem analisamos os outros objetos...- Protestou, mas Bakugou apenas a ignorou e voltou a andar, retirando-se da balsa em que antes estavam. Desistiu de argumentar e voltou a segui-lo, sempre mantendo-se atrás do mesmo, pois sabia que ele não a queria em seu campo de visão. Ambos adentraram novamente o carro, retirando-se daquele lugar.

Não demorou muito, e chegaram à algum tipo de ginásio. Mais uma vez retiraram-se do veículo movendo-se em direção à grande porta de aço do ginásio que estava fechada. Sem perder tempo, Bakugou abriu a porta e já entrou diretamente naquele lugar. Christa não se surpreendeu, afinal, aquele era seu parceiro Bakugou, ele não perdia tempo e já ia direto ao ponto. Assim como o detetive, Christa entrou no ginásio também e pode ver dois garotos jogando vôlei. Um era baixo, possuía cabelos espetados, castanhos com apenas sua franja mais clara. Já o outro era um pouco mais alto que si, este não possuía cabelos diferente do outro garoto.

- HEY SEUS DESGRAÇADOS, EU SOU DA POLÍCIA E VIM AQUI INVESTIGAR UM CASO!!!!.- Ambos olharam Bakugou um pouco surpresos e incomodados com aquela sentença, mas não demorou muito até que o garoto menor abrisse um sorriso de orelha a orelha e viesse correndo até o detetive.

- KATSUKIIIII!!!.- Pulou no loiro, abraçando-o fortemente. Parecia uma criança que acabara de se reencontrar com seu pai, tanto pela sua aparência quanto pela sua atitude de agora. O loiro não aprovou a atitude do outro garoto e começou a gritar com o mesmo, como costumava fazer sempre com todas as outras pessoas.

- ME SOLTA OO PINSCHER, O QUE CÊ PENSA QUE TA FAZENDO?.- O garoto o soltou assim como ordenado, o olhando um pouco triste e cabisbaixo.

- Não se lembra de mim?...

- É CLARO QUE EU ME LEMBRO NISHINOYA CARALHO!!!

- HAHA!! Sabia que você se lembrava...Mas eii não precisa ser tão formal assim...Ah espera quero te apresentar uma pessoa!!.- Dito isto, o tal Nishinoya se virou e foi até o outro garoto de antes, que tentava fazer embaixadinhas com uma bola de vôlei por algum motivo. Ambos olharam de volta para Bakugou e abriram um sorriso ainda maior enquanto caminhavam de volta até o mesmo.

- EU NÃO ACREDITO NOYA!! VOCÊ CONHECE O PRÓPRIO BAKUGOU KATSUKI??

- sSIMM, ele odeia admitir mas éramos amigos desde a-

- CHEGA PORRA!!!!.- Todos se viraram para Bakugou, que para a surpresa de ninguém ja estava começando a perder a paciência com toda aquela apresentação desnecessária

- EU ESTOU AQUI À SERVIÇO, NÃO PARA FICAR VISITANDO DUAS ANTAS...- Deu uma leve pausa, respirando ofegantemente. Estava nervoso, queria que aquilo acabasse logo por causa do jogo da morte. Não era somente sua vida, mas também a dos seus pais em risco, precisaria terminar aquilo de uma vez por toda. Ainda tinha um mês claro, mas muitas coisas poderiam ocorrer dentro de um mês, além de que o tal anônimo poderia facilmente organizar algum tipo de plano para atrapalhar Bakugou durante sua investigação, preferia não correr riscos e dar um fim logo à sua investigação. Antes mesmo que pudesse finalizar sua sentença, a porta do ginásio abriu-se novamente, e de trás dela estavam Todoroki e Makoto.

- Sabia que já estavam aqui....

 

Continua....

 


Notas Finais


Obrigado por lerem e até o próximo capítulo ^^ Tentarei não demorar muito para postar o próximo

Link da imagem: https://br.pinterest.com/pin/579908889491442040/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...