1. Spirit Fanfics >
  2. Jogo de Sedução ( Imagine Jeon Jungkook ) >
  3. It's my pleasure.

História Jogo de Sedução ( Imagine Jeon Jungkook ) - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Boa tarde anjos! E mais uma vez eu venho lhes apresentar a minha nova obra 💞

Eu estive planejando ela durante essas semanas, e tem um tempo que eu estava com essa ideia de fazer uma Fanfic diferente das demais.

Com o tema totalmente diferente eheheh eu espero que vocês gostem✨

Todos os personagens são maiores de idade.

Jeongguk: 23
Catherine: 22

Capa/Design @ParkMary02 ( maravilhosa 💖 )

Perdão pelos erros ortográficos.
Boa leitura 📖🧚🏻‍♀️

Capítulo 1 - It's my pleasure.


Fanfic / Fanfiction Jogo de Sedução ( Imagine Jeon Jungkook ) - Capítulo 1 - It's my pleasure.

                 Capítulo 1. — O prazer é meu.

                Jogo de Sedução.     
                          Fanfic
 por lovggukz.
 

 

POV’S JEON JUNGKOOK.

 

— Podemos tentar desenvolver esse novo Game. - Yugyeom sugeriu animadamente. Eu gostaria de estar com pelo menos 1% da sua empolgação, mas hoje infelizmente eu não estou com cabeça para nada. 

 

— Não tem essa de “ não podermos “, nós vamos criar esse jogo. - Yoongi respondeu convicto. 

 

Agradeço por tê-los comigo, eu realmente não posso perder a chance, ainda mais agora que a TWG está em 2º no topo de melhores empresas de games da Coreia.

 

— É disso que eu gosto! - Yugyeom profere de um jeito cômico, fazendo todos ali presente rir, incluindo eu.

 

A exatamente um ano atrás eu me formei em design gráfico, desde muito novo eu sempre quis atuar na área de jogos. Ao completar dezessete anos eu finalmente me encontrei, percebi que a vida estava me dando uma chance de conseguir me aprofundar mais nessa área então, foi nesse momento em que eu saí da casa dos meus pais em Busan para vir cursar em Seoul, onde eu estou morando atualmente.

 

E foi aqui que tudo começou. Eu mudei completamente, as coisas simplesmente apareceram, aconteceram, me invadiram e se instalaram sobre meu ser. Então, eu finalmente me senti sendo eu mesmo, isso é realmente louco, não é? 

 

— Ei, o que acham de sairmos hoje? - Todavia sou despertado com a voz grossa do Noah.

 

— Por mim tudo bem. - Respondo rapidamente, pois eu eu estava prestes a me levantar. — Tomem conta daqui por mim, eu estou indo nessa.  - Digo mudando de assunto. Vendo que eles assentiram confirmando que sim, eu me levantei do sofá de couro branco e me retirei da sala.

 

Ao sair sou tomado pela surpresa, ao ver meu irmão mais velho andando de um lado para o outro. Franzi o cenho em confusão e me aproximei do moreno.

 

— O que faz aqui Jiyoung? - Indaguei. — Você me parece nervoso, aconteceu algo?

 

— Um dos seus carros foi guinchado. 

 

No mesmo instante em que eu escutei essa frase, meus olhos arregalaram.

 

— Está falando sério?!

 

—Óbvio! Quando eu cheguei na sua casa para deixar os novos materiais, eu vi um guincho um pouco adiante, especificamente em frente a casa da sua vizinha bonita.

 

— E como você soube que era meu carro?

 

— Ora, porque eu perguntei para os dois homens que estavam guinchando.

 

Mas que merda!

 

— Eu já estou lotado de problemas, e agora me surge essa. - Suspirei fundo para de alguma forma eu manter a calma. — Eu estou indo resolver, vem comigo?

 

— Não. - Respondeu, negando com a cabeça. — Eu vou vou ficar por aqui. 

 

— Ok. - Respondo por fim.

 

Eu não me lembro de ter estacionado meu carro em uma vaga proibida, ou, em frente a casa de algum dos meus vizinhos. No condomínio não se vê quase ninguém e nem veículos alheios estacionados para fora de suas garagens, pois a maioria que mora lá dentro trabalha durante o dia e quando os moradores chegam, eles entram com o carro direto na garagem.

 

Ao sair do prédio, eu desativo o alarme do carro adentrando o mesmo, jogando meus pertences no banco de trás. Dou partida no veículo, deixando a empresa e dirigindo pela rua já iluminada pelos postes de luzes.

 

Quando meu irmão citou a vizinha, eu logo me dei conta de quem era. Eu não sei o nome dela e provavelmente nem ela o meu, contudo, aquela bela jovem de certa forma me chamou atenção desde o dia em que se mudou ao “ lado” da minha casa . Ela parece ser nova por aqui, e mesmo fazendo alguns meses em que ela se mudou para a casa ao lado, eu nunca sequer troquei uma palavra com a mesma.

 

Não, eu não faça questão até porque eu sou um homem ocupado e mal tenho tempo para respirar, mas era um tanto estranho nunca termos nos apresentado antes. Até porque é isso que a maioria dos vizinhos fazem, não? Se apresentem e tentam uma amizade, alguns ainda optam por não conceder amizades. As poucas vezes em que nos víamos foi quando ela saía pela manhã, nos encaramos por alguns segundos e em seguida ambos entravam em seus devidos veículos.

 

E de primeira, eu senti algo positivo e negativo nela, porém, é uma coisa que eu ao menos consigo explicar. Ela carrega consigo uma aura doce, e uma beleza inimaginável.

 

Assim que cheguei no condomínio, eu estaciono meu carro de qualquer forma e saio em direção a casa da vizinha. Subi alguns degraus da sua calçada e levei meu dedo indicador em cima do botão, assim o apertando. Vendo que ela não saiu, eu retornei ao mesmo ato, me afastei da porta e bato meus pés freneticamente no chão, eu já estava ficando impaciente.

 

E após alguns segundos de espera, finalmente escuto o barulho da porta sendo aberta.

 

— Oi. - Levanto meu olhar para a figura feminina parada na porta. A mulher me olhou curiosa, esperando por um pronunciamento da minha parte.

 

— Olá! Sou o Jeon Jeongguk, muito prazer. - Me apresentei, aproximando-me da morena. 

 

Ela estende a mão e eu aperto. — O prazer é todo meu! Me chamo, Catherine. - Então, esse é o seu nome? Interessante. - O que deseja senhor?

 

Ela perguntou com toda a formalidade, e eu não pude deixar de rir num tom baixo.

 

— Sem formalidades, por favor. - Digo, e recomponho minha postura.

 

— Como quiser. - Ela responde mantendo a expressão séria em seu rosto. Mas eu sinto seu olhar percorrendo todo o meu corpo. E eu não estava diferente dela, observei cada mínimo detalhe da ocidental.

 

Céus! Essa mulher é perfeita.

 

— Bom, eu vou direto ao ponto. 

 

— Estou a ouvir.

 

— Meu irmão veio na minha residência hoje e antes dele entrar, o mesmo presenciou o meu carro sendo guinchado bem em frente a sua casa. - Apontei para a rua. — Por um acaso você... - Não pude completar a frase, pois a sua voz tomou a frente.

 

— Oh! Era o seu veículo? Eu não sabia. - Sua reação foi de surpresa. Era isso ou ela estava apenas fingindo. — Bom, eu cheguei do meu trabalho e me deparei com um outro veículo na minha vaga então, chamei o guincho porque se você não sabe, é proibido estacionar na vaga de outras pessoas.

 

— Você poderia ao menos ter procurado saber a quem pertencia o carro.

 

— Ah, não. - Ela soltou um riso soprado . — O guincho foi a forma mais ágil. - Comentou. Seu tom era de puro sarcasmo e deboche, não obstante, eu olhava para ela com muita atenção e via a sua face serena. Eu cerrei os olhos, ainda observando-a por completo, entretanto, o meu olhar não pareceu causar nenhum tipo de efeito nela.

 

Admito que me surpreendi com a sua personalidade.  Catherine me parece ser uma mulher bem forte, ela realmente não tem papas na língua. 

 

A morena tem um jeito de mulher mimada, ao mesmo tempo misteriosa. Seu olhar transmite muitas coisas, um pouco indecente deixando-me inebriado.

 

— Tenho quase certeza de que você sabia que o carro era meu. - Insisti. Eu quero ver se a sua feição serena desmanchar e entregá-la, todavia, tentei a todo custo jogar verde para colher maduro, mas pareceu não funcionar.

 

— Não vou discutir sobre isso! Eu já disse a verdade, agora cabe a você acreditar ou não. - Ela diz olhando nos meus olhos. 

 

— Tudo bem então! - Suspiro derrotado. — Só me passe o número do guincho, eu preciso buscar meu carro. - Digo a última frase com raiva.

 

— Só um minuto. - Ela adentrou para dentro da sua residência, deixando a porta entreaberta. E não é como se eu fosse um bisbilhoteiro, mas eu não pude evitar a curiosidade, inclinei meu corpo e pude ver nitidamente metade da sua sala. 

 

Apesar de aparentar ser pequena por fora, a casa parecia ser gigantesca por dentro. A sala tinha suas paredes pintadas em um tom vinho com alguns quadros pendurados, o que me chamou uma certa atenção. Ao notar que Catherine se aproximava novamente, eu logo tratei de disfarçar a minha bisbilhotice e então comecei a fitar meus pés.

 

— Aqui está. - Ergo minha cabeça para a mesma, que entendeu a mão para mim. Peguei o pequeno cartão e dei uma breve olhada, em seguida voltando minha atenção à mulher.

 

— Obrigado. 

 

— Imagina. - Ela responde, umedecendo os seus lábios. Fora um ato simples, porém sexy ao mesmo tempo. — Ah, e me desculpa por isso. Se eu soubesse que era seu carro, teria evitado todo esse transtorno.

 

— Tudo bem... Eu realmente errei em ter estacionado em frente a sua casa. 

 

— Que bom que reconheceu seu erro senhor, digo... Jeongguk, certo? - Neguei com a cabeça, a deixando completamente confusa.

 

Catherine estreitou os olhos e eu ri da sua feição caótica, vendo suas sobrancelhas franzidas e apreciando seus lindos cílios incrivelmente longos e curvados. E até mesmo a maçã do seu rosto angelical me chamou atenção.

 

— Eu estou apenas brincando.

 

— Mal nos conhecemos, é um pouco estranho, não?

 

— Bom, não somos mais estranhos então...

 

— É, você está certo. - Ela responde. — Então, estamos resolvidos? - Perguntou retoricamente. 

 

— Sim. 

 

— Ok, peço desculpas novamente. Até outro dia, Jeongguk. - Com um olhar terno, Catherine mordeu os lábios inferior, enquanto me encarava.

 

— Até Catherine. - Olhei-a pela última vez, e virei-me pronto para me afastar dali.

 

É impressão minha ou ela estava tentando me seduzir?

 


Notas Finais


E aí? Gostaram? Espero que sim💞

E já tivemos uma interação do Jungkook com a Catie, hein🔥

Se chegaram até aqui me digam o que vocês acharam, seu comentário é muito importante para mim✨

Até a próxima anjinhos 💞


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...