1. Spirit Fanfics >
  2. Jogos De Sobrevivência >
  3. Hey, hey, hey, Lembrar de mim por séculos

História Jogos De Sobrevivência - Capítulo 26


Escrita por: lizzybland

Capítulo 26 - Hey, hey, hey, Lembrar de mim por séculos


Fanfic / Fanfiction Jogos De Sobrevivência - Capítulo 26 - Hey, hey, hey, Lembrar de mim por séculos

O que se acontece quando você é uma pessoa impulsiva e que nunca segue as regras?

Bem, Harry Potter e seus amigos eram assim. Naquela tarde em que eles saíram da sala de treinamento e foram para a sala de reuniões como Shacklebolt, havia pedido, eles entraram em uma discussão sobre o camando da "operação".

Shacklebolt, estava começando a ficar irritado com a impetuosidade de Harry. Não entenda mal, ele gostava daquela coragem que Harry tinha para bater de frente com qualquer pessoa, gostava do jeito dele sempre desafiar as regras e ainda sim conseguir ter êxito. Mas isso era até, Harry, desafiar ele e a sua autoridade. Ele queria fazer Potter entender que deixando ele e os outros no comando, era muito melhor do que deixar adolescentes responsáveis pela operação toda, ele e sua equipe poderia auxiliar Harry em qualquer coisa. Mas tentar dizer isso a Harry James Potter.

Harry, estava irredutível, ele não aceitava que Shacklebolt quisesse ficar no controle de tudo quando era ele e seus amigos que arriscariam a vida. Era tudo muito simples de entender, mas Shacklebolt fazia questão de complicar as coisas. Ninguém ousava se meter na discussão, por mais que quisessem, todos ficaram calados apenas observando os dois completamente irritados.

- eu vou deixar uma coisa que bem clara para o senhor...- Harry, falou entre dentes com o rosto sério - nós vamos arriscar as nossas vidas, nós é que estamos na lista negra de Riddle. Então será do nosso jeito e com a minha equipe!

- você não pode simplesmente fazer o que quer! - sua irritação só ficou ainda maior ao ver o sorriso debochado de Potter.

- na verdade eu passo quando é o meu que está na reta. Não pense que é algum tipo de chefe que vai nos dar ordens, porquê eu não vou seguir nenhuma delas - Shacklebolt, passou a mão nervosamente pelo rosto - espero que tenha ficado claro e que no dia deixem a sala a disposição de cedrico e Gina, porquê serão ELES que vão nos auxiliar no resgate.

- você não pode trocar pessoas qualificadas... por adolescentes!

- esses ADOLESCENTES, irão salvar o seu traseiro e todo o resto do mundo quando recuperar o mapa dos marotos - Draco, disse arrogante. O olhar de Shacklebolt sobre ele era raivoso e foi revidado, não só pelo olhar de Draco, pelo olhar de Harry, pansy, Hermione, Blaise, Rony, Gina e Cedrico.

Nenhum deles estava disposto a dar o braço a torcer e Shacklebolt, teria que aceitar isso.

- É, Shacklebolt, a maioria vence - Sirius, falou segurando o riso. Não seria nada apropriado rir naquela situação.

- se algo der errado, a responsabilidade é toda de vocês - e com isso o homem mais velho saiu da sala pisando duro.

Eles fizeram um toca-aqui entre eles e sorriram.

- espero que saiba o que está fazendo, Hazz - Sirius, falou cortando a onda de euforia - espero que todos vocês saibam o que estão fazendo. Veja bem, acredito que sejam capazes de fazerem isso, mas tem que cogitar que há uma grande possibilidade de dar errado. Não, não é porque será feita por "adolescentes" - ele se adiantou a falar quando pansy abriu a boca para retrucar - isso vai ser arriscado, vocês estarão enfrentando comensais e eles não pegam leve. Se algo de errado, Shacklebolt, vai usar isso para reforçar o ponto de vista dele.

- entendemos isso, padrinho, não vamos falhar - Harry, falou firme e Sirius sorriu. Ele lembrava tanto James - falhar não é uma opção.

Assim eles saíram da sala de reuniões. Já era noite e todos foram jantar na cantina, eles conversaram sobre tudo que podiam e que isso ficaria entre eles por enquanto. O plano já estava feito, e Astória já estava perto de ser encontrada. Eles emboscariam os comensais no meio da estrada e resgatariam a garota, sabiam que haveria troca de tiros e por isso percy estava trabalhando nas armas. Os gêmeos já tinham começado a melhoraria dos carros. Cedrico, estava tentado raquear um satélite para verem o exato momento que os comensais passariam pela aquela estrada.

Sério que Shacklebolt achava que existia uma equipe mais qualificada e empenhada do que aquela?

Já era tarde quando decidiram ir para seus quartos e tomar um belo banho para poderem cair na cama e dormir para esquecerem aquele dia estressante. Quando Harry saiu do seu quarto, já tomado banho e vestido, ele andou até o quarto de Draco e bateu na porta ouvindo um "entre", Harry apertou o botão que ficava ao lado da porta e ela se abriu revelando Draco sentado no meio da cama lendo um livro.

- achava que tinha desistido de vir dormi aqui - ele falou deixando o livro de lado e se aconchegou em Harry quando o mesmo entrou debaixo das cobertas.

- eu te disse, sua cama é muito mais confortável do que a minha - Draco, deu uma risadinha e repousou a mão no peito de Harry sentindo o coração bater calmamente - você parece preocupado com algo, o que aconteceu?

- não, é só... Sirius, está certo, existe uma grande possibilidade de tudo isso da errado e a garota acabar indo até Riddle e ele acabar conseguido uma das coisas mais poderosas que existe - Harry, sabia disso ele não era tolo. Mesmo que sempre dissesse que tudo acabaria bem e que eles conseguiriam, o medo de tudo dar errado e eles falharem era uma das muitas coisas que o fazia perde o sono a noite.

- eu sei que isso pode acontecer. Acredite, eu tô apavorado com isso tudo, mesmo que não pareça, eu tô - Draco, começou a passar a mão pela bochecha de Harry - eu sei que se falharmos podemos acabar mortos e consequentemente todas as pessoas que estão confiando em nós para dar um fim a isso tudo. Não sei se vamos conseguir salvar Astória ou se vamos conseguir salvar o mundo, mas eu vou até o fim. Ás vezes temos que confiar na nossa fé - Draco, olhou para cima e sorriu.

- maldita síndrome de herói - ele riu da cara indignada de Harry - 50% de alguma coisa é melhor do que 100% de nada - ele falou e Harry concordou - você tá com medo... do que vai acontecer assim que conseguimos achar o mapa e dermos um jeito de entrar em hogwarts?

- eu tenho medo o tempo todo, apenas não deixo que ele seja maior que a minha força de lutar - a voz de Harry era firme e mostrava que não importava as consequências, se ele tivesse que morre... bem, uma vida não é mais importante do que milhares.

Longos minutos se passaram onde eles apenas ouviam a respiração um do outro, seus corpos juntos e quentes era uma sensação de segurança. Ambos sentiam novas coisas que os deixavam levemente inebriados.

Draco, olhou para Harry, que agora tinha os olhos fechados, ele não parecia está dormindo. Ele estava apenas contemplado o silêncio e o cheiro doce e leve, não era nada enjoativo, que Draco tinha. Malfoy, levou as mãos pálidas e quentes para o rosto de Harry e passou o polegar pelas bochechas do outro. Potter abriu os olhos e sorriu ao ver aqueles prateados que o deixavam sem fôlego.

- faça amor comigo, Harry - Draco, falou baixinho como se contasse um segredo. Harry, entendeu que assim como ele, Draco estava se permitindo sentir aquela avalanche de emoções que por muito tempo os deixaram, assustados.

Harry, nada respondeu, apenas se inclinou para Draco. Seus lábios se juntaram com ternura e lento, suas línguas entraram em uma dança perfeita onde ninguém brigava pelo controle, os dois estavam no comando. Harry, ficou por cima de Draco deixando beijos singelos que foram do seu rosto até o pescoço, suas mãos adentraram a camisa do pijama e a puxou para cima deixando o cabelo de Draco bagunçando quando se viu livre dela. Os dois sorriram um para o outro. Seus lábios exploraram cada centímetro do pescoço e peito de Malfoy.

Roupas foram jogadas ao chão e apenas um tecido para ficarem completamente nus. As mãos de Harry tocavam todo o corpo de Draco como se ele fosse a coisa mais valiosa que existisse no mundo. Seus lábios carnudos desceram lentamente até os mamilos rosados de Draco, onde ele chupou passando sua língua quente e molhada causando arrepios por cada canto do seu corpo. Draco, gemia e arqueava o quadril sempre que sentia os dentes de Harry prenderem seus mamilos. O olhos verdes sempre o fitando, nunca querendo perde nenhuma reação que o outro expressava.

Sua língua desceu pelo abdômen de Draco deixando uma trilha de saliva até chegar ao cós da cueca preta. O loiro abriu mais as pernas para que Harry se posicionasse melhor entre elas, os lábios afoitos beijavam a parte interna da suas coxas deixando alguns marcas, e ele adorava as marcas que Harry deixava nele.

Sua cueca foi tirada do seu corpo o deixando totalmente nu e a mercê de Harry. O moreno o olhou tão fixamente que Draco sentiu suas bochechas esquentaram, Harry percebeu e sorriu indo até está cara a cara com o loiro.

- você é tão lindo, Draco - o loiro não teve tempo de responder nada, sua boca foi tomada em um beijo necessitado onde tudo que importava era o gosto maravilhoso que a boca de Harry tinha. Draco, já foi elogiado muitas vezes, mas tudo tinha outro significado quando era Harry o elogiador. Ele sentiu seu pênis ser fechado em mãos fortes e quentes, um gemido saiu do seu lábio.

Harry, o masturbava devaga olhando para olhos azuis que se reviravam de prazer, sua boca vermelha e inchada por causa do beijo estava aberta soltando gemidos que eram abafados pela boca de Harry. Potter, queria memorizar aquelas cenas para sempre e nunca mais esqueçe-las. Novamente, voltou a descer com os lábios, dessa vez até o pênis de Draco que pingava o deixando com água na boca. Draco, tinha um gasto particularmente bom. Seus lábios se fecharam na glande rosada e foi satisfatório ouvir o gemido sôfrego do loiro, ele queria da todo prazer que fosse possível ao seu Draco.

- chupe - a voz rouca e autoritária foi ouvida e Draco imediatamente colocou na sua boca os três dedos que estavam lhe sendo oferecidos. Ele se sentia uma puta naquelas horas, mas se era para ser uma puta, ficava feliz em ser a puta de Harry. O moreno observava seus dedos entrando e saindo da boca do outro. Oh! Como uma pessoa poderia ser tão sexy? Quando os dedos foram retirados da sua boca, eles estavam cobertos pela sua saliva. Harry, fez com que Draco abrisse ainda mais as pernas deixando sua entrada totalmente visível aos olhos esmeraldas, os lábios carnudos voltaram para seu pênis e o engoliu de uma só vez fazendo Draco gemer alto.

Um dedo acariciou a sua entrada o deixando ainda mais necessitado, Harry apenas o provocava enfiando somente a ponta do dedo.

- p-por favor, H-Harry - sua voz saiu trêmula e sua visão nublada não o impediu de ver o sorriso malicioso que pintava nos lábios do outro.

- o que você quer, Draco? - ele adorava quando Draco implorava para ele. Era tão excitante ouvir a voz suplicante do outro.

- quero q-que v-você.... me foda c-com seus dedos... Ahh! - Harry, era fácil demais quando se tratava de Draco. Ele introduziu dos dedos de uma só vez, sua boca novamente voltou a da atenção ao pênis do outro e seus dedos o fodia indo fundo e rápido -...Arm... Ah! - os gemidos proferidos pela boca do outro o incentivou a colocar mais um dedo na entrada de Draco, três dedos o fodiam enquanto seu pênis era chupado com afinco pela boca quente de Harry. Potter, sentia todas as veias de Draco pulsando dentro da sua boca, aumentou ainda mais o ritmo de ir e vir no interior do loiro -... Ahhh...! - Draco, deixou os quadris caírem na cama assim que atingiu o orgasmo. Sua mente estava nublada e um resmungo contrariado saiu dos seus lábios quando os dedos de Harry saíram de dentro dele.

Draco, o puxou pela nuca para um beijo, sentido seu próprio gosto. As mãos de Harry apertavam sua cintura, mas era diferente das outras vezes, dessa vez o toque era mais gentil e delicado. As mãos de Draco se livraram rapidamente da cueca de Harry, começou uma masturbação no membro do outro. Harry, gemeu com a testa encostanda na curva do pescoço do loiro, as mãos de Malfoy apertaram seu pênis o fazendo gemer mais alto. Sua boca foi para o pescoço pálido o chupando com vontade deixando sua marca ali, não importava o que eles dissessem. Draco, era dele e apenas dele, assim como ele era apenas do loiro.

- me fode, Hazz - Harry, levantou o olhar para se deslumbrar com as órbitas prateadas escuras de prazer e desejo. Sua mão foi para seu próprio pênis que estava lambuzado com o pré gozo, sua ereção estava dura e pulsava para se enterra dentro de Draco. Sem nunca desviar o olhar, ele introduziu seu pênis na entrada rosada fazendo Draco gemer de prazer. Completamente enterrado dentro do outro, ele entrelaçou suas mãos com as de Draco e começou os movimentos de vai e vem. Dessa vez não era apenas pelo prazer, não era só sexo, tinha algo a mais que fez uma onda de arrepios passar pelos seus corpos. Se existia algum sentimento que eles tinham jogado para o escuro, não existia mais. Eles estavam finalmente se permitindo sentir tudo aquilo, mesmo que ainda os deixasse assustados. Mas o que era a vida sem riscos?

As estocadas aumentaram quando Harry atingiu a próstata de Draco fazendo um gemido alto sair pela garganta de ambos. Suas mãos entrelaçadas se apertaram forte quando Harry aumentou a velocidade e a força, o corpo de Draco ia e vinha. O suor correndo pelos seus corpos deixava o cheiro de sexo forte no ar - Ahh! - mais uma estocada funda. Apesar de tudo, não era bruto, tinha carinho e até romance. Coisas que eles mesmo faziam questão de não existir na hora do sexo, mas que agora não importava mais. Harry, pulsava forte no interior de Draco, quando sentiu que estava perto mas duas estocadas fortes e profundas foram o suficiente para chegar ao orgasmo.

Ele saiu de dentro de Draco e se jogou ao seu lado. Os cabelos de ambos estavam bagunçandos e grudados na testa, suas bochechas estavam vermelhas e suas respirações rápidas.

- eu não te odeio - Draco, disse. Harry, riu e o puxou para os seus braços.

- admita, Malfoy, você gosta de mim - Draco, deu uma risadinha deixando sua cabeça repousar no peito nu de Harry.

- vai sonhando, Potter - Harry, deixou um beijo nos fios loiros.

- eu também não te odeio - e os dois se entregaram ao sono.

É, eles não se odiavam mais.


Notas Finais


Eles dizem 'eu te amo' de um jeito diferente.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...