História Jojo Pink Diamond - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias JoJo no Kimyou na Bouken (JoJo's Bizarre Adventure)
Personagens Dio Brando, Jotaro Kujo, Kakyoin Noriaki, Narancia Ghirga, William Anthonio Zeppeli
Tags Dio Brando, Jojo, Jojo's Bizarre Adventure, Jotaro Kujo, Kakyoin Noriaki, Universo Alternativo
Visualizações 13
Palavras 4.159
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Luta, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu quase esqueci de postar o capítulo hoje, ainda bem que consegui lembrar XD

Capítulo 8 - O Diabo incomoda muita gente


Fanfic / Fanfiction Jojo Pink Diamond - Capítulo 8 - O Diabo incomoda muita gente


- É bom vê-lo novamente também, Jotaro! – Falou Dio com um sorriso malicioso. 

- O que você quer aqui? – Jotaro perguntou furioso.

Dio estava lá para apresentar uma pessoa ao Jotaro, talvez ele fosse até gostar de conhecer essa pessoa. Essa tal pessoa aparece ao lado de Dio, aparentava ter a mesma idade que o Jotaro com 22 anos de idade; seu cabelo é loiro; tem 1,75 de altura; seus olhos eram castanho avermelhados.

- Quem é ele? – Perguntou Jotaro.

- Meu nome é Giorno, sou o ajudante fiel de Dio.

Giorno não era de sorrir muito, sua expressão era sempre fechada, olhar sério e frio; também não é de conversar muito, preferindo pensar mais e falar menos. Pelo seu jeito parecia ser bem mais poderoso que Dio, assim como D'Arby era fiel ao Jotaro, Giorno era fiel á Dio.

- Vi que você controlou bem rápido sua energia de poder, gosto de pessoas assim como você. – Disse Giorno interessado. – Jotaro Kujo Alford, quero ter uma luta contra você! – Desafiou. 

- Lutar? Acabei de sair de uma luta ontem e hoje de madrugada!

- Ah, não está com medo? Está, Jotaro? – Disse Dio provocando Jotaro.

- Está pra nascer quem vai me colocar medo! Ainda mais demônios como vocês dois! – Esbravejou o rapaz.

- Que pena! Nossa luta vai ficar pra uma próxima vez, Jotaro! – Dio olhava para Jotaro com um sorriso malicioso enquanto Jotaro o encarava com muita raiva, sentindo uma grande vontade de atacar Dio.

- Ainda irei acabar com você Dio!

- Ah, claro que vai... – O tom de voz dele saiu com sarcasmo. – Então... Acho que vou lutar contra outra pessoa. – Falou ele olhando diretamente para Kakyoin.

Kakyoin rapidamente virou o rosto para o lado se sentindo bem incomodado com o olhar dele. Jotaro olhou para Kakyoin percebendo que Dio provocava algum tipo de incomodo nele, mas por que ele se incomodava tanto?

- Você está bem Kakyoin? – Perguntou ainda olhando para ele. 

Kakyoin olhou para Jotaro ficando corado e respondeu rapidamente deixando a timidez de lado:

- Estou bem! – Voltou a olhar sério para Dio. – Vai ser bom lutar contra você, Dio!

- Se puder, tente pegar o diamante rosa. – Pediu Jotaro em tom de voz bem baixinha.

- Claro! Vou tentar o possível e o impossível. – Respondeu Kakyoin também em tom de voz baixa.

Dio aparece com velocidade em frente à Kakyoin jogando-o para bem longe dali com um poderoso golpe. A poeira no chão se levantou quando ele voou com toda a velocidade até onde Kakyoin foi lançado. Jotaro olhava impressionado, nunca havia visto tal coisa em toda sua vida normal, voltou à expressão séria para começar a luta contra o tal fiel ajudante do Dio.

Giorno havia desaparecido da vista de Jotaro, mas ele conseguiu sentir a presença do mesmo e se esquivou rapidamente de um dos golpes de Giorno, após se afastou dele rapidamente com um olhar bem sério.

- Não pense que irá me superar tão de pressa, Jotaro. – Disse Giorno avançando rapidamente até Jotaro. 

Com um poderoso golpe Jotaro rodopiou sobre o ar, em seguida capotou várias vezes no chão. Jotaro estava caído sobre o solo, sujo de terra e com alguns ferimentos leves, resmungando de dor, o soco de Giorno lembrava ao Jotaro o golpe que recebeu de Dio no primeiro encontro deles. 

- Você é realmente forte? – Perguntava Giorno se aproximando de Jotaro. – Ou eu estava enganado?

Jotaro tentava se levantar para ataca-lo, até o instante em que sente uma forte pancada nas costas. O golpe de Giorno foi tão forte que o chão se abriu em uma média cratera. 

Do outro lado do parque abandonado, Kakyoin estava apanhando feio para Dio, recebendo vários golpes em sequencia, os golpes de Dio eram realmente mais fortes que o dele e Kakyoin tentava usar todos os golpes; poderes mágicos, qualquer técnica para derrubar Dio, porém, nada daquilo parecia funcionar.

- O que foi Kakyoin? Não consegue me dar um único golpe- – Falava Dio enquanto golpeava Kakyoin tanto com chutes quanto com socos. - Mais forte-  – O ultimo golpe manda Kakyoin contra uma rocha. - DO QUE ISSO? – E sorri maldosamente observando a rocha se quebrar e a pedras caírem por cima de Kakyoin. 

O rapaz lentamente se levanta do monte de pedras, ele estava bem ferido, mas permanecia forte para continuar a luta. 

- Eu sempre esperei por esse momento, em que um dia eu iria lutar contra você! E me vingar pelo que me fez no outro Mundo, Dio. – Kakyoin parecia ofegante, cansado, mas isso não o faria desistir do que queria, ainda estava muito determinado a continuar em frente. 

Longe da luta entre Dio e Kakyoin, podia se escutar vários barulhos de explosão que era no local onde estava Jotaro e Giorno. Kakyoin olhava ofegante e preocupado para a direção onde estava ocorrendo às explosões, ao mesmo tempo em que ele queria ajudar Jotaro, pois ele não tinha treinado o suficiente, Kakyoin também queria derrotar Dio e recuperar o diamante rosa para ele. 

- Hum, parece que está preocupado com o Jotaro, não é mesmo?

Kakyoin ficou em silencio e sem responder.

- Vai fugir da luta só para ajudar ele...? Tudo bem... Pode ir! – Disse Dio com olhar de quem não se importava.

Kakyoin olha sem entender e desconfiado para o que acabara de escutar, e pensava se talvez Dio estivesse planejando alguma coisa.

- O que foi Kakyoin? Não confia em mim? - Perguntou em tom sínico.

- O que está planejando? – Perguntou ele com olhar cerrado e bem desconfiado.

- Planejando? Não estou planejando nada. – Respondeu Dio com expressão inocente. – Melhor ir logo, antes que o Jotaro morra!

As explosões foram ficando cada vez mais fortes, Kakyoin não conseguia mais ficar ali parado, ele queria de qualquer jeito ajudar Jotaro, então, correu a toda velocidade até o outro lado. Dio abriu um sorriso diabólico, é bem óbvio que ele tinha um plano maléfico.

Kakyoin encontra ambos com ferimentos, mas Jotaro estava bem mais ferido do que Giorno. Kakyoin tirou a espada de sua bainha, a espada era toda prateada e ele continuava a correr. 

- Kakyoin, cuidado! Atrás de você! – Gritou Jotaro enquanto se levantava.

O rapaz olhou para trás vendo Dio com uma grande esfera de fogo na mão indo em direção a ele. Kakyoin logo desviou se teleportando para o lado de Jotaro.

Dio para ao lado de Giorno e apaga a esfera de fogo, logo dizendo:

- Vamos tentar aquela técnica que combinamos, Giorno.

- Droga...! – Kakyoin praguejou.

- O que? O que eles vão fazer? – Perguntou Jotaro olhando com angustia.

Dio coloca sua mão ao lado da mão de Giorno, os dois começam a formar uma esfera negra que vai aumentando a cada minuto. O céu foi escurecendo, descargas elétricas vermelhas passavam por entres as nuvens, e por volta da esfera negra haviam várias descargas elétricas vermelhas também que ficavam cada vez mais fortes conforme a esfera crescia. Assim que a esfera negra já estava bem grande, Giorno e Dio correm em direção de ambos com a enorme e poderosa esfera negra. Kakyoin rapidamente tentou bloquear fazendo um campo de força assim que o ataque chegou até eles, porém, este campo de força não ia durar muito tempo, e foi se trincando até quebrar, assim, os dois acabam sendo atingidos pela esfera negra.

Longe dali, D'Arby que estava dentro do carro avistou uma enorme explosão acontecer no centro do parque, aquela explosão o surpreendeu e o assustou na hora.

- O que será que aconteceu? – Se perguntou ele.

Conforme acontecera aquela explosão, uma ventania de ondas da explosão chega até o local em que o carro de Jotaro estava. Aves voaram assustadas, e o alarme do carro dispara com a força das ondas, várias árvores ao redor haviam sido derrubadas e até a parte da grama foi arrancada do chão.

D'Arby correu em direção em que viu a explosão acontecer, encontrou Jotaro e Kakyoin desacordados em uma enorme cratera no chão. D'Arby se aproximou dos dois tentando acordar Jotaro, olhou em volta e não havia ninguém além deles, olhou para o lado vendo Kakyoin se levantar enfraquecido.

- O rapaz está bem? – Perguntou D'Arby para Kakyoin.

- U-um pouco... Ficarei bem logo, mas... Jotaro... – Kakyoin lentamente vai até perto de Jotaro. -... Ele está quase morrendo, a aura dele está muito fraca. Precisamos que alguém o cure. 

Kakyoin tentou se acalmar e pensar em algo para salvar Jotaro e logo perguntou tendo uma ideia:

- Você conhece um curandeiro?

- Sim, tem em Hermit Hamon.

- Ótimo! Vamos levar Jotaro até lá!

- Mas como vamos chegar a tempo até Hermit Hamon? – Perguntou D'Arby confuso.

Kakyoin estalou os dedos e com seu teleporte chegaram rapidamente ao local em que o curandeiro vivia. O curandeiro era Straizo na aparencia da parte dois do anime e quando ainda era humano. Ele estava sentado em um banco de madeira fazendo algum tipo de medicamento quando se assustou ao ver os três aparecendo ali do nada. 

- C-Como chegaram até aqui... Tão rápido?

- É uma longa história. Mas antes precisamos que salve o Jotaro! – Falou D'Arby.

O curandeiro se aproximou de Kakyoin que estava ao lado do corpo de Jotaro, então, Straizo se espantou ao vê-lo. Lembrava que ele era o rapaz de 22 anos quando foi levado até ele, e que D'Arby havia pedido sua ajuda para retirar a bala de revolver com o qual foi atingido. Desde aquele tempo para os dias de hoje, a aparência de Straizo não havia mudado nada por causa de alguns procedimentos que usava para não envelhecer. 

- Acho que lembro... É aquele mesmo rapaz que havia levado um tiro, certo? Mas por que ele ainda parece jovem? Passaram-se muitos anos, não era para ele estar mais velho?

- Sim, mas é como eu disse... É uma longa história.

- Certo... O levem para dentro da cabana. – Disse Straizo caminhando até a cabana e eles o seguem levando Jotaro para dentro.

Após todo esse sacrifício, Kakyoin conta toda a história ao curandeiro que escutava tudo atentamente e com espanto. Kakyoin era um demônio e podia se recuperar bem dos ferimentos, mas Jotaro não, mesmo tendo poderes ele ainda era apenas um humano.

- Então, você é um... Demônio?! – Falou Straizo.

- Sim, mas não sou mal, juro pela vida de Jotaro!

- Nunca vi algo do tipo em toda a minha vida antes. – Comentou ele.

- Por algum motivo não posso transformar Jotaro em um demônio, parece que seu corpo rejeita a isso e também... Acho que ele iria odiar muito se ele se transformasse em um demônio. Mas você... – Ele olha fixamente para Straizo. -... Você tem como transformar se me permitir.

- O-O que? Eu? Por quê? – Perguntava o curandeiro indignado.

- Não tem como um humano conseguir curar um golpe poderoso de um demônio, ainda mais um golpe feito pelo Dio. Para cura-lo tem que ser um demônio com o mesmo sangue que o meu, só que eu não sei como curar esse tipo de golpe...

- Se você não sabe, eu saberei muito menos! Não, não permito que me transforme em um deles! – O curandeiro se recusou.

Neste momento Jotaro se contorcia de tanta dor que estava sentindo, ele estava acordado e ao mesmo tempo desacordado, podia sentir o efeito do ataque com descargas elétricas percorrendo pelo seu corpo.

- Por favor! – Implorou Kakyoin segurando o braço de Straizo e se ajoelhando enquanto sua cabeça estava baixa em expressão de tristeza e desespero. – Ajude ele... Eu imploro...! Ajude o Jotaro!

Straizo olhava para Kakyoin com tristeza, percebia pelo jeito do rapaz demônio que ele realmente se importava com o Jotaro, que realmente gostava muito dele. O curandeiro não tinha certeza se deveria realmente aceitar aquilo, olhou para D'Arby que diz á ele que se ele ajuda-se poderia dar uma excelente quantia em dinheiro. Straizo pensou duas vezes sobre tudo aquilo, e respondeu sério e decidido:

- Tudo bem! Já que não há outro jeito, eu irei aceitar, mas não posso jurar e ter certeza de que irei realmente conseguir salvar ele dessa vez.

Kakyoin olhou para o homem com um sorriso de alivio e esperança limpando as lágrimas de seu rosto e olhos.

- Muito obrigado!

Ele usou uma técnica em que Straizo poderia se transformar em um demônio com o mesmo sangue que o dele, Kakyoin era do tipo de demônio que podia curar qualquer ser, uma espécie de demônio curandeiro, porém, ele não tinha muita experiência e só conseguia curar ferimentos não muito fortes. Kakyoin cortou o seu pulso deixando o sangue escorrer em uma tigela, após, entregou para o curandeiro beber.

Straizo pegou a tigela observando e pensando mais uma vez se deveria fazer tal coisa, olhou para Kakyoin com um pouco de duvida, viu nos olhos do rapaz algo que parecia ser esperança, ele não queria deixa-lo triste se então ele realmente tem sentimentos mesmo sendo um demônio, respirou fundo e bebeu todo o sangue da tigela enquanto Kakyoin recitava algumas palavras em outra língua, assim, o curandeiro que antes era apenas um humano se transformou totalmente em um demônio. Estava com a aparencia quando ele se tornou um vampiro no anime; os seus olhos eram de íris de cor douradas como os de Kakyoin; e ele segurava um cajado de ferro e aço na mão. 

Ele se aproximou de Jotaro, respirou fundo e soltou o ar bem devagar, olhou para Kakyoin e D'Arby dizendo:

- Me desejem boa sorte!

Kakyoin e D'Arby balançaram positivamente a cabeça, Kakyoin desejava muito que o curandeiro conseguisse salvar Jotaro. Ele fechou os olhos colocando as mãos juntas uma na outra, e mais uma vez pedindo novamente para que salvasse a vida de Jotaro.

Straizo após ter sido transformado em um demônio, ficou parado ao lado do corpo de Jotaro pensando em um jeito de poder cura-lo, Kakyoin continuava de olhos fechados e mãos juntas. O curandeiro fechou os olhos, ficou um tempo em silencio até que de repente veio até a sua mente uma intuição, agora ele sabia o que fazer exatamente, pediu para que Kakyoin viesse para perto do corpo de Jotaro ajuda-lo na cura.

Kakyoin chegou perto do corpo do rapaz deixando ele impressionado com o que Straizo explicava conforme seguia sua intuição.
Os dois colocaram as mãos sobre o tórax de Jotaro recitando as palavras certas para a cura, uma luz rosa saia das mãos de Kakyoin e do curandeiro, assim, conseguindo curar Jotaro por algumas horas.

Após terem acabado a cura, e após Kakyoin contar mais detalhes da história para o Straizo durante bastante tempo, Jotaro foi acordando bem devagar se sentindo bem melhor, sem dores e sem descargas elétricas percorrendo por dentro e por fora de seu corpo. Ao abrir totalmente seus olhos, olhou para todos que estavam ao redor e se sentou olhando surpreso para o curandeiro e disse:

- Quem é você? Parece que já te vi antes, mas não estou conseguindo me lembrar direito.

- Sou o curandeiro que havia salvado sua vida anos atrás. – Straizo respondeu. – Seu amigo demônio o trouxe até aqui.

Jotaro se lembrou do dia em que a policia federal havia invadido o Monte Platinum, por causa dos garimpeiros e o contrabando de diamantes, foi naquele dia em que teve que fugir e acabou sendo atingido por um tiro de revolver, mas graças a D'Arby que conseguiu tira-lo do local e leva-lo até Straizo, Jotaro pode ser salvo.

- Sim! Eu me lembro de você! – Disse ele, mas estranha à aparência do curandeiro e pergunta. – O que houve com você?

- Seu amigo teve que me transformar em um demônio para poder cura-lo do efeito do ataque que recebera. 

- Eu sou um demônio curandeiro, Jojo. Agora eu e o curandeiro somos do mesmo sangue. – Explicou Kakyoin.

- Entendi. – Ele olha para Straizo novamente. – Obrigado mais uma vez por me salvar! – Após voltou a olhar para Kakyoin que o olhava corado e sorrindo. – E obrigado também, Kakyoin. 

- Eu disse que eu era diferente dos outros demônios. Se eu fosse mesmo mal teria o deixado morrer.

Jotaro ficou um pouco sem graça sobre o assunto e diz:

- Me desculpe ter desconfiado de você...

- Está tudo bem Jotaro! Isso é normal, não tem como confiar em demônios de primeira, mesmo que diga que é bom. Para confiar, seja, humano, demônio, ou outro ser, devemos primeiro observar os seus atos para poder confiar.

Jotaro sorriu para ele e disse afirmando:

- Tem toda razão!

Ele se levantou devagar, e olhou para o curandeiro perguntando:

- Qual é mesmo o seu nome?

- Me chamo Straizo. Conte sempre com minha ajuda Jotaro!

- Certo. Muito Obrigado, Straizo – Jotaro agradeceu dando um aperto de mão.

O curandeiro demônio rejeitou o dinheiro que D'Arby dissera que daria, agora que ele era um demônio achava que não iria mais precisar daquilo. Agradeceram mais uma vez ao curandeiro, despediram-se e voltaram ao local de antes com o teleporte de Kakyoin.

No centro do campo estava a grande cratera feita pela explosão, e quase tudo em volta estava meio destruído. 

- Então foi isso que aconteceu? Aqueles malditos conseguiram nos atacar com um poder bem poderoso?! – Falou Jotaro após lembrar-se de tudo que havia ocorrido antes.

- Isso mesmo Jojo! Eles... Conseguiram nos derrotar nessa rodada. – Falou Kakyoin abaixando a cabeça decepcionado com sua falha. – E sinto muito... Não consegui pegar seu diamante rosa de volta...

- Ei! Está tudo bem Kakyoin! – Falou ele erguendo a cabeça do rapaz que o olhou com lágrimas quase saindo de seus olhos. – Pelo menos estou vivo, mais uma vez escapei da morte graças a você... Eu disse que sou imortal?! E Dio não irá me matar tão fácil assim!

Kakyoin abriu um belo sorriso para ele, Jotaro tocou o ombro do rapaz enquanto ele continuava a escuta-lo atentamente.

- Irei derrotar Dio de qualquer jeito! Vou pegar meu diamante de volta e acabar com ele, nem que eu seja morto. Farei de tudo para continuar sendo um poderoso Imperador!

- Nem que tenha que acabar virando um demônio, anjo ou qualquer outra coisa? – Perguntou Kakyoin olhando nos olhos dele.

- Até mesmo se eu tiver que virar outra coisa. Esse é meu Império, o Monte Platinum é meu lugar de poder, e os diamantes são todos de minha propriedade. – Falou Jotaro com muito orgulho do fundo de seu coração.

Kakyoin olhava para Jotaro encantado e admirado por sua força de vontade, pela sua persistência e bravura. Ele era realmente como Kakyoin pensava, Jotaro seria um dos Imperadores mais poderosos de todos.

- Te desejo muita boa sorte! – Disse Kakyoin com grande sorriso e brilho nos olhos. – Estou torcendo por você e sempre estarei ao seu lado, Jotaro!

- Obrigado Kakyoin. – Ele falou com um pequeno sorriso para Kakyoin.

- Sabe Jojo, estava pensando em terminar por hoje, isso tudo que ocorreu me deixou meio desanimado... Vamos voltar outro dia?

- Claro! Tudo bem.

Jotaro, Kakyoin e D'Arby retornaram ao carro, assim, saindo do local retornando de volta para a cidade. Por hoje daria uma pausa para descansar, e esquecer um pouco o que aconteceu e ficar um pouco mais tranquilos.

##########

Jotaro estava de volta em sua casa acompanhado com Kakyoin, e por muita sorte não deram de frente com Mary Jenny que se aparecesse com certeza começaria a fazer perguntas. Os dois ficaram a sós no quarto para conversarem, enquanto Jotaro colocava uma camisa preta simples, Kakyoin falava:

- Você tem um quarto muito bem arrumado... Você mesmo arruma ou tem empregados que fazem isso?

- Nunca deixo os empregados arrumarem minha cama, meu quarto, nem mesmo deixo prepararem meu café da manhã. Eu faço tudo sozinho, prefiro assim. – Disse ele virando-se para Kakyoin após colocar a camisa.

- Nossa! Que ótimo isso, gosto de homens que mesmo milionários continuam simples e honestos.

Jotaro se sentou na beirada da cama e olhou para o rapaz dos olhos dourados e cabelos ruivos de pé a sua frente, pediu para ele que se sentasse ao seu lado, e Kakyoin tímido diz:

- N-Não sei se devo...

Jotaro pegou a mão de Kakyoin delicadamente o fazendo se sentar ao seu lado na beirada da cama. Olhava bastante tempo para o rosto corado do rapaz até ele quebrar aquele silencio incomodo.

- E-Então... Não pudemos recuperar o diamante...

- É mesmo. – Ele encostou os cotovelos sobre os joelhos e apoiando o queixo sobre as mãos ficando com as costas um pouco curvadas, sua expressão era bem pensativa. – Aquele demônio parece que sempre consegue escapar. Precisamos dar um jeito de derrota-lo, o que você acha? – Perguntou virando a cabeça para Kakyoin.

- Temos que fazer um plano em que ele possa cair. – Falou Kakyoin ficando pensativo sobre o assunto por alguns minutos. – Também precisamos que você fique bem mais forte que ele, e também... Há um jeito de selar Dio.

- Selar? Como e onde? – Jotaro perguntou curioso.

- Acho que... Terá que ser dentro de você...

- Dentro de mim? – Ele indignou-se e sua expressão se tornou de quem não gostou muito da ideia. – Está brincando, não é?

- É o único jeito dele não conseguir se libertar de novo!

- Não há outro jeito de prender ele?

- Que eu saiba esse é o único jeito, Jojo...

Enquanto a conversa caminhava pelo quarto, logo foram interrompidos por batidas na porta e uma voz de mulher chamava por Jotaro.

Jotaro bufou incomodado com a presença e perguntou em um tom bem alto:

- O QUE VOCÊ QUER JENNY?

- Poderia abrir a porta, só um minuto... Por favor? – Ela pediu.

Jotaro foi até a porta destrancando-a e abrindo-a para Jenny, a madame entrou no quarto sem se importar com o que Jotaro iria falar. Então, ele fechou a porta com a expressão zangada, e encarou bem sério a mulher dos olhos verdes, perguntando:

- O que você quer agora, Jenny?

- Quero saber quem é ele? – Perguntou Jenny apontando o dedo para Kakyoin que ainda continuava sentado na beirada da cama com as pernas cruzadas. 

- Kakyoin é um demônio, e ele está me ajudando no treinamento para lutar contra o Dio.

- Ele é um... Demônio? – Jenny deu risada após escutar a resposta de Jotaro.

Os brancos dos olhos de Kakyoin ficaram totalmente negros, provando a Jenny que ele é mesmo um demônio.

- Cruzes... – Jenny se espantou. -... Meu Deus, Jotaro, você trouxe um demônio para dentro de casa?!

- Ele é bom, não é igual aos outros demônios. – Ele respondeu.

O branco dos olhos de Kakyoin logo voltaram ao normal, e sorriu com o espanto e surpresa de Jenny.

- E se ele for seu amante ao em vez de ajudante? – Perguntou Jenny bem desconfiada.

- Um amante demônio? – Falou Jotaro com indignação.

- Sei lá! Já vi de tudo mesmo... Nunca se sabe se você não pratica atos de demonfilia.

- O que...? Por favor, Jenny, se retire do quarto se já acabou as perguntas. Esta atrapalhando minha conversa e planos com Kakyoin! Você não vai ajudar em nada mesmo.

- Eu até ajudaria sim, mas acho muito perigoso do que as outras coisas em que já te ajudei! – Falou Jenny jogando na cara dele o que já fez quando contrabandeava diamantes. Caminhou até a porta e se retirou do quarto – Seu demonfilo!

Assim que Jenny se retirou totalmente do quarto, Jotaro respirou fundo e trancou a porta para evitar mais incômodos. Voltou então a se sentar ao lado de Kakyoin, ele olhava de um jeito para o rapaz que acabava deixando Kakyoin mais corado. Jotaro foi aproximando seu rosto para perto ao de Kakyoin, ele olhava para a boca de Jotaro sentindo vontade de beija-lo, suas bochechas estavam completamente avermelhadas.

Um repentino beijo é dado por Jotaro e Kakyoin não conseguiu resistir a aquele beijo apaixonante. 

Ao lembrar-se de tempos ruins, Kakyoin parou os beijos todo constrangido e atordoado, em seguida virou o rosto para o outro lado ficando de cabeça abaixada e silencioso.

- O que foi Kakyoin? – Perguntou Jotaro meio confuso e preocupado.

- A-Apenas uma má lembrança... – Respondeu Kakyoin totalmente sem graça e ainda de cabeça abaixada.

- Você não quer me contar?

Kakyoin olhou para Jotaro um pouco triste, mas mesmo sentindo-se incomodado em ter que lembrar daquilo, ele acabou achando melhor contar para Jotaro o que realmente aconteceu, o porquê dele ter se transformado em um demônio, e o motivo dele se incomodar tanto com Dio, Jotaro precisava saber da história dele.

- Feche os olhos. – Disse Kakyoin colocando as mãos de cada lado das têmporas dele. – Te mostrarei tudo agora!

Jotaro fechou os olhos, Kakyoin aproximou seu rosto lentamente até a boca de Jotaro dando um longo beijo, mas esse beijo faria a magia acontecer. Após alguns minutos Jotaro adormeceu, passando a ver em sua mente a história do passado de Kakyoin.

To Be Continued...


Notas Finais


O Giorno tá bem diferente nessa AU, ele tem olhos castanhos avermelhados, quis deixar desse jeito pra combinar. Ele não é exatamente mal, na verdade ele só faz o que ele quer, nem sempre obedece o Dio. Mas nesse caso ele quis ter uma briguinha com o Jotaro.

E finalmente tivemos um beijo entre o KAKYOIN E O JOTARO!!!!!! :v


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...