História Jogo Perigoso - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Máfia, Stripper
Visualizações 4
Palavras 1.942
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Festa, Ficção, Hentai, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oie! Espero que gostem! Comentem suas opiniões!

Capítulo 2 - The beginning or the end?


Fanfic / Fanfiction Jogo Perigoso - Capítulo 2 - The beginning or the end?

"Este e o fim do começo ou apenas o começo do fim?" 

 

Respiro fundo pela décima quinta vez, sinto o cheiro de fumaça invadir minhas narinas a toda potência, não era o cheiro de cigarro normal sentia no fundo cheiro de menta... ou hortelã, ele queimavam o interior de minhas narinas e faziam meus pulmões pegarem fogo por onde a fumaça passava, aqueles eram cigarros aromatizados, alguns clientes do bar costumavam os usar por isso sabia eles eram mais prejudiciais à saúde e viciavam mais, as chances de desenvolver câncer duplicavam, não que eu acharia ruim se Kristopher tivesse câncer, seria um demônio a menos no mundo, solto o ar devagar pela minha boca entreaberta logo vendo o vapor condensado ou a famosa fumaça sair pelos meus lábios, menos três graus, New York congelava nessa época do ano, fevereiro, começo para alguns e o fim para outros, dando uma última olhada a árvore a minha frente, um pinheiro que em suas folhas acumulava neve, o gelo a havia dominado quase não se via o verde mas quando a primavera chegasse e o gelo derretesse a esperança voltaria e ele logo estaria todo verde, eu me via assim, eu era apenas um pinheiro no inverno, logo minha primavera chegaria, eu tenho que ter certeza.

 

Entro no bar indo em direção ao salão principal onde haviam mesas e o palco mas como ainda era cedo não havia ninguém além de algumas garotas treinando, mas logo mudaria, quando as portas se abrirem essa paz que se encontra sempre se rompe, passo no corredor dos quartos dos clientes, depois do corredor vou para casa de Kristopher subo as escadas e vou para último quarto pego a chave no bolso da minha calça logo entrando em meu refúgio particular, vou até o espelho despendurado na parede olhando meu reflexo, meus cabelos curtos caiam em estilo Chanel nos meus ombros fazendo uma pequena onda colocando as pontas curvadas para meu pescoço, vou até a penteadeira pegando uma liguinha de cabelo preta  amarando meu cabelo em um pequeno rabo de cavalo deixando minha franja solta, ela caia em meu olho esquerdo dando a intenção  de ser uma cortina.

 

Me direciono ao calendário despendurado na porta de madeira do quarto contando quantos dias faltavam, 376 dias para meu inferno acabar, um dia a menos que ontem um amais que amanhã, viro a chave na fechadura a trancando, me deito na cama de casal do quarto pegando no sono.

 

Acordo ouvindo Or nah do Ty Dolla $ign, ótimo despertador penso comigo mesma, acordar ouvindo, uma música que fala abertamente de uma foda e como tudo gira em torno do dinheiro.

 

Não que fosse mentira, o mundo gira em torno do dinheiro, o mundo é dos poderosos, me levanto indo para o banheiro retiro minha blusa de frio, minha regata, a calça, desabotoo o sutiã e retiro a calcinha, tomando uma banho esperando que a agua quente leve tudo de mal que vai acontecer, saindo me seco e visto uma lingerie preta junto ao espartilho, cinta liga, saia de couro preta pegando na metade de minhas coxas e saltos, tudo preto.

 

Solto meus cabelos os penteando com os dedos, passo máscara de cílios e um batom vinho.

 

Me sento na cama esperando me chamarem, até que alguém bate na porta, me levanto e destranco a fechadura, Ricky um dos seguranças do bar e meu melhor amigo entra no quarto, ele era alto e grande com músculos, parecia uma montanha, sua careca sempre bem lustrada tinha o reflexo de tudo nela, o seu terno alinhado e os óculos escuros, ele me lembrava os agentes do FBI?

 

Estão te chamando Ema – Ricky pronuncia.

 

 

Confirmo com a cabeça e o lanço meu melhor sorriso, Ricky ou melhor o FBI disfarçado me guia para o Bar logo vejo vários velhos com garotas jovens da minha idade em seus colos ou homens jovens agarrando alguma garota, sinto meu estomago embrulhar, era tão repulsivo saber que o mundo era deles, pessoas tão cruéis sem nexo, desprezíveis, nojentas, bem que já me disseram ; “O dinheiro compra tudo, o poder amedronta todos, alguém que tem isso em mãos e um Deus na terra” aqueles homens velhos ou jovens, belos ou feios, não importava, eles tinham essas duas coisas eles eram Deuses podiam fazer o que quisessem, éramos diversão, por um momento percebi que eu era a política do pão e circo, na Grécia antiga quando o povo se estressava seus líderes para os controlar os davam pão e os levavam para os coliseus onde homens lutavam contra leões assim divertindo o povo e os fazendo se esquecer de seus problemas.

 

Eu e as outras garotas éramos a diversão deles, sem leões mas com roupas curtas e provocantes, sem gladiadores mas sim dançarinas. Nojento é como eu vejo tudo. O mundo pode ser repulsivo, garotas de dezessete anos sendo tratadas como prostitutas enquanto deveriam estar em escolas, a maioria estava ali por tráfico humano, haviam até crianças o que me assustava, até que ponto o ser humano pode chegar?

 

Sou guiada até uma mesa que em seu centro continha uma barra de pole dance, haviam cinco homens, todos de terno engravatados e de alguma maneira “jovens” deveriam ter 20 até 33 anos, reconheci Kristopher com seu cabelo loiro em um topete e seu terno cinza claro alinhado em seu corpo, ele era belo, mas nojento e repulsivo, havia um homem a sua esquerda, eu já havia o visto... Sim! O ricaço com vários adjetivos e comentários desnecessários, ele havia me “comprado” e digamos que por uma noite inteira fui obrigada a ouvir xingamentos.

 

Não reconheci nenhum dos outros três homens mas não me importei, não estava ali para brincar de amiguinha e sim para dançar.

 

Subi na mesa logo ouvindo o comentário desnecessário de um deles.

 

- Gostosa –

 

Respiro fundo, caminho até o centro da mesa encarro a parede preta cintilante, então a música soa.

 

 

 

 

“Quando chegar o amanhã, estarei por conta própria”

 

 

Minhas pernas então abertas e minhas duas mãos estão na barra de metal gélida a minha frete.

 

 

“Me sentindo assustada com as coisas que não conheço”

 

 

Retiro minha mão direita da barra e a passo em meu rosto até meus seios.

 

 

“Quando o amanhã chegar, amanhã chegar”

 

 

Dobro minha perna esquerda e estico a direita a apoiando no chão com força, levo meu braço e minha mão aberta esquerda para a esquerda.

 

“Amanhã chegar”

 

Meu braço esquerdo segura a barra enquanto o direito e esticado, minha perna direita e dobrada e a esquerda esticada.

 

“Amanhã chegar”

 

Meus dois braços seguram com força a barra enquanto minhas pernas se dobram, jogo minha cabeça pra trás.

 

“E mesmo que a estrada seja longa, olharei para o céu”

 

Meu braço esquerdo rodeia a barra e depois a segura, meu pé direito vai para trás.

 

“No escuro, descobri a esperança perdida de que não voarei”

 

Meu braço direito se estica na barra e minha mão a segura com força, levo um pequeno impulso dando um pequeno giro, meu pé esquerdo firma no chão e eu “aterrisso”.

 

“Eu canto junto, canto junto”

 

Minha perna esquerda permanece firme no chão enquanto a direita se dobra ficando com meu pé direito ao lado do meu joelho esquerdo, meu tronco e impulsionado para trás assim como minha cabeça e minha duas mãos continuam firmes na barra.

 

“Eu canto junto”

Desfaço meu movimento, minha mão direita continua na barra enquanto a esquerda está levantada com meu pulso para baixo, minha perna direita cruzando atrás e a esquerda na frente.

 

“Eu tenho tudo o que preciso quando você está comigo”

 

Minhas mãos voltam a barra a direita fica na parte debaixo da barra e a esquerda em cima, meu corpo pega impulso e fica totalmente reto na barra, minha perna esquerda se estica para cima enquanto a direita dá um leve dobramento, e assim giro por toda a extensão da barra.

 

“Eu olho à minha volta, e vejo uma vida boa”

 

Escorrego até o fim da barra, colocando minha perna esquerda pra frente dobrada e a direita para trás dobrada, meu braço direito segura a barra e o esquerdo e estendido.

 

“Estou presa no escuro, mas você é minha lanterna

Você me guia, me guia pela noite”

 

Fico em pé novamente, minha mão direita agarra tão firme a barra que a vejo ficar mais pálida do que já e, abro minhas pernas e estico meu braço esquerdo rodopiando na barra por um longo tempo.

 

 

[...]                                   

 

Depois de terminar minha pequena apresentação caminho até a ponta da mesa onde me sento e dou um pequeno pulinho caindo no chão, fazer o que né?  Era o que minha altura permitia, Ricky estava atrás da poltrona que Kristopher usava, ele tinha um robe preto na mão.

 

Me aproximo dele pegando o robe o vestindo, ele ia até metade das minhas coxas mas melhor do que nada.

 

 Nada mal o Show – Ricky diz rindo.

 

Obrigada – Agradeço com ironia vendo seu riso aumentar, vou até ele dando um soco em seu bíceps e saindo de volta para a casa de Kristopher.

 

Mas paro ao ouvir a conhecida voz de demônio de Kristopher me chamando.

 

-Ema! – Sinto uma mão grande e gélida agarrar meu pulso me impedindo de continuar meu caminho.

 

-O que foi? - Pergunto enquanto fecho meus olhos para controlar meu corpo tremulo, sinto meus músculos enrijecerem, e o medo dominar meu corpo.

 

-Parece que chamou a atenção de um dos milionários mais exigentes, ele quer uma noite. – Diz serio mas com um sorriso de lado no rosto, ótimo um milionário, mais dinheiro pra Kristopher.

 

Solto o ar pelos meus lábios pintados de vinho, dou uma pequena e forte mordida no meu lábio inferior, logo sentindo o gosto metálico do sangue, gostava as vezes de sangrar me mostrava que eu estava viva, coisa que as vezes duvidava.

 

Kristopher acena com a cabeça para o homem que estava a sua frente, dou um pequeno suspiro.

 

Ele se aproxima de onde estávamos, o bar estava escuro me impossibilitando de ver seu rosto, mas ele era alto e forte. Claro qualquer pessoa era alta perto de uma garota de 1,57. Mas ele devia ter uns 1,80.

 

Faço um manejo de cabeça e puxo meu pulso com brutalidade voltando a andar em seguida, vejo que o ser ambulante me segue, vou até o corredor do quarto dos clientes e vou até o quarto 598, a minha suíte, a mais cara para a dançarina mais cara, pode se dizer que quem quer diversão comigo gasta muita grana.

 

Ele pega a chave do bolso do paletó e abre a porta pra mim, entro na frete dele logo tirando o robe voltando a ficar com as roupas de antes, ele acende a luz e vai até a poltrona do canto do quarto se sentando.

 

Cabelos castanhos claros quase loiro, olhos cor de mel que dependendo da luz ficavam esverdeados, pele levemente bronzeada, aquele homem era lindo!

 

 

-Não sei seu nome – A voz grave ecoou no cômodo.

 

-Não importa – Minha voz saiu alta e imponente, já havia tido experiência com todo tipo de homem de existe.

 

-Sou o Clay e você? - Pergunta enquanto inclina levemente seu corpo para frente.

 

-Quer que tipo de música? - Pergunto ignorando sua pergunta

 

Ele dá um sorriso de lado.

 

-Acho que não dá pra fazer Strip-tease ao som de Lana del Rey...

 

Minha vez de sorrir.

 

-Eu vou dançar, e não tirar minha roupa como no Strip-tease, mas posso dançar com qualquer música, me fala uma.

 

- Isso e uma pena – Ele murmura – Blue Jeans. E eu quero saber seu nome.

 

Suspiro enquanto massageio minha têmporas, essa vai ser uma longa noite.

 


Notas Finais


*Dados afirmam que cigarros aromatizados são mais prejudiciais a saúde e mais viciosos, mas lembrem-se todos os tipos de cigarros fazem mal a saúde.

Então? Comentários são sempre bem vindos. Espero que tenham gostado! Beijinhos! <3

Link da dança no pole dance: https://www.youtube.com/watch?v=qMaq9Zi71jo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...