1. Spirit Fanfics >
  2. Jogo do Destino - Is it Love Owen >
  3. Aquele em que nada é simples

História Jogo do Destino - Is it Love Owen - Capítulo 28


Escrita por:


Notas do Autor


Vocês pediram e chegou !

Boa leitura. ❤

Capítulo 28 - Aquele em que nada é simples


Fanfic / Fanfiction Jogo do Destino - Is it Love Owen - Capítulo 28 - Aquele em que nada é simples

Sim, eu estou numa novela mexicana. Acabei de descobrir que estou grávida e não, eu não sei quem é o pai. Ainda bem que estou no hospital porque se eu passar mal mais uma vez, estou no local certo. Todo o resto que o médico falou eu ouvi sem nem acreditar, me indicou começar o pré-natal me deu as felicitações e saiu do quarto.

Ouço batidas na porta, vejo o rosto da minha mãe na porta e aceno para que ela entre.

- Você está melhor ? Tivemos que sair do quarto porque estava se tornando uma confusão quem ficaria aqui.

- Minha filha - Meu pai entra no quarto.- O médico não quis falar o que você teve.

- Foi uma queda de pressão …- Quando me preparo para dar o restante das notícias.

- Minha filha, eu estou tentando entender porque tem um bandido e seu parceiro de crime te aguardando ?

- Como ?

- Seu pai está se referindo aos rapazes lá fora…

- Pai a situação é muito mais complicada do que você possa imaginar. As provas que apresentei … bom, eu descobri que são falsas ! Alguém está por trás disso, e eu preciso saber quem é.

- Você não tem que se meter em nada disso. Se é falso ou não, isso é um problema da polícia.- Seu tom de voz aumenta.

Fico em choque com o modo que meu pai fala, e pensar que eu reproduzi esse mesmo discurso.

- Então, você não se importa que estejamos acusando um inocente ?

- Se ele for inocente a justiça irá provar.

Eu não aguento ficar ouvindo toda essa besteira, me levanto da maca, minha mãe preocupada tenta me amparar.

- Está tudo bem, mãe.- Ando até o banheiro do quarto para colocar minhas roupas.

- Bom pai, eu discordo de você e vou ajudar o Adam a provar que é inocente. E reparar meu erro.

- Se tem uma coisa que você não vai fazer, é se meter nisso.

- Eu sou adulta, e decido o que vou fazer ! - Já estou ficando alterada com essa conversa sem objetivo.

- Mas enquanto você precisa da minha ajuda e da sua mãe, você não decide sozinha. - É um tapa na cara o que ele me diz.

- Quer saber, você está certo.- Paro na porta do banheiro.-  Eu tenho que andar com as minhas próprias pernas, hoje mesmo estou saindo da sua casa.

- Lilian. - Minha mãe tenta me parar, assim que saio do banheiro já vestida.

- Desculpa mãe.- Dou um beijo no seu rosto, pego minha bolsa e saio do quarto.

Vou até a recepção e assino os papéis da minha saída do hospital, quando chego na entrada principal vejo Adam e Owen lado a lado, tudo que eu precisava. Os dois me veem e levantam rapidamente do banco.

- Lily, você tá bem ? - Adam pergunta. Seu olho marcado pelo soco que ganhou do Owen.

- Acho que sim.

- O que você teve ? - Owen pergunta. Sinto novamente o mesmo cheiro de álcool de mais cedo e meu estômago embrulha.

- Queda de pressão. - Se você soubesse de verdade o que eu tenho… - Você está fedendo a álcool, que ótimo.- Saio andando antes que eu vomite e vou para a calçada do hospital.

- Afinal o que aconteceu no tribunal ?

- Foi adiado para amanhã, para nossa sorte.- Adam responde.-  Porque o juiz quase nos deteve pela confusão que causamos, meu advogado argumentou e ele decidiu adiar a sessão.

- Ah que ótimo, amanhã tudo de novo.

- Podemos te dar uma carona, pra casa agora.- Owen oferece.

- Eu sinceramente estou cheia de vocês dois.  E pelo seu cheiro de álcool você nem deveria dirigir. E eu posso me virar sozinha. - Digo a última frase mais para mim, do que para eles.

Assim que avisto um táxi faço sinal e entro, deixando os dois parados na calçada me olhando. Parabéns pela confusão, Lily, parabéns.

Passo no apartamento e busco as minhas coisas essenciais, não quero ficar muito tempo aqui e dar de cara com meus pais, ou sei lá, mais alguém da família que resolva aparecer. Faço duas malas e peço um táxi para um hotel, até pensei em ir para a casa da Lisa, mas não quero sobrecarregá-la.
Deitada na minha cama de hotel, olho para o teto e passo a mão na barriga. Eu não estou mais sozinha, que loucura. Meu estômago então ronca, começo a rir da situação. Realmente não estou mais sozinha, a fome também está aqui. Ligo para o serviço de quarto e peço um espaguete a bolonhesa, acho que vai ser o suficiente.
Assim que como a vontade de vomitar vem. Desse jeito não dá pra ser, ou sinto fome ou vomito, os dois não dá.

Mais um dia no Tribunal graças ao Adam e ao Owen. Sinto que alguém está me olhando, quando olho para o lado me deparo com o Owem, e trato logo de olhar para a frente novamente. Eu tenho só me sentido triste, e mais triste por estarmos afastados, mas agora eu sinto raiva também, ele não lutou por nós, ele nem tentou me dar uma chance e agora fica me olhando. Existem coisas mais sérias acontecendo agora e é nisso que vou focar.
Meus pai foi chamado como testemunha contra o Adam e logo depois eu sou chamada. Como me incomoda estar nessa posição, agir como se quisesse que o Adam fosse preso, o talvez pai do meu bebê… nossa é difícil até pensar nisso. Mas não tenho como fugir das perguntas, ou mentir. Sinto o olhar do Adam me incentivando toda vez que engasgo em uma resposta, e é estranho ver seu apoio ao que eu falo, já que isso pode fazê-lo ser preso.
Depois de ouvir as nossas declarações e ver as provas, o juiz decide deixar o Adam preso enquanto aguarda o julgamento das outras acusações. É um verdadeiro balde de água fria.
Enquanto o juiz fala, meu celular vibra e vejo uma mensagem do Colin.

“Encontrei o dono da conta e vi um depósito de um valor altíssimo feito do sr. Peterson para essa conta. O depósito tem mais de 8 anos. Me encontre hoje a noite, na minha casa e avise ao Adam.”

Leio e nem acredito. Quando olho para a frente Adam está sendo algemado, me levanto rapidamente e vou sem sua direção mostrando a mensagem no celular. Ele lê e franze a testa, provavelmente por ver o nome de seu pai envolvido nisso.

- Eu vou resolver isso, prometo.- Sussuro, pra que só ele me ouça.

Ele acena e é levado pelos policiais.

Quando estou saindo do tribunal, vejo Fiona e Derick próximos ao Owen.

- Você deve estar feliz, era tudo que você queria ! - Fiona me trata com rispidez, mas eu entendo, ela não sabe o que está acontecendo e por enquanto vai ter que continuar sem saber.

- Se acalma Fiona. - Owen pede.

Derick fica calado e nos observa.

- Owen preciso falar com você.

- Não dê ouvidos pra essa mulher, Owen. Você já sabe do que ela é capaz. - Fiona rosna em minha direção.

- Fique tranquila, sou bem capaz de me cuidar.- Owen devolve em resposta.- Ok, vamos conversar.

Owen sai primeiro do tribunal, seguido pela Fiona. Derick para e me olha mais uma vez.

- Que bom que a justiça está sendo feita.

Fico por alguns segundos tentando entender, até que questiono - Achei que fosse amigo do Adam.

- Eu sou, mas se ele errou, tem que pagar.

Só aceno com a cabeça em resposta ao seu comentário e ele sai do tribunal.
Saio logo depois, para poder falar com o Owen.

- O que foi ? - Owen está encostado na parede do corredor.

- Isso.- Saco o celular da bolsa e mostro a mensagem pra ele.

- Uou, isso tá ficando interessante. - Ele passa a mão pelos cabelos.

- Sim, me encontre hoje para irmos até o Colin.- Apago logo a mensagem, melhor não manter esse tipo de prova no meu celular.

- Ok, eu te busco.

- Tudo bem, às 18h no hotel New Yorker.

- Hotel ? - Ele não esconde a surpresa.

- É minha nova moradia no momento. Bom, agora preciso ir e comer algo que eu não vomite.

Ele acena sem entender minha última parte da frase e eu vou embora.

Acabo indo para a Carter trabalhar depois do julgamento, como cheguei mais tarde e quase nada tem parado no meu estômago decido não tirar a hora de almoço para compensar meu horário.

Lisa aparece no meu setor, com uma sacola em mãos.

- Olá, achei que você tinha que se alimentar.

- Ah, obrigada amiga ! Cadê o Matt ?

- Ele ficou com o Colin lá no Bob. - Ela me entrega um saco de papel, levemente engordurado.- Trouxe seu favorito.

Quando tiro o sanduíche da sacola, sinto a boca salivar. Dou uma bela mordida, Lisa me observa, e em poucos minutos sinto vontade de vomitar. Tento levantar em direção ao banheiro, sinalizo para ela que entende e logo me entrega o saco de papel. Vomito e me apresso em direção ao banheiro, Lisa como uma sombra, segue atrás de mim.

- Você está bem ? Algo estava estragado ?

- Não, não fica tranquila. - Limpo minha boca com água na pia.- É bizarro, foi só descobrir que não paro de vomitar.

- Descobrir o quê ? - Lisa franze a testa e cruza os braços.

Olho pra ela pensando no que posso inventar, mas já estou escondendo isso de tanta gente, talvez eu deva contar pra alguém. Olho para ela que continua aguardando minha resposta, verifico por debaixo das cabines me certificando que estamos sozinhas no banheiro.

- Que eu to grávida.

- Quê ? - Seus braços caem ao redor do corpo.

- Sim, minha reação foi tipo essa.

- Mas a quanto tempo ?

- Descobri ontem, tenho de duas a quatro semanas…

- Mas você transou com o Owen e o… Meu Deus !

- Sim, Lisa. Meu Deus. E o Owen já sabe que transei com o Adam.

- Mas ele sabe da…- Ela gesticula na minha direção.

- Não ! Não ! E nem está merecendo saber de nada.

- Mas o que você vai fazer ?

- Sinceramente ? Nem sei mais, tudo que eu queria era ficar bem com o Owen, mas agora tudo mudou. Se for do Adam, ele não vai querer ficar comigo, não mesmo. E no meio disso, fiz o possível pai do meu filho ser preso. Como eu vou explicar isso pra minha família ?

- Mas porque você acha tanto que é do Adam ?

- Do jeito que ando com sorte, nem duvido.

- Amiga, em algum momento você vai ter que contar pros dois.

- É, eu sei. Mas por enquanto posso empurrar com a barriga. - Tento fazer uma piada pra aliviar o clima.

- Não sei como consegue fazer piada.- Lisa balança a cabeça sem rir.

- Nem eu sei como.

Peço pra Lisa guardar o segredo, não sei se o Matt ia conseguir ficar sem comentar sobre isso para o Adam. Ou ele tentaria me convencer a contar tudo para o Adam e o Owen, coisa que não estou preparada.
Já são 18h, só tive tempo de trocar rapidamente de roupa antes do Owen chegar para me buscar. Ele para com a van em frente ao hotel e eu logo entro.

- Boa noite.- Fecho a porta da van.

- Boa noite.- Ele responde e logo volta sua atenção para frente.

Ok, tudo que eu precisava. Um ex, mal humorado. Também nem vou fazer questão, tô cansada de me sentir mal e pedir desculpas. Pego meu celular e ajo como se ele nem estivesse ali, como se eu não sentisse vontade de segurar sua mão, ou colocar minha cabeça em seu ombro, ou como se eu não tivesse vontade de que tudo fosse simples e um beijo fosse o suficiente. Um nó se prende em minha garganta, tento desatá-lo bebendo água da garrafinha que está na minha bolsa, recomendações médicas.

No Colin, ele nos mostra a conta bancária e o valor altíssimo que foi depositado pelo pai do Adam.

- Caramba, quantos zeros ! - Digo assim que vejo o valor.

- Será que o sr. Peterson que tentou incriminar o Adam ? - Owen olha a tela e analisa.

- Eu não sei, só encontrei uma coisa, a conta pertence a Clark Smith.

- Como só uma coisa ? É o nome, agora vamos achar tudo !  - Fico animada de finalmente estarmos caminhando para algo.

- Eu também pensei assim, Lily. Mas as questão é que não tem nada sobre esse nome em lugar nenhum.

- Como assim ?

- Não existe registro nenhum, nada. Todas as movimentações nessa conta foram saques, nenhuma transferência, nem qualquer outra transação. Essa conta foi o único registro que achei nesse nome. Não achei histórico escolar, nem ficha criminal, nenhum imóvel, nada.

- Mas… - Toda vez que chegamos perto de algo, falta uma parte.

- Essa pessoa apagou totalmente seus rastros, é como se esse Clark nem existisse. A única coisa que nos liga a ele é o sr. Peterson, ele é o único que pode nos dizer a identidade do Clark.

Nós continuamos conversando, combinamos nossos próximos movimentos e o que vamos precisar fazer. Temos que ser rápidos, para tirar o Adam o mais rápido da cadeia.
Owen se oferece para me levar de volta, eu aceito sem contestar. Depois de passar um tempo em silêncio, ele resolve falar.

- Por que ?

- Por que o quê ? - Me viro pra ele.

- Por que ele ? - O sinal fecha e seu olhar para mim é um misto de tristeza e incompreensão.

- Eu não planejei Owen … - Olho para os meus pés, sabia que esse assunto seria difícil.

- Não consigo entender, você disse tanto que queria voltar, me mandou todas aquelas mensagens e no fim dormiu com ele ?

Sua frase me atinge, mas ao invés de causar tristeza, sentimento tão comum pra mim nesses últimos dias, sinto raiva.

- Sabe Owen, eu errei. Eu menti pra você, eu deixei você achar que eu só quis te manipular, e eu tenho pago pelos meus erros. Queria que tudo fosse simples agora, e que eu pudesse remendar o que quebrei, mas sei que não é assim que as coisas funcionam. Mas se tem uma coisa que eu to cansada, é de ser sempre a vilã.- Minha declaração mexe com ele que logo me olha.- Você me tratou igual lixo aquele dia, você me destruiu.

- Lily…

- Não, agora quem está falando sou eu ! Você me destruiu aquele dia e mesmo assim, eu continuei me sentindo culpada, mal. Carregando a culpa de ter causado até a péssima forma que você me tratou, e quando eu descobri que eu tinha acusado o Adam injustamente tudo piorou. Você imagina o quão pior eu me senti ?

Ele estaciona em frente ao hotel e me olha calado.

- Não, você não sabe. E naquela noite que conversei com ele, eu encontrei carinho e afeto e Deus sabe o quanto eu queria que fosse você que estivesse comigo, mas era o Adam. E ele falou as palavras certas, e me olhou de um jeito que me senti menos culpada. Eu estava frágil e sozinha,mesmo que brevemente, mesmo que para estancar a ferida no meu peito, eu me deixei levar… Posso ter errado, mas eu sinceramente já nem tinha mais esperanças. Você não disse mais nada, você não me procurou. E ainda quis cair na porrada com o Adam, como se você fosse meu dono !- Eu grito liberando minha mágoa.-  Você não parecia preocupado com o que eu faria da minha vida até bem pouco tempo. Nem me lembro a última vez que te vi !

- Eu quis resolver, eu fui atrás de você ! Até que vi o Adam saindo do seu prédio no domingo de manhã.  - Ele gesticula enquanto fala, eu sou pega de surpresa em saber que ele foi atrás de mim.- O que você acha que eu deveria fazer ? Sendo traído pelo meu melhor amigo ! - Sua voz também está alterada, estamos no nosso limite.

- Você, não foi traído ! Ou esqueceu que tínhamos terminado ?

- Mas que merda Lily ! - Ele passa a mão pelo cabelo.- Vamos resolver tudo isso, sinceramente, foda-se se ficou com ele. - Ele se aproxima mais de mim, me tirando as respostas, põe sua mão em minha nuca e me puxa para perto. Nossa troca de olhares é intensa e só se pode ouvir nossa respiração pesada. Finalmente sinto sua boca na minha, como senti sua falta ! Queria que fosse só isso, queria que tudo que aconteceu pudesse se resolver nesse beijo.

- Não é mais tão simples Owen.- Digo com a minha boca ainda colada na dele, meus olhos enchem d'água.

- Como assim ? Por que ?

Eu respiro fundo, nossas testas estão coladas uma na outra.

- Eu estou grávida.

Ele fica em silêncio e eu me afasto para olhar seu rosto. Sua expressão é surpresa, ele está tentando absorver o que eu estou dizendo.

- E você não sabe ?- Ouvir da boca dele aumentam minha agonia.

Sacudo a cabeça negativamente, e mais lágrimas escorrem pelo meu rosto.

Ele permanece calado. Fale algo Owen , por favor.

- Por isso, por isso não é mais tão simples.- Desisto de aguardar que ele diga as palavras que preciso ouvir. Pego minha bolsa e saio da van, bato a porta sem olhar seu rosto e entro no hotel.

 


Notas Finais


Pessoal, agora vou dar uns dias até o próximo capítulo, minha outra fic está parada e precisa ser atualizada, ta bom ?
Fiquem ligadxs que em breve vem mais !!
Estão gostando ?

Beijinhos e até o próximo capítulo ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...